Arquivo da tag: policiais

Após sumiço, policiais são resgatados em favela de Itaguaí

A viatura em que os dois estavam foi encontrada perto da favela do Carvão, com marcas de tiro.

Os policiais civis identificados como Diego Schetinno  (delegado) e o agente Alessandro Halas, ambos lotados na 48º DP (Seropédica), haviam desaparecido na noite deste sábado (08/07). Após saírem para jantar, no restaurante Dom Zelittu’s, em Itaguaí, se depararam no meio do caminho com um roubo de cargas na região. Segundo informações da própria polícia, houve uma intensa troca de tiros e para se protegerem, eles adentraram na mata no Morro do Carvão também em Itaguaí.

Os policiais ficaram durante algumas horas desaparecidos e chegaram a pedir prioridade nos grupos do aplicativo do  Whatsapp da delegacia, mas ficaram sem área de cobertura.

Às 20:31h, o agente Alessandro fez contato pedindo socorro pelo rádio: “Estou na mata escondido irmão, estou sem sinal, cadê a Core? Pelo amor de Deus!”

 

Com esse pedido de socorro, foi possível rastrear via satélite, o local exato onde se encontravam os agentes.

Sem terem notícias dos agentes, policiais de todo o Estado foram convocados para a operação, entre eles a Core, o 24º Batalhão da Polícia Militar BPM de Queimados e agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

Momento que os policiais chegaram na cidade de Itaguaí

Eles entraram na favela do morro do Carvão em Itaguaí em busca dos desaparecidos e até um helicóptero blindado foi deslocado para o local das buscas.

Por volta das 22h50, os policias finalmente foram encontrados pela equipe do Dr Sayone, estando um deles em estado de hipotermia.

Equipes da polícia civil e militar comemoraram o sucesso da operação na 50ª DP Itaguaí

A cidade de Itaguaí tem sido considerada um dos locais mais violentos do Rio de Janeiro. O crescimento da criminalidade atinge patamares gigantescos. É comum ver dezenas de relatos diários de roubos de carros, roubo a pedestres, assaltos a ônibus entre outros. O local, esta realizando a sua maior festa que anualmente ocorre neste mês de julho, festa essa que comemora os 199 anos da cidade nesta edição. No entanto, esse evento tem atraído criminosos, que culminando com a pouca segurança, tem causado assaltos e furtos dentro e fora do espaço destinado a tradicional festa.

Enquete de Fátima Bernardes causa revolta entre policiais

Apresentadora é alvo de críticas por promover enquete sobre quem deveria ser socorrido primeiro, se policial ou traficante mais gravemente ferido

Uma enquete realizada pelo Encontro com Fátima Bernardes na última quinta-feira suscitou uma polêmica que só fez crescer nas redes sociais neste fim de semana. Motivado pela estreia de Sob Pressão, filme de Andrucha Waddington sobre um médico do sistema público que se vê obrigado a decidir quem vai atender primeiro — e por isso, muitas vezes, quem irá salvar –, o programa quis saber, de seus convidados, quem eles socorreriam antes, se um policial ferido ou um traficante com risco de morte.  No longa, há uma cena em que o médico, vivido por Julio Andrade, precisa tomar essa decisão. Os convidados do programa, Andrade entre eles, escolheram atender primeiro o criminoso. Fátima Bernardes vem sofrendo críticas e ataques de autores identificados como policiais ou simpatizantes da classe, que inundam a internet com críticas ao resultado da enquete.

Neste domingo, o deputado Jair Bolsonaro se lançou ao ataque à apresentadora Fátima Bernardes, jogando álcool na discussão. “Como chegamos a esse estado de coisas?”, questiona Bolsonaro em um vídeo publicado neste d0mingo na internet, referindo-se à morte de policiais de um helicóptero que teria sido abatido pelo crime organizado na favela Cidade de Deus, no Rio, no sábado — ainda não está clara qual a causa da queda da aeronave, porém. Em seguida, ele cita o Encontro com Fátima Bernardes entre as razões para o “estado de coisas” que menciona. “Os motivos, podemos identificar alguns”, diz. “Uma mídia completamente parcial, haja visto a questão agora de Fátima Bernardes, que prefere conduzir o seu programa dando mais atenção a um traficante ferido do que a um policial, um herói a serviço nosso nas ruas.”

O site oficial do programa também tem sido alvo de críticas. Em um texto sobre o ator Stepan Nercessian, que socorreu o pai de Fátima após uma queda na rua, um espectador perguntou. “Se, além do pai de Fátima Bernardes, houvesse um traficante gravemente ferido. Quem ele deveria salvar primeiro?” Outro imagina uma história que envolve os filhos da apresentadora: “Fátima Bernardes e os trigêmeos são sequestrados no carro da família, na fuga o sequestrador bate o carro e fica gravemente ferido, Fátima e o gêmeos ficam levemente feridos! Os policiais chegam no local quem eles devem socorrer primeiro? Mãe Fátima e seus filhos ou o bandido gravemente ferido?”

slide8Convidados do ‘Encontro com Fátima Bernardes’ escolhem socorrer primeiro o traficante, mais gravemente ferido

Deputado Jair Bolsonaro fez criticas a enquete do programa

Em nota, Globo defende Fátima Bernardes: ‘Tem enaltecido PMs’

Em comunicado, emissora também procura ressaltar que programa ‘sempre preza pelo respeito a todos’

Imersa em uma intensa polêmica nas redes sociais por ter promovido uma enquete em seu programa sobre quem deveria ser socorrido primeiro em um caso de emergência, se um policial ou um traficante mais gravemente ferido, a apresentadora Fátima Bernardes teve o seu programa defendido pela Globo na tarde desta segunda-feira. Procurada pelo site de VEJA, a comunicação da emissora enviou um texto em que afirma que o Encontro com Fátima Bernardes “preza sempre pelo respeito a todos”. A enquete foi realizada na última quinta-feira, data da estreia de Sob Pressão, longa-metragem de Andrucha Waddington sobre um médico que se vê com dilemas como o levantado pela atração.

Fonte: Revista Veja

Pms encontram bebê abandonado em Seropédica

Na manhã desta sexta-feira,  o Tenente Reis, Cabos Santos e Campos todos policiais do 24°BPM (Seropédica), encontram um recém-nascido abandonado ainda com cordão umbilical dentro de uma bolsa pendurado a um muro.Os policiais o socorreram e o bebê passa bem.

image
image

A dona da residência em destaque na foto, ouviu um choro quando saia para trabalhar e chamou a Polícia Militar, que conseguiu identificar e prender a mãe que cometeu o abandono, por meio de câmeras de vídeo e testemunhas. A mulher tinha ainda outros cinco filhos. 

O recém-nascido, que tinha o cordão umbilical com um pregador de roupas, foi encaminhado para uma maternidade no centro de Seropédica e ficou internado, apesar de estar aparentemente saudável.

Gabriel, como foi chamado pelos funcionários da maternidade, tem aproximadamente 2 kg e estima-se que tenha 35 semanas de vida. O crime foi registrado na 48ª DP (Seropédica).

Vídeo flagra policiais forjando cena de homicídio em favela no Rio de Janeiro

VEJA O VÍDEO COMPLETO

Policiais foram presos administrativamente; Secretário pede investigação “rigorosa” da ação ocorrida na manhã desta terça

Policiais militares foram flagrados supostamente forjando um auto de resistência na manhã desta terça-feira (29) no morro da Providência, na zona norte do Rio de Janeiro. As imagens mostram quatro PMs da UPP local que acompanham outro homem de colete à prova de balas, mas de camiseta branca. Este último vira o corpo de Eduardo Felipe Santos Victor, de 17 anos, e depois atira com uma pistola segurando a arma junto à mão do adolescente.

Todos os cinco PMs mostrados na filmagem foram presos administrativamente, por pelo menos 72 horas.

Moradores afirmaram que o garoto estava rendido e foi executado na favela. A morte de Eduardo causou revolta na comunidade e o comércio da região da Central do Brasil e do entorno do Terminal Américo Fontenelle foi fechado. Houve reforço de policiamento com homens do 5º BPM (Praça da harmonia) e Batalhão de Choque. para conter tentativas de quebra-quebra na localidade.

O secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, afirmou que “repudia atos como esse”. À reportagem do iG, Beltrame disse ainda que “determinou rigor nas investigações com punição exemplar aos responsáveis”.

 

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Militar, coordenada pelo tenente-coronel Oderlei Santos, informou que a Corregedoria da corporação instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar todas as circunstâncias da operação. De acordo com o texto, o Comando da Corporação avalia como gravíssima a atitude dos policiais e não compactua com nenhum tipo de desvio de conduta.

Segundo o tenente-coronel, os policiais envolvidos na ocorrência foram conduzidos ao 4º DP (Praça da República). Posteriormente, os PMs devem prestar depoimento à Autoridade de Polícia Judiciária Militar.

Pela manhã, tiroteios no morro da Providência provocaram pânico em quem usava o teleférico, que chegou a ter o funcionamento suspenso por medida de segurança. A Polícia Civil informou que as armas dos policiais foram recolhidas para a perícia. A Coordenadoria de Polícia pacificadora ainda não se pronunciou sobre o caso.

O Plantão Judiciário do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) determinou a prisão preventiva dos cinco policiais militares acusados de tentar forjar um tiroteio e colocar uma arma na mão de Eduardo Felipe dos Santos Victor, 17, que estava morto e estirado no chão de uma viela no morro da Providência, centro da capital fluminense, na manhã desta terça-feira (29). A decisão foi tomada na tarde desta quarta (30).

A juíza Maria Izabel Pena Pieranti se baseou no vídeo gravado por moradores da favela, que comprovou o crime pelo qual os PMs foram presos em flagrante na madrugada desta quarta.

A DH (Delegacia de Homicídios) da Polícia Civil investiga se a cena do crime foi alterada para mascarar o homicídio do adolescente, que segundo testemunhas se rendeu antes de ser morto. O caso estava sendo registrado como homicídio decorrente de intervenção policial na 4ª DP (Praça da República) quando o vídeo foi divulgado e chegou ao conhecimento da polícia.

 

Segundo os autos, os PMs Eder Ricardo de Siqueira, Paulo Roberto da Silva, Pedro Victor da Silva Pena, Riquelmo de Paula Geraldo e Gabriel Julião Florido “realizavam uma operação policial de repressão ao tráfico de drogas na parte alta do morro quando entraram em confronto com três homens armados”.

 

O advogado Felipe Simão, que representa três policiais militares dos cinco acusados presos disse que o vídeo amador que mostra a ação dos policiais não transmite a realidade. Ele afirmou que primeiro objeto entregue pelo policial ao outro é um rádio transmissor, que teria caído das mãos do adolescente, e não uma arma. Em relação aos disparos feitos com a suposta arma da vítima, Simão disse que o policial efetuou os disparos porque tinha medo de levar a arma carregada para a delegacia.

Criminosos ateiam fogo a carros de PMs na Zona Norte

Ao todo, três veículos foram incendiados na madrugada deste domingo

 

Na madrugada deste domingo (23), por volta de 1h30, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista/Méier, na Zona Norte do Rio, e criminosos entraram em confronto. Como resultado, três carros particulares de policiais militares foram incendiados.

De acordo com o comando da UPP, até o momento não há registro de feridos. O policiamento foi intensificado e buscas estão sendo realizadas à procura dos suspeitos.

O caso foi registrado no 25º Departamento de Polícia, no Engenho Novo. A UPP Camarista/Méier foi instalada na região em dezembro de 2013, mas moradores ainda convivem com confrontos frequentes.