Arquivo da tag: insegurança

Professores e servidores do Ciep 300 são ameaçados dentro da escola

Como se não bastasse os assaltos em unidades de ensino, creches e postos de saúde, servidores vivem sob pressão de alunos e são ameaçados em seu local de trabalho.

Segundo matéria do jornal Atual,professores e servidores do Ciep 300 (Municipalizado), Vicente Cicarino localizado no Bairro Santana na Ponte Preta, denunciam que estão trabalhando sem nenhuma segurança e relatam várias ameaças de alunos. Segundo eles, a violência tomou conta da unidade escolar colocando risco à comunidade escolar.

Eles contam que, recentemente, uma aluna ameaçou uma professora com canivete. Docentes afirmaram também que estudantes fumam maconha durante o período de aula. Além disso, os professores denunciam que seus veículos são alvos de vandalismo, com alguns pneus rasgados e arranhões na pintura dos carros, que seriam frutos de ações de alguns alunos.

O que chama mais atenção na denúncia dos profissionais é o fato de alunos do ensino fundamental estariam praticando sexo nos banheiros do Ciep. Os profissionais também relataram o abandono nas instalações.

De acordo com os professores e os funcionários do Ciep, a Secretaria Municipal de Educação já foi informada sobre as ameaças e que uma professora, que teve o seu automóvel danificado, já fez um boletim ocorrência na delegacia. “Os professores já se reuniram com a direção e registram em ata os fatos ocorridos na escola. As cobranças já foram encaminhadas para Secretaria de Educação. Segundo o órgão, o caso seria avaliado, mas até agora nenhuma providência foi tomada”, contou um funcionário que preferiu não se identificar com medo de represarias.

Fonte: Jornal Atual

Anúncios

Mãe relata detalhes do assalto na Creche Estrela do Céu

Secretaria de Educação de Itaguaí se pronunciou sobre o caso

 

A Creche Municipal Estrela do Céu, localizada no bairro de mesmo nome foi mais uma a ser vítima da insegurança que paira em Itaguaí na última segunda – feira 19/03. Uma das mães de alunos entrou em contato com nosso blog e relatou os momentos de tensão e medo vividos. Os vagabundos, dois ao todo, que participaram do assalto, o fizeram em cerca de 20 minutos. Um deles ficou na porta da creche enquanto o outro vagabundo rendia as pessoas. Ele roubou os celulares dos professores um por um, depois o celular da diretora e por último dos pais que estavam presentes. O bandido chegou a ameaçar atirar nas pessoas que estavam relutando em entregar os aparelhos. Após roubar todos, o desgraçado fugiu junto com seu comparsa em uma moto. Assim que fugiram as crianças começaram a gritar, dando ao local um clima terrível. O vagabundo que rendeu todos era negro de estatura mediana e usava uma camisa da seleção brasileira.

Veja o relato na íntegra

“Dois homens armados entraram na creche do estrela do ceu

Um ficou na porta o outro entro e anunciou o assalto

Ficamos la dentro com ele uns 20 min

Ele roubou um por um professores diretoria os pais

Era moreno estava com uma blusa do brasil

Ele ameacou atirar pq um pai nao quis entregar o telefone

Foi meio que ficamos refens

Ai dps ele foi embora

As criancas comessaram a gritar foi terrivel”

As unidade públicas municipais, entre elas escolas, creches e postos de saúde, contavam com o efetivo da guarda municipal, algo que hoje em dia não mais se vê.

 

Resposta da Secretaria de Educação

Nosso blog já havia tentado contato com a Secretaria de Educação de Itaguaí, para que ela se pronunciasse sobre os recentes assaltos que vem acontecendo em unidades do município. Sobre o fato ocorrido na última segunda – feira a Secretaria de Educação de Itaguaí informou que está adotando as providências necessárias na unidade de ensino e que também a gestora da creche fez o registro da ocorrência na delegacia de polícia.

 

Leia mais:

Mais uma creche é assaltada em Itaguaí

Mãe relata drama vivido em creche assaltada em Itaguaí

Creche em Itaguaí é assaltada

 

Violência impera em Itaguaí

Estupro, assassinatos, pessoas sendo mortas incendiadas e jogadas em bueiro, a cidade está com medo

Há tempos que Itaguaí deixou de ser considerada segura. No entanto nos últimos tempos crimes brutais tem acontecido com maior frequência. Alguns deles ainda merecem maior apuração, mas como a voz do povo é a voz de Deus, vamos aos casos que assustam as famílias itaguaienses.

As mortes de Soraya Medeiros de 31 anos, violentada até a morte em Chapero por um grupo de homens e o atropelamento da travesti Bárbara em janeiro deste ano foram os primeiros de 2016 a assolar a cidade. Em abril, Marta e a filha Priscila foram encontradas mortas no bairro Brisamar, próximo a entrada da Nuclep. Já nesse mês de junho, casos como da  menina Alessandra Andrade que era moradora do bairro Leandro que foi estuprada e estrangulada no bairro Brisamar, a morte de uma mulher que foi jogada no bueiro de uma escola no bairro do Engenho e agora a morte de um homem confundido por bandidos com policial após um suposto sequestro relâmpago dele e de sua esposa que escapou com vida, só aumentam o imenso terror em Itaguaí.

Com tudo isso, vemos que nenhuma autoridade toma uma atitude firme na busca por melhorias na segurança pública. Pelo contrário, um estado falido e sem condições de atender as demandas de saúde, educação e segurança, onde apenas os jogos olímpicos importam, é o pilar da vergonha e do mau caratismo desses políticos sujos que nos governam a níveis desastrosos.

Mesmo sem o interesse e longe da construção do tão comentado batalhão para Itaguaí, a população deve gritar e “botar a cara”,mais do que nunca. O que nos causa revolta, é ver que tudo põe culpa na “crise”. No entanto vemos que a maior crise que temos é a falta de ética e respeito para toda população. A segurança é um dever das 3 esferas de poder, começando pelo municipal, passando pela estadual e chegando a federal. A vergonha na cara tem que ser nossa, da população, que não se importa com os candidatos que elegem e perpetuam a níveis gritantes mandatos de pessoas comprovadamente inescrupulosas.

Enquanto isso, a população teme e procura ficar presa dentro de casa, já que não temos nenhuma autoridade competente que deixe presos os bandidos e não nós, reféns do medo.