Arquivo da tag: secretaria

A lição do jegue

Secretária de educação de Seropédica não poderia dar carona pois verba dos ônibus é Federal. Se não sai do seu bolso, você não dá carona, apenas pega carona com dinheiro público.  O jegue deu uma lição na secretária.

 

A Secretária de Educação, Cultura e Esporte de Seropédica e também primeira dama da cidade, Sônia Oliveira de Souza ,além de ter sido infeliz em seus comentários, onde recomendou que professores fossem trabalhar no lombo de um jegue, também mostra não ter conhecimento de muitas outras coisas. Fora a educação que parece não ser o seu primor, a primeira dama parece desconhecer que a compra dos ônibus escolares e sua manutenção é feita com verbas federais em sua maior parcela.

Os ônibus para as escolas, fazem parte da verba do Programa Caminhos da Escola do governo federal. Tal verba, teve repasses de R$ 900 milhões para municípios, estados e Distrito Federal, repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no fim do ano passado para o ano letivo de 2017. Repasses esses que preveem aquisição de ônibus do programa Caminho da Escola, bem como pagamento de obras, compra de equipamentos escolares e brinquedos.

Como se não bastasse, o município de Seropédica também recebe as verbas do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (Pnate). Desde março deste ano até o começo do mês de junho (02/06), a cidade já recebeu quase R$ 60 mil.

 

Clique na imagem:


 

O programa deixa claro que os estudantes é que devem ser beneficiados. Então, cabe a secretaria de educação da cidade, dispor além de um motorista, de um monitor de ônibus para acompanhar os estudantes.

Como professores e mais ninguém podem “pegar carona” nos ônibus escolares fornecidos pelo governo federal, os servidores que precisam trabalhar nas áreas onde não há transporte público coletivo, devem ser assistidos pela secretaria de educação. Como não há meios de se chegar em algumas escolas de Seropédica devido ao difícil acesso e a falta de transporte, cabe ao empregador fornecer esse transporte. O município não tem leis que falem especificamente sobre o transporte a essas escolas e nem leis que ditem as regras. Sendo assim, perante a justiça, deve ser baseado na atual CLT vigente, que é clara quando diz que se não existem meios de transporte público para se chegar ao local de trabalho, o empregador deve fornecer tal transporte.

O artigo 58, parágrafo 2º, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) diz que “o tempo despendido pelo empregado até o local de trabalho e para o seu retorno, por qualquer meio de transporte, não será computado na jornada de trabalho”.

A exceção é quando o local de trabalho é de difícil acesso ou não servido por transporte público, sendo o transporte fornecido pelo empregador, o que caracteriza a hora in itinere( horas além da carga horária diária de trabalho e que equivalem ao tempo gasto no trajeto que o empregador oferece).

“O trabalhador terá direito ao pagamento da hora in itinere quando se enquadrar na exceção do artigo 58 da CLT, que fica caracterizado quando o empregador fornece a condução, por ser o local de trabalho de difícil acesso ou não servido por transporte público”, esclarece a advogada trabalhista Mariane Amantino Csaszar.

 

CLT

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del5452.htm

 

Ou seja, a secretária reduziu o auxílio transporte dos educadores, encheu a boca para dizer que não daria carona e agora corre o risco de além de ter que fornecer condução para os profissionais de difícil acesso, pode ter que pagar horas a mais pelo trajeto dos trabalhadores.

Sendo assim, a Dona Sonia tem duas opções:

– Ficar sem servidores nessas escolas;

–  Ou fornecer transporte exclusivo aos educadores e demais funcionários que atuem em áreas de difícil acesso.

Confessa secretária, você era feliz e não sabia não é?

Em nota, a secretária de Educação reconheceu que foi infeliz na sua declaração.Ela disse que sua reação foi consequência da reclamação de pais insatisfeitos com o fato de professores estarem ocupando o ônibus escolar:

“Foi um desabafo infeliz. Peço desculpas aos que se sentiram constrangidos. Minha reação foi consequência das reclamações de pais e mães de alunos que procuraram a prefeitura para se queixar de que alguns professores estavam ocupando indevidamente o espaço dos alunos nos ônibus escolares. Os professores de Seropédica recebem R$ 160,00 mensalmente como ajuda de custo de transporte. Estavam economizando dinheiro com a utilização indevida do transporte exclusivo para os alunos. Não esperava que a minha reação numa reunião com diretoras fosse ter essa repercussão toda. Foi quase uma brincadeira. Não tive a intenção de magoar ninguém.”

Moral da história

Se a secretária optar em não mais permitir “a carona” e não fornecer aos educadores transporte para os locais de difícil acesso, ela vai ter que fechar as escolas. Sendo assim, terá menos verbas federais. Afinal, sem alunos e escolas fechadas é prejuízo aos cofres públicos municipais.

Se optar em dar o transporte exclusivo ou não exclusivo  aos educadores, ela terá que arcar com todos os ônus. Terá que pagar combustível do(s) veiculo(s), as horas a mais que os profissionais ficam dentro do transporte etc…

Sendo assim… O jegue deu uma lição na secretária.

 

Saiba mais sobre o Pnate:

Esse programa, foi instituído pela Lei nº 10.880, de 9 de junho de 2004, com o objetivo de garantir o acesso e a permanência nos estabelecimentos escolares dos alunos do ensino fundamental público residentes em área rural que utilizem transporte escolar, por meio de assistência financeira, em caráter suplementar, aos estados, Distrito Federal e municípios.

Com a publicação da Medida Provisória 455/2009 – transformada na Lei no 11.947, de 16 de junho do mesmo ano –, o programa foi ampliado para toda a educação básica, beneficiando também os estudantes da educação infantil e do ensino médio residentes em áreas rurais.

O programa consiste na transferência automática de recursos financeiros, sem necessidade de convênio ou outro instrumento congênere, para custear despesas com reforma, seguros, licenciamento, impostos e taxas, pneus, câmaras, serviços de mecânica em freio, suspensão, câmbio, motor, elétrica e funilaria, recuperação de assentos, combustível e lubrificantes do veículo ou, no que couber, da embarcação utilizada para o transporte de alunos da educação básica pública residentes em área rural. Serve, também, para o pagamento de serviços contratados junto a terceiros para o transporte escolar.

Os estados podem autorizar o FNDE a efetuar o repasse do valor correspondente aos alunos da rede estadual diretamente aos respectivos municípios. Para isso, é necessário formalizar a autorização por meio de ofício ao órgão. Caso não o façam, terão de executar diretamente os recursos recebidos, ficando impedidos de fazer transferências futuras aos entes municipais.

Os valores transferidos diretamente aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios são feitos em nove parcelas anuais, de março a novembro. O cálculo do montante de recursos financeiros destinados aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios tem como base o quantitativo de alunos da zona rural transportados e informados no censo escolar do ano anterior.

 

Veja mais:

https://bocanotromboneitaguai.com/2017/06/04/primeira-dama-de-seropedica-manda-professor-ir-trabalhar-de-jegue/

Câmara de Seropédica mostra repúdio a primeira dama da cidade

Repúdio foi devido a secretária de educação declarar que professores deveriam ir trabalhar de jegue

 

Após declarar durante uma reunião, dia 18 de maio, com diretores das escolas municipais que os professores da Rede Municipal de Educação, deveriam ir trabalhar de jegue. A secretária de Educação, Cultura e Esporte de Seropédica e também primeira dama da cidade, Sônia Oliveira de Souza, teve seu ato repudiado pelos vereadores.

A Moção aprovada pelos legisladores, cita e condena em sua redação, a opressão implantada pela secretária.

A declaração provocou revolta na população e ganhou projeção na mídia nacional. O ato, serve de exemplo para o tipo de gestores que ainda atuam nos governos país a fora.

 

Veja mais:

https://bocanotromboneitaguai.com/2017/06/04/primeira-dama-de-seropedica-manda-professor-ir-trabalhar-de-jegue/

Primeira dama de Seropédica manda professor ir trabalhar de jegue

Matéria divulgada pelo jornal Hora H

Em um completo desrespeito, falta de educação e atitude nada digna de um ser sem preparo para ocupar algum cargo de gestão,a secretária de Educação, Esporte e Lazer de Seropédica, Sônia Barbosa, disse que os professores deveriam ir de jegue para o trabalho.

A recomendação foi feita durante uma reunião, dia 18 de maio, com diretores das escolas municipais. No encontro, a secretária esbravejou que só terá carona nos ônibus escolares o funcionário que auxiliar as crianças no ônibus.

Um funcionário da rede pública de ensino, divulgou em suas redes sociais, um vídeo amador, onde a secretária faz tal relato.

img

Sônia disse que os professores que não quiserem auxiliar no ônibus vão a pé à escola Foto: Reprodução / Facebook

 

“Eles irão se comprometer com vocês a auxiliar as crianças no ônibus. Aquele que não quiser ajudar, não tem problema. Não é obrigado, mas eu também não sou obrigada a dar carona pra ele. Ele vai a pé, ou então ele aluga um jegue. Tem um monte de jegue aí na rua ‘baratinho’. Com 200 reais você compra um” disse a secretária, referindo-se a um professor durante a conversa.

Em outro trecho do vídeo, Sônia fala sobre o auxílio transporte. “Até porque todos os funcionários agora recebem ajuda de custo para o transporte. “Ah, mas a escola é longínqua”. Olha, isso não é problema meu! Quando fez concurso sabia” acrescentou a mulher.

Os profissionais ficaram revoltados com o desrespeito e maus tratos da primeira dama. Eles relatam que a ajuda de custo na passagem é insuficiente e que as condições de trabalho são precárias.

A declaração revoltou professores do município. Um deles, que preferiu não se identificar, disse que essa é uma forma da prefeitura economizar, porque deixa de contratar um profissional próprio para a função:

— Ela disse que precisa de pessoas para ajudar no ônibus. Libera carona, mas exige que o professor seja monitor e ajude a tomar conta das crianças para que dispense o monitor e poupe um salário para a prefeitura.

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) de Seropédica informou que, antes, seis escolas rurais recebiam o benefício do difícil acesso, que era de 10% sobre o salário. Desde junho do ano passado, o benefício pago aos servidores da Educação foi substituído pelo adicional de acesso, no valor de R$ 160, para quem trabalha cinco dias na semana, e de R$ 80, para quem trabalha dois.

— Essas escolas citadas no áudio são unidades de difícil acesso. Apesar dos professores e funcionários receberem essa ajuda de custo, não tem nenhuma linha de ônibus para que os funcionários cheguem ao trabalho — explicou Roseli Novaes, coordenadora do Sepe Seropédica.

Ouça o áudio completo no link abaixo:

http://jornalhorah.com.br/mulher-de-prefeito-manda-funcionario-comprar-jegue-para-ir-a-escola

Em nota, a secretária de Educação reconheceu que foi infeliz na sua declaração.Ela disse que sua reação foi consequência da reclamação de pais insatisfeitos com o fato de professores estarem ocupando o ônibus escolar:

“Foi um desabafo infeliz. Peço desculpas aos que se sentiram constrangidos. Minha reação foi consequência das reclamações de pais e mães de alunos que procuraram a prefeitura para se queixar de que alguns professores estavam ocupando indevidamente o espaço dos alunos nos ônibus escolares. Os professores de Seropédica recebem R$ 160,00 mensalmente como ajuda de custo de transporte. Estavam economizando dinheiro com a utilização indevida do transporte exclusivo para os alunos. Não esperava que a minha reação numa reunião com diretoras fosse ter essa repercussão toda. Foi quase uma brincadeira. Não tive a intenção de magoar ninguém.”

Com jornal Extra.

Opinião do blog: A senhora secretária, deveria se preocupar mais em melhorar a precária situação da educação da cidade ao invés de abrir a boca para falar tantas asneiras. Aliás, ela deveria voltar para a escola, onde além de se adquirir conhecimento, também se adquire educação, em especial para aquelas pessoas que não tem ela de berço. Somente alguém que não tem o privilégio de pensar antes de falar, pode indicar que algum profissional não use o ônibus escolar como transporte, em um local onde não há outros meios para se chegar. O professor que ela manda ir de jegue trabalhar, deveria pegar uma carona com a referida secretária para ir ao trabalho. No caminho ele poderia ensiná-la a ter boas maneiras e também faria a vontade dela, em ver o professor usando um asno como transporte.

Hortão Municipal – alimentação sadia e sem agrotóxico

Projeto recebeu 1.500 mudas orgânicas

Entre os anos de 2005 e 2012, quando o atual prefeito Carlo Busatto Júnior (Charlinho) governou Itaguaí, a cidade recebeu três vezes o prêmio de melhor merenda escolar do Brasil. A premiação levou o Ministério da Educação (MEC), a fazer um vídeo mostrando a qualidade da refeição servida na rede municipal de ensino.  Legumes e verduras vinham da horta municipal, aliás: Hortão Municipal, como é conhecido.

Preocupada em manter a qualidade da alimentação servida aos alunos do município, a secretaria de Meio Ambiente tem investido cada vez mais em oferecer legumes e verduras orgânicas. Ou seja, sem o uso de agrotóxico. Esta semana, a horta municipal recebeu 1.500 mudas, vindas de um produtor de Itaipava, distrito de Petrópolis, para serem plantadas.

Segundo o diretor de Agricultura, Cesare Yukio Iwanaga , as mudas vieram com certificado de garantia, atestando que são  todas orgânicas “O tempo de plantio e colheita, se dá aproximadamente em 30/40 dias. Após a colheita, os legumes e verduras são distribuídos para as escolas e creches da rede municipal de ensino, além do Hospital São Francisco e a APAE, as verduras e legumes, como: inhame, alface, cebolinha, couve, repolho, abóbora, melancia e outros produtos orgânicos plantados no Hortão Municipal” garante.

“Esse projeto do Hortão Municipal foi desativado na gestão passada, mas agora foi retomado. O secretário de Meio Ambiente, Jailson Barbosa, determinou uma atenção especial, e a ampliação da oferta de legumes e verduras”, concluiu Claudio Hayasaka, diretor de Desenvolvimento Sustentável.

Fotos e fonte: Prefeitura de Itaguaí

Polícia vai investigar caso de corpos armazenados inadequadamente no Rocha Faria

Agência Brasil

A Polícia Civil vai investigar o caso envolvendo 63 corpos encontrados em condições inadequadas no necrotério do Hospital Municipal Rocha Faria, durante investigação realizada no último dia 10, pela Ministério Público do Rio de Janeiro. Entre os 63 corpos encontrados 36 eram de bebês.

Segundo informações da Polícia Civil, a 35ª Delegacia Policial (Campo Grande) já instaurou procedimento para apurar o caso. Segundo a assessoria de imprensa da polícia, oficialmente a corporação não recebeu nenhuma informação, admitindo que tomou conhecimento do caso pela imprensa.

Na avaliação da Polícia Civil, “pode ter havido alguma responsabilidade criminal, mas também pode ser um caso de responsabilidade apenas administrativa. O Ministério Público é quem vai definir pela responsabilidade criminal, a tipificação”

Neste final de semana, a Secretaria de Saúde do Município começou a enterrar os corpos, que estariam abandonados e em condições de higiene precárias. Procurada pela Agência Brasil, a secretaria não comentou o assunto até a publicação do texto.

Vistoria

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) informou que a 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Capital instaurou inquérito civil com o objetivo de apurar “supostas deficiências na prestação de serviços de saúde” pelo Hospital Municipal Rocha Faria.

Na vistoria realizada no último dia 10 no necrotério do Rocha Faria foram constatadas diversas irregularidades, como péssimas condições de higiene e limpeza do necrotério, que apresentava forte odor; a existência de câmara frigorífica com nove portas funcionando precariamente; corpos armazenados por um período de tempo inexplicavelmente longo, sendo o mais antigo com óbito de 2011, apesar de terem sido expedidas guias de sepultamento para 14 destes corpos, que ainda estariam sem previsão de sepultamento.

A vistoria do MP constatou que os 36 corpos de fetos encontrados “estavam mal acondicionados nas câmaras frigorificas, muitos deles em meio líquido devido ao deficiente funcionamento das câmaras frigoríficas, inadequadamente identificados e com partes moles amorfas, alguns datados no período de 2012 a 2015”.

O Ministério Público determinou que a Secretaria Municipal de Saúde busque, “com urgência, em contato com o Gate-Saúde, obter e juntar cópias de todas as informações técnicas referentes às vistorias realizadas no Rocha Faria e deu prazo de cinco dias para que o Secretário Municipal de Saúde informe o que pretende fazer com a gestão do Hospital e que medidas tomará com relação às informações constatadas pelo MP.

 

Secretaria de Educação convoca servidores do cadastro de reserva

Mais de 60 pessoas foram chamadas pelo município

A Secretaria Municipal de Educação de Itaguaí divulgou nesta sexta-feira (6/5) a lista dos selecionados do cadastro de reserva do processo seletivo simplificado (nº01/2016). Mais de 60 pessoas foram chamadas para os cargos de professor DE-1 e cozinheiros para atuar na educação de Itaguaí, com a finalidade de garantir a continuidade dos serviços públicos disponibilizados à população.

Os aprovados devem comparecer ao auditório da Secretaria de Educação na segunda-feira (9/5), das 13h às 16h30, localizado na Avenida Prefeito Isoldackson Cruz de Brito, 18.745, Vila Margarida, munidos dos seguintes documentos:  CPF; identidade; duas fotos 3×4, título de eleitor, comprovante de residência, PIS/PASEP, certidão de nascimento ou casamento e comprovante de escolaridade.

Confira a lista dos selecionados: http://itaguai.rj.gov.br/anexosnoticias/2convoca%C3%A7%C3%A3odoprocessoseletivob22da3d856cb9d75732f62f194095813.pdf 

Servidores do estado ocupam secretaria no Rio para exigir salários e pensões

Slide5

Servidores ativos e aposentados ocuparam, no início da tarde desta quinta-feira (14), a sede da Secretaria Estadual da Fazenda, no centro do Rio, para exigir o pagamento dos salários e aposentadorias, depois que o governo do estado decidiu pagar apenas os salários de algumas categorias da ativa, mas alegou que não poderia pagar os vencimentos dos aposentados.

 

Uma comissão de aposentados subiu até o gabinete do secretário Júlio Bueno, que não estava no prédio. Segundo a assessoria de imprensa, os aposentados foram recebidos pelo chefe de gabinete, mas a reunião teve que ser interrompida por causa de um tumulto. Uma porta de vidro foi quebrada e seguranças usaram gás de pimenta, segundo os manifestantes.

 

O policiamento foi reforçado do lado de fora do prédio, mas os policiais militares não intervêm diretamente, limitando-se a observar a concentração.

 

Através de nota, o governo do estado condenou os atos de vandalismos durante a manifestação.

 

NOTA À IMPRENSA

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro pauta-se pelo diálogo com servidores e sociedade em geral, condenando qualquer prática beligerante, principalmente quando seguida de atos de vandalismo.

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro considera legítimo o direito de manifestação, desde que não ocorram prejuízos aos serviços prestados à população e sejam respeitadas a integridade física das pessoas e a preservação do patrimônio público.

 

A ocupação e a depredação das instalações da Secretaria de Estado de Fazenda, ocorridas na tarde desta quinta-feira (14/4), são absolutamente condenáveis. Os servidores que ali trabalham se esforçam, mais do que nunca, na construção de iniciativas para amenizar o déficit financeiro do estado.

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro jamais compactuará com procedimentos conduzidos pela falta de interlocução e pela prática de danos ao patrimônio público.

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro permanece disponível ao diálogo, prática que vem sendo adotada com servidores e seus representantes.

 

 

Secretária de educação de Itaguaí concede entrevista e fala sobre os problemas das escolas

Mara Soares diz que espera que  até outubro todas as escolas estejam climatizadas, concurso público é necessidade na educação , uniformes escolares completos serão entregues em maio e salários dos profissionais que migraram será pago em folha suplementar.

 

Em entrevista exclusiva ao blog Boca no Trombone Itaguaí, a secretária de educação Mara Lúcia Silva Soares, falou sobre os graves problemas de infraestrutura nas escolas, o calor das salas de aula, o processo de climatização e também na perspectiva de um novo concurso público.

Slide3

                                                             Foto: Monique Vieira

 

Veja a entrevista na íntegra:

 

Climatização nas escolas

 

1- Sobre a climatização nas escolas, existe um cronograma para que todas as unidades sejam atendidas e os aparelhos de ar condicionado estejam funcionando? E se for sim, qual a previsão para que todas as escolas sejam contempladas?

 Resposta: “Climatização é o meu maior desafio. Foi o maior problema que encontrei quando assumi em maio de 2015.  Encontramos todos os aparelhos de ar condicionado instalados nas escolas, e quando fomos montar uma equipe de trabalho para realizar o serviço de pôr em funcionamento tais aparelhos, vimos que existiam muitas pendências na parte elétrica dentro e fora das unidades, que era responsabilidade da LIGHT está última. Comecei com uma equipe de 4 funcionários para cuidar da parte de manutenção das escolas e hoje tenho cerca de 20 e com uma parceria com a secretaria de obras, já conseguimos climatizar 25 unidades de ensino como Teotônio Villela por exemplo e agora estamos finalizando a escola das Acácias em Chaperó.A minha meta é que até o final do mês de outubro todas as unidades estejam climatizadas, pois sei do enorme sofrimento que alunos e servidores tem passado nas salas de aula. Sei do sofrimento dos professores tendo que dar aula com temperaturas de 40º C. Tenho 34 anos de carreira como professora, e já trabalhei com alunos de todas as faixas etárias e inclusive já lecionei em uma escola aqui na cidade, onde tínhamos rotatividade entre turmas pois somente algumas tinham a climatização.Por isso sei bem o que é isso, pois senti isso na pele.

  Na busca de processos sobre o andamento de diversas questões, entre eles o processo judicial sobre a climatização, fui surpreendida ao encontrar após 07 meses no cargo, tal processo em uma gaveta aqui na secretaria. Desde 2011 quando foi adquirido por uma empresa de Campos, vencedora de uma licitação, todos os aparelhos foram colocados nas escolas. Tudo foi pago, aquisição e instalação que não foi concluída como sabemos. Esse processo se encerrou em 2013. A procuradoria está com esse documento em mãos e agindo judicialmente para cobrar dessa empresa o serviço pago e ressarcir o investimento que a prefeitura está fazendo”

Mara alegou que o governo está usando recursos próprios para dar continuidade a climatização nas escolas. A secretária não soube dizer o nome da empresa que está sendo cobrada na justiça.”

 

Problemas na infraestrutura das unidades

2 – As unidades tem tido problemas na infraestrutura, como rachaduras, vidros quebrados de janelas entre outros. Qual tem sido o procedimento da secretaria para sanar essas situações?

Resposta: “A secretaria de educação, através desta parceria com a secretaria de obras, tem uma equipe de manutenção escolar, para estar sanando os problemas existentes, através de um cronograma de atendimento.

 

3 – Algumas escolas ainda precisam ser inauguradas, como o complexo em Piranema, e que está com a obra parada. A secretária tem conhecimento de como está essa obra e se há previsão de conclusão?

 

Resposta: “A empresa que começou as obras das escolas na cidade, e que é a responsável pela finalização delas, visitou essa escola mencionada, com engenheiros e outros profissionais, no entanto nada mais foi feito. Não há prazos para conclusão da obra em Piranema. Tal empresa no entanto, ainda está com o processo dentro da garantia para essas conclusões e a secretaria de obras e a procuradoria tem notificado a empresa em casos de problemas de infraestrutura nas demais escolas já em funcionamento. “

A secretária fez questão de enfatizar, que duas creches foram inauguradas após solicitação a essa empresa responsável e que outras medidas a serem tomadas, somente a procuradoria poderia responder.

 

Alunos

4 – Qual a previsão para a entrega dos uniformes completos dos alunos nesse ano letivo?

 

“Maio é a previsão para a entrega do uniforme completo. No momento está no processo de escolha dos tecidos e a empresa vencedora da licitação levou as amostras do tecido. No entanto a confecção dos uniformes será feita pela oficina de costura da prefeitura que é integrada a secretaria de administração. As costureiras aguardam apenas a chegada da matéria prima, o tecido, para iniciar os trabalhos.

 

5- Como está sendo feito o tratamento dos alunos com psicólogos, fonoaudiólogos e demais profissionais ligados à saúde, nas unidades de ensino?

Resposta: “Tanto a equipe de psicologia quanto a de fonoaudiologia recebem a demanda das unidades escolares e fazem uma avaliação do aluno. Havendo necessidade, encaminham à saúde para atendimento clínico. Caso contrário, fazem acompanhamento direto na unidade em conjunto com a equipe técnico pedagógica (coordenadores, orientador, professor e direção), buscando estratégias que atendam a necessidade dos alunos avaliados.

Estas equipes também participam das formações dos professores. São feitas também através da assessoria de saúde escolar, palestras sobre tabagismo, enfrentamento à dengue entre outras.”

 

Servidores

6 -Existe ou existirá, um acompanhamento de coordenadores oriundos da secretaria de educação, para um controle de cada ano de escolaridade nas escolas em 2016?

Resposta: “Sim. As equipes já estão em visitas às unidades escolares.

Educação infantil – (Atendendo creches e escolas com pré – escolar).

Anos iniciais – (Do 1º ao 5º ano)

Anos finais – (Do 6º ao 9º ano)

Educação de jovens e adultos (EJA) – ( No mesmo processo nas 12 escolas destinadas ao público adulto).

Além dessas, existe a equipe de projetos e o coordenador étnico racial.

Quando assumi, vi uma equipe muito estática dentro da secretaria e defasada, hoje elas estão em visitas mais regulares às escolas. Após a nova estrutura criada pela prefeitura, conto com coordenador de séries iniciais, coordenador de séries finais, coordenador de educação especial, coordenadores de disciplinas que estão sendo nomeados agora, orientadores educacionais e supervisores que estão diretamente ligados a escola.

Essa equipe, de agosto pra cá, tem sido bem mais frequente nas unidades e meu maior desafio é com a alfabetização, que tem sido desde que cheguei o meu maior problema. Essa área em anos anteriores não tem sido boa e isso é um compromisso que tenho em reverter tal quadro este ano. Eu cobro dos coordenadores, faço plantão e a frequência vem da escola direto para mim. Mas sei que ainda é necessário um maior quantitativo de profissionais para atender toda a rede.”

 

 7 – Sobre a migração dos profissionais, os servidores que até o momento, em especial os professores, migraram, tem sido o suficiente para suprir a demanda?

Resposta: “Ainda não. Supre somente 70%, devido ao crescimento da rede e pela redução da carga horária da equipe de apoio nas escolas em relação ao edital do último concurso, pois a carga horária foi reduzida de 40 para 30 semanais, após a aprovação do plano de cargos e salários,e também pela atividade complementar dos professores (AC), criou -se a necessidade de mais servidores que antes. Devido a isso ainda temos o Regime Especial de Trabalho (Ret), bem menos que antes, mas ainda necessário.”

Ainda sobre as carências, a secretária disse que ainda faltam muitas cozinheiras nas unidades e que não é permitido que um servidor de uma área cumpra suas 2 horas a mais da migração em outra função que não seja a sua, pelo menos nesse momento.

 

8 – Os servidores que fizeram a migração, ainda não receberam, há uma data para o inicio desses pagamentos? E como será essa data mensal?

Resposta: “Devido a folha ter sido fechada no dia 15 do último mês, não houve tempo hábil para o pagamento referente a migração. O sindicato foi avisado segundo a secretária sobre esse atraso. Haverá uma folha suplementar antes do próximo pagamento essa é a previsão para que essas remunerações sejam quitadas e nos meses seguintes fazerem parte dos vencimentos mensais.”

 

9  – Os servidores que se inscreveram para a migração e ainda não foram convocados há uma data já definida para este fim?

Resposta: ”Não. Na migração só ficaram de fora os agentes administrativos e os inspetores de alunos, pois não há carência desses profissionais nas escolas.”

10 -Haverão novas datas para os profissionais que ainda não se prontificaram a aderir a migração?

“Não. Ainda não dispomos de previsão de um novo edital.”

11 – Como está sendo feita a atividade complementar (AC) dos professores neste ano letivo? Será como a de 2015 ou haverão mudanças?

Resposta: “Os professores de 25 e 16 horas / aulas, permanecem da mesma forma trabalhada em 2015. Já os de 40 horas, possuem uma nova configuração considerando a modalidade de ensino: Escola de tempo integral, creches, emeis e escola parcial de acordo com sua carga horária semanal.”

12 – As atividades extra classe como sala de leitura entre outras que foram suspensas no final do ano passado retornarão este ano? E se sim, qual a previsão?

Resposta: “Sim. A sala de leitura retornará nas unidades onde foram provisoriamente suspensas devido a carência de professores, com a migração será possível atender e em algumas escolas já voltaram a funcionar, assim como em alguns casos, a volta das aulas de informática com o laboratório e o retorno das atividades nas salas de recursos que gradativamente estarão de volta nas escolas. Em primeiro momento, está sendo feito a alocação dos professores nas turmas. Se faz necessário também verificar o perfil dos professores para atuar na sala de leitura e almejo em breve ter o professor itinerante para atender casos especiais de alunos que não tenham condições de se deslocarem para a escola.”

 

13 – Qual a determinação dada aos dirigentes na condução desse AC dos professores quando estes estiverem na escola cumprindo esse 1/3?

Resposta: “Atividades complementares relacionadas a estudos , atividades complementares relacionadas a estudos e planejamentos, registros, avaliação da produção dos docentes, formação continuada, participação em reuniões de natureza pedagógica e administrativa, atendimento a pais, preparação de eventos educativos e outras atividades inerentes ao Projeto Político Pedagógico (PPP) da unidade, e nos termos dos limites estabelecidos pela secretaria de educação para cada nível de ensino.”

 

14 – Existe uma grande dúvida sobre a quantidade de servidores de apoio (Agentes Administrativos, Auxiliares de Serviços Escolares, Merendeiras etc) em relação ao número de alunos por unidade. Exemplo, sempre se comentou que era um desses profissionais para cada grupo de 100 alunos. Isso numericamente se manteve?

Resposta: “Não. Observa -se hoje o espaço físico da unidade escolar, a redução de carga horária do pessoal de apoio de 8 para 6 horas e a modalidade de ensino da unidade escolar, pautada sempre na lei 1999/98, bem como observando seu limite mínimo. Mas será reformulada uma lei já existente sobre esse limite de 100 por aluno, Ocorrerão modificações de acordo com as necessidades das escolas e um novo quadro será criado para isso.”

15 – Se a Unidade escolar tiver funcionários sobrando enquanto existam escolas com a falta, qual o procedimento correto dos diretores quando se depararem com esse quadro?

Resposta: “Informar ao Departamento pessoal da educação através de C.I (Comunicação Interna) e encaminhar para a SME (Secretaria de Municipal de Educação), sempre considerando o número da matricula por antiguidade, pois está no estatuto dos servidores.”

16 – Qual a ordem da secretaria sobre a quantidade de alunos por turma em relação a cada ano escolar?

“Devemos obedecer o que rege o Plano Municipal de Educação. Que determina o seguinte:

Slide2

 

17 – Existe uma grande carência no quadro de servidores na educação, há a previsão de concurso público?

Resposta: “Fizemos uma estudo dessas carências, e enviei ao prefeito. Não são muitas vagas, mas serão para todas as áreas da educação, alguns mais vagas que outras e um concurso público se faz necessário para atender a demanda. O Ministério Público está cobrando tal concurso bem como a demissão dos servidores contratados que ainda estão na rede.”

Mara disse que os contratados tem sido excelentes servidores, mas que a lei não permite tal forma de ingresso. A secretária ainda revelou seu desejo de ter professores de libras aprovados em concurso público na cidade.

Fora isso, ela ressaltou a enorme carência de auxiliares de creche e junto ao governo solicitou de forma emergencial a procuradoria, e ao MP, a contratação imediata de auxiliares de creche por nove meses ou até o concurso público se concretizar.

 

18 – Diretores recém eleitos, tem feito perseguições a servidores que não votaram neles em algumas escolas. Denúncias nos chegam contendo essas informações. Esses servidores tem tido trabalhos a mais que os outros que votaram nos eleitos. Como a secretaria agirá em casos como estes?

Resposta: “Iremos apurar todas as denúncias e até indo a essas escolas ver de perto situações onde hajam algum tipo de assédio moral, algo condenável pelo prefeito e por mim. Recomendo que esses servidores se desloquem até a ouvidoria do município em frente a prefeitura para fazer tais denúncias e podendo vir até meu gabinete e relatar isso a minha assessora de gabinete, Júlia Cabral. Afinal, os diretores eleitos assinaram um código de ética no dia da posse se comprometendo a tratar todos os funcionários de forma igualitária, e o assédio moral, é um dos primeiros pontos relatados nesse código. Vou até o final apurar essas denúncias.”

 

Considerações finais da secretária

   “Agradeço ao blog Boca no Trombone Itaguaí pela oportunidade de ter esse espaço e pelo blog ter tido esse olhar de ouvir e saber da visão e missão da secretaria de educação sobre a minha liderança. Não faço nada sozinha, tenho uma equipe coesa, que me abraçou, que comunga dos mesmos ideais e que quer  uma educação de excelência, de qualidade. Para que  nós não sejamos vistos em outros municípios, no país e no estado como o município da falcatrua, como o município que roubou o uniforme das crianças, a comida das crianças.

  Eu vim aqui para assumir o papel de educadora que sou, nunca vou perder o foco de educadora de sala de aula, com o ar condicionado ligado ou com o ventilador. Hoje nós não temos e fico muito triste, porque quem deveria fazer e recebeu por isso está aí esperando que a justiça faça o dever dele.

  Agradeço mais uma vez essa oportunidade de estar ao menos mostrando para a população, o que nós queremos, a cidade que a gente quer. Queremos uma cidade melhor, poderíamos estar mais à frente? Poderíamos, mas quem estava aqui a anos atrás não fez, eu estou dando continuidade em coisas que encontrei de bom, pois houveram coisas boas, não vou falar que não houveram, as ruins eu virei a página, para escrever uma nova história. Precisamos escrever uma nova história, pois sabemos que temos bons profissionais aqui, qualificados, muitos doutores, muitos mestrandos, outros que estão estudando e que estão se qualificando e que eu estou dando oportunidade para que faça parte da equipe para avançarmos.

  Estou muito feliz por estar na secretaria de educação e estar fazendo parte desta história. Quero ver na prova do Saerjinho ainda este ano, um resultado melhor que do ano passado, que eu chorei quando vi. Me emociono quando vejo um resultado melhor, quando um aluno participa da Olimpíada da Língua Portuguesa, da Olimpíada de Matemática. Mesmo com todos os desafios e dificuldades, nosso alunos passaram para a Faetec, ganharam medalhas da Marinha, nossos alunos ganharam até o prêmio da LIGHT. Então nós mostramos avanços mesmo na adversidade.

  Peço que seja publicado nessas minhas considerações finais, que tenho ficado triste por ter visto uma falta de ética com os profissionais aqui da secretaria, quando se referem que são profissionais ultrapassados e velhos. Acho que temos que ter um respeito por esses profissionais, ainda mais quando somos educadores. Não devemos menosprezar o trabalho dos outros, porque todos nós lutamos com muitas dificuldades, todo mundo se esforçou e ninguém chega em qualquer cadeira do nada, você tem uma história, e então é feio você ver alguém dizendo que és ultrapassado, velho, incompetente, mas não te conhece, não sabe de sua vida, não busca saber a verdade. Eu busco, e tenho aprendido muito aqui como secretária, nem imaginava o quanto iria aprender, mas cada dia aprendo mais com profissionais e com a vida. Aprendo com cada servidor daqui e eles aprendem também e esse desrespeito com o profissional, com o educador eu repúdio.

 

Fotos Monique Vieira

Secretaria pede explicações sobre vazamento de chorume em Seropédica

A Secretaria Municipal de Ambiente e Agronegócios de Seropédica,, encaminhou nesta terça-feira (23) um ofício ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea), da Secretaria de Estado de Ambiente, solicitando o relatório técnico e notificações que o órgão fez após o vazamento de chorume no Centro de Tratamento de Resíduos (CTR) do município. Se não houver resposta, a secretaria fará uma intimação.

“Eu tenho dois processos abertos no município, com todas as notificações que fizemos com autos de constatação, que me permitem abrir processo contra a empresa e pedir a minimização do impacto”, informou o secretário Ademar Quintella, em entrevista à Agência Brasil. Ele disse que qualquer compensação por parte da empresa só pode ser decidida após definição dos danos causados.

De acordo com ele, foi pedido também o projeto executivo da elevatória da estação de tratamento para o armazenamento do chorume. A preocupação, segundo ele é identificar o impacto que o vazamento pode ter provocado aos córregos e valões da região, incluindo contaminação do Aquífero Piranema. Além disso, foi constatada a presença de animais [cachorros e bovinos] na área do centro. “Não pode ter nenhum animal transitando dentro do lixo que vem de quatro municípios e, depois, entrando em nosso município. Aí pode trazer zoonoses, doenças de outros locais para a gente”, afirmou.

Segundo a empresa Serb Saneamento e Energia Renovável S/A (Ciclus), responsável pela administração do centro, o vazamento ocorreu depois da chuva forte que caiu no município, no sábado (21), o que provocou queda de energia e causou paralisação no sistema, agravada pelo não funcionamento de um gerador e resultou no transbordamento de uma das elevatórias de armazenamento.

Para o secretário, o ocorrido mostra uma falha no projeto de construção do centro. “O gerador, que era para entrar em funcionamento, não entrou e não existia uma válvula de contenção de um duto que chega por gravidade nessas lagoas. Acho que o projeto foi falho e o licenciamento pelo Inea também. Estamos falando de um aquífero que a gente sempre teve um cuidado muito grande”, indicou.

A secretaria também notificou a Ciclus, para tentar mensurar a quantidade de chorume que vazou para o valão que passa na área do centro e corre, ainda, para espaços externos na vila de moradores. “O prazo seria de 48 horas, que nós demos, e hoje eles entraram com uma solicitação de mais 48 horas, porque estão tentando pegar todos os dados”, informou.

Quintella revelou, ainda, que pediu ao Inea os dados dos postos de monitoramento por um período de 24 meses, para acompanhar os impactos causados pelo transbordamento. “Isso não penetra como uma esponja. Isso só vai mostrar em um horizonte de tempo maior do que em dois dias. Não tem como mensurar a quantidade. O que transbordou foi de dois tanques da elevatória de 500 metros cúbicos. Dá para mensurar quanto litros de chorume tinha ali, no momento em que começou a transbordar? Transbordou todo esse ou mais que entrou por gravidade? Qual o período que ficou sem atividade sem a energia? Isso eles têm que nos passar.”

 

Por meio de nota, o Inea informou que a supervisão do trabalho de retirada do chorume que vazou está sendo feita pelo Serviço de Operações de Emergência (Sopea).

 

O instituto garantiu que o chorume líquido já foi quase todo retirado e que, agora, o serviço se concentrará na retirada da camada superficial do solo do valão para onde o resíduo seguiu após o transbordamento. Na avaliação do secretário, pode ser que a quantidade retirada não tenha sido a necessária. “Não tem como um líquido sobre um solo e sobre um córrego que tem uma vazão x retirar só 100 metros de rejeitos, como eu vi lá, e dizer que já foi solucionado”, apontou.

 

Conforme o Inea, a Ciclus será autuada e receberá uma multa que ainda terá o valor definido pelo Conselho Diretor do instituto. O instituto informou também que equipes da Ciclus fizeram dois diques de contenção, retiraram o chorume líquido por meio de sucção e transportaram o material para o tratamento adequado no CTR.

 

Pelos cálculos do Inea, com a parada da bomba usada para transferir o chorume de uma bacia de estocagem para a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), causada pela queda de energia, houve o vazamento de cerca de 50 mil litros de chorume, que atingiram o valão do Brejo.

 

O CTR de Seropédica foi inaugurado em 2011 e substituiu o Aterro Sanitário de Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com o secretário, a maior parte do lixo que ele recebe é do município do Rio. “Hoje são depositados lá 9 mil toneladas de lixo por dia, sendo que do município que do município de Seropédica são 40 toneladas por dia”, destacou.

Agência Brasil

 

Secretaria de Saúde de Itaguaí avança na organização de seu sistema

Implantação de prontuário eletrônico e de QR Code no patrimônio vão modernizar o atendimento e evitar desperdício financeiro

Com objetivo de integrar e controlar todas as informações de atendimento nas unidades de saúde do município, a Secretaria de Saúde vai colocar em funcionamento, em aproximadamente 30 dias, o sistema de prontuário eletrônico, do Ministério da Saúde, que é um banco de dados digital no qual vai estar todo histórico dos pacientes, resultando em mais agilidade no atendimento e menos desperdício de papel.

Slide8

Com a implantação da nova ferramenta, os médicos vão ter acesso às informações dos locais onde aquele paciente já foi atendido, quais seus problemas, e como resolvê-los da melhor forma possível. De acordo com o secretário de Saúde, Paulo Cavallari, o mecanismo gera mais confiança tanto para os médicos quanto para os pacientes, já que as informações serão registradas em um grande banco de dados.

Slide9

– Precisamos dar um passo de cada vez. Agora, estamos organizando nosso atendimento. Isso vai permitir que, em um futuro bem próximo, possamos ter um sistema completamente integrado e conhecer de perto as necessidades dos pacientes a fim de encaminhá-los para um tratamento adequado – disse o secretário de Saúde, Paulo Cavallari.

Além do prontuário eletrônico, a Secretaria de Saúde também está implantando em todo seu patrimônio o mecanismo de “QR Code”, que nada mais é do que um sistema de código de barras que pode ser detalhado pela maioria dos aparelhos de celular equipados com câmera. Este código é convertido em texto e vai possuir o nº do patrimônio, o nome da unidade e o local exato em que o equipamento está e também sua especificação detalhada.

Segundo Paulo Cavallari, todo esse mapeamento feito pela Saúde tem como função organizar em detalhes o patrimônio municipal para que evite gastos financeiros com eles, a partir do momento em que os responsáveis da pasta sabem a fundo as demandas necessárias. Desse modo, o dinheiro que poderia ser investido em equipamento, quando já se sabe da propriedade do mesmo, pode servir para a contratação de médicos, por exemplo.

Slide10

– Por meio deste sistema de “QR Code”, queremos suprir toda demanda de patrimônio do município. Isso implica diretamente na redução de desperdício financeiro e na aplicação adequada de recursos. Entre as unidades de Saúde já contempladas com o “QR Code” estão os postos Odenit Maia e Monte Serrat e vamos continuar com o detalhamento – finalizou Paulo Cavallari.

Foto divulgação/Secretaria de Saúde