Arquivo da tag: extra

Cliente teve pneus de seu carro furtado no Extra Santa Cruz RJ

Hipermercado disse ao Boca que cliente ainda não procurou a loja

Um vídeo divulgado e compartilhado nas redes sociais e que teve intensa repercussão, mostra um cliente que teve dois pneus de seu carro furtado dentro do estacionamento do Hipermercado Extra em Santa Cruz.

No vídeo, ele mostra duas notas fiscais, uma com a compra feita no Extra e outra do abastecimento no posto de combustível que pertence ao Hipermercado e também é no mesmo local. Apesar da repercussão o homem que foi lesado ainda não foi encontrado por nosso blog.

O Boca entrou em contato com o Extra Hipermercados que nos relatou que até o momento o cliente não procurou a filial para relatar o ocorrido. A rede nos informou que o cliente lesado pode procurar a loja até mesmo por seus canais de comunicação, Twitter e Facebook, ou ir diretamente ao Extra Santa Cruz.

No Ceará um cliente foi indenizado após furto de seu veículo

Um cliente que teve seu veículo furtado em outra filial do Extra, só que no Ceará, recebeu uma indenização de R$13,5 mil reais. O carro estava no estacionamento do hipermercado. Em ação na justiça, o Magistrado levou em consideração que a rede de supermercados está revestida de legitimidade para compor o polo passivo da ação, tendo em vista que o evento ocorreu nos limites do estacionamento da empresa. A decisão indenizatória foi dada pelo Tribunal de Justiça do governo do Ceará (TJCE) ano passado, baseado no código de defesa do consumidor.

Anúncios

Tiroteio no estacionamento do Hipermercados Extra em Santa Cruz deixa duas pessoas feridas

Tentativa de roubo a carro forte deixou baleadas uma mulher e uma criança que estavam na praça de alimentação do hipermercado

Quatro homens armados tentaram assaltar um carro forte que estava no estacionamento do Hipermercados Extra em Santa Cruz na tarde desta terça-feira (12/09).

De acordo com a Polícia Militar, na ação, os assaltantes, trocaram tiros com os vigilantes responsáveis pela segurança do carro.  Uma mulher e uma criança que estavam na praça de alimentação foram atingidas,

                    Sangue das vitímas se espalharam pelo corredor que dá acesso a praça de alimentação

       Um carro que fica exposto para venda de consórcio logo na entrada no Hipermercado foi atingido

Não há registro de presos e a ocorrência segue em andamento. Testemunhas disseram que os assaltantes fugiram na direção do bairro Jesuítas. As duas vítimas foram encaminhadas para o Hospital Municipal Dom Pedro II, em Santa Cruz. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o estado de saúde delas é estável.

Procon Estadual autua três supermercados de Nova Iguaçu nesta sexta-feira

Os fiscais do Procon Estadual realizaram na última sexta-feira (12/05) uma nova etapa da Operação Secos e Molhados, que vistoria supermercados. O alvo da ação foram três filiais das redes Extra, Guanabara e Intercontinental localizadas em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Todos os estabelecimentos fiscalizados foram autuados e cerca de 66kg de alimentos impróprios para o consumo foram descartados.

 

Na filial dos Supermercados Guanabara localizada na Avenida Marechal Floriano, 1.552, no Centro de Nova Iguaçu foram encontrados 4kg de pizza de fabricação própria sem especificação de validade na câmara frigorífica, além de 19kg e 800g de linguiça exposta ao contato direto com o consumidor na área de vendas. Na câmara de congelados havia ferrugem nas portas e piso quebrado. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a realização dos reparos.

 

Na câmara de frios do Extra Supermercados da Avenida Nilo Peçanha, 197, foram encontradas 20 unidades, de 200g cada, de apresuntado, vencidas em 6 de maio deste ano. Dentre os produtos expostos na área de vendas, sem barreira de proteção, em contato direto com o consumidor, havia 6kg e 980g de orelha suína, 12kg e 920g de bacon, 9kg e 290g de costela suína e 8kg e 700g de linguiça calabresa. Além disso, não havia no local o alvará de funcionamento e os fiscais deram o prazo de 15 dias para a apresentação do documento na sede da autarquia.

 

Já no Intercontinental da Avenida Marechal Floriano Peixoto, 2.422, os fiscais constataram a presença de palets de madeira na câmara de carnes congeladas do açougue. Foi dado o prazo de 15 dias para a substituição pelos de material adequado às normas sanitárias.

Procon-RJ autua Extra na Barra por carne vencida e adulteração do vencimento do bacalhau

Fiscais do Procon Estadual realizaram uma operação na última segunda-feira (11/07) que vistoriou dois supermercados na Barra da Tijuca, seis bancos e uma filial da Chocolates Cacau Brasil no Centro da Cidade. Dos nove locais fiscalizados, apenas o Supermercado Zona Sul, localizado na Avenida das Américas, 3.665, na Barra da Tijuca, não apresentou irregularidades.
No Supermercado Extra, na Avenida das Américas, 1.510, na Barra, os fiscais encontraram um quilo de carne vencida exposta para venda e foi verificado que o manuseio de peixes é realizado diretamente pelo consumidor em um local sem proteção contra insetos e poeira. Na remarcação de preço do peixe tipo bacalhau, foi constatada a adulteração do seu prazo de validade. Havia 120 embalagens de 200g de alho com buracos. O estabelecimento não possuía certificado de potabilidade da água, que deverá ser apresentado na sede do Procon-RJ em 24 horas. O alvará do estabelecimento estava desatualizado. Um novo documento válido deverá ser apresentado, também na sede da autarquia, em 15 dias. Os fiscais determinaram a limpeza do reservatório de água em até 10 dias. O Livro de Reclamações do supermercado estava totalmente preenchido e não havia outro exemplar disponível para o registro das queixas dos consumidores no momento da fiscalização.
Entre as filiais dos bancos autuados no Centro da Cidade, estavam duas do Itaú e uma da Caixa Econômica Federal, na Avenida Rio Branco; uma do Banco do Brasil e uma do Bradesco na Avenida Visconde de Inhaúma; e outra filial do Bradesco na Rua Beneditinos. Esta última não possuía certificado do Corpo de Bombeiros e deverá apresentá-lo ao Procon-RJ em até 48 horas. A Cacau Brasil da Rua do Acre foi autuada por não possuir preços nos seus produtos expostos na vitrine e no interior da loja.
Balanço da Operação: 
1 – Supermercado Extra (Avenida das Américas, 1.510 – Barra da Tijuca): No setor de peixaria, o manuseio é realizado diretamente pelo consumidor e não há proteção contra insetos e poeira. Foi encontrado na área de venda 1kg de carne bovina salgada vencida em 06/07/2016. Na remarcação de preço do peixe tipo bacalhau, há alteração da validade. Havia 120 embalagens de 200g de alho com buracos. Ausência de certificado de potabilidade da água. Dado prazo de 24 horas para apresentação. Ausência de alvará atualizado. Dado o prazo de 15 dias para apresentação. Ausência de limpeza do reservatório de água. Dado prazo de 10 dias para higienização. Livro de Reclamações totalmente preenchido e não há outro disponível no momento.
2 – Itaú (Avenida Rio Branco, 37 – Centro): Não disponibiliza documentos em Braille.
3 – Caixa (Avenida Rio Branco, 39 – Centro): Não disponibiliza documentos em Braille. Guarda-volumes com defeito. Ausência de escala de caixas e funcionários.
4 – Itaú (Avenida Rio Branco, 18–Centro): Autenticação dos boletos é realizadaem documento apartado.
5 – Bradesco (Rua Beneditinos, 28 – Centro): Ausência de guarda-volumes. Apenas 10 assentos preferenciais. Autenticação mecânica somente em contas e boletos de impostos. Ausência do certificado do Corpo de Bombeiros.
6 – Banco do Brasil (Rua Visconde de Inhaúma, 74): Tempo de espera para atendimento de 31 minutos. Não disponibiliza documentos em Braille.
7 – Banco Bradesco (Rua Visconde de Inhaúma, 134): Autenticação mecânica de boletos em documento apartado.
8 – Chocolate Cacau Brasil (Rua do Acre, 40): Ausência de preços nos produtos expostos na vitrine e interior da loja.

Hipermercado Extra de Santa Cruz, problemas e desrespeito com os clientes

Vidros de freezers quebrados e mal atendimento são alguns dos problemas

Não é de hoje que o Hipermercado Extra de Santa Cruz, mostra sua total incapacidade de obedecer as regras dos direitos do consumidores.

Fizemos uma visita ao local na última semana e nos deparamos com problemas já detectados anteriormente. No entanto o que mais nos espantou foi ver que coisas simples de serem resolvidas permanecem sem soluções.

Ao andar pelo mercado, vimos alguns freezers com vidros quebrados como nas imagens abaixo. Os produtos ali armazenados, ficam mais vulneráveis a estragarem pós compra, o consumidor ser surpreendido ao chegar em casa ou ainda ver o produto se estragar antes do término do prazo de validade. Além claro, da total falta de higiene.

Slide3

         Sem vidro no meio do freezer, riscos de contaminação e chances maiores do produto estar estragado

Slide4

                                                                               Frangos expostos

 

O mesmo problema foi detectado na geladeira onde se armazena alguns iogurtes.

Slide5

                           Iogurtes e margarinas expostas ao calor pela ausência de um dos vidros

Mas, o local não se limita a problemas como já citados. O despreparo e a falta de respeito dos fiscais dos caixas com os clientes, é algo gritante. Tivemos a oportunidade de encarar uma grande fila em um dos caixas. Após finalmente chegar a vez de sermos atendidos, simplesmente uma fiscal assumiu o caixa da operadora que ali estava e começou a fazer a “sangria” do caixa. Sangria é quando se faz a contagem do total de dinheiro arrecadado. Ficamos aguardando 10 minutos e nenhum aviso foi nos dado. Até que resolvemos perguntar o motivo da paralisação do atendimento. A fiscal, se limitou de cabeça baixa a dizer que o processo ainda demoraria um bom tempo. Nos parece que ali, tais fiscais não sabem que antes de paralisar um caixa, deve-se ter um aviso prévio ao consumidor. Vemos em outros mercados, inclusive nos menores, recados no carrinho do último cliente da fila com o dizer “caixa fechado”, como forma de sinalizar que o cliente a seguir deve procurar outro caixa.

Como tal processo iria demorar, perguntamos a funcionária se poderíamos ir a outro caixa para sermos atendidos. A resposta foi sim, no entanto ela nos disse que teríamos então que enfrentar toda a fila novamente. Assim o fizemos e quando chegou nossa vez, novamente o caixa foi fechado para ser feito sangria. Com toda a educação que temos, diferente de tais fiscais, perguntamos se demoraria. A resposta foi novamente sim. Daí solicitamos falar com o gerente. Ao invés do gerente vir até nós, tivemos que sair da fila para falar com o mesmo num balcão de atendimento. Após irmos ao local, uma funcionária de tal balcão, nos informou que o gerente do caixa central estava ausente, nos dizendo que deveríamos procurar uma fiscal em especifico. Ou seja, o nosso problema foi o tempo todo com dois fiscais e a eles é que nós tínhamos que procurar. Relatamos então a uma fiscal os problemas e ela se limitou a responder abaixando a cabeça de forma a concordar conosco e nada além disso.

Moral da história, não levamos os produtos adquiridos e nenhum responsável nos atendeu.

É dever do fornecedor nas relações de consumo manter o consumidor informado permanentemente e de forma adequada sobre todos os aspectos da relação contratual. O direito à informação visa assegurar ao consumidor uma escolha consciente, permitindo que suas expectativas em relação ao produto ou serviço sejam de fato atingidas, manifestando o que vem sendo denominado de consentimento informado ou vontade qualificada.

Artigos relacionados: art. 6º, inciso III; art. 8º; art. 9º e art. 31, do CDC.

Tentamos entrar em contato com as lojas Extra, mas não obtivemos resposta até o fechamento da matéria.

 

Tem alguma denúncia como esta ou outras?

Vigilância Sanitária

http://www.saude.rj.gov.br/vigilancia-em-saude/99-vigilancia-sanitaria/18285-denuncias.html

Procon -RJ

http://www.procononline.rj.gov.br/

LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990.

Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8078.htm

http://www.soleis.com.br/ebooks/1-todos0.htm

Exerça o seu direito

 

 

Trabalho extra e bolso vazio

Um comunicado emitido pela secretaria de ordem pública do município de Itaguaí, confirma as dezenas de denuncias que recebemos, e estávamos averiguando a sua veracidade.

No comunicado, a secretara informa aos trabalhadores contratados, que não há previsão para a remuneração extra dos serviços prestados na Expo Itaguaí 2015. Os servidores contratados, que ganham menos que os efetivos, trabalharam todos os dias do evento e agora são desrespeitados de forma grosseira, sem sequer uma previsão para receberem pelo esforço dedicado ao governo que agora parece deixá-los para escanteio.

Os trabalhadores, assumiram um compromisso com o governo ao qual prestam serviços, sem que eles tivessem a obrigação de trabalharem nesses dias, afinal, todo o extra é facultativo a qualquer tipo de servidor em nosso país. Mas, o governo parece não ter tido o mesmo compromisso para com essas pessoas.

Apresentação1

É algo inadmissível,  pessoas trabalharem e não receberem algo de direito. O governo do ex prefeito Luciano Mota, deixou essas e outras pessoas, também sem receber pelo extra do mesmo evento em 2014. Será que estamos vivendo o mesmo filme?