Arquivo da tag: Whatsapp

Facebook, Instagram e Whatsapp tiveram um dia de instabilidade

Problemas podem ter sido ocasionados pela infraestrutura problemática. Já que as três plataformas pertencem ao mesmo proprietário

O maior app de comunicação instantânea do mundo, o WhatsApp, está enfrentando instabilidade desde a tarde desta quarta-feira (13), mas não chegou a ficar totalmente fora do ar. O que realmente acontece, de acordo com reclamações de usuários no Twitter em no Down Detector — site que rastreia instabilidades em serviços famosos —, há muita dificuldade em enviar e receber qualquer tipo de mídia pelo mensageiro.

Isso inclui fotos, vídeos e mensagens de áudio. Curiosamente, entretanto, envio de texto e chamadas de áudio/vídeo estão funcionando normalmente.

Vale destacar ainda que esses problemas no WhatsApp estão ocorrendo no mesmo dia em que Facebook e Instagram também sofreram instabilidades ao redor do mundo. Os três serviços são da mesma empresa, chefiada por Mark Zuckerberg, e existe a possibilidade de todos compartilharem a mesma infraestrutura problemática no momento.

Segundo dados do Down Detector, a América do Sul é a região mais afetada pela instabilidade do WhatsApp. Há uma grande quantidade de relatos vindos do Brasil, Argentina, Uruguai, Colômbia, Chile e Peru. O México e toda a América central, junto com algumas regiões dos EUA, também foram afetadas. Grande parte da Europa se encontra na mesma situação.

Isso não tem nada a ver com o ocorrido na escola no município de Suzano, em São Paulo, onde duas pessoas executaram alunos, funcionários e depois cometeram suicídio.

Fonte: Dow Detector, TechTudo, Tecmundo, IG e Renovamos.

Novo recurso do WhatsApp mostra aos amigos onde você está

Localização Atual, nome do novo recurso, compartilha com contatos selecionados a sua localização. Tudo é feito com criptografia ponta-a-ponta

O WhatsApp está recebendo um novo recurso que permitirá que usuários compartilhem onde estão com amigos e familiares em tempo real. Ele foi batizado pela empresa de Localização Atual.

 

“A Localização Atual permite, de maneira simples e segura, informar as pessoas onde você está por um determinado período e em tempo real”, explica o WhatsApp em um texto publicado em seu blog.

 

A empresa ressalta que, assim como acontece em todo conteúdo compartilhado no app, a localização também contará com criptografia ponta-a-ponta. O usuário poderá escolher com quem e por quanto tempo quer compartilhar a localização pelo smartphone.

 

Para compartilhar sua localização em tempo real, basta ir no menu de inserir anexos em uma conversa e clicar em localização. Antes, era possível compartilhar apenas a localização atual por ali. Agora, será possível acessar a opção de Localização Atual, onde o usuário configurará com quem e por quanto tempo quer compartilhar essa informação.

 

O recurso pode ser usado por questões de segurança ou simplesmente para facilitar o encontro entre duas ou mais pessoas.

 

O novo recurso foi anunciado na última terça – feira 17 e deve chegar gradativamente aos usuários, informa o WhatsApp. Para ter acesso aos recursos mais recentes do aplicativo, tenha sempre a versão mais atual instalada.

Para mais informações, veja o texto no blog oficial do aplicativo

WhatsApp clonado: veja como se proteger do golpe do celular

Delegada e especialista em segurança explicam o crime e orientam como escapar

Se bandidos arranjaram um jeito de usar a tecnologia para o crime, é por meio dela que especialistas apontam como se proteger. A titular da Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes Eletrônicos, Cláudia Dematté, e o especialista em segurança da informação Gilberto Sudré dão dicas de como proceder nesses casos.

O golpe mais recente a se destacar é o realizado por meio do WhatsApp. Estelionatários clonam o número de telefone do usuário, que fica por algumas horas sem conseguir acessá-lo. Nesse meio tempo, o golpista entra no aplicativo e faz contato com as pessoas mais próximas do proprietário do número.

Geralmente, o golpista alega a necessidade de fazer um depósito urgente, mas diz estar com problemas na própria conta ou que precisa sacar mais do que o permitido diariamente pelo banco. Confiando no pedido, a pessoa abordada acaba fazendo o depósito.

A delegada aconselha ao usuário de WhatsApp a fazer a “Verificação em Duas Etapas”, fornecida pelo aplicativo. É necessário ir nas Configurações do aplicativo, clicar em “Conta”, depois em “Verificação em Duas Etapas” e então em “Ativar”, quando será pedida a criação de uma senha numérica de seis dígitos.

“Quem for vítima desse golpe deve procurar a delegacia para fazer o registro da ocorrência para que se iniciem as investigações”, aconselhou a delegada.

Ela relatou que recentemente foram registrados dois casos de clonagem de WhatsApp na Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes Eletrônicos.

Gilberto Sudré explica que, embora o golpe venha chamando atenção recentemente, ele não é novo e já era aplicado fora do país de maneira diferente.

“Começou com a interceptação do SMS com o código de verificação. Com isso, conseguiam instalar o WhatsApp de outra pessoa. No Brasil, o mais comum é ter a conivência de alguém de dentro das operadoras”, diz Sudré.

Nesse golpe, o estelionatário, com o uso de uma senha pertencente a algum funcionário da operadora, transfere temporariamente o número para outro chip. O original fica sem sinal, enquanto o golpista pratica o estelionato a partir de outro aparelho.

ORIENTAÇÕES

Prefeitos

Casos

Na última semana, pelo menos três prefeitos foram alvos de um golpe realizado por meio do aplicativo WhatsApp: Ângelo Antônio Corteletti, o Brizola, de Águia Branca; Gilson Amaro, de Santa Teresa; e Fabrício Petri, de Anchieta, todos municípios do Espírito Santo.

Como funciona

Estelionatários estão clonando números de celular. Eles habilitam o número da vítima em outro chip e acessam a conta dele no aplicativo WhatsApp.

Contato

Com isso, os golpistas entram em contato com pessoas próximas às vítimas e exigem uma quantia em dinheiro. Na abordagem, alegam a necessidade urgente de fazer um depósito, mas que possuem problema na conta ou no limite diário da conta

Como se proteger

Verificação

O WhatsApp oferece uma atualização de segurança chamada “Verificação em Duas Etapas”, que protegerá a conta de possíveis tentativas de clonagem

Passo a passo

Para executar a verificação, é preciso seguir os seguintes passos:

– Com o WhatsApp aberto, clique nos três pontinhos verticais no canto superior direito da tela.

– Clique em Configurações e em seguida toque na opção “Conta”.

– É aí que aparece a opção “Verificação em Duas Etapas”. Após clicar nele, escolha o botão “Ativar”.

– O aplicativo irá pedir então para escolher, e depois confirmar, uma senha numérica de seis dígitos.

– Após confirmar a senha, aparece para o usuário a opção de fornecer um e-mail para o caso de recuperar a senha, se tiver sido esquecida.

– Não é obrigatório fornecer o e-mail para a recuperação da senha. Mas caso o usuário esqueça a senha, ele perderá a conta de WhatsApp.

Vítima

Como proceder

Caso seja vítima desse tipo de golpe, procure a delegacia para fazer o registro da ocorrência.

Especializada

Estão sob investigação na Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes Eletrônicos dois casos desse tipo de golpe.

Outros países

Golpe velho

Esse tipo de golpe já existia fora do país, mas funcionava de maneira mais sofisticada. Os golpistas descobriram maneira de receber o SMS com o código de verificação para autorizar a entrada no aplicativo e, assim, acessar a conta do WhatsApp de outra pessoa.

Brasil

No Brasil, o golpe funciona de maneira diferente. Há a conivência de alguém de dentro das operadoras. Funciona assim: um funcionário com senha consegue fazer a transferência do número de um usuário para outro chip. Nesse meio tempo, o dono original da linha não fica com o número bloqueado, enquanto o golpista faz a abordagem a potenciais vítimas. Mas há casos em que o funcionário inicialmente acusado conseguiu provar que teve a senha roubada pelos golpistas. 

Senha

Mudança constante

Nunca utilizar a mesma senha para locais diferentes.

Tatuador é preso por tortura após escrever ‘eu sou ladrão e vacilão’ na testa de adolescente no ABC

Familiares procuraram a polícia depois de receber o vídeo em que o jovem de 17 anos aparece sendo tatuado. Ele estava desaparecido desde 31 de maio.

Adolescente que teve testa tatuada é encontrado por amigos caminhando perto de casa, no ABC

O tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho Maycon Wesley Carvalho dos Reis foram presos em flagrante por tortura na última sexta-feira (9).

O adolescente de 17 anos, que teve a testa tatuada com a inscrição: “eu sou ladrão e vacilão” foi encontrado por amigos no fim da tarde deste sábado (9), na Estrada dos Casa, em São Bernardo do Campo. Ele prestou depoimento à polícia, no 3º Distrito Policial da cidade, negou ter cometido qualquer furto, foi levado ao posto médico para ser medicado e voltou para a casa da avó. Algumas pessoas afirmam que menor havia roubado uma bicicleta de um deficiente físico.

Os responsáveis pela tortura são o tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos. Na tarde deste sábado, a juíza Inês Del Cid, da Vara Criminal de São Bernardo do Campo, decretou a prisão preventiva deles.

 

A ação foi filmada com o celular de Maycon, compartilhada no Whatsapp e o vídeo viralizou rapidamente. O detalhe é que o adolescente estava desaparecido desde 31 de maio e os familiares o reconheceram quando também receberam o vídeo do adolescente sendo tatuado na testa.

O G1 portal de notícias da Globo, conversou com um dos tios do adolescente, que afirmou que o menino está bastante assustado com o ocorrido. “Ele é muito querido no bairro e muitas pessoas começaram a procurar por ele. Vieram nos avisar onde ele estava e os amigos foram buscá-lo. Agora ele está na casa da avó, descansando. Vamos cuidar da saúde dele.”

Além de ter a testa marcada com uma tatuagem, o adolescente revelou que teve o cabelo cortado e teve os pés e as mãos amarrados por Ronildo e Maycon.

O advogado da família, Leonardo Rodrigues, disse ao G1 que deve se reunir com a família para saber quais medidas jurídicas deve tomar nos próximos dias. “Vamos avaliar. Primeiro vamos cuidar dele, ele foi medicado, está assustado com o que passou. Muitas pessoas compartilharam a imagem dele fazendo julgamento sem conhecer os fatos. Ele não fez nada do que foi dito e espalhado na internet.”

Ele estava desaparecido desde 31 de maio e a família o reconheceu no vídeo gravado e divulgado em redes sociais pelos dois agressores, que foram presos em flagrante.

Antes do desaparecimento, o jovem chegou a passar por acompanhamento de conselheiros tutelares em atendimento no Centro de Apoio Psicossocial (Caps) de São Bernardo do Campo. Segundo a família informou à polícia, ele era usuário de drogas e sofre de problemas mentais.

O crime

A tatuagem foi filmada com o celular de Maycon, compartilhada no WhatsApp e o vídeo viralizou rapidamente. Nas imagens é possível perceber que o adolescente não reage às provocações do tatuador e do vizinho dele. Em certo momento, um deles diz: “vai doer, vai doer”. Em outro momento eles perguntam ao menino o que ele quer tatuar e forçam a resposta: “ladrão.”

Com o vídeo em mãos, a família foi até o 3º DP de São Bernardo do Campo para tentar localizar o paradeiro do adolescente. Com as informações passadas pela família, uma equipe de investigadores seguiu até a Rua Jurubatuba, no Centro da cidade, onde localizaram o tatuador na calçada. No local não funciona um estúdio de tatuagem, mas uma pensão onde Ronildo e Maycon eram vizinhos.

Na delegacia, os dois disseram para a delegada Carolina Nascimento Aguiar que o adolescente teria tentado furtar uma bicicleta na região e ficaram revoltados com isso e “resolveram tatuar o mesmo como forma de punição”.

Vaquinha para retirar a tatuagem

Os responsáveis pelo coletivo Afroguerrilha criaram uma vaquinha pela internet para ajudar o adolescente a custear um procedimento para retirada da tatuagem na testa. O valor estipulado na campanha é de R$ 15 mil. Até o fechamento desta reportagem havia sido arrecadado mais de 30% do valor.

Fonte: G1 edições Boca no Trombone Itaguaí

Veja mais detalhes aqui.

https://www.google.com.br/amp/g1.globo.com/google/amp/g1.globo.com/sao-paulo/noticia/tatuador-e-preso-por-tortura-apos-escrever-eu-sou-ladrao-e-vacilao-na-testa-de-adolescente-no-abc.ghtml

Tiririca não ‘desabafou’ sobre salário e verbas de deputados

Notícia falsa que circula no WhatsApp enumera rubricas inexistentes, como “Auxílio-paletó”, e inventa valores dos benefícios às excelências da Câmara / Saiba também quanto ganha cada deputado federal

Revista Veja

O folclórico deputado federal Tiririca (PR-SP), em seu segundo mandato na Câmara, é protagonista de uma notícia falsa que circula no WhatsApp.

Conhecido por seu bordão “pior do que está não fica”, o palhaço teria “desabafado”, segundo os criadores da lorota, a respeito do nababesco valor de 302.300 reais supostamente recebido pelos deputados mensalmente, entre salário e outras verbas.

Diz o conteúdo espalhado pelo aplicativo de mensagens:

Tiririca desabafa Vc sáb qual é o meu salário abstado..
E o Deputado Federal?
R$ 26.700,00 (Salário)
R$ 94.300,00 (Verba de Gabinete)
R$ 53.400,00 (Auxílio Paletó)
R$ 5.000,00 (Combustível)
R$ 22.000,00 (Auxílio Moradia)
R$ 59.000,00 (Passagens Aéreas)
R$   (Auxílio Saúde)
R$ 12.100,00 (Auxílio Educação)
R$ 16.400,00 (Auxílio Restaurante)
R$ 13.400,00 (Auxílio Cultural)
Auxílio Dentista
Auxílio Farmácia
E outros, para LASCAR a vida dos outros! E o trabalhador R$ 937,00 para sustentar a família. Será que o problema do Brasil são os aposentados?

Além dos erros de ortografia, obrigatórios em qualquer notícia falsa que se preze, o suposto desabafo de Tiririca não para em pé diante de uma simples busca nos dispositivos da Câmara que preveem a remuneração dos deputados e as verbas à disposição de seus mandatos.

Para começo de conversa, os tópicos “Auxílio Educação”, no suposto valor de 12.100 reais, “Auxílio Cultural”, de 13.400 reais, e “Auxílio Paletó”, de 53.400 reais, simplesmente não existem. Não há sinal deles entre os benefícios aos parlamentares.

Quanto ao salário de deputado federal, o valor é, na realidade, de 33.763 reais – maior, portanto, que os 26.700 reais citados no “desabafo”. A informação pode ser acessada aqui, onde é possível consultar os contracheques dos deputados.

De acordo com o registro mais recente, de janeiro, Tiririca recebeu 25.010,63 reais líquidos (veja abaixo), após descontos de 608,44 reais de contribuição previdenciária e 8.143,87 reais de Imposto de Renda.

A verba de gabinete, rubrica destinada ao pagamento de salários de assessores e servidores do mandato parlamentar, também é maior na realidade do que os 94.300 reais enunciados na mentira criada para indignar incautos. A quantia mensal exata é de 97.116,13 reais.

Quanto a “combustível”, cujo valor seria de 5.000 reais, “passagens aéreas”, que custariam 59.000 reais, e “Auxílio restaurante”, no suposto valor de 16.400 reais, a realidade também se mostra diferente. Todos esses itens estão incluídos na Cota Parlamentar, quantia fixa para custeio do mandato que varia de estado para estado, em função do preço das passagens aéreas partindo de Brasília.

A cota mais cara, por exemplo, é paga a parlamentares de Roraima, que podem gastar até 45.612,53 reais; a mais barata é a do Distrito Federal, 30.788,66 reais. No caso de um deputado paulista, como é Tiririca, a cifra é de 37.043,53 reais.

O “Auxílio-Moradia” citado na notícia falsa existe sob essa mesma denominação. O montante, no entanto, não chega nem perto dos 22.000 reais ali citados. O auxílio moradia, cujo valor máximo é de 4.253 reais, é pago a excelências que não ocupam apartamentos funcionais.

Aos parlamentares nesta condição, o dinheiro é pago em espécie ou reembolsado, contanto, neste caso, que sejam apresentados recibos emitidos pelo locador do imóvel ou notas fiscais do hotel (apenas diárias, sem alimentação, bebidas e lavanderia).

Já “Auxílio Saúde”, “Auxílio Dentista” e “Auxílio Farmácia”, enumerados no falso desabafo sem nenhuma quantia fantasiosa, se relacionariam às despesas médicas e odontológicas na rede privada pelas quais os parlamentares (apenas eles, familiares não) podem ser reembolsados.

Os deputados também têm à sua disposição atendimento médico no Departamento Médico da Câmara (Demed). Neste caso, seus dependentes incluídos no Imposto de Renda também têm acesso ao benefício.

Ainda há a opção de o deputado pagar 322 reais para se associar ao Pró-Saúde, programa de assistência à saúde da Câmara, que tem cobertura familiar.

Caso Tiririca recebesse todos os valores a que teria direito em salário, verba de gabinete, cota parlamentar e auxílio moradia, excluindo possíveis reembolsos de despesas médicas, para ficar apenas nos benefícios citados na notícia falsa, o máximo que a Câmara gastaria com ele seriam 172.175,66 reais.

É um valor alto, mas, ainda assim, menor que os 302.300 reais mencionados no desabafo fictício.

Fonte: Revista Veja

WhatsApp libera chamadas em vídeo para usuários

Após 20 dias testando o recurso, o WhatsApp anunciou nesta terça-feira (15) que vai liberar o recurso de chamadas por vídeo para todos os seus usuários.

“Dentro dos próximos dias, mais de um bilhão de usuários do WhatsApp poderão fazer chamadas de vídeo nas plataformas Android, iPhone e Windows Phone”, relatou a empresa em seu blog. Ao que indica, portanto, é que a ferramenta será liberada gradativamente aos usuários.

Para fazer as chamadas com vídeo, basta entrar na aba chamadas, ir em contatos (menu com o símbolo de um telefone e um +, no canto superior direito), selecionar o amigo com quem deseja conversar e apertar o ícone em formato de uma filmadora.

Durante a própria chamada, é possível alternar entre a para as câmeras frontal e traseira, silenciar a chamada ou pressione o botão vermelho para desligar.

O recurso só funciona caso o contato também tenha instalado a nova versão do WhatsApp. Caso contrário, o usuário receberá a seguinte mensagem: “Chamada não completada. Não foi possível realizar a chamada. Fulano precisa atualizar o WhatsApp para receber chamadas de vídeo.”

Durante os testes do UOL Tecnologia, as videochamadas se mostraram bastante instáveis. Na maioria das vezes, foi possível completar a chamada, mas a imagem acabava ficando congelada por problemas de conexão. Sem contar a falta de sincronia entre o que é dito e o que é ouvido em uma ligação–, comum em chamadas pela internet.

Outro fator importante a se considerar é que o usuário deve ter em conta é que a videochamada consome dados do plano de internet móvel.

“Nosso objetivo é de que este recurso esteja disponível indiscriminadamente para todos, e não somente para aquelas pessoas que podem comprar aparelhos mais caros ou que residam em um país com excelente serviço de cobertura de telefonia celular”, destacou o WhatsApp, possivelmente ao fazer uma referência ao FaceTime (Apple). Mas, vale lembrar, que o Skype já é um app gratuito disponível a todos os sistemas operacionais que também oferece o mesmo recurso.

Sabem que tem ‘escudo”, diz juíza sobre uso de Whatsapp pelo tráfico

Ao G1, magistrada que bloqueou app diz que objetivo é monitorar conversas. ‘Linha-dura’, magistrada condenou Thor e coibiu regalias em presídio da PM.

Do G1

A juíza Daniela Barbosa Assunção, responsável pela decisão que determinou o bloqueio do Whatsappnesta terça-feira (19), disse em entrevista ao G1 que o objetivo da Justiça é que o aplicativo permita que conversas de investigados sejam monitoradas em tempo real. Segundo a magistrada, conhecida por ser linha-dura, o crime organizado parou de usar o telefone, mais facilmente “grampeado”, para se comunicar via mensagens criptografadas no Whatsapp.

“Eles não falam mais ao telefone, só usam o ‘zap’ porque sabem que tem escudo. Recentemente, tive uma audiência que envolvia uma organização criminosa onde, nos aúdios que os traficantes mandavam, pediam o ‘zap’ do chefe da comunidade. E, nessa última decisão, tem lá no processo que os criminosos falam: ‘Olha o zap que te mandei’.”

A entrevista da juíza foi dada após aJustiça do Rio determinar o bloqueio do app de mensagens em todo o Brasil;veja reportagem da GloboNews no vídeo acima. No fim da tarde, a decisão foi suspensa pelo STF.

“O que estamos pedindo não são gravações ou conteúdos passados, o que queremos é a interceptação em tempo real junto com a inteligência, como se faz nas ligações telefônicas. Queremos o desvio em tempo real do fluxo de dados”, revelou Daniela. 

A magistrada atacou a postura da empresa em relação aos pedidos da Justiça. Segundo ela, foram três tentativa de acessar as informações.

“Eles se colocam acima das leis do Brasil. O país está no segundo lugar no ranking de maior usuários no Whats no mundo inteiro. Então eles oferecem o serviço, lucram com isso e querem ficar às margens das nossas leis?”, indagou.

A juíza conta ainda que técnicos das polícias Federal e Civil afirmam que podem fazer esse desvio antes da criptografia utilizada no Whatsapp.

“Isso seria muito mais fácil, entretanto, a empresa alega que não é possível fazer isso. Se eles querem oferecer o serviço, tem que ter tecnologia para realizar o que pedimos e cumprir a decisão judicial, porque, se não fizer, isso é obstrução à Justiça.”

Sem dar detalhes da investigação, Daniela disse que a investigação em questão é sobre uma organização criminosa que age em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

“Temos que investigar o comando, porque a gente prende soldado do crime e em cinco minutos tem outro no lugar. Se não formos nos líderes, não contribuimos em nada para a segurança pública”, ressaltou.

A sociedade tem pensamento egoísta. Eu também uso o Whatsapp, mas as pessoas só pensam: ‘Como eu vou ficar sem meu zap?’. Elas têm que entender que as investigações são feitas para proteger a sociedade, que é a grande vítima desses crimes”

Daniela Barbosa,

Antes da decisão do bloqueio ser efetivada, foram feitas três notificações à empresa Facebook, responsável também pelo WhatsApp. “O primeiro comunicado foi destinado à empresa que representa o Facebook no Brasil, depois, duas intimações foram pessoais, na sede do Facebook, em São Paulo”, indicou Daniela. 

As reclamações dos usuários do aplicativo não fizeram a juíza se arrepender. “A sociedade tem pensamento egoísta. Eu também uso o Whatsapp, mas as pessoas só pensam: ‘Como eu vou ficar sem meu zap?’. Elas têm que entender que as investigações são feitas para proteger a sociedade, que é a grande vítima.”

Linha-dura
A fama de durona de Daniela lhe rendeu o apelido de Kate Mahoney, policial protagonista da série de TV “Dama de Ouro”, como informou a revista “Época”. Em outubro do ano passado, a juíza foi agredida durante uma fiscalização no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica, na Zona Norte do Rio (veja no vídeo acima reportagem da GloboNews da época).

Na ocasião, a magistrada teve a blusa rasgada, perdeu os óculos e os sapatos. Ela ainda foi impedida por um grupo de policiais presos de fazer a revista em uma das alas do setor E. Em suas visitas, ela verificou e proibia regalias aos detentos. O BEP foi fechado e transferido para outra cadeia, em Niterói.

Foi Daniela também quem condenou Thor Batista a pagar R$ 1 milhão pela morte de um ciclista no Rio. O filho de Eike Batista teve que prestar serviços comunitários e ficar sem dirigir por dois anos após ser condenado pelo atropelamento, que aconteceu em março de 2012, na Rio-Petrópolis.

Outro caso que teve resolução nas mãos da magistrada foi a cassação do ex-prefeito de Teresópolis Mario Tricano, após ele fraudar regras de campanha. Na época, ela era juíza de Fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral. Mário também ficou inelegível por abuso de poder econômico após um embate com Daniela.