Arquivo da tag: Sessão

Charlinho pode ser cassado nesta quarta por desvios de verbas da saúde em Itaguaí

Sessão na Câmara dos vereadores investiga desvios de milhões na área da saúde que pode culminar em cassação. Sessão ocorre nesta quarta às 18 horas

Será votado nesta quarta-feira (03/07), às 18h, o relatório final da Comissão Especial Processante (CEP) que apura a suposta não utilização de verbas da saúde pelo prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (MDB). A votação será decisiva pois pode culminar com a cassação do prefeito Charlinho. A CEP 002/2019 foi aberta no dia 09 de abril. O assunto foi incluído na pauta de discussão da Sessão Especial de Julgamento, que se iniciará as 18 horas no plenário da Casa Legislativa.

Saiba mais:

De autoria do vereador Gil Torres (Podemos), o pedido de abertura de Comissão Processante se justifica em virtude do “abandono, omissão, negligência e descaso em que se encontra a saúde pública municipal”. Conforme defendeu o vereador, as evidências do descaso foram presenciadas por ele durante esses dois anos da gestão de Charlinho. Gil é presidente da Comissão de Saúde e realiza diligências frequentes nas unidades de saúde do município. O denunciante afirmou que alertou pessoalmente o chefe do poder Executivo e seus subordinados diversas vezes sobre a situação em que se encontrava o serviço de saúde pública em Itaguaí.

Ao solicitar a abertura da CEP o autor pedia que ao término do trabalho da comissão fosse cassado o mandato do prefeito Charlinho em decorrência dos casos de “irregularidades, omissão, negligência e outras infrações e crimes cometidos pelo poder Executivo”. No documento, o autor afirma que “é de conhecimento que há dinheiro disponível no Fundo de Saúde Municipal” e citou a Constituição ao afirmar que a saúde é direito de todos. O vereador ratificou que a situação chegou a “um ponto lastimável, intolerável e inaceitável”.

Leia mais sobre este assunto:

Câmara abre Comissão Processante para apurar verbas não utilizadas na saúde

Noel e Nisan faltam e comissão que pode cassar Charlinho segue na Câmara

Anúncios

Câmara absolve prefeito de Itaguaí de acusação de não repasse de contribuição previdenciária dos servidores

Mesmo com 09 votos à favor da cassação contra 08, Casa Legislativa absolve Charlinho desta denúncia. Nova CPI desta vez da saúde terá votação decisiva na próxima semana e tem o poder de cassação

A Câmara Municipal de Itaguaí realizou na noite desta terça-feira (25/06) a votação do relatório final da Comissão Especial Processante (CEP) que apurava a suposta ausência de repasse de contribuição previdenciária patronal do Prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (MDB), para o Itaguaí Previdência (ITAPREVI).

A Comissão Processante instaurada em 12 de março apurou a suposta ausência de repasses da prefeitura para o ITAPREVI com oitiva de testemunhas, apreciação de denúncias, provas e documentos de defesa, gerando um relatório que foi submetido ao plenário para votação. O Parecer foi à favor da cassação, onde teve como relator o vereador Vinicius Alves de Moura Brito (PRB). Na primeira votação, dois dos dezessete vereadores se abstiveram, o que viola o Regimento Interno da Câmara, que não pode haver abstenções, salvo casos de ligações e interesses diretos na matéria em questão, foram 10 votos pela cassação contra 6 pelo arquivamento da denúncia e 1 abstenção.

Sendo assim um novo processo foi necessário, e aí foram 09 votos pela cassação e 08 pelo arquivamento da denúncia. Mantendo o prefeito no cargo já que eram necessários dois terços dos votos, ou seja, 12 vereadores votando pelo Impeachment, o que não ocorreu.

A base governista supostamente maioria na Casa, teve baixas, pois se imaginava um 9 a 8 à favor do prefeito, o que não ocorreu, tendo o resultado sido inverso. A maioria dos Legisladores foram à favor da relatório pela cassação e contra a defesa do Executivo, que alegou que a prefeitura está empenhada em quitar o valor que já ultrapassou R$21 milhões e que já parcelou a dívida com a ITAPREVI (Instituto de Previdência dos Servidores de Itaguaí). Para finalizar, a defesa alegou que além da previdência também parcelou várias dívidas antigas, entre elas as contas de luz em atraso junto à LIGHT. Ao fim responsabilizou a gestão anterior de Weslei Pereira pela dívida adquirida com a ITAPREVI. Vale ressaltar que o parcelamento só foi feito após tramitação da CPI,o parcelamento foi feito em maio de 2019 e a CEP instaurada em março e está em desacordo com o Conselho da Itaprevi como lembrou o vereador Rubem. Nem o prefeito e nem seu procurador compareceram à sessão.

 

Vereador faz revelação sobre verbas

O vereador André Amorim, ainda relatou que a dívida da prefeitura de Itaguaí com a Itaprevi foi contraída na gestão atual e não na anterior como a defesa do prefeito alegou.

Relembre:

A denúncia foi feita pela servidora Hellen O Senna, representando o MUSPI – Movimento Unificado de Itaguaí. A denúncia é baseada na falta de repasse da contribuição Patronal da Previdencia dos Servidores de Itaguaí, com um montante superior a R$21 milhões. A Comissão Processante teve à frente os vereadores Willan Cezar (presidente), Vinícius Alves (relator) e Noel Pedrosa (membro).

Mas, o prefeito ainda não está livre da cassação, já que uma outra Comissão Processante, com não uso de verbas para a área da saúde também está tramitando na Casa e terá votação decisiva na próxima terça-feira dia 02 de julho.

Parcelamento de dívida em cheque

Apesar de ter sido usada como defesa e parcelado a dívida em 200 parcelas, nosso blog pesquisou e verificou que a gestão do atual prefeito cancelou no Jornal Oficial edição 731, de 19 de junho de 2019, através do Decreto 4381 de 06 de maio de 2019 restos à pagar, que totalizam quase R$ 19 milhões. Ou seja, a prefeitura de Itaguaí, não honrará em primeiro instante, dividas passadas e já renegociadas. Entre essas com a ITAPREVI, que ultrapassam R$ 1 milhão de reais. Pelo Decreto, os valores do “calote” ainda se referem a dívida da prefeitura com o INSS e também com a LIGHT, entre dezenas de outras que não serão honradas e são referentes aos exercícios 2010 a 2013 na importância de R$ 2.640.189,19 (dois milhões,seiscentos e quarenta mil, cento e oitenta e nove reais
e dezenove centavos) e os Restos Não Processados referentes aos exercícios de 2014 a 2018 na importância de R$ 16.175.286,01 (dezesseis milhões, cento e setenta e cinco mil, duzentos e oitenta e seis reais e um centavo) nas Unidades Gestoras Prefeitura e Fundos Municipais. Com isso, o governo deixa de pagar as dívidas, dando literalmente calote, tendo em outras edições dos jornais oficiais da cidade, aberto vários créditos suplementares, que são valores a mais a serem usados e não previstos no orçamento de 2019.

LEIA MAIS:

CEP contra prefeito de Itaguaí é instaurada na Câmara de Vereadores

Câmara abre Comissão Processante para apurar verbas não utilizadas na saúde

Noel e Nisan faltam e comissão que pode cassar Charlinho segue na Câmara

À flor da pele

Daqui a pouco às 18 horas. Sessão de hoje na Câmara contará com adesão máxima de servidores. A sessão que ocorrerá daqui a pouco na Casa Legislativa de Itaguaí promete ser marcada mais uma vez pela tensão.

Sessão na Câmara da cidade de Itaguaí tem sido sinônimo de tensão. Tudo isso por conta de cortes de dezenas de direitos dos servidores que estão frequentemente em pauta, além de mudanças que podem ocorrer na educação da cidade em 2018, que só corroboram para o estresse.

Na última realizada na quinta – feira dia 23, contou com invasão ao plenário da casa pelos manifestantes, “gravata” dada pelo vereador Vinicius Alves de Moura Brito (PRB) na sindicalista Chris Gerardo que após subir em uma das mesas do plenário foi levada pela polícia à 50ª DP, sendo imobilizada de forma truculenta por guardas municipais anteriormente à prisão pelos  PMs e sessão secreta com cortes nos valores do auxílio transporte dos servidores municipais (ainda não publicada pela Casa).

Há indícios de hoje ou nas próximas sessões conter nas pautas a suspensão pelo prazo de 48 meses (quatro anos) o pagamento de adicional de qualificação e progressão, além do tempo de serviço conhecido como “quinquênio”. Além destes, a suspensão pelo mesmo prazo a revisão anual dos vencimentos dos servidores públicos da cidade. Ou seja, o salário dos servidores seria congelado por quatro anos, a não ser que haja melhoras na saúde financeira da cidade. Ainda assim quando forem restabelecidos não seriam pagos os retroativos.

Servidores e pais de alunos de mobilizam nas redes sociais para lotar a Câmara.

A sessão será realizada às 18 horas na Câmara Municipal da cidade

Veja mais:

Em sessão secreta, Câmara de Itaguaí aprova redução nos valores do auxílio transporte e exoneração de cargos livres de servidores

Câmara emite nota sobre sessão tumultuada

PL quer extinguir cargos efetivos em Itaguaí

Base do governo na Câmara aprova urgência de matéria para PLs de congelamento de salários e suspende outros direitos de servidores de Itaguaí

Sessão na Câmara de Itaguaí é suspensa por falta de quórum

Apenas seis legisladores compareceram à Casa

A 33ª  terceira sessão Ordinária da Câmara Municipal de Itaguaí que era para acontecer nesta quinta – feira (31/08),  foi cancelada por falta de quórum. Apenas os vereadores André Luís Reis de Amorim (PR), que presidiu a mini sessão por ser o vice presidente, Willian Cezar de Castro Padela (PSB), Ivan Charles Jesus Fonseca, Ivanzinho (PSB), Waldemar José de Ávila Neto (PHS), Genildo Ferreira Gandra (PDT) e Eliezer Lage Bento (PRTB), foram à sessão. Sem motivos e sem maiores explicações, os demais vereadores não deram notícias.

Para que a sessão transcorresse, pelo menos nove vereadores (maioria absoluta), deveriam estar presentes. É isso que diz o parágrafo único do artigo 118 do  Regimento Interno da Câmara. Por não haver essa maioria absoluta, a sessão foi suspensa conforme determina o artigo 119 do Regimento.

Entre as matérias que não puderam ser discutidas, o vereador André Amorim (PR), iria fazer uma Indicação Legislativa para buscar a solução do problema do descarte irregular de lixo no hospital da cidade e de outras unidades de saúde, denunciada por uma servidora junto ao Ministério Público.

Agora resta saber quais coincidências fizeram 11 vereadores sumirem do mapa de uma vez só…

A próxima sessão ocorrerá no dia 05 de setembro às 18 horas.

FOTO DE CAPA BLOG “ACONTECE EM ITAGUAÍ”.

Casa do povo?

Sessão é encerrada precocemente após desabafo de trabalhador

O presidente da Casa o vereador Rubem Viera de Souza (PTN), encerrou a sessão desta quinta – feira 10, após alegar desrespeito por parte da plateia com os vereadores. Na verdade, o “desrespeito” citado pelo legislador eleito pelo povo, era referente ao vereador Carlos Eduardo Carneiro Zóia (PSD).

A sessão que tinha na pauta uma proposta de moção aos trabalhadores da Samu, transcorria relativamente tranquila. No plenário, o vereador Ivan Charles Jesus Fonseca, o Ivanzinho (PSB), ofereceu a tal proposta aos trabalhadores e relatou que em recente visita ao local onde eles atuam, constatou o estado precário. Que os bravos trabalhadores contam apenas com duas ambulâncias em péssimas condições. O legislador citou o caso recente, onde em um atendimento, um desses veículos teve que ser empurrado por parentes de uma vitima para poder funcionar. Ivanzinho finalizou dizendo do respeito para com essas pessoas e que era triste ver um cenário desses na cidade.

Aproveitando o gancho, o vereador Carlos Eduardo Carneiro Zóia (PSD), tentou fazer um pronunciamento, quando foi interpelado pela plateia, que o vaiou. Zoiá, já foi diretor do hospital municipal São Francisco Xavier e alvo de muitas críticas negativas na gestão do ex prefeito Weslei Pereira. Um dos presentes na plateia, disse ser fácil fazer discurso para os trabalhadores, mas o correto era os legisladores cobrarem do Executivo melhorias para esse local e essas pessoas. Um dos presentes, relatou que era obrigação dos vereadores fiscalizar o hospital que está em péssimas condições e que Zoiá não tinha condições de opinar, já que deixou o único hospital da cidade em um estado calamitoso. As cobranças não pararam por aí.

Com todo o apoio da plateia, o homem deu uma lição de fiscalização cobrando dos vereadores algo que já era para ser feito, o ato de fiscalizar e cobrar.“Não somos nós que devemos cobrar melhorias apenas, isso é função deles (vereadores), os trabalhadores precisam receber e não ter apenas homenagens, estamos passando dificuldades nesse cenário atual e ainda vamos ter que ouvir tudo isso calado? Eles é que precisam ir no hospital e cobrar, é função deles, eles nos devem satisfações, eles trabalham para o povo e não o contrário”, disse efusivamente o trabalhador.

Após já ter suspendido a sessão, o presidente da casa alegando desrespeito com os vereadores a encerrou precocemente. Agindo assim, ele mostrou que a casa do povo só é do povo, quando lhe convém. Mais uma bola fora do atual presidente, que infelizmente coleciona vexames públicos a cada sessão.

Regimento Interno X Lei Orgânica, Câmara não se entende em Itaguaí

Com plateia entusiasmada, sessão conta com interpretações distintas. Sessão na Câmara de Itaguaí expôs o pouco estudo do Regimento da casa por parte de seu presidente.

“PEDIDO DE URGÊNCIA NÃO SE DISCUTE, SE VOTA” (BASE DO GOVERNO)

“TODA MATÉRIA PARA SER VOTADA ELA TEM QUE SER DISCUTIDA PRIMEIRO” (OPOSIÇÃO)

A sessão da última terça – feira 08, na Câmara Municipal de Itaguaí, foi marcada por um episódio no mínimo opróbrio para o presidente do local, o vereador Rubem Viera de Souza (PTN). Uma matéria do Poder Executivo foi enviada à Câmara horas antes da sessão, feita com dispensa de interstício. Mesmo sendo alertado pelos vereadores André Luís Reis de Amorim (PR), Genildo Ferreira Gandra (PDT) e Willian Cezar de Castro Padela (PSB),  que compõem o grupo denominado  Suprapartidário , que conta também com os vereadores Ivan Charles Jesus Fonseca (PSB), Ivanzinho e Waldemar José de Ávila Neto (PHS), o presidente ignorou o Regimento Interno da Casa, pondo a dispensa de interstício para aprovação. A matéria em questão, era um pedido enviado pelo prefeito Carlo Busatto Júnior , o Charlinho (PMDB), para que seu salário fosse reduzido de R$ 25 para R$ 20 mil mensais. Ocorre que segundo o Regimento, toda matéria a ser discutida e posteriormente votada, deve constar na ordem do dia, com no mínimo um prazo de 24 horas antes das sessões. Além da matéria ter sido posta na pauta, ainda houve dispensa de interstício pelo voto dos vereadores da situação, sem que nenhuma discussão fosse feita previamente.

O vereador André Amorim, usou o plenário para explicar ao presidente que o artigo 210 do Regimento Interno, deixa claro que votação é o ato complementar da discussão. Inclusive,  destacando o parágrafo primeiro que consta que antes da votação se faz necessário a discussão. O legislador ainda alertou que a diminuição do salário do prefeito se ocorresse, não poderia ser mudada até a última sessão do fim do mandato do atual chefe do Executivo. Visto que o pedido de redução por parte do prefeito, era para ter validade até o fim do estado de calamidade financeira, decretado no começo do ano e postergado agora para até o término de 2017. O legislador deixou claro ao presidente, que seguindo as leis municipais, o valor do vencimento do prefeito só poderia ser mudado no fim de seu mandato e que se mudar agora não haveria volta.

O vereador Genildo Gandra (PDT), também se pronunciou e alertou o presidente que ele deveria ler o Regimento da Casa. Pois, em seu artigo 122,  parágrafo 11° é claro quando diz que nenhuma proposição (matéria), poderá ser colocada em discussão sem que tenha sido incluída na pauta da ordem do dia, com antecedência mínima de 24 horas do início da sessão. “Matéria ser votada antes de ser discutida é uma interpretação equivocada. O plenário não está acima do que esta escrito. Tanto que o senhor diz: A matéria está em discussão…e somente após é iniciada a votação,” esbravejou Genildo.

Já o líder do governo na casa, o vereador Alexandro Valença de Paula (PT do B), o Sandro da Hermínio, disse que esse mesmo artigo 122 do R.I, fala sobre matérias postas em discussão e que o caso era uma matéria de urgência e sem necessidade dessa discussão, citando o artigo 79 da Lei Orgânica Municipal que diz que o prefeito poderá solicitar urgência para apreciação de projetos de sua iniciativa. O vereador deu destaque ao parágrafo 5° da Lei Orgânica, que em sua redação diz que o plenário da Câmara deliberará por maioria absoluta sobre a urgência ou não da matéria.

O vereador Willian Cézar (PSB), disse que o presidente desrespeitou o regimento.

“Desse jeito, qualquer coisa pode chegar com pedido de urgência e ser votada senhor presidente. Sem que haja uma discussão sobre a matéria. Inclusive contra os servidores”, disse o vereador.

Em seu site, Willian Cézar também se pronunciou…

…”Tudo isso só reforça os boatos na cidade, ou seja, se o governo manda para Câmara algum “pacote de maldade contra o servidor”, será colocado para ser votado sem nenhum aviso e sem o direito de estudarmos ao menos do que realmente se trata a matéria.
Nosso grupo está estudando as medidas que iremos tomar.
Estou aqui para fazer o que acredito ser o certo, pelo bem da nossa cidade e não para servir ao executivo!”

 

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) alegou que a matéria sobre a redução do salário do prefeito é inconstitucional, pois desrespeita o Regimento Interno da Câmara.

 

O grupo Suprapartidário se retirou da sessão  após não concordar com a matéria enviada pelo Executivo.

Vereadores de oposição ao governo, André Luís Reis de Amorim (PR), Willian Cezar de Castro Padela (PSB), Ivan Charles Jesus Fonseca (PSB), Ivanzinho e Waldemar José de Ávila Neto (PHS)

 

De costas para o problema

Vereador Haroldo Rodrigues Jesus Neto, Haroldinho (PSDB), deu as costas para a plateia durante a sessão, já o vereador Carlos Eduardo Carneiro Zóia (PSD), foi um dos mais criticados pelos presentes.

 

Leia!

LEI ORGANICA

http://cpdoc.camaraitaguai.rj.gov.br/images/leis/CMI-RJ_lei_organica-2016_TC_web.pdf

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA

http://cpdoc.camaraitaguai.rj.gov.br/images/leis/CMI-RJ_regimento_interno-2016_TC_web.pdf

 

Sessão na Câmara de Itaguaí conta com adesão máxima de servidores

Informações davam conta de que sessão teriam pautas contra o funcionalismo, algo desmentido pela Casa legislativa em seu site

Casa cheia – Servidores após notícias de que alguns direitos poderiam ser suprimidos na sessão, entre eles o Plano de Cargos da categoria, compareceram em massa à Casa Legislativa. Eram tantos expectadores que o presidente da Câmara Rubem Vieira de Souza (PTN), mandou impedir a entrada de mais pessoas, algo que irritou vários servidores que ficaram do lado de fora.

Várias pessoas ficaram do lado de fora do Plenário

 

Com ausência dos vereadores Carlos Kifer (PP), Minoro Fukamati (PSD) e Vinicius Alves (PRB), o bloco suprapartidário (governo) levou a sessão e interagiu harmoniosamente com a plateia formada, em sua maioria, por servidores insatisfeitos com a  conduta do governo.

Durante a sessão, o vereador Willian Cezar (PSB) falou das leis criadas por Charlinho nos mandatos anteriores, que beneficiavam os servidores e que agora estavam sendo retiradas por ele mesmo. Uma contradição disse o legislador. Até o compositor Cazuza foi lembrado. “Charlinho, tua piscina está cheia de ratos. Suas ideias não correspondem aos fatos”, parafraseou Willian Cezar, que ao parabenizar o pessoal da Educação pela vitória na Justiça em relação à migração para o regime de 40 horas, foi ovacionado aos gritos de ‘prefeito!’

 

Após isso, a plateia, inflamada, protestou com cartazes e clamando por melhores condições de trabalho, mais educação e saúde no município. Governistas permaneceram calados. Nem mesmo a indicação do prefeito, que oficializou Sandro da Hermínio (PT do B) como líder do governo e Noel da SOS (PT do B), como sublíder , fez com que vereadores levantassem uma palavra em defesa da atual gestão.

 

Outra contradição foi apresentada pelo vereador André Amorim (PR). Ele leu uma carta aberta escrita por Charlinho ao então prefeito Weslei Pereira, em 10 de outubro de 2016, em que solicitava a não exoneração dos servidores contratados e de cargo comissionado, pela importância que estes tinham para a economia da cidade, mas agora, o próprio Charlinho os exonerou.

 

Outra questão levantada contra o governo foi a falta de transparência no Jornal Oficial. De acordo com o vereador Waldemar Ávila (PHS), as confusões em relação a datas e publicações continuam. A edição 583 já foi publicada com data de 8 de agosto. Ele lembrou também que as exonerações estão sendo feitas para equilibrar a folha de pessoal, mas nomeações estão sendo feitas sem parar na Secretaria de Esportes. Mais aplausos e gritos da plateia. E nada de defesa da base governista.

 

Mas durante a sessão houve uma reclamação aos trabalhos da Casa. O vereador Ivanzinho (PSB), protestou por suas emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) não constarem da ata da última sessão antes do recesso parlamentar. A Casa acatou o pedido do vereador para verificar o que havia acontecido e incluir suas emendas, que tratam de saneamento, iluminação, praças, na Lei Orçamentária Anual (LOA).

 

Ivanzinho ainda usou o grande expediente para falar que após sete meses, as pessoas que precisam continuam sem remédios controlados e sem professores mediadores, o que prejudica muito aos estudantes portadores de deficiências. Ele também lembrou que o projeto de equoterapia continua parado e pediu ao líder do governo que leve a questão para o secretário de saúde, Carlos Graça.

 

Ao final, o vereador Willian Cezar disse aos servidores que nenhum pacote de maldades enviada pelo Executivo chegou à Casa, mas se chegar, ele vai lutar contra. Plateia ovacionou. Grande parte da base, já tinha partido. Calada.

 

 

Câmara afirma que são boatos das redes sociais que a Casa teria pautas contra o funcionalismo

Recentemente uma onda de boatos nas redes sociais vem incitando a população contra o poder público. As informações divulgadas geralmente são sobre supostas pautas contra o funcionalismo público, o que causa revolta e insegurança na população.

A 26ª sessão ordinária do ano de 2017, e a primeira com votações depois do recesso Legislativo, aconteceu na última quinta-feira, 03 de agosto, e um grande número de servidores foram enganados ao estarem presentes na Câmara Municipal e não verem votações de temas prejudiciais ao funcionalismo público, conforme foi espalhado por boatos. O que se viu foi uma sessão sem votações polêmicas, levando a crer que estão usando o funcionalismo público como massa de manobra para desestabilizar e não permitir que o município avance.

A sessão foi marcada por indicações e três projetos de lei, todos aprovados em primeira discussão.

Escoando a produção

Uma indicação de autoria do vereador Zezé (PRTB) promete trazer benefícios para os agricultores da região. A matéria trata da construção de um Horto Mercado Municipal, que seria erguido próximo a área da expo e funcionaria diariamente. O autor da indicação justificou que é importante que os produtores da região tenham onde expor seus produtos diariamente, e não somente na feira de domingo, pois a produção é diária.

A estrutura seria um galpão com box individuais para cada produtor. O projeto ajudaria a escoar a produção não somente de verduras e legumes, mas também dos pescados, que teriam um lugar específico dentro do Horto Mercado Municipal.

Primeira discussão

Três projetos de lei foram aprovados em primeira discussão. O primeiro, nº 3.525, de autoria do vereador Willian Cezar (PSB), substitui o nome da unidade básica de saúde Vila Geni por Unidade Básica de Saúde Dr. Alfredo de Carvalho Maio. O segundo, nº 3.526, também de autoria do vereador Willian, institui o mês de “janeiro branco” dedicado a realização de ações educativas para difusão da saúde mental. O terceiro, nº3.527, de autoria do vereador Noel Pedrosa (PT do B), institui o programa de educação antidrogas e violências nas escolas da rede pública municipal.

A próxima sessão foi marcada para o dia 08 de agosto, em horário regimental.

Requerimentos:

Requerimento nº 254 – Moção de Congratulações e Elogios Sr. Gilberto Anselmo dos Santos. Autoria: Rubem Vieira

Requerimento nº 255 – Moção de Congratulações e Elogios Sr. Nilce Huguinim Pinto. Autoria: Rubem Vieira

Requerimento nº 256 – Moção de Congratulações e Elogios a Ana Carla Ramos de Sá Evangelista. Autoria: André Amorim

Requerimento nº 257 – Moção de Congratulações e Elogios a Sra. Simone Toledo de Oliveira. Autoria: Alexandro de Paula

Requerimento nº 258 – Moção de Congratulações e Elogios ao Sr. Aleksander Winder. Autoria: Alexandro de Paula

Requerimento nº 259 – Moção de Congratulações e Elogios ao Sr. Edson Francisco da Silva. Autoria: Ivan Charles

Requerimento nº 261 – Moção de Congratulações e Elogios a PHD Contabilidade. Autoria: André Amorim

Requerimento nº 262 – Moção de Congratulações e Elogios ao Pastor Flávio Rodrigues de Miranda. Autoria: Willian Cezar

Requerimento nº 263 – Moção de Congratulações e Elogios a Igreja evangélica Pentecostal Batista Mundial Missão Nikkei, no Bairro Brisamar. Autoria: Willian Cezar

Requerimento nº 264 – Moção de Congratulações e Elogios ao Tenente Coronel Leonardo Tupan Leversveiler. Autoria: Gil Torres

Requerimento nº 265 – Moção de Congratulações e Elogios a Engenheira Emanuelle Oliveira de Morais Padela. Autoria: Genildo Gandra

Requerimento nº 266 – Moção de Congratulações e Aplausos a Lanchonete Open Burger. Autoria: Waldemar Ávila

Indicações:

Indicação nº 359 – Solicitando limpeza e roçada de mato na Rua Capitão Alves de Almeida em toda a extensão, entre as ruas adjacentes, localizada no Bairro São Campelo. Autoria: Junior do Sítio

Indicação nº 360 – Solicitando limpeza e dragagem do valão que corta a Rua Mario Antônio Godinho (antiga Rua 20), no Bairro do Engenho. Autoria: Junior do Sítio

Indicação nº 363 – Solicitando troca de lâmpadas e manutenção na rede na Estrada de Ferro, entre a Estrada da Nuclep e a BR 493, no acesso da Ilha da Madeira. Autoria: Rubem Vieira

Indicação nº 364 – Solicitando limpeza e roçagem na Rua Carlos Gomes, Ibirapitanga. Autoria: Rubem Vieira

Indicação nº 365 – Solicitando que o Poder Executivo intervenha junto ao DNIT para que sejam feitos pontos de ônibus na Rodovia Rio Santos a partir do Bairro Itinguçu, Coroa Grande, até o shopping Pátio Mix. Autoria: Willian Cezar

Indicação nº 366 – Solicitando operação tapa buraco na Rua Carlos De La Rock Martins, Bairro Vila Geni. Autoria: Willian Cezar

Indicação nº 367 – Solicitando recuperação da Rua Vereador Darcy Teixeira Fontes, esquina com a Rua Josias José de Souza no Bairro do Engenho. Autoria: Sandro da Hermínio

Indicação nº 368 – Solicitando recuperação da Avenida Isoldakson Cruz de Brito, logo após o material de construção brutelhas, no Bairro Brisamar. Autoria: Sandro da Hermínio

Indicação nº 369 – Solicitando limpeza e saneamento para a Av. Bahia, em frente ao lote 3, quadra 37, Bairro Ibirapitanga. Autoria: Gil Torres

Indicação nº 370 – Solicitando a construção de um Horto Mercado Municipal. Autoria: Eliezer Bento

Indicação nº 371 – Solicitando a pavimentação asfáltica nas ruas ao entorno da praça do bairro Santana. Autoria: Carlos Kifer

Indicação nº 372 – Solicitando a troca de lâmpadas em todo o Jardim Europa, no Bairro Piranema. Autoria: Carlos Kifer

Indicação nº 373 – Solicitando proceder passagem de “patrol” na Rua 28, Bairro Santa Cândida. Autoria: Genildo Gandra

Indicação nº 374 – Solicitando a inclusão da Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca no roteiro Turístico do Município de Itaguaí. Autoria: Eliezer Bento

Indicação nº 375 – Solicitando a instalação de placas indicativa de CEP e bairro nas vias do município. Autoria: Minoru Fukamati

Indicação nº 376 – Solicitando a revisão da iluminação (troca de lâmpadas) em todo o bairro Lagoa Nova (antiga Gleba B). Autoria: Minoru Fukamati

Indicação nº 377 – Solicitando proceder o desentupimento da rede de esgoto na Estrada do Teixeira, Praça da Amendoeira, em frente ao nº 3.348, no Bairro Amendoeira. Autoria: Genildo Gandra

Indicação nº 378 – Solicitando a fixação em local visível de telefones de emergência nos transportes públicos e alternativos. Autoria: Noel Pedrosa

 

Com informações do Jornal Atual e da Câmara Municipal de Itaguaí