Arquivo da tag: Professor

Ciep Irmã Dulce em Itaguaí sofre com atos de vandalismo

Professor é confundido com miliciano e quase é assassinado em Chaepró

O ciep 498 – Irmã Dulce localizado em Chaperó, foi vitima de vandalismo na última segunda- feira. Vândalos invadiram a unidade e quebraram uma TV que é utilizada para aulas no auditório da escola, além de danificarem impressoras e roubarem latas de tinta que são usadas para grafite num projeto que ocorre no local. Os marginais quebraram cadeiras, quadros e reviraram armários.

Não há informações dos autores do vandalismo.

Leia o texto publicado em uma perfil no Facebook que leva o nome da escola

“E triste pensar que ainda existe em nossa sociedade, pessoas capazes de roubar, depredar e vandalizar o único espaço, capaz de transformar a vida das pessoas. A ESCOLA. Pessoas que tentam tirar a oportunidade de crescimento intelectual e profissional de uma sociedade, um bairro, um município. Inadmissível, quebraram uma TV, utilizada para aulas no auditório, danificaram impressoras, roubaram latas de tinta para grafites da marca COLORGIN ARTE URBANA, que seria utilizada pelos alunos num projeto de grafite. Picharam vários ambientes, quebraram cadeiras e mesas novas de sala de aula, arrebentaram várias portas dos armários e portas de outros áreas. Picharam várias locais com palavrões. O bairro de Chaperó é um local de potencial crescimento e não podemos permitir que o espaço educacional seja desrespeitado.”

Professor é confundido com meliciano e quase é assassinado em Chaepró

No mesmo dia, um professor de outra unidade escolar que prefere não se identificar, foi parado quando atravessava de carro a linha ferrea em Chaperó. Bandidos armados ameaçavam dizendo que iriam matá-lo, alegando que ele era miliciano. Após provar que não era e suplicar por sua vida, o homem foi liberado pelos marginais.

ATENÇÃO! Todo conteúdo do blog Boca no Trombone Itaguaí se o texto for copiado deve conter a autoria da matéria. Caso contrário medidas legais podem ser adotadas.

Anúncios

Mais um suspeito é preso e adolescente é apreendido no caso da morte de Diego Barbosa

Ao todo quatro criminosos fizeram parte do homicídio, um deles adolescente. Crime brutal chocou a cidade de Itaguaí. Irmão fala em ‘sensação de alívio’

Um suspeito de matar o professor de dança Diego Barbosa dos Santos, 28 anos, foi preso e um adolescente foi apreendido, nesta quinta-feira, em Itaguaí. O corpo do também aluno de Educação Física da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), foi encontrado na linha férrea da cidade, na manhã do dia 7 deste mês. A brutalidade do crime chocou os moradores.

De acordo com as investigações da 50ª DP (Itaguaí), Pablo Henrique Lopes da Rocha confessou a participação no crime e, em seu depoimento, disse que receberia R$ 2 mil para matar Diego de um homem identificado apenas como Aguinaldo, já preso.

Aguinaldo teria encomendado a morte do professor por ciúmes, pois Diego já tinha namorado com seu atual companheiro, Leonardo Rodrigues Castilho, também preso anteriormente por envolvimento no crime. Aos agentes, o suspeito disse que aliciou um adolescente para que o ajudasse, oferecendo R$ 500.

“Meu irmão tinha terminado com o Leonardo havia três meses por causa de traição. No entanto, ele não aceitou o término e sempre ia atrás do Diego, até mesmo nas aulas e causava constrangimento entre ele e as alunas”, contou Miro Barbosa, irmão da vítima, ao jornal O DIA.

Segundo Miro, tantos os familiares como os amigos aconselhavam Diego sobre o então companheiro, por causas das frequentes discussões, além da possessividade e ciúmes. Após a morte do professor, a família descobriu que a vítima tinha feito um boletim de ocorrência relatando uma suposta perseguição e ameças de Leonardo.

“Acho que meu irmão não contava para a gente não preocupar e, como ele era uma boa pessoa, não acreditava que alguém pudesse fazer uma maldade dessas contra ele”, afirma Miro. Segundo a Polícia Civil, Diego foi espancado de forma brutal e seu corpo foi jogado à linha férrea no momento em que um trem cruzava os trilhos.

“O companheiro do Leonardo também era professor dança aqui na região e tinha muito ciúmes do meu irmão. Juntou o ódio dos outros e deu no que deu. A gente vê em novela e não acredita que a inveja e o ódio leva alguém a matar, até a gente viver isso de perto”, diz Miro.

O irmão da vítima diz que família ainda não se conformou com a morte de Diego, mas a prisão dos suspeitos “dá uma sensação de alívio e de Justiça sendo feita”.

Família e amigos homenageam Diego neste domingo

Neste domingo, familiares e amigos do professor de dança realizarão a “Caminhada pela paz e justiça”, no Centro de Itaguaí, às 16h, em homenagem ao jovem. Os eventos em memória do estudante da UFRRJ têm sido frequentes na cidade.

No dia 13, alunos do projeto ‘Movimento é Vida”, que Diego fazia parte, realizaram uma homenagem ao professor e centenas de pessoas estiveram presentes. Os colegas do curso de Educação Física preparam uma homenagem para o universitário nas próximas semanas na UFRRJ. “Vamos fazer um aulão de Zumba na Rural, do jeito que ele gostava”, contou ao DIA Djiane Brawley, amiga do rapaz.

Fonte:  Jornal O Dia

Veja mais:

https://bocanotromboneitaguai.com/2017/06/10/presos-envolvidos-na-morte-de-professor-de-educacao-fisica-em-itaguai/

https://bocanotromboneitaguai.com/2017/06/07/professor-de-zumba-e-encontrado-morto-em-itaguai/

Professor de Zumba é encontrado morto em Itaguaí

Corpo do jovem foi encontrado em Chaperó

O professor de Zumba Diego Barbosa Santos, foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira (7), na linha férrea, no bairro Chaperó, em Itaguaí.

Imagens: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

O jovem de 28 anos, dava aulas nas manhãs, tardes e noites nas cidades de Itaguaí (Parque Municipal no Centro) e Mangaratiba (Itacuruça e Muriqui) para todas as idades. Diego sempre mostrava muita animação e conquistava à todos. O rapaz tinha muitos amigos que ficaram perplexos com sua morte brutal.

Segundo familiares, Diego Barbosa Santos estava desaparecido desde à noite de segunda-feira (5).

O irmão do jovem e fisiculturista Miro Barbosa, postou em uma rede social o ocorrido.

“Galera com muita dificuldade que venho fazer essa publicação, já esperávamos pelo pior. Meu irmão Diego Barbosa Santos foi assassinado brutalmente, foi espancado e jogado na linha do trem, que partiu ele em 4 em Chaperó.
Estamos sem chão, isso é inacreditável e inaceitável, uma pessoa do bem, querido por todos, que só trazia alegria para as pessoas. Aonde esse mundo vai parar, não consigo acreditar, meu, meu parceiro, meu brother.
Não consigo mais escrever nada galera, estou tremendo até agora, estou indo agora no IML, peço a compreensão e oração de todos.”

 

Não há informações sobre o que motivou o homicidio. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense(DHBF).

 

O velório está ocorrendo desde às 14 horas na Câmara Municipal de Itaguaí com uma cerimônia de despedida e homenagem. O enterro será no cemitério de Itacuruça às 17h.

Primeira dama de Seropédica manda professor ir trabalhar de jegue

Matéria divulgada pelo jornal Hora H

Em um completo desrespeito, falta de educação e atitude nada digna de um ser sem preparo para ocupar algum cargo de gestão,a secretária de Educação, Esporte e Lazer de Seropédica, Sônia Barbosa, disse que os professores deveriam ir de jegue para o trabalho.

A recomendação foi feita durante uma reunião, dia 18 de maio, com diretores das escolas municipais. No encontro, a secretária esbravejou que só terá carona nos ônibus escolares o funcionário que auxiliar as crianças no ônibus.

Um funcionário da rede pública de ensino, divulgou em suas redes sociais, um vídeo amador, onde a secretária faz tal relato.

img

Sônia disse que os professores que não quiserem auxiliar no ônibus vão a pé à escola Foto: Reprodução / Facebook

 

“Eles irão se comprometer com vocês a auxiliar as crianças no ônibus. Aquele que não quiser ajudar, não tem problema. Não é obrigado, mas eu também não sou obrigada a dar carona pra ele. Ele vai a pé, ou então ele aluga um jegue. Tem um monte de jegue aí na rua ‘baratinho’. Com 200 reais você compra um” disse a secretária, referindo-se a um professor durante a conversa.

Em outro trecho do vídeo, Sônia fala sobre o auxílio transporte. “Até porque todos os funcionários agora recebem ajuda de custo para o transporte. “Ah, mas a escola é longínqua”. Olha, isso não é problema meu! Quando fez concurso sabia” acrescentou a mulher.

Os profissionais ficaram revoltados com o desrespeito e maus tratos da primeira dama. Eles relatam que a ajuda de custo na passagem é insuficiente e que as condições de trabalho são precárias.

A declaração revoltou professores do município. Um deles, que preferiu não se identificar, disse que essa é uma forma da prefeitura economizar, porque deixa de contratar um profissional próprio para a função:

— Ela disse que precisa de pessoas para ajudar no ônibus. Libera carona, mas exige que o professor seja monitor e ajude a tomar conta das crianças para que dispense o monitor e poupe um salário para a prefeitura.

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) de Seropédica informou que, antes, seis escolas rurais recebiam o benefício do difícil acesso, que era de 10% sobre o salário. Desde junho do ano passado, o benefício pago aos servidores da Educação foi substituído pelo adicional de acesso, no valor de R$ 160, para quem trabalha cinco dias na semana, e de R$ 80, para quem trabalha dois.

— Essas escolas citadas no áudio são unidades de difícil acesso. Apesar dos professores e funcionários receberem essa ajuda de custo, não tem nenhuma linha de ônibus para que os funcionários cheguem ao trabalho — explicou Roseli Novaes, coordenadora do Sepe Seropédica.

Ouça o áudio completo no link abaixo:

http://jornalhorah.com.br/mulher-de-prefeito-manda-funcionario-comprar-jegue-para-ir-a-escola

Em nota, a secretária de Educação reconheceu que foi infeliz na sua declaração.Ela disse que sua reação foi consequência da reclamação de pais insatisfeitos com o fato de professores estarem ocupando o ônibus escolar:

“Foi um desabafo infeliz. Peço desculpas aos que se sentiram constrangidos. Minha reação foi consequência das reclamações de pais e mães de alunos que procuraram a prefeitura para se queixar de que alguns professores estavam ocupando indevidamente o espaço dos alunos nos ônibus escolares. Os professores de Seropédica recebem R$ 160,00 mensalmente como ajuda de custo de transporte. Estavam economizando dinheiro com a utilização indevida do transporte exclusivo para os alunos. Não esperava que a minha reação numa reunião com diretoras fosse ter essa repercussão toda. Foi quase uma brincadeira. Não tive a intenção de magoar ninguém.”

Com jornal Extra.

Opinião do blog: A senhora secretária, deveria se preocupar mais em melhorar a precária situação da educação da cidade ao invés de abrir a boca para falar tantas asneiras. Aliás, ela deveria voltar para a escola, onde além de se adquirir conhecimento, também se adquire educação, em especial para aquelas pessoas que não tem ela de berço. Somente alguém que não tem o privilégio de pensar antes de falar, pode indicar que algum profissional não use o ônibus escolar como transporte, em um local onde não há outros meios para se chegar. O professor que ela manda ir de jegue trabalhar, deveria pegar uma carona com a referida secretária para ir ao trabalho. No caminho ele poderia ensiná-la a ter boas maneiras e também faria a vontade dela, em ver o professor usando um asno como transporte.

Valorização dos professores passará a contar na avaliação das escolas

A valorização dos professores e demais profissionais de educação e a superação das desigualdades educacionais passarão a contar na avaliação das escolas brasileiras. As novas diretrizes fazem parte do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Sinaeb) apresentado hoje (5) pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante. O ministro assinou uma portaria que institui o sistema.

Slide15

O novo sistema substituirá o atual Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que tem foco principalmente no aprendizado, com a aplicação de avaliações como a Prova Brasil. No Sinaeb, as provas serão mantidas, mas serão criados novos indicadores. O desempenho das escolas em avaliações internacionais como o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) também será considerado.

 

“Não é só avaliar a aprendizagem, é avaliar em que condições a aprendizagem se deu, isso também é relevante. Não só para dar nota, mas para indicar políticas externas”, explica o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luiz Roberto Curi.

 

O novo sistema vai avaliar cinco diretrizes: a universalização do atendimento escolar, a melhoria da qualidade do aprendizado, a valorização dos profissionais de educação, gestão democrática e superação das desigualdades educacionais. Dentro dessas diretrizes, contará na avaliação, por exemplo, a formação dos professores, a carreira e a remuneração e a satisfação profissional; além do planejamento e gestão e se a escola promove discussões de direitos humanos, diversidade e diferença.

 

Para que cada uma das dimensões seja avaliada, o Inep ainda vai desenvolver indicadores específicos. Ao final, a escola terá acesso aos dados produzidos e fará também uma autoavaliação.

 

Novos indicadores

A portaria, assinada hoje estabelece um primeiro novo indicador, o Índice de Diferença do Desempenho esperado e verificado (IDD), que será agregado ao atual Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Pelo novo índice será medido o que a escola de fato acrescentou ao estudante, com avaliações iniciais e finais em cada uma das etapas da educação básica.

 

Também é instituída a Avaliação Nacional da Educação Infantil (Anei). Entre os itens averiguados estão o atendimento à demanda por ensino infantil, a formação dos profissionais que atuam com crianças e a disponibilidade de brinquedos. Ela começará a ser aplicada no ano que vem.

 

Os novos indicadores serão discutidos e aprovados pelo Comitê de Governança do Sinaeb, composto pelo MEC, Inep, secretarias estaduais e municipais de educação e entidades da sociedade civil como a Campanha Nacional pelo Direito à Educação. A inclusão das escolas particulares no sistema avaliação será ainda discutida.

 

Cerimônia

 

Além de reformular a educação básica, o MEC anunciou a revisão da avaliação do ensino superior.  Hoje, Mercadante disse que a pasta se prepara também para anunciar uma nova avaliação para a pós-graduação, que inclui mestrado e doutorado.

 

Mercadante participou hoje do Seminário Nacional de Avaliação da Educação Básica e o Plano Nacional de Educação (PNE), na sede do Inep, em Brasília. Em um momento em que tramita no Senado Federal o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, Mercadante ressaltou ao final do discurso: “Vamos lutar contra o golpe e, se tiver, vai ter luta”, disse.”Na educação, eles que se preparem, não têm ideia dos valores e compromissos da educação com qualidade que construímos. Não vão acabar com o PNE e não vão acabar com a educação pública brasileira”.

Agência Brasil

Professor assassinado na Baixada Fluminense foi sepultado na manhã de ontem

O corpo do empresário e professor Felipe Lavina Machado, assassinado na manhã do último domingo (25), foi sepultado na manhã desta segunda-feira (26) no Cemitério Jardim de Mesquita, no Rio de Janeiro. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) segue investigando a morte do jovem de 27 anos, que teria sido rendido dentro de casa e executado com um tiro na cabeça.

 

Slide5

De acordo com as investigações, os três homens armados que invadiram a casa de Felipe conheciam sua rotina. Eles o levaram de Therezinha até o bairro K11, em Nova Iguaçu, onde aconteceu a execução. Sua namorada também estava no carro, mas foi liberada no caminho.

Bastante abalado durante o sepultamento, o pai da vítima desabafou. “O meu filho entrou para mais uma estatística. Um garoto bom que só sabia trabalhar e estudar”, afirmou. Além de tirar a vida do professor, os criminosos roubaram R$ 10 mil que se encontravam em um cofre da residência de Felipe.

Valdecir Lavina, tio da vítima, disse que, segundo informações, três homens entraram na casa do sobrinho e um ficou do lado de fora:

— Minha irmã, e mãe do Felipe, chegou a chamar a polícia quando eles foram embora, mas não adiantou. Os bandidos ainda levaram R$ 10 mil do cofre.

A namorada de Felipe, que estava junto com ele na hora do crime, está muito abalada. O jovem era dono de duas academias: uma em Mesquita e outra em Belford Roxo.

De acordo com informações da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), um inquérito foi instaurado para apurar as circunstâncias da morte de Felipe Lavina. Familiares foram ouvidas e o corpo encaminhado ao IML. A perícia já foi feita no local e agentes estão realizando diligências em busca de testemunhas e informações que ajudem nas investigações.

 

 

 

Falta professor em 70% das piores escolas

Percentual foi identificado pelo Ministério Público. Estudo mapeou bibliotecas, laboratórios e gestão escolar

CONSTANÇA REZENDE O Dia

Rio – Mais de 70% das escolas do estado que apresentaram as piores notas no Ideb — índice que mede a qualidade do aprendizado dos alunos — sofrem com a falta de professores. O diagnóstico é dos Ministérios Públicos Federal e Estadual, que foram atrás das causas do mau desempenho das 30 escolas da rede estadual em Jacarepaguá e arredores, que atendem a 22.928 alunos.

O levantamento foi feito com base no depoimento dos próprios os diretores e representantes das escolas, que relataram que, em 21 unidades, havia insuficiência de docentes. A procuradora da República Maria Cristina Cordeiro, que coordena o projeto Ministério Público pela Educação, formado por procuradores e prmotores disse que o grupo irá estudar formas de suprir o déficit. “Isso requer concursos públicos”, afirmou a procuradora ao DIA .

 

O levantamento também constatou outras precariedades nas infraestruturas das escolas estaduais. Em metade das escolas não há biblioteca e 40% não fornecem acesso à internet para os alunos. “Vimos que alguns deste problemas não precisam ser resolvidos necessariamente com mais verbas mas, sim, com uma gestão mais eficiente destas escolas, que faz toda a diferença”, disse Maria Cristina.

A procuradora também criticou o fato de 80% dos diretores das escolas não serem eleitos pelos professores e alunos das unidades. “Este processo deve ser democrático. Quando a indicação é política, o representante atende as necessidades do gestor, quando é democrática, atende as da comunidade”, afirmou.

O grupo também verificou deficiências nos banheiros das escolas, como falta de portas e tampas nos vasos. “Sabonete era luxo encontrar”, disse a procuradora. Ela e o procurador da República Sérgio Pinele os promotores de Justiça Renato Luiz Moreira e Rogério Alves estiveram nesta segunda-feira no CIEP Dr. Ulysses Guimarães, em Curicica, um dos colégios com desempenho ruim, para discutir ações de melhoria da performance.

Colégios não têm planos de emergência

O relatório do Ministério Público também detectou que 76% das escolas vistoriadas não possuem planos de evacuação para casos de emergências. A coordenadora de operações imobiliárias da Secretaria de Educação, Yara Bouzas, informou ao DIA que isso só poderá ser possível em pelo menos um ano e três meses. Segundo a funcionária, a demora é porque a secretaria possui apenas 50 plantas arquitetônicas das 1140 escolas do estado. “Estas unidades foram construídas nos anos 90 e não sabemos onde estão as plantas. Estamos pedindo ajuda das construtoras. Se elas não tiverem, teremos que contratar uma empresa para fazer”, disse. Segundo o MP, isso prejudica o repasse de verbas de programas federais por falta de tituluridade das áreas das escolas.

Rio está na lanterna do Plano Nacional

O Rio de Janeiro está na lanterna da educação brasileira, atrás do Maranhão e do Pará, na corrida da elaboração do Plano Estadual de Educação, cujo prazo terminou na última quarta-feira. No primeiro ano de vigência do Plano Nacional de Educação (PNE), só 11 unidades da federação haviam sancionado os textos que definem as 20 metas no ensino para os próximos 10 anos.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), estados atrasados não serão punidos. Mas correm o risco de serem preteridos na distribuição de recursos para programas educacionais. Nesse caso, o Rio poderá perder dinheiro para estados do Amapá, Pará e Rondônia que já sancionaram suas leis. A Secretaria Estadual de Educação (Seeduc) informou que a minuta do documento base do Plano será levada à consulta pública. O município do Rio também não sancionou sua lei. O projeto foi para o legislativo.

Colaborou Maria Luisa Barros