Câmara abre licitação para alugar carros blindados por R$ 352 mil por ano

O edital de licitação foi lançado, mas sem apresentar justificativa para a necessidade do gasto. Segundo a prefeitura, o projeto não possui estudo de impacto financeiro. Câmara já havia tentado criar quase 60 cargos e auxílios, também sem um estudo de impacto no orçamento.

Em 21 de fevereiro 2020
Por Amanda Prado e Diego Haidar, RJ1

Itaguaí – A Câmara de Vereadores de Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, lançou um edital de licitação para alugar três carros blindados a um custo de R$ 350 mil por ano, mas não apresentou nenhuma justificativa para o pedido.
Os carros devem cumprir uma série de especificações: devem ser blindados, modelo sedã, na cor preta, com motor 1.8 ou superior, câmbio automático, quatro portas e com, no mínimo, 104 cavalos. Os veículos também devem ter ar-condicionado e rastreador, além de som com CD, MP3 e entrada USB.

Edital completo de locação

Os vereadores de Itaguaí já contam com três carros à disposição. Um deles, segundo a TV Globo apurou, está parado por falta de manutenção. Todos estão registrados no banco de dados do Detran-RJ como carros oficiais.

Frota se deteriorou, diz Câmara

Ao RJ1, a Câmara Municipal de Itaguaí respondeu que, durante os últimos quatro anos da antiga gestão, a Casa não fez reparos e manutenção nos três carros de propriedade da prefeitura que haviam sido cedidos ao Legislativo.

A Câmara afirmou que os veículos ficaram mais de 50 meses estacionados no pátio e, por causa do abandono, não possuíam mais condições de uso.
Ainda de acordo com a Câmara, os carros foram devolvidos em outubro do ano passado, e os novos serviriam aos vereadores e demais funcionários em seus expedientes externos e missões institucionais.

Auxílios aprovados

Em fevereiro, os vereadores aprovaram outros dois projetos, que seriam custeados pela prefeitura da cidade. Os vereadores querem a criação de um auxílio emergencial de R$ 300 e o aumento do vale-transporte de R$ 8 para R$ 17,10 por dia.

Segundo a Câmara Municipal de Itaguaí, os dois projetos foram embasados na Lei Orçamentária Anual do Poder Executivo.
Segundo a prefeitura, nenhum dos projetos possui estudo de impacto financeiro. O Executivo informou que, apesar de alguns deles serem importantes para a população, não é possível colocar em prática por conta da falta de dinheiro em caixa.

“Isso tudo teria que ter sido feito um estudo de impacto financeiro, para tentarmos resolver. O caminho correto, como fui vereador, a câmara deveria ter feito uma indicação dando a ideia, o projeto, e aqui seria analisado, seria feito um estudo de impacto. Isso pode acarretar em atraso de salário e pode acarretar, principalmente, não conseguir pagar o 13º no fim do ano”, afirmou o prefeito Rubem Vieira.
Na Câmara de Vereadores, o presidente da casa, Haroldo Jesus (PV), não quis gravar entrevista.

Em janeiro, a prefeitura vetou um projeto da Câmara de Vereadores para contratar 52 funcionários comissionados, além dos 294 que já existiam.

Enquanto isso, os moradores da cidade reclamam de problemas em outras áreas, como a saúde.

O blog Boca no Trombone Itaguaí já havia procurado à Câmara para falar sobre o tema, mas não obteve respostas sobre algumas perguntas.

Veja a matéria completa do RJ1 clicando no link abaixo:

Assista no Globoplay:
https://globoplay.globo.com/v/9289921

Sponsored Post Learn from the experts: Create a successful blog with our brand new courseThe WordPress.com Blog

WordPress.com is excited to announce our newest offering: a course just for beginning bloggers where you’ll learn everything you need to know about blogging from the most trusted experts in the industry. We have helped millions of blogs get up and running, we know what works, and we want you to to know everything we know. This course provides all the fundamental skills and inspiration you need to get your blog started, an interactive community forum, and content updated annually.

Transferências e matrículas na rede municipal de Itaguaí começaram hoje dia 22

Transferências são de 22 a 24 de fevereiro

Em 22 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade

Itaguaí – A Secretaria Municipal de Educação de Itaguaí, SMEC, divulgou as datas para a realização de transferências e matrículas, conforme publicado no Jornal Oficial (edição nº 881 de 9/12/2020). Os pais ou responsáveis devem comparecer à Unidade Escolar munidos da documentação necessária. As transferências entre alunos da rede municipal vai de hoje, dia 22 até quarta 24. Já para novos alunos que venham do estado, de outro município ou que estejam iniciando ou regressando aos estudos (novos alunos para a rede municipal), a data é de 24 a 26 de fevereiro.

Confira a relação de documentos para matrícula de alunos menores de 18 anos:

* 2 fotos 3×4;

* Cópia da certidão de nascimento do aluno;

* Cópia do documento de identificação do responsável;

* Declaração de transferência ou Histórico escolar do aluno;

* Cópia do comprovante de tipo sanguíneo e fator RH do aluno;

* Atestado médico para a prática de Educação Física;

* Cópia de comprovante de residência do responsável;

* Cópia do cartão de vacina atualizado;

* Cópia do cartão do SUS (Sistema Único de Saúde);

* Cópia do cartão do Bolsa Família (se beneficiário do programa);

* Cópia da carteira de identificação de pessoa com deficiência ou laudo médico, no caso de alunos com deficiência.

Crianças tem aulas de Hip Hop e danças urbanas no CSU de Itaguaí

Projeto UBD Kids tem aulas gratuitas nas manhãs de todos os sábados

Em 21 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade

Itaguaí – O Centro Social Urbano, CSU, administrado pelo Instituto Casa do Pai, está ministrando aulas com crianças à partir de 07 anos. Já ocorreram duas aulas que acontecem todos os sábados de 09:30h às 11:30h, com o professor e coreógrafo Edinho Breezy. O projeto UBD Kids já está com a turma completa, mas a previsão é de abertura de novas turmas de acordo com a procura.

O blog Boca no Trombone Itaguaí foi até o CSU e presenciou a alegria não somente das crianças, mas também das mães que acompanhavam atentamente cada passo de seus filhos.

Eu tenho um carinho muito grande por cada criança e adolescente que faz parte deste trabalho que encanta o público. Eu vejo a dança como umas das ferramentas culturais mais importes do mundo. A minha maior recompensa é quando vejo eles em cima do palco fazendo o que gostam. A UBD tem praticamente 35 dançarinos. A companhia está trabalhando para realizar um espetáculo de dança chamado Favelação e para o festival Nacional que vai acontecer em Belford rocho no RJ,” diz o coreógrafo, diretor da United By Dance e professor da turma Edinho Breezy.

Edinho Brezzy professor da turma

Sou Dany Teixeira, mãe do Andrew. Por ele ser ator, a dança tem ajudado muito ele a se soltar, além de ser um diferencial para o currículo dele, que também ama dançar.
O sonho dele é fazer parte da companhia profissional e esse projeto só o tem ajudado nesse sonho.”

Dany com seu filho Andrew, aluno do projeto

O que posso falar do Projeto UBD kids? Bem, ao procurar a dança para minha filha estava muito mais preocupada com uma questão de saúde, pois ela precisava de alguma atividade física para estimular os movimentos principalmente dos membros inferiores, e hoje o que tenho a dizer é que o projeto contribuiu muito no desenvolvimento de minha filha em vários aspectos, não só a questão da saúde, mas destaco o que diz respeito à desinibição, segurança de apresentar-se a outras pessoas, o que fica claro no desembaraço durante as apresentações das quais ela participou. Também destaco o interesse na adaptação de cada aluno em particular, o que seria difícil se não fosse o real interesse do professor Edinho. E o melhor de tudo é ver a alegria, a empolgação das nossas crianças em frequentar as aulas e a participarem de cada apresentação. Obrigada ao Projeto UBD kids e ao professor Edinho, por todo amor e dedicação a esse trabalho incrível que está sendo feito. Saúde, bem estar, autonomia e autoconfiança são requisitos essenciais para nossas crianças, e o professor tem proporcionado isso a elas com maestria. É uma honra ter minha filha como aluna do professor Edinho,” diz Maria Pontes, mãe da aluna Nataly Lima.

Maria Pontes e sua filha Nataly

“Eu sou a mãe da aluna Lavínia, que faz parte do Projeto da UBD e eu só tenho a agradecer por todo incentivo, dedicação, pontualidade e compromisso com as crianças do projeto. O Projeto UBD é de grande importância na vida da Lavínia por ensinar expressão corporal, presença no palco, flexibilidade e a se socializar com as outras crianças. Que o Projeto continue a incentivando e transmitindo conhecimento aos nossos filhos”, diz Érica Justino de Oliveira.

Érika e sua filha Lavínia

O CSU está localizado na Rua Prefeito José Maria de Britto 201 no Centro. Próximo a Cedae em Itaguaí. Maiores informações: 21 98378-5898.

Professores entram em greve em Itaguaí, mas decisão tardia divide educadores

Servidores de apoio estavam atuando desde agosto de 2020 nas escolas e se sentiram segregados pela demora de ações.

Em 16 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade

Itaguaí – Os professores da rede municipal de ensino público de Itaguaí, decidiram entrar em greve. Um dos motivos é a volta deles às escolas para aulas presenciais, ao invés do remoto já adotado desde o ano passado. Os professores liderados pelos representantes do sindicato dos educadores, são contrários a volta das atividades antes da vacinação. Além disso, é cobrado a não garantia do uso de equipamentos de proteção individual (Epis), suficientes para todos os profissionais nas escolas.

Também fazem parte da pauta de reivindicações a cobrança de valores em atraso referentes ao congelamento feito através de leis, pelo ex-prefeito da cidade, Carlos Busatto Júnior, o Charlinho, lá no longínquo ano de 2017.

Durante o tempo de criação e manutenção das leis, pouca ou quase nenhuma ação contundente foi adotada e divulgada pelo sindicato dos educadores. Importante ressaltar que ambas as leis criadas para congelar direitos, foram derrubadas. Uma delas pelo Supremo Tribunal Federal numa ação impetrada pelo Partido Socialismo Liberdade (Psol), juntamente com o Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Itaguaí (MUSPI).

Apesar da legalidade da greve, em especial pela falta de vacinação e de materiais básicos de proteção necessários para minimizar os riscos de contágio da Covid-19 nas unidades, muitos educadores do grupo de apoio técnico administrativo, formado por Agentes Administrativos, Inspetores de Alunos, Cozinheiras e Auxiliares de Serviços Escolares, se sentiram desamparados por longos sete meses pelos representantes do sindicato ao qual pertencem. Eles estão atuando desde agosto de 2020, sem esses mesmos materiais cobrados agora, e obviamente também sem a vacina.

Nesse tempo, não ocorreu nenhuma assembléia da categoria e nenhuma ação concreta foi realizada para resolver tal questão. Alguns servidores do grupo de apoio acabaram falecendo de Covid-19. Mesmo sem a certeza de onde ocorreu a infecção que causaram algumas mortes, os educadores se sentiram desamparados durante esse período e o risco à doença foi quase diário até chegarem aos seus locais de atuação.

Nas redes sociais é possível ver claramente a insatisfação desses profissionais, que se sentiram excluídos ao longo desse tempo e somente agora com o possível retorno dos professores, além da pressão pública, inclusive petições online solicitando, medidas como assembleias e a própria greve foram tomadas.

Em 2.020 não ocorreu uma assembleia, nem presencial e nem online, para debater qualquer assunto referente aos educadores.

Cabe lembrar que o sindicato dos educadores é formado basicamente por professores, alguns inclusive morando bem distante de Itaguaí. E o ano de 2021 terá eleição no sindicato.

Barreiras sanitárias e intensa fiscalização tentam coibir aglomerações durante o Carnaval em Itaguaí

Já há barreiras em bairros como Coroa Grande, Ilha da Madeira e Mazomba. Veja o que funciona e o que não funciona na cidade e as medidas de combate ao Covid-19 durante o feriado prolongado

Em 13 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade

Itaguaí – A Prefeitura Municipal de Itaguaí juntamente com o grupamento do Proeis, montaram barreiras sanitárias no município para evitar festividades e aglomerações durante o período de Carnaval. Conforme o Decreto nº 4.559, de 5 de fevereiro de 2021, o Carnaval 2021 foi adiado, a fim de evitar aglomerações de pessoas e zelar pela saúde da população em razão da Covid-19.

Os bairros de Coroa Grande, Ilha da Madeira e Mazomba, só é permitido o acesso para as pessoas que comprovarem residência, trabalho ou hospedagem em hotéis, pousadas e congêneres.

As repartições públicas municipais decretaram ponto facultativo no dia 15, mas tem expediente normal no dia 17 (quarta-feira de cinzas). Já os bancos tem ponto facultativo na segunda e tem expediente normal à partir do meio dia de quarta. Vale lembrar que o feriado nacional de Carnaval é terça-feira, dia 16.

www.bocanotromboneitaguai.com

Leia o decreto na íntegra

Mais de 2 mil pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19 em Itaguaí

Até o momento profissionais de saúde é idosos tem sido o público alvo

Em 13 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade

Itaguaí – A Secretaria de Saúde de Itaguaí divulgou os números de pessoas vacinadas na cidade. Ao todo, mais de Duas mil pessoas já receberam doses da Coronavac e Oxford, as vacinas disponíveis para os munícipes.

A Secretaria de Saúde também informou que já foi iniciada a aplicação das segundas doses nos profissionais de saúde do município e idosos acamados, a partir de 80 anos. O cronograma oficial para a vacinação de idosos acamados ou domiciliados é entre os dias 11 e 18 de fevereiro.

IMPORTANTE!⚠️O cadastramento é feito por meio do cartão do SUS e do CPF do idoso. Tal cadastramento é feito pelos responsáveis do idoso, nos postos de saúde mais próximos. Tal procedimento continuam sendo realizados, ainda que a vacinação do seu bairro já tenha sido realizada.

Vacinação nos postos para idosos acima de 90 anos

Nos dias 18 e 19 de fevereiro, a Secretaria de Saúde dará início a vacinação de idosos, acima de 90 anos, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS Brisamar, UBS Engenho e UBS Chaperó). A vacinação acontece das 10h às 16h, e serão disponibilizadas em cada unidade 100 doses por dia.

A Secretaria de Saúde informa as contra-indicações abaixo:

➡️ Quadro de doença aguda ou febre;
➡️Alergia à vacina;
➡️Ter tomado outra vacina há menos de 30 dias;
➡️Diagnóstico positivo para Covid-19 há menos de 28 dias.

É necessário levar: CPF ou cartão do SUS e identidade.
É recomendado levar o cartão de vacinação.

Vereadores de Itaguaí aprovam auxílio emergencial em clara disputa com o prefeito

Sem qualquer estudo de impacto financeiro, previsão no orçamento e busca de informações junto ao Executivo, vereadores aprovam auxílio que pode impedir moradores da cidade de receber o bolsa família

Por: Berenice Seara e Aline Macedo em 09/02/21 19:42 Jornal Extra

O ano mal começou, e a Câmara de Itaguaí já mandou uma batata daquelas bem quentes para o colo do prefeito Rubem Vieira (Pode).

Nesta terça-feira (09), oito dos onze vereadores aprovaram a criação de um auxílio emergencial municipal — sem combinar nada com os russos, ou melhor, com a administração.

O projeto não veio acompanhado de estudo de impacto e nem está previsto no orçamento — mas serve ao propósito de desgastar o chefe do Poder Executivo, já que cabe ao dono da caneta sancionar ou vetar a iniciativa.

Além de criar despesas para o Poder Executivo — o que é conhecido como “vício de iniciativa” —, a proposta não estipulou nem ao menos o valor máximo a ser pago. E ainda deixa o pessoal sob o risco de perder acesso a outros programas sociais permanentes, como o Bolsa Família.

O texto foi assinado pelos oposicionistas Haroldo de Jesus (PV)presidente da Casa, Sandro da Hermínio (PP), Fabinho (PL), Fabinho Taciano (PRTB), Alex Alves (PRTB), José Domingos (PTB), Julinho (PSC) e Vinicius Alves (Republicanos).

Link da matéria original

Em disputa com prefeito, vereadores de Itaguaí aprovam auxílio emergencial

Opinião blog Boca no Trombone Itaguaí

As tentativas dos atuais vereadores da cidade refletem apenas um jogo político de interesses, onde nem servidores públicos e nem os moradores da cidade são prioridades de fato. A intenção é claramente desestabilizar o Poder Executivo sem qualquer consistência até o momento.

Com jornal Extra

Câmara revoga lei que congelava progressão por formação de servidores em Itaguaí

Tal lei se referia aos cortes de valores referentes a suspensão de progressão por formação e qualificação dos servidores e teve sua validade encerrada em dezembro de 2019, pois sua duração era de 24 meses. Prefeito já havia anunciado essa semana o retorno dos pagamentos dos quinquênios que haviam sido congelados pelo ex-prefeito Charlinho

Em 05 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone Itaguaí

Itaguaí – A segunda Sessão Ordinária do ano, realizada na tarde de ontem (04/02), a Câmara Municipal de Itaguaí aprovou por unanimidade duas matérias que impactam diretamente na vida dos servidores públicos municipais: o Projeto de Lei nº 3.917, que revoga a Lei nº 3.607/2017, conhecida como “Lei do congelamento”, e o Projeto de Lei nº 3.916, concedendo vale transporte aos servidores municipais.

As propostas estavam na ordem do dia para terem os pareceres da Comissão de Constituição Justiça e Redação (CCJR) votados, mas após pedido de dispensa de interstício para todas as matérias de autoria da Mesa Diretora, feito pelo vereador Julinho (PSC), os Projetos de Lei foram aprovados em Discussão Final durante Sessão Extraordinária.

As propostas atendem a demandas que a Casa recebeu em uma audiência do Presidente Haroldo Jesus (PV) com uma comissão de servidores do município no dia 19/01.

As matérias seguem para aprovação do chefe do Poder Executivo, que pode sancionar ou vetar.

Lei

Essa lei já não tinha mais eficácia desde dezembro de 2019, já que a publicação dela foi em dezembro de 2017 com validade de 24 meses. A ação da Câmara encerra de vez a existência da lei e permite que os servidores tenham direito a receber os retroativos pelo tempo da lei em vigor. Contudo, os vereadores teriam um êxito melhor, se ingressassem, ou solicitassem as suas legendas, uma Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental, a ADPF junto ao STF. Pois como a lei viola princípios Constitucionais, o Supremo Tribunal Federal a tornaria nula e assim o efeito seria imediato, sem a necessidade de aprovação ou não do Poder Executivo Municipal.

Prefeito já havia divulgado a volta dos pagamentos dos quinquênios dos servidores

O prefeito de Itaguaí Rubem Vieira do Podemos, já havia anunciado no começo desta semana em reunião juntos com servidores da saúde, educação e assistência social, o retorno dos pagamentos dos quinquênios que haviam sido congelados pela lei. Vale lembrar que além dessa lei, o ex-prefeito Charlinho também havia criado a lei 3606/17 que após ingressão do PSOL junto com o Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Itaguaí (MUSPI), teve decretada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a sua insconstitucionalidade.

SME diz que vacinará professores primeiro em meio à paralisação no Rio

Imunização será realizada logo após grupo dos idosos e de pessoas com comorbidades. Profissionais da Educação são contra a volta presencial às escolas antes da imunização. Sepe do Rio tem atuação determinante para que os educadores possam ser logo vacinados

Em 01 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone Itaguaí

Rio – A Secretaria Municipal de Educação do Rio (SME) afirmou que os profissionais da Educação serão os primeiros a serem vacinados logo após os idosos e pessoas com comorbidades no Rio. E, mediante ao anúncio de greve dos professores, a partir desta segunda-feira, contra o retorno às salas de aula, garantiu que não há evidências científicas que justifiquem, depois de quase um ano, continuar sem aulas presenciais.

Em nota, a SME disse que, quanto maior for o tempo de afastamento de uma criança da escola, maior é o risco para o seu desenvolvimento. Disse ainda, que o Comitê Especial de Enfrentamento da Covid-19, composto por diversos especialistas em Saúde, validou tanto o protocolo sanitário que será usado nas escolas municipais do Rio quanto a data do retorno presencial, marcada para 24 de fevereiro.

“Decidimos a greve das atividades presenciais porque entendemos que não é possível este retorno até que todos os profissionais de educação estejam vacinados. Isso é para nossa proteção e dos nossos estudantes. Temos que entrar na fila de vacinação logo após os profissionais da Saúde, idosos e pessoas com comorbidades. Só assim será possível uma volta presencial, que é a forma mais democrática de conseguir construir o processo pedagógico”, afirma Maria Eduarda Quiroga Pereira, 38, professora da rede municipal e secretária de assuntos educacionais do Sepe-RJ.

Volta presencial somente após a vacina

A greve contra o retorno das atividades presenciais foi decidida no sábado (30), em um assembleia virtual. Entre as exigências feitas pelo Sindicato Estadual dos Profissionais do Rio (Sepe), está a prioridade para as equipes escolares na vacinação. Eles querem a imunização completa da classe antes da volta presencial ao trabalho.

O departamento jurídico do Sepe irá à Justiça contra a reabertura das escolas durante a pandemia da covid-19 e ajuizará todas as medidas cabíveis contra a volta presencial. A entidade afirmou que a reabertura das escolas representarão um maior risco à vida dos professores e demais servidores.

Planejamento da educação remota

Outra reinvindicação dos professores, é que a prefeitura faça um investimento para que as aulas remotas funcionem adequadamente.

“Não dá pra ser como foi em 2020. A pandemia não é mais uma surpresa para nós, é preciso alternativas. Temos propostas que apresentaremos ao governo para que esta educação remota funcione. Precisamos que os tablets, computadores, que foi prometido em campanha pelo atual prefeito, e internet cheguem para os profissionais de Educação e para os alunos”, cobrou Maria Eduarda Quiroga.

Um milhão de máscaras doadas

A empresa BYD, multinacional de energia limpa e fabricante de veículos elétricos, doou à Secretaria de Educação um milhão de máscaras descartáveis. O secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, ressaltou a importância da atitude, às vésperas da retomada das aulas.

“É um momento muito importante para a gente. Concluímos nosso plano de volta às aulas, depois de muito debate com uma equipe técnica, com especialistas, e validado com o comitê científico. O próximo passo é a implementação. Essa doação de máscaras para os profissionais de Educação significa que 53 mil profissionais na ativa terão a proteção adequada”.

Fonte: O Dia

Brasil começa semana na expectativa de possível greve de caminhoneiros

Eles alegam situação pior que a de 2018. País pode entrar em colapso

Em 31 de janeiro de 2021

Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone Itaguaí

Greve – Os caminhoneiros planejam uma nova paralisação por tempo indeterminado, começando a partir desta segunda-feira (1). A categoria reivindica melhores condições de trabalho, protesta contra o aumento do preço do combustível, o marco regulatório do transporte marítimo (BR do Mar) e cobra direito a aposentadoria especial, entre outras pautas.

A decisão de promover a greve foi tomada no dia 15 de dezembro do ano passado, em assembleia geral extraordinária do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC). O conselho reúne 40 mil caminhoneiros em São Paulo e tem afiliados em outros estados. Mas, como são várias as entidades que representam a categoria, ainda não se sabe que tamanho terá a mobilização.

Em 2018, no governo do ex-presidente Michel Temer, o grupo realizou uma paralisação que durou dez dias, afetando o sistema de distribuição em todo o país. Dessa vez, segundo Plínio Dias, presidente do CNTRC, a situação é “pior” do que a que levou à mobilização naquele ano eleitoral. A categoria apoiou em peso, na ocasião, a candidatura de Jair Bolsonaro.

Na semana passada Bolsonaro fez um apelo aos motoristas para que adiassem a greve. Segundo ele, o governo estuda alternativas para reduzir o PIS/Cofins e, por consequência, o preço do diesel. Bolsonaro ressaltou que a saída, no entanto, não será fácil.

Plínio Dias estima que até 80% dos caminhoneiros poderão aderir à mobilização, que também recebe o apoio da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).

“As nossas pautas, que a gente trabalhou em 2018, a gente ganhou e não levou. O que funciona é só o eixo erguido do pedágio, pra não pagar. Todas as reivindicações de 2018 não vingaram, só uma, que é a do eixo erguido”, explicou.
Segundo Plínio, a orientação é que as pistas não sejam totalmente interditadas e que ônibus, caminhões com insumos hospitalares e os com carga viva tenham livre passagem. Ele afirma ainda que a duração da mobilização depende de um acordo entre os agentes políticos.

“Se os caminhoneiros tivessem sido atendidos antes de segunda-feira, não haveria paralisação. (…) É prazo indeterminado até o governo chamar, o senhor presidente Bolsonaro, chamar o conselho e também juntamente com a categoria, para a gente fazer uma reunião aberta, para decidir o que vai acontecer com a nossa pauta. Da maneira que está, ninguém vai trabalhar, não”, afirmou.

Entre as pautas, está o posicionamento contra o projeto de Lei da BR do Mar, que, segundo, a categoria, afeta diretamente políticas públicas fundamentais conquistadas e pleiteadas ao setor de transporte autônomo rodoviário de cargas, em detrimento de empresas estrangeiras. Plínio defende que seja analisado o impacto social da pauta para que ela seja reconstruída de uma maneira que não prejudique os caminhoneiros.

“É um projeto desastroso, que o ministro Tarcísio falou que iria tirar a urgência desse projeto. Afirmando que fariam as audiência públicas. Como ele não cumpriu com a palavra, não retirou a urgência. Nossa categoria está muito preocupada porque se isso daí for passar no Senado e for sancionado pelo presidente, essas empresas estrangeiras vão só usar as cotas próprias. Eles querem baratear 40% e ainda querem retirar as cargas das viagens longas dos caminhoneiros. Nesse projeto, não foram feitas audiências públicas para ver o impacto social. Esse projeto não fala do lado humano dos caminhoneiros que vivem nos portos”, apontou.

Plínio sinalizou ainda que a diminuição de caminhoneiros em rotas longas pode vir a impactar famílias que vivem nas estradas e tiram suas rendas da manutenção dos caminhões.