Arquivo da tag: mudança

TRE em Itaguaí confirma ao Boca mudança de endereço em Itaguaí

Cartório de Itaguaí passará a funcionar em novo local quando o trabalho presencial for retomado. Por enquanto o atendimento ao público permanece remoto em todas as zonas eleitorais do estado, como medida de segurança sanitária

Em 28 de julho de 2020

Itaguaí – A assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro confirmou ao blog Boca no Trombone Itaguaí em primeira mão, que a sede do órgão terá novo local em Itaguaí. Quando o atendimento presencial na Justiça Eleitoral fluminense for retomado, o que ainda não tem data prevista para acontecer, o cartório da 105ª Zona Eleitoral, em Itaguaí, passará a funcionar em novo endereço, no PátioMix Costa Verde Shopping (lojas 1.035 e 1.036), que fica localizado na Avenida Saturno, s/n, lote B, Zona Industrial. O órgão divulgará em seu site a confirmação antecipada ao Boca.

O TRE-RJ suspendeu por tempo indeterminado o atendimento presencial em todas as 165 zonas eleitorais do estado como medida de segurança sanitária, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Durante o período de suspensão, é possível obter alguns serviços no site do TRE-RJ, como a emissão de certidões e de guia para pagamento de multa. É também possível entrar em contato com os cartórios eleitorais por e-mail, que pode ser consultado também no site do tribunal.

Prefeito de Itaguaí tenta mudar exigências para as eleições do conselho da previdência municipal

Após adiar processo eleitoral que já estava em curso, Charlinho(PMDB), tenta através de projeto de lei mudar as regras para candidaturas.

O prefeito de Itaguaí, Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (PMDB), criou um projeto de lei e enviou à Câmara da cidade no último dia 14, para que sejam mudadas as exigências para a eleição ao conselho municipal da previdência da cidade.

Através do projeto, o atual prefeito tenta mudar a lei 3.354/15, que regulamenta o processo eleitoral. Alegando que o conselho precisa ter paridade, Charlinho proíbe neste projeto a participação de representantes dos sindicatos dos servidores da cidade. Curiosamente, duas das candidatas que se inscreveram para concorrer ao pleito que foi adiado, sobre a alegação de falta de energia elétrica na sede da prefeitura, são líderes do sindicato da saúde na cidade e declaradamente opositoras ao atual governo.

Pelo projeto, a composição do novo conselho municipal da previdência de Itaguaí, teriam 3 representantes do governo (indicados pelo prefeito), 1 da Câmara dos vereadores (indicado pelo presidente da Câmara), 1 representante dos servidores públicos ativos e 1 representante dos servidores aposentados e pensionistas, escolhidos através de assembleia por seus respectivos pares.

A eleição que estava programada para o mês de julho, foi adiada. Na ocasião, o governo colou um cartaz na porta de sua sede na data que deveria ocorrer à votação alegando falta de energia elétrica.  Mesmo após todo o processo de inscrições, o pleito foi adiado sem que houvesse nenhuma marcação de nova data até o momento, mais de 60 dias.

Os candidatos em sua maioria foram à justiça para reivindicar seus direitos. Cabe ressaltar, que os atuais conselheiros já tiveram seus mandatos encerrados e, portanto, não poderiam tomar nenhuma decisão a respeito da previdência municipal.

Trabalhadores ambulantes fazem protesto em frente a prefeitura de Itaguaí contra mudança de local de trabalho

Trabalhadores reclamam da mudança para a área da Expo

Um grupo de ambulantes, fizeram uma passeata pelas ruas do Centro e foram para à frente da prefeitura em protesto contra a mudança de seus locais de trabalho.

Slide9

Os trabalhadores, que antes ficavam nas calçadas pelo Centro, foram deslocados para a área do Parque Municipal da cidade (área da Expo). Segundo eles, o “buraco negro”, apelido do local onde estão, não dá movimento de clientes e isso tem causado prejuízo.

Slide4

Ainda dizem, que as pessoas não tem o costume de ir ao local e que a distância é grande de onde estavam anteriormente.

Slide7

Os trabalhadores, pedem mais atenção da prefeitura e uma mudança que não dê a eles o prejuízo que tem tido e esperam nova conversa com o poder público.

Vídeo divulgado nas redes sociais

Estado altera novamente pagamento dos servidores para até o décimo dia útil e março pode ter 45 dias

Nova mudança no calendário de ativos, inativos e pensionistas do estado foi publicada no Diário Oficial nesta quarta-feira

 

Após anunciar que o pagamento dos servidores ativos, inativos e pensionistas não seria realizado nesta quarta-feira, conforme o novo calendário que vigora desde dezembro, o governador Pezão voltou a alterar a data de depósito: os funcionários do estado passam a receber “até o décimo dia útil”, conforme publicação do Diário Oficial (D.O) de hoje.

“Servidores ativos, inativos e pensionistas previdenciários: até o décimo dia útil do mês subsequente ao mês de competência”, diz o texto que altera o decreto de dezembro, assinado por Pezão, reforçando que já vale para os pagamentos do mês em curso.

Nesta terça-feira, o governador já havia anunciado que não conseguiria pagar os salários no sétimo dia útil e que seriam depositados na sexta-feira, que vem a ser o décimo dia útil. A mudança às vésperas do pagamento deste mês também foi publicada no D.O.

Com isso, o mês para os servidores, passa a ter 40 dias em fevereiro e pode ter 45 dias em março, pois antes em decreto de dezembro de 2015, o funcionalismo recebia até o 2º dia útil do mês subsequente ao trabalhado. No caso, o salário de março por exemplo, seria pago no dia 04 de abril. Já no mês de janeiro, houve a mudança para o 7° dia útil, então o salário de março seria pago até o dia 11 de abril. Com essas novas mudanças no calendário de pagamentos, passando para o 10° dia útil, os servidores podem receber até o dia 14 de abril.

2222
O sindicato promete ir à justiça contra a mudança, pois anteriormente uma liminar não permitiu alterações na forma dos pagamentos.

Como se não bastasse, um pacote de medidas criado pelo governo do Estado e que foi encaminhado à ALERJ e não foi aprovado, onde nele também continha o aumento de contribuição dos servidores de 11 para 14% mensais em seus vencimentos para a previdência, voltou à pauta.

O valor a ser desembolsado pelo governo do estado será de R$ 1,445 bilhão a 468.621 servidores, sendo 220.323 ativos, 153.463 inativos e 94.835 pensionistas.

A postergação é necessária, de acordo com o governo, devido ao agravamento da crise financeira fluminense, provocada pelo aprofundamento da desaceleração da economia brasileira, recuo nos investimentos da Petrobras e queda nos preços do petróleo. O pagamento estava inicialmente previsto para esta quarta-feira (9).

A forte recessão da economia brasileira, confirmada pelos dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados na semana passada pelo IBGE, está afetando todos os estados brasileiros, em particular o Rio de Janeiro, cuja economia tem, pela sua vocação natural, forte peso do petróleo, cujos preços vêm despencando desde 2014. O PIB do país despencou 5,9% no último trimestre de 2015 ante igual período do ano anterior. O resultado ilustra a dimensão da crise econômica que castiga todas as unidades da Federação, obrigando vários estados a postergar ou parcelar o pagamento dos salários.

 

A quase paralisação das atividades da Petrobras, empresa que tem 80% das suas atividades no Estado do RJ, agrava significativamente a crise das finanças fluminenses. A partir do último trimestre de 2014, houve uma intensa mudança na arrecadação do Estado, provocada pela forte queda nos preços do petróleo, setor que representa 30% do PIB do estado.

 

O principal efeito da queda do preço do petróleo no Estado do Rio de Janeiro é na arrecadação com royalties. A receita com royalties despencou 38% em 2015, passando de R$ 8,7 bilhões em 2014 para R$ 5,5 bilhões no ano passado. Ainda em 2015, a arrecadação de ICMS do segmento de “petróleo, combustíveis e gás natural” despencou, em termos reais (descontada a inflação), 19,4% em relação a 2014. O preço do barril do petróleo caiu de US$ 110 em junho de 2014 para US$ 65 em junho de 2015. A média do mês passado foi de US$ 30.

 

O governo do estado mantém, como máxima prioridade, o pagamento dos salários dos servidores ativos, inativos e pensionistas. Os esforços para geração de receitas extraordinárias que permitam enfrentar as turbulências econômicas prosseguem.

Os servidores, continuam em greve na maioria das escolas estaduais.

Fonte: O Dia e Jornal do Brasil

Secretaria de Educação terá nova sede no Centro de Itaguaí

Local vai gerar economia de R$ 40 mil por mês aos cofres municipais

A previsão é que em 12 meses, a Secretaria de Educação e Cultura de Itaguaí ganhe casa nova. A sede definitiva vai gerar uma economia de R$ 40 mil por mês, com o fim do aluguel. Para isso, a Prefeitura de Itaguaí tomou posse de um prédio de dois andares na Rua Dr. Curvelo Cavalcanti, nº 71, na quarta-feira (4/11). A construção foi desapropriada pelo poder público em 2012, entretanto neste mês atual governo assumiu o espaço.

O prédio de dois andares, com área de 415m², vai abrigar, inicialmente, bens que podem ser recuperados como mesas e cadeiras, provenientes de escolas municipais. Na ocasião do decreto nº 3696 (15 de fevereiro/2012) declarou a localidade de utilidade pública e a Prefeitura pagou R$ 140 mil pela desapropriação do imóvel.

O local, além de facilitar o acesso à Secretaria de Educação e Cultura, por conta da proximidade com a sede da Prefeitura, ainda possui espaço para setorizar as subsecretarias da Educação.

Foto: Carlos Campos
Fonte: Prefeitura de Itaguaí