Educadores mantém greve em Itaguaí


Funcionalismo decide manter a greve iniciada no último dia 13/02

“Centenas de servidores da educação municipal compareceram hoje (15/02), à assembleia da educação de Itaguaí, para discutirem os rumos da luta por direitos e conquistas retiradas pelo atual governo. A direção do sindicato  (Sepe), abriu a assembleia fazendo resumo das ações empreendidas na esfera jurídica, diante dos fatos, esclarecendo que toda a documentação e detalhes das medidas adotadas (lidas e explicadas na assembleia de hoje) estão disponíveis para consulta na sede do sindicato.

No momento de avaliações, bastantes insatisfeitos, os servidores que chegavam ao microfone denunciavam a caótica situação da rede municipal de ensino, muito além dos salários atrasados: dezembro, 13° salário, remuneração de férias e valores atrasados do P.C.C.S. da educação, conforme a lei municipal 3256/14. As denúncias também englobavam, principalmente, o descumprimento da lei municipal 3450/2016, que instituiu o regime 40 horas para os servidores da educação que aderiram à proposta do governo, via edital, e as mudanças no cumprimento da jornada extraclasse dos professores, sem consulta à categoria e sem oferta de infraestrutura adequada. Houve ainda rumores por parte de alguns servidores de que o governo (assim como fez com a migração) estaria estudando a possibilidade de retorno de todos os funcionários do apoio técnico-administrativo à jornada de 40 horas semanais.

15-2

No conjunto das deliberações, por unanimidade, os servidores presentes aprovaram a continuidade da greve por tempo indeterminado.Foram aprovadas também, por maioria dos votos, as seguintes ações:
– Ida à câmara de vereadores, nesta quinta (16/02), às 18h, vestidos de preto e cada servidor segurando uma vela apagada em mãos, em um ato representativo de vigília para velar a situação “mortis da educação municipal.”

slide2

Texto original da página do sindicato Sepe no Facebook

A Próxima assembleia dos educadores acontecerá  segunda-feira (20/02), às 09h, na praça cinco de julho. Na sequência, após a assembleia, os servidores seguirão em bloco carnavalesco, com marchinhas e muito samba em alusão ao que classificaram como “farra e “brincadeira”, empreendidas pela atual gestão na forma de tratamento ao servidor da educação.

 

O sindicato informou ao governo a deliberação de greve dos servidores da educação municipal em ofício expedido em 08/02/2017, sob a numeração 0027/2017. O ofício em questão, faz referência a outros seis anteriores que solicitavam marcação de audiência com o governo para discussão da pauta de lutas. O ofício 007/2017, segue anexo e consta com o comprovante de recebimento.

Todas as informações aqui anunciadas estão na página do sindicato dos educadores (Sepe) no Facebook: https://www.facebook.com/sepeitaguai

Sobre o término da “migração”/ majoração dos servidores a prefeitura de Itaguaí nos informou que a Procuradoria Geral do Município identificou irregularidades no processo realizado em 2015 e 2016. A lei municipal 3450/16 trata o Regime Especial de Trabalho (RET) como majoração de carga horária definitiva, quando, na verdade, o RET é um regime excepcional temporário. A antiga gestão tampouco realizou um estudo de impacto orçamentário e financeiro sobre a folha de pagamento do funcionalismo municipal para comprovar a existência de recursos suficientes para atender às despesas de pessoal.

A partir do parecer jurídico, a Prefeitura decidiu pela revogação de alguns atos, a fim de evitar sanções por parte dos órgãos de fiscalização.

Em reunião na segunda-feira (06/02), a Secretaria Municipal de Educação expôs aos profissionais de forma clara e transparente o problema e propôs que eles trabalhem em Regime Especial de Trabalho (RET), de acordo com a necessidade da rede municipal de ensino. Vale ressaltar que, segundo o parecer, a lei permite a adoção do RET.
A secretária de Educação, Andréia Busatto, conversou ainda com um grupo de professores e se comprometeu a estudar uma forma de atender aos profissionais dentro da legalidade.

 

Foto de capa: Viviane Magalhães

Outros municípios do Estado também iniciaram uma greve neste começo de 2017. Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaboraí, Mesquita, Nova Iguaçu,e São Gonçalo.

 

Anúncios

Uma ideia sobre “Educadores mantém greve em Itaguaí

  1. Pingback: Prefeitura de Itaguaí extingue valores de auxílio alimentação de centenas de servidores | Boca no Trombone – Itaguai

Dê a sua opinião sobre a postagem aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s