Arquivo da tag: Samarco

Empresa Samarco, saiba mais sobre o crime cometido por irresponsáveis contra o país

Dê condolências a França mas ajude a fiscalizar e recuperar o Brasil

O maior desastre ambiental da história do Brasil completa hoje 12 dias e suas consequências podem ser ainda maiores. A destruição que o rompimento das barragens causou levará séculos para serem recuperadas e mais duas barragens podem agravar ainda  mais a situação. A irresponsabilidade com o nosso meio ambiente e com as pessoas é algo monstruoso.

 

Veja a matéria feita pelo CQC da Rede Bandeirantes sobre o desastre. Vale a pena.

CLIQUE NOS LINKS ABAIXO:

PARTE 1

http://entretenimento.band.uol.com.br/cqc/2015/video/15679565/proteste-ja—mariana-conheca-os-bastidores-da-tragedia

PARTE 2

http://entretenimento.band.uol.com.br/cqc/2015/video/15679568/proteste-ja—mariana-cqc-e-barrado-em-coletiva-de-imprensa.html

PARTE 3

http://entretenimento.band.uol.com.br/cqc/2015/video/15679544/juliano-dip-fala-sobre-ter-sido-barrado-em-coletiva-em-mariana.html

 

Samarco admite que duas barragens podem se romper em Mariana

 

Representantes da Samarco, mineradora responsável pela barragem que se rompeu em Mariana (MG) no dia 5, disseram na última terça (17) que há riscos de rompimento das represas de Santarém e de Germano, que ficam próximas à primeira. Eles afirmaram ainda que a de Santarém não se rompeu, diferentemente do que a empresa informou.

 

“Tem o risco e nós, para aumentarmos o fator de segurança e reduzirmos o risco, estamos fazendo as ações emergenciais necessárias”, disse o gerente-geral de Projetos Estruturais da Samarco, Germano Lopes.

 

“O monitoramento dessas barragens está sendo feito de forma online. Todos os dias os fatores de seguranças são reportados. A gente não percebeu ainda nenhuma movimentação nessas barragens. Existe uma plano de ação montado [caso haja rompimento da barragem]”, completou o diretor de Operações e Infraestrutura da empresa, Kléber Terra.

Segundo Terra, o fator de segurança na barragem de Santarém é 1,37. Na de Germano, o dique Celinha, uma das estruturas, tem índice de 1,22, o menor em todo o complexo. Esse índice vai de 0 a 2. O nível mínimo de segurança recomendado por lei é 1,5.

 

De acordo com os técnicos, estão sendo feitas obras emergenciais nas duas barragens, com a colocação de blocos de rocha de cima para baixo para reforçar a estrutura. Nesta semana, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais divulgou imagens feitas por drones da corporação que mostram uma rachadura na barragem de Germano.

 

“Nós estamos com aproximadamente 90 dias para transportar todo o material lá pra baixo, fazermos o preenchimento da erosão na margem direita, nivelamento da crista da barragem, de forma a aumentar o nível de segurança da estrutura e permitir o tratamento da água dentro do reservatório de Santarém”, disse o engenheiro e geotécnico da empresa José Bernado.

 

Nesta última terça-feira, os representantes da empresa explicaram que a única barragem que se rompeu foi a de Fundão, diferentemente do que a própria Samarco informava desde o dia da tragédia. A empresa dizia que, além de Fundão, Santarém havia rompido. Segundo os técnicos, 40 milhões de metros cúbicos de rejeitos desceram, erodindo Santarém.

Barragem da mineradora Samarco se rompe em Mariana Minas Gerais

(Reuters) – Uma barragem de rejeitos da mineradora Samarco, joint venture da Vale com a australiana BHP, se rompeu nesta quinta-feira atingindo um distrito do município de Mariana, em Minas Gerais, e causando pelo menos uma morte.

Os rejeitos da barragem do Fundão da unidade de Germano avançaram sobre uma comunidade próxima ao distrito de Bento Rodrigues, atingindo 90 por cento da comunidade com cerca de 560 habitantes e 170 casas, disse o assessor de imprensa da prefeitura de Mariana, Juarez Messias.

Carro fica suspenso tamanha força da enxurrada de lama

                    Carro fica suspenso tamanha força da enxurrada de lama

A assessoria de imprensa do Hospital Monsenhor Horta, em Mariana, confirmou que recebeu cinco vítimas e que uma delas já chegou sem vida ao hospital.

Um vigia da prefeitura de Mariana, que relatou estar próximo do local no momento do incidente, relatou à Reuters que funcionários de uma empreiteira trabalhavam em reparos na barragem e foram soterrados, juntamente aos equipamentos.

“Senti a terra tremer na hora”, disse o vigia.

A Samarco, uma das maiores exportadoras do Brasil, não tinha informações imediatas sobre vítimas, desaparecidos ou sobre as causas do rompimento da barragem.

As atividades na unidade de Germano foram paralisadas com o incidente, de acordo com a assessoria de imprensa da Samarco.

A Samarco produz principalmente pelotas de minério de ferro, a partir da transformação de minerais de baixo teor em um produto nobre, de alto valor agregado, e comercializado para a indústria siderúrgica mundial.

A capacidade produtiva da Samarco é de aproximadamente 30 milhões de toneladas anuais, segundo informação do site da companhia.

Comunicado oficial do diretor-presidente da Samarco sobre o rompimento das barragens de rejeitos localizadas nos municípios de Mariana e Ouro Preto (MG).

Nota da empresa Samarco

A Samarco informa que houve um rompimento de sua barragem de rejeitos, denominada Fundão, localizada na unidade de Germano, nos municípios de Ouro Preto e Mariana (MG).

A organização está mobilizando todos os esforços para priorizar o atendimento às pessoas e a mitigação de danos ao meio ambiente.

As autoridades foram devidamente informadas e as equipes responsáveis já estão no local prestando assistência.

Não é possível, neste momento, confirmar as causas e extensão do ocorrido, bem como a existência de vítimas.

Por questão de segurança, a Samarco reitera a importância de que não haja deslocamentos de pessoas para o local do ocorrido, exceto as equipes envolvidas no atendimento de emergência.