Arquivo da tag: irregularidades

Após decisão da justiça “Expo Itaguaí 2018” se torna inviável de ocorrer

Com a decisão e metade dos cachês dos artistas já pagos e sem garantias dos outros 50%, Anitta, Luan Santana e Cia ficam distantes da cidade. Quase um milhão jogado no ralo e prejuízos por contratação de outros serviços. Prefeito é visto supostamente no MP, em nota divulgada, a prefeitura disse que vai recorrer da decisão.

Matéria abaixo do Jornal Atual de Itaguaí

De acordo com a Justiça, prioridade do governo Charlinho, de optar por festa em tempo de crise, afronta o interesse público ao violar direitos dos cidadãos

IMPEDIMENTO Sempre aguardada com grande expectativa pela população da cidade e região, a Expo Itaguaí não terá uma edição esse ano, apesar de todos os preparativos anunciados pela Prefeitura de Itaguaí, incluindo o convite a artistas do primeiro time do show business nacional, num evento orçado em R$ 6.199.316,67. Acatando liminar objeto de ação civil pública movida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, o juiz Richard Robert Fairclough, da Comarca de Itaguaí, decidiu suspender qualquer pagamento destinado ao evento, o que compromete a sua realização já nesta quarta-feira (4).

Na verdade, a decisão do juiz da Comarca de Itaguaí impede os pagamentos relacionados à realização da festa, o que, na prática, inviabiliza a sua realização. Em sua decisão o magistrado analisa que diante do sucateamento de setores sensíveis do município, há ilegalidade no pagamento antecipado de contratos. Além disso, o juiz sustenta que a realocação de despesas do evento para a conta da Secretaria Municipal de Eventos se deu em valor acima dos limites permitidos pela Lei Orçamentária Anual do município, contrariando, inclusive, um parecer do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, que recomendava o contingenciamento de despesas.

Em seu despacho, o juiz prossegue classificando como pública e notória a trágica situação financeira do município de Itaguaí, com reflexo direto no pagamento dos servidores, nas escolas, e principalmente na rede de saúde municipal. Para sustentar suas ponderações, ele acentua que tais denúncias foram evidenciadas amplamente pela mídia. Ele cita ainda a decretação do estado de calamidade financeira no município, o que por si só recomendaria maior critério nas despesas e a priorização de necessidades sociais essenciais.

O titular da Comarca de Itaguaí sugere a necessidade imperiosa de verificar a fundo a origem das receitas destinadas à festa, de modo a compatibilizá-las com os gastos dela decorrentes, incluindo aí se há legalidade na destinação dos royalties para despesas correntes. Mesmo assim, ele salienta que inicialmente não parece adequada a destinação da receita, tampouco a realocação de despesas da forma como foi realizada. O juiz assegura ainda que foge à regra a antecipação do pagamento realizado antes da liquidação, apesar de os contratados serem pessoas de boa fé.

Para juiz, administrador deve focar interesse público

Além dos aspectos técnicos, financeiros e orçamentários que a realização da Expo 2018 envolve, o magistrado alerta que é necessário verificar se a opção de despesas pelo governo Charlinho foi adequada com a finalidade pública. “A discricionariedade não é uma carta em branco nas mãos do administrador. Toda atuação pública deve ter por norte o interesse público, mormente os direitos individuais e sociais básicos, dentre os quais destacamos a salário (alimentação e dignidade), educação e saúde, sob pena de sairmos do campo da discricionariedade, necessária e licita, e passarmos para a arbitrariedade, obscura e ilegal”, sentenciou ele no despacho.

Desobediência pode gerar multa

Considerando que há razões suficientes para acolher o pedido liminar, o juiz conclui a decisão acrescentando que na preservação do que é público, impõe-se cautela e seriedade, determinando que a Prefeitura de Itaguaí se abstenha de realizar qualquer pagamentos decorrente de despesas relacionadas a Expo Itaguaí 2018 , sob pena de multa no valor de 30% do valor pago, recaindo sobre a autoridade administrativa que autorizar/determinar o pagamento. Essa decisão, segundo o juiz, leva em conta o fato de que se deve preservar a destinação correta das receitas municipais, evitando que ela seja prejudicada caso, no futuro, seja constatada alguma irregularidade. Esse futuro tem um novo capítulo no dia 31 de julho de 2018, quando designou audiência para tratar do assunto.

Condenação ainda não cumprida

O atropelo que Charlinho enfrenta agora com a decisão do Ministério Público de impedir gastos com a Expo 2018 é mais um capítulo de uma história marcada por trombadas com os preceitos legais. Um dos episódios mais marcantes de seu currículo nada abonador é a condenação a 14 anos de prisão, em decisão de 2016 do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, pelos crimes de fraude em licitação, corrupção passiva e associação criminosa.

Na ocasião, os desembargadores acataram denúncia do Ministério Público Federal de que Charlinho favoreceu empresas e aceitou propina para aquisição de ambulâncias em Itaguaí e Mangaratiba. Ainda de acordo com o MPF, entre os anos de 2000 e 2006, Charlinho fraudou licitações, superfaturou preços, além de omitir publicações na imprensa oficial e exigir marcas específicas de veículos.

Fonte Jornal Atual

Charlinho no MP

Uma foto enviada ao nosso blog via Whatsapp, mostra o prefeito aparentemente no saguão da sede do Ministério Público. Em nota agora por volta das nove da noite, a prefeitura alegou que vai requerer ao Judiciário reconsideração para que a administração do município possa realizar pagamentos decorrentes de despesas relacionadas à Expo Itaguaí 2018.

A Prefeitura ainda alegou que o valor previsto de gastos com a Expo Itaguaí 2018 será de R$ 1.890.000,00 e finalizou dizendo que todas as informações sobre a realização da Expo Itaguaí 2018 serão fornecidas através do site e das redes sociais da Prefeitura.

Anúncios

Conselho do Fundeb de Itaguaí consegue que parte do dinheiro usado irregularmente fosse devolvido

Irregularidades foram encontradas em 2016

O Conselho de Acompanhamento e Controle Social do FUNDEB de Itaguaí conseguiu que a prefeitura estornasse parte do dinheiro usado de forma irregular para os cofres do fundo. No ano de 2016, o conselho encontrou dezenas de graves irregularidades com o uso da verba por parte da prefeitura. Havia casos em que servidores que atuavam dentro do prédio da secretaria de educação lucraram com verbas de férias em pecúnia em valores de quase R$ 10 mil reais. O detalhe é que quem atua na sede da secretaria de educação não pode receber com a verba do Fundeb. Esse estorno foi referente a dois servidores que juntos no mês de junho de 2016, tiveram um gordo salário de quase R$ 24 mil reais. Mês, aliás, que haviam sido suspensos os pagamentos de férias em pecúnia a todos os servidores. Esses valores foram devolvidos, mas ainda é uma pequena parcela dos valores das irregularidades encontradas. Na época, o conselho denunciou a Câmara de Vereadores da cidade, ao Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal e para o sindicato da educação da cidade (SEPE), tais irregularidades.

No ano de 2017, o conselho já detectou que alguns erros ainda não foram corrigidos. O governo tem até o fim do ano para que o parecer de 2017 não aponte problemas semelhantes. Além de encontrar os erros, existe a obrigação de estorno. O conselho do Fundeb calcula que o rombo referente a 2016 é gigantesco, já que a prefeitura demorava em demasia para liberar a folha de pagamento dos servidores para que houvesse a fiscalização. Com isso, muitos problemas não haviam sido encontrados a tempo de virarem denúncias.

 

FUNDEB

O FUNDEB, uma verba federal, é usada para pagar parte dos salários dos servidores que atuam em unidades de ensino regulares. Segundo a prefeitura de Itaguaí, 100% da verba está sendo utilizada para o pagamento dos profissionais da Educação. O fundo, paga no mínimo 60% do salário dos profissionais que atuam na área pedagógica (professor, diretor, coordenador, supervisor, orientador) e  no mínimo 40%, dos cargos de apoio técnico administrativo (inspetor, cozinheiro, zelador e administrativo). Ou seja, a cada R$ 100,00 recebido por um professor por exemplo, R$ 60,00 é pago pelo fundo e R$ 40,00 pago pela prefeitura, já para os servidores de apoio técnico administrativo, ocorre o contrário, R$ 40,00 é pago pelo fundo e R$ 60,00 pago pelo governo municipal.

Página do Fundeb Itaguaí no Facebook

https://www.facebook.com/conselhofundebitaguai/

FUNDEB Itaguaí você sabia?

1 – Você sabia que diferente do prefeito, vereadores e secretários, os conselheiros não são remunerados? No entanto, desempenham suas funções e tem talvez o conselho mais ativo da história desta cidade.

2 – Você servidor, já viu alguma vez tantas informações sobre um conselho fiscalizador como vê do conselho do FUNDEB Itaguaí? As ações priorizam o conhecimento público, afinal, verba pública tem que ser límpida à todos.

3 – Você sabia que conselheiros tem mandato e só podem responder pelo tempo que atuam e quando tem as documentações fornecidas pela secretaria de educação e prefeitura? Ou seja, se houve qualquer problema em anos anteriores eles não temos informações, pois o Tribunal de Contas e todos os órgãos fiscalizadores aprovaram essas contas e por isso o repasse continua sendo feito.

4 – Você sabia, que a maioria dos conselheiros está com seu salário atrasado, pois muitos são servidores? No entanto, vão à luta e fiscalizam pensando em todos os  amigos servidores.

5 – Você sabia que caso a prefeitura não forneça as documentações, o conselho deve obedecer prazos para procurar Ministério Público ou outro órgão maior? Assim tem sido feito, eles vem se dedicando e “suando a camisa” para o melhor do funcionalismo.

 

 

Veja mais:

https://bocanotromboneitaguai.com/2016/11/09/conselho-do-fundeb-encontra-irregularidades-no-uso-da-verba-em-itaguai/

 

Conselho do FUNDEB encontra irregularidades no uso da verba em Itaguaí

Mau uso da verba foi constatada e conselho acionou as autoridades

O Conselho de Acompanhamento e Controle Social do FUNDEB de Itaguaí, enviou ofícios em sua última reunião para a Prefeitura de Itaguaí, secretaria de Educação, secretaria de Administração da cidade, Ministério Público Estadual, Procuradoria da República e para o sindicato da educação da cidade (SEPE).  Nos ofícios, as cobranças firmes solicitando explicações da prefeitura sobre servidores estarem recebendo salários pagos pelo fundo de forma indevida. Além disso, os atrasos no repasse das folhas de  pagamento para fiscalização do conselho, atrasos dos salários dos funcionários e a cobrança do pagamento em dia dos valores que correspondem ao FUNDEB, também fizeram parte dos documentos.

Em um deles, o conselho relata que desde fevereiro de 2016, vem solicitando à prefeitura as folhas de pagamento dos servidores que vem recebendo com a verba do FUNDEB. Depois de 07 meses e reiteradas solicitações, finalmente o órgão forneceu as planilhas e as folhas de pagamento, fazendo isso às vésperas de uma eleição municipal, exatamente em 22 de setembro. O curioso, é que o governo forneceu somente as folhas de janeiro a julho, hoje estando pendentes as folhas de agosto, setembro e outubro, coincidentemente, meses que houveram as campanhas eleitorais na cidade. Nas folhas enviadas, várias irregularidades foram encontradas segundo o conselho fiscalizador, que salientou que a demora no fornecimento das folhas, dava a impressão de que o governo não queria que os conselheiros tivessem conhecimento de tais erros do uso da verba. Os conselheiros no documento, disseram ter estranhado a retirada de uma funcionária que dava todo o amparo ao conselho.  Após a transferência de setor da mesma, começou a demora na liberação das folhas para fiscalização e na época da servidora, tais atrasos não ocorriam. Por fim, no documento, os conselheiros solicitaram as folhas de agosto, setembro e outubro, reiterando vários outros ofícios com a mesma solicitação e que tiveram todos os prazos expirados.

slide6

 

slide7

slide2

Ofício de 19 de outubro já solicitava as folhas de pagamento

Em outro ofício, o órgão solicita o pagamento dos servidores que recebem pelo fundo, impreterivelmente todo dia 05, com o prazo máximo de até o quinto dia útil de cada mês, como rege a Lei Orgânica do município de Itaguaí em seu artigo 42.

slide3

slide4

slide5

O conselho não divulgou detalhes sobre as irregularidades  encontradas, pois outros órgãos fiscalizadores estão tomando ciência dos fatos ainda a serem apurados.

 

FUNDEB

O FUNDEB, uma verba federal, é usado para pagar parte dos salários dos servidores que atuam em unidades de ensino regulares. Segundo a prefeitura de Itaguaí, 100% da verba está sendo utilizada para o pagamento dos profissionais da Educação. O fundo, paga no mínimo 60% do salário dos profissionais que atuam na área pedagógica (professor, diretor, coordenador, supervisor, orientador) e  no mínimo 40%, dos cargos de apoio técnico administrativo (inspetor, cozinheiro, zelador e administrativo). Ou seja, a cada R$ 100,00 recebido por um professor por exemplo, R$ 60,00 é pago pelo fundo e R$ 40,00 pago pela prefeitura, já para os servidores de apoio técnico administrativo, ocorre o contrário, R$ 40,00 é pago pelo fundo e R$ 60,00 pago pelo governo municipal.

A verba do FUNDEB de 18 de outubro pra cá( afinal, até dia 17/10 foi usada para pagamentos), está com valores acima de 4 milhões. Dinheiro suficiente para quitar os vencimentos daqueles que recebem pelo fundo.

slide12

slide13

 

Se fizermos uma pesquisa com os valores das verbas de setembro pra cá, os valores ultrapassam 10 milhões

slide8

slide9

slide10

slide11

 

Veja o quanto tem de verba na conta da prefeitura de Itaguaí pelo Banco do Brasil

https://www42.bb.com.br/portalbb/daf/beneficiario,802,4647,4652,0,1.bbx?_ga=1.144387573.154775791.1476401210

Acompanhe como está a verba pelo portal da transparência do governo federal

http://rj.transparencia.gov.br/tem/Itagua%C3%AD/receitas/por-acao/repasses?exercicio=2016&funcao=28&acao=0C33&favorecido=29138302000102

 

FUNDEB Itaguaí você sabia?

1 – Você sabia que diferente do prefeito, vereadores e secretários, os conselheiros não são remunerados? No entanto, desempenham suas funções e tem talvez o conselho mais ativo da história desta cidade.

2 – Você servidor, já viu alguma vez tantas informações sobre um conselho fiscalizador como vê do conselho do FUNDEB Itaguaí? As ações priorizam o conhecimento público, afinal, verba pública tem que ser límpida à todos.

3 – Você sabia que conselheiros tem mandato e só podem responder pelo tempo que atuam e quando tem as documentações fornecidas pela secretaria de educação e prefeitura? Ou seja, se houve qualquer problema em anos anteriores eles não temos informações, pois o Tribunal de Contas e todos os órgãos fiscalizadores aprovaram essas contas e por isso o repasse continua sendo feito.

4 – Você sabia, que a maioria dos conselheiros está com seu salário atrasado, pois muitos são servidores? No entanto, vão à luta e fiscalizam pensando em todos os  amigos servidores.

5 – Você sabia que caso a prefeitura não forneça as documentações, o conselho deve obedecer prazos para procurar Ministério Público ou outro órgão maior? Assim tem sido feito, eles vem se dedicando e “suando a camisa” para o melhor do funcionalismo.

Tem muitas outras atribuições e eles tem feito.

Portanto servidor e moradores, antes de criticar as pessoas sem conhecimento de causa, se esclareça. Pois este conselho esta agindo de consciência tranquila e muitos deles valorizando os votos que tiveram de muitos servidores que confiaram a eles essa meta de fazer o melhor para todos.

Casas Bahia é a campeã de ofertas irregulares em monitoramento de sites do Procon Estadual

Como parte das atividades para marcar a passagem do Dia Internacional do Consumidor (15/03), o Procon Estadual monitorou os principais sites de venda que participaram do Dia do Consumidor Brasil. O evento, com a participação de mais de 500 lojas virtuais, é promovido pela plataforma de comércio eletrônico Buscapé. Entre os produtos da liquidação estão eletrônicos, eletrodomésticos, artigos de informática e de decoração.

 

A autarquia autuou cinco sites participantes da promoção: Casas Bahia, Submarino, Walmart, Extra e Ricardo Eletro. Juntos, eles totalizaram 42 ofertas irregulares. O site com mais produtos com ofertas nesta situação foi o das Casas Bahia, com problemas em 23 ofertas: 11 eletrodomésticos, seis smartphones, quatro TVs, um tablet e um notebook. Uma Smart TV LED 48” Ultra HD da Samsung, por exemplo, era vendida pelo site a R$ 3.185. Ontem, em oferta, estava sendo comercializada a R$ 3.399.

 

O monitoramento foi realizado comparando o preço dos produtos em oferta com os valores cobrados por eles nestes mesmos sites há 15 e há 30 dias. Aqueles que apresentavam ofertas falsas foram encaminhados à presidência do Procon Estadual que instaurou processos sancionatórios contra as empresas que praticavam a irregularidade. Não foram encontradas ofertas enganosas nos sites: Americanas.com, Magazine Luiza e Saraiva. O site do Ponto Frio faria parte do evento, mas nenhuma oferta vinculada ao evento foi encontrada.

 

Casas Bahia (23 ofertas irregulares):

 

– Smart TV LED 48” Full HD Samsung. Era vendido há um mês a R$ 2.349. O mesmo produto encontrava – se à venda por R$ 2.499 e era informado que seu preço anterior era R$ 2.799.

 

– Smart TV LED 48” Ultra HD 4K Samsung.Era vendido há um mês a R$ 3.050. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março, na promoção, pelo mesmo preço.

 

– Smart TV LED 49” Ultra HD 4K Toshiba com conversor.Era vendido há um mês a R$ 3.185. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 3.399

 

– TV LED 48” Full HD AOC com conversor. Era vendido há um mês a R$ 1.899. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 1.999 e era informado que seu preço anterior era R$ 2.199.

 

– Fogão Brastemp 5 bocas Clean Maxi. Era vendido há um mês a R$ 1.099. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 1.199 e era informado que seu preço anterior era R$ 1.285.

 

– Fogão Consul 4 bocas com tripla chama e timer analógico. Era vendido há um mês a R$ 829. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 849 e era informado que seu preço anterior era R$ 1.075.

 

– Fogão Consul 4 bocas com timer digital. Era vendido há um mês a R$ 699. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março R$ 799 e era informado que seu preço anterior era R$ 849.

 

– Fogão Itatiaia 4 bocas Dream. Era vendido há um mês a R$ 719. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 748

 

– Fogão Mueller 5 bocas Beníssimo com queimador dupla chama inox. Era vendido há um mês a R$ 839. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março pelo mesmo valor e era informado que seu preço anterior era R$ 929.

 

– Frigobar Electrolux com compartimento Cold Drink. Era vendido há um mês a R$ 897. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 949 e era informado que seu preço anterior era R$ 969.

 

– Lavadora de roupas Brastemp 11kg Ative Smart Wave. Era vendido há um mês a R$ 1.596. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março pelo mesmo preço.

 

– Lavadora de roupas Brastemp 15kg. Era vendido há um mês a R$ 2.099. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março pelo mesmo valor e era informado que seu preço anterior era R$ 2.215.

 

– Lavadora de roupas Consul 11,5kg Facilite. Era vendido há um mês a R$ 1.275. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 1.399 e era informado que seu preço anterior era R$ 1.499.

 

– Lavadora de roupas Electrolux 10kg Turbo Capacidade. Era vendido há um mês a R$ 1.099. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 1.118,40 e era informado que seu preço anterior era R$ 1.438,08.

 

– Lavadora de roupas Mueller Class 6kg Turbilhão automática. Era vendido há um mês a R$ 699. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 979 e era informado que seu preço anterior era R$ 1.099.

 

– Novo Smartphone Samsung Galaxy A5 2016 Duos. Era vendido há um mês a R$ 2.049. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 2.199

 

– Smartphone LG G3 Stylus com tela de 5.5” Dual chip. Era vendido há um mês a R$ 852. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 869 e era informado que seu preço anterior era R$ 1.099.

 

– Smartphone LG G4 com tela de 5.5” Dual chip. Era vendido há um mês a R$ 1.949. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março pelo mesmo valor e era informado que seu preço anterior era R$ 2.205.

 

– Smartphone LG G4 Titanium com tela de 5.5” Dual chip. Era vendido há um mês a R$ 2.014,79. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 2.129

 

– Smartphone LG K10 TV Indigo com 16GB tela de 5.3” Dual Chip HD. Era vendido há um mês a R$ 1.134. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 1.199.

 

– Smartphone Samsung Galaxy J7 Duos com Dual Chip. Era vendido há um mês a R$ 1.499. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março pelo mesmo valor e era informado que seu preço anterior era R$ 1.699.

 

– iPad Air Apple com tela retina WiFi 3G/4G com 16G bluetooth. Era vendido há um mês a R$ 2.014. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março por R$ 869 e era informado que seu preço anterior era R$ 1.099.

 

– Notebook 2 em 1 Touch HP Pavilion. Era vendido há um mês a R$ 3.499. O mesmo produto se encontrava à venda no dia 14 de março pelo mesmo valor.

 

Walmart (7 ofertas irregulares): A expressão ontem, refere-se à véspera da operação realizada no dia 15 de março.

 

– Smartphone Samsung Galaxy J5 Dual Chip. Era vendido há um mês a R$ 999. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 1.049.

 

– Smartphone LG G3 Titânio. Era vendido há um mês a R$ 1.398. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 1.399.

 

– Notebook Acer Intel Celeron 2GB. Era vendido há um mês a R$ 1.449. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

– Computador All In One Acer Inter Core i3 4GB 1TB. Era vendido há um mês a R$ 2.299. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

– Microondas 30L LG. Era vendido há um mês a R$ 408. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 570.

 

– Lavadora de roupas Brastemp Ative. Era vendido há um mês a R$ 1.049. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 1.098,20

 

– Forno a gás 77 litros Brastemp Clean. Era vendido há um mês a R$ 1.298. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 1.398,20

 

Submarino (10 ofertas irregulares):

 

– iPhone 5s 16GB. Era vendido há um mês a R$ 1.999. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

– Smarphone Motorola Moto G 3ª Geração Cores. Era vendido há um mês a R$ 959,30. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 999

 

– Smartphone Samsung Galaxy S5 New Edition. Era vendido há um mês a R$ 1.499. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

– Smartphone Lumia 640 Dual Chip DTV. Era vendido há um mês a R$ 579. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

– Smartphone Samsung Galaxy S6 Edge. Era vendido há um mês a R$ 2.898,99. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 3.100

 

– Smartphone Zenfone Go Dual Chip. Era vendido há um mês a R$ 879,90. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 860

 

– Lavadora Electrolux 15Kg. Era vendido há um mês a R$ 1.499,90. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

– Lavadora e secadora Samsung Siene 10Kg. Era vendido há um mês a R$ 2.799,90. O mesmo produto ontem se encontrava à venda por R$ 2.899,90

 

– Lavadora Brastemp Ative 15,5Kg. Era vendido há um mês a R$ 1.499,90. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

– Geladeira Electrolux com congelador. Era vendido há um mês a R$ 1.219,90. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

Extra (1 oferta irregular):

 

– Smartphone Sony Superia M4 Aqua Dual.Era vendido há um mês a R$ 1.299,90. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

 

Ricardo Eletro (1 oferta irregular):

 

– Ar Condicionado Samsung 12 mil BTUs.Era vendido há um mês a R$ 1.299,90. O mesmo produto ontem se encontrava à venda pelo mesmo valor.

Exoneração polêmica

Azedou de vez o clima entre o prefeito  de Itaguaí,Weslei Pereira, e a agora ex ouvidora Sueli Costa ( Sueli Fernandes).  Sueli, que ficou conhecida na cidade e em especial nas redes sociais, por revelar e protocolar no Ministério Público,  várias denúncias contra o prefeito cassado Luciano Mota, por dezenas de irregularidades no uso de verbas públicas, denúncias aliás que contribuíram e muito para tal cassação, foi exonerada na última segunda – feira 18, após meses de trabalho como ouvidora chefe na prefeitura.

Sueli cobrando uniformes escolares na gestão do ex prefeito Luciano Mota

     Sueli cobrando uniformes escolares na gestão do ex prefeito Luciano Mota

Sueli também acampou na Câmara dos Vereadores da cidade, cobrando deles a postura fiscalizadora ao Executivo na época

Sueli também acampou na Câmara dos Vereadores da cidade, cobrando deles a postura fiscalizadora do Executivo na época

Segundo Sueli em seu perfil no Facebook, sua exoneração foi motivada por ela ter acatado denúncia de indícios de irregularidades no que tange a Secretaria de Ordem Publica do Município de Itaguaí. Em seu relato, ela afirma que foi surpreendida em sua sala, ameaçada e obrigada a identificar o responsável por denúncia feita contra tal secretaria. Ainda disse, que fez o relato do ocorrido, registrou e depois enviou ao Gabinete do Prefeito. Por fim, ela alegou que sua exoneração ocorreu porque os denunciados são apadrinhados pelo prefeito Weslei Pereira.

Relato de Sueli em seu perfil no Facebook

                                         Relato de Sueli em seu perfil no Facebook

A ex ouvidora, promete divulgar várias denúncias contra o governo de Itaguaí, e protocolá-las no MP. Além das acusações que fez em seu perfil no Facebook, Costa relatou que existem irregularidades no contrato da empresa Selix, responsável pela coleta de lixo na cidade, com a prefeitura.

 

A ex ouvidora relata que há problemas no contrato da empresa coletora de lixo com a prefeitura

     A ex ouvidora relata que há problemas no contrato da empresa coletora de lixo com a prefeitura

 

Neste relato, Sueli diz que ela fez o pedido de exoneração de seu cargo e não foi exonerada como havia divulgado horas antes

Neste relato, Sueli diz que ela fez o pedido de exoneração de seu cargo e não foi exonerada como havia divulgado horas antes

Seu marido, Ronald Fernandes, havia pedido exoneração meses atrás, pois segundo ele, não estava de acordo com a conduta do trabalho realizado na ouvidoria.

 

A exoneração de Sueli, foi o tema mais comentado nas redes sociais em Itaguaí na última segunda. Muitos apoiando a decisão do prefeito e tantos outros criticando tal decisão. Aliás, a política na cidade de Itaguaí não é nada animadora em um ano eleitoral. Pseudos candidatos às eleições de 2016, não tem conseguido mostrar nada positivo, preferem apenas fazer criticas e ofensas a seus possíveis opositores, através de seus perfis reais, ou até na criação de dezenas de fakes( perfis falsos) e grupos no Facebook para tais atitudes.

 

Resposta do governo de Itaguaí
Procurada, a prefeitura de Itaguaí informou ao Boca, que a postura da ouvidora não condizia com as suas funções, por isso ela não responde mais pelo cargo. Com relação às acusações, a prefeitura relatou que elas são infundadas.