Arquivo da tag: estupro

Inspetor de colégio de Seropédica é preso em Itaguaí acusado de estupro de um adolescente de 13 anos

Fotos e vídeos de crianças nuas em cenas de sexo, foram encontradas em seu computador

Cleber Costa, 40 anos, foi capturado, na última terça-feira (09/05), por policiais da 48ª DP – Seropédica, na Rua Ary Parreiras, em Itaguaí. Cleber, que tinha um mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara da Comarca de Seropédica, é acusado de ter praticado de forma livre e consciente atos libidinosos contra um aluno de apenas 13 de idade. O acusado é inspetor de alunos de uma escola em Seropédica e segundo as investigações, vários materiais pornográficos foram encontrados em sua residência. Após analise de fotos e vídeos de crianças nuas e em cenas de sexo, armazenadas em seu computador pessoal e no celular, os agentes localizaram o criminoso na Rua Ary Parreiras, em Itaguaí e efetuaram sua prisão. Se condenado, Cleber terá uma pena de no mínimo 8 anos em regime fechado.

FOTO DIVULGAÇÃO/PCERJ

 

Polícia investiga estupro de jovem de 13 anos no Recreio dos Bandeirantes

Uma adolescente de apenas 13 anos teria sido estuprada por um homem armado com uma faca em uma alameda, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste na cidade. O crime ocorreu na noite da última quarta-feira (22), quando a jovem saía de uma escola de dança que fica no bairro, segundo o relato da vítima à Polícia Civil. As informações foram confirmadas pela delegada titular da 42ª DP (Recreio), Carolina Salomão.

A menina foi abordada pelo criminoso na Alameda Sandra de Faria Alvim, próximo à Praça Carlos Gardel. O local onde a menina foi atacada é uma área cheia de árvores e mato, como se fosse um bosque e há anos moradores pedem que a iluminação do local seja trocada.

 

O mesmo homem também teria atacado outra moradora há 15 dias. Ela estava passeando com dois cachorros. Ele a abordou e chegou a ameaçar matar um dos cães.

De acordo com a polícia, um procedimento foi instaurado e as investigações estão em andamento para apurar as circunstâncias e autoria do fato.

Imagens de câmeras de segurança na região foram solicitadas. A Polícia Civil informou que a vítima foi encaminhada ao Instituo Médico Legal (IML) para a realização de exame de corpo de delito.

Procurada pelo G1, a família da adolescente preferiu não se pronunciar sobre o caso, pois a adolescente está ainda com muito medo.

Número de estupros triplica na região

De acordo com os últimos números apresentados pelo Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP), de abril deste ano, na área de policiamento do 31º BPM (Recreio), foram registrados dez estupros na região. No mesmo mês do ano passado, foram três casos registrados nas delegacias da área: 16ª DP (Barra da Tijuca) e 42ª DP (Recreio).

Apesar disso, se comparados os primeiros trimestres de 2015 e 2016, foram registrados sete ocorrências a menos, de 20 para 13. Ainda assim, o número de estupros registrados nos três primeiros meses de 2016 chega a 1.115 casos.

Punição precisa ser ‘exemplar’

No último dia 17, a Polícia Civil concluiu inquérito sobre o caso de estupro coletivo sofrido por outra adolescente, de 16 anos, também na Zona Oeste do Rio. O caso ocorreu no Morro da Barão. Ao final das investigações, sete pessoas foram indiciadas pelo crime.

A Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) esteve à frente do caso e a delegada titular da especializada, Cristiana Bento, disse à época que esperava que os envolvidos apontados pela polícia fossem punidos “de forma exemplar” pela Justiça”.

“A gente espera que a pena seja exemplar para que isso não volte a existir”, afirmou.

Mulheres vão as ruas contra a violência em Itaguaí

Na proxima sexta – feira, às 18 horas no calçadão de Itaguaí, será dado “gritos de socorro” contra a violência e a impunidade de criminosos que tem cometido atrocidades com as mulheres no município. Jovens estupradas e assassinadas como o caso de Alessandra Andrade, tem sido uma constante. Pela internet, muitos moradores já dizem ter identificado um homem que poderia ser um dos responsáveis por casos de estupro recentes. Todos os dias, vários relatos apontam para novos casos e a apreensão toma conta de toda cidade.

A caminhada será um pontapé inicial da resposta da população contra o caótico sistema de segurança de Itaguaí.

Delegacia conclui investigação sobre estupro coletivo e indicia sete

Extra

A Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) divulgou, nesta sexta-feira, o resultado da investigação de um estupro coletivo denunciado por uma jovem de 16 anos. Sete pessoas foram indiciadas pelo crime que ocorreu no Morro da Barão, na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio. Entre o material analisado pelos peritos estavam imagens encontradas no celular de Raí de Souza, de 22 anos, um dos suspeitos do crime, que está preso.

— É um crime que chocou o Brasil e vai fazer história pela forma como foi praticado. A polīcia trabalha com prova técnica. Chegamos a sete indiciados — disse a delegada Cristiana Bento, titular da Dcav.

A delegada pediu a prisão preventiva de seis indiciados: Raí de Souza; Sérgio Luiz da Silva Júnior, o Da Russa; Moisés Camilo de Lucena, o Canário; Michel Brazil da Silva; Marcelo Miranda da Cruz Correa; e Raphael de Assis Duarte Belo. Para o sétimo inidiciado, Perninha, que é menor de idade, a delegada fez o pedido de busca e apreensão.

Dos sete indiciados, quatro teriam mantido relações sexuais com a adolescente: Raí, Raphael, Perninha e Canário. Da Russa não manteve relações com a jovem, mas também vai responder pelo crime de estupro de vulnerável. Os outros três vão responder pela produção e divulgação de imagens indevidas da jovem.

O jogador de futebol Lucas Perdomo Duarte teve sua inocência comprovada e não vai responder por nenhum crime.

A partir de interceptações telefônicas, a polícia descobriu que um personagem identificado como “Jefinho” foi criado apenas para tentar atrapalhar as investigações.

— Em um grampo, Raí conversa com Raphael (Duarte Belo, de 41 anos, que está preso). Este diz para contar à polícia que foi Jefinho que filmou (a jovem). Mas, na verdade, quem participou do vídeo foi o traficante Perninha — explicou Cristiana.

image

Outros dois inquéritos foram abertos na Dcav para identificar outros possíveis estupradores. Também foi aberto um inquérito na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) para identificar os traficantes da Barão e a participação de Raí no tráfico.

image

Entenda o caso

Na manhã do dia 21 de maio deste ano, a garota de 16 anos saiu de um baile funk com Raí, outra menina e o jogador de futebol Lucas Perdomo — que chegou a passar uma noite na cadeia mas teve a prisão revogada. O grupo, que teria consumido álcool e drogas no baile, seguiu para uma casa no Morro da Barão.

Raí, Lucas e a garota deixaram o imóvel. A vítima do estupro, desacordada, permaneceu na casa, onde foi encontrada pelo traficante Moisés Camilo de Lucena, o Canário, de 28 anos. Ele levou a jovem para outro imóvel, conhecido como “abatedouro”.

A garota foi abusada por um grupo de seis a oito traficantes, incluindo Canário. Na noite do dia seguinte (22), outro grupo submeteu a jovem a uma nova sessão de abusos sexuais.

Ainda na noite do dia 22, Raí, Raphael e outro homem teriam abusado da adolescente, além de gravarem vídeos e tirarem fotos. As imagens foram divulgadas na internet.

Matéria Jornal Extra

Vídeo em celular mostra que vítima implorou para não ser estuprada

Traficantes teriam obrigado moradores a participar de manifestações contra a jovem

Perícia no celular de Raí de Souza, jovem de 22 anos que gravou a violência ocorrida contra a menina de 16 anos no Rio, revelou que a vítima implorou para que parassem. A adolescente foi estuprada duas vezes e humilhada com xingamentos. Uma vez às 7h de sábado, 21 de maio, e outra às 19h do domingo, 22 de maio — foram 36 horas nas mãos dos criminosos. Há indicações de que traficantes teriam obrigado moradores a participar, dias depois, de manifestações contra a jovem.

A outra gravação, de acordo com reportagem do jornal Extra, mostra as cenas da violência. Em algumas delas, os homens introduzem objetos nas partes íntimas da jovem desacordada. O laudo completo do celular de Raí será divulgado nesta segunda-feira (6).

 

Raí tinha informado anteriormente que o celular havia sido jogado fora, mas o aparelho estava guardado na casa de um amigo, em Madureira. Ele e Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, que aparece no vídeo fazendo uma selfie com a vítima, continuam presos.

O novo vídeo comprovou ainda a participação de Moisés Camilo de Lucena, conhecido como Canário, e Jefinho, que estão foragidos. Lucas Perdomo Duarte dos Santos, jogador do Boavista Sport Clube de Saquarema, deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó na sexta-feira, mas ainda é investigado.

Fonte: O Dia

Polícia afirma que jovem de 16 anos foi estuprada ‘em ao menos dois momentos’

Em nota divulgada neste sábado (4), a Polícia Civil do Rio concluiu que a jovem de 16 anos vítima de estupro no morro da Barão, na zona oeste do Rio, “foi abusada em, ao menos, dois momentos”.

Os crimes aconteceram depois que a adolescente saiu de um baile funk na comunidade, na manhã do sábado (21), acompanhada de uma amiga e de Raí de Souza, 22, e de Lucas Perdomo, 20. Os quatro foram a uma casa abandonada. Souza teve relação sexual com a jovem, e Perdomo, com a outra menina do grupo. 

Pela manhã, os três saíram mas a jovem continou na casa, por estar cansada. Suspeita-se que ela estivesse sob o efeito de drogas. Um grupo de criminosos da região teria encontrado a jovem desacordada e decidiu levá-la para outra casa, conhecida como “abatedouro”.

A polícia afirma que o traficante Moisés Lucena, o Canário, foi quem carregou a adolescente para o imóvel. Na segunda casa, a jovem teria sido violentada pelos criminosos que a levaram e por outros que passavam pelo local e se juntaram ao grupo. 

À noite, ela foi encontrada por Souza e pelo ex-paraquedista Raphael Belo, 41, que estavam acompanhados do traficante conhecido como Jefinho. Neste momento o vídeo divulgado na internet foi gravado. Na gravação, três homens aparecem no quarto com a adolescente desacordada e um deles toca nas partes íntimas da garota.

Laudo do caso de estupro coletivo não aponta indícios de violência

image

Laudo foi feito apenas 4 dias após o ocorrido

O programa Bom Dia Rio, da TV Globo, informou na manhã desta segunda-feira, 30, que o laudo da perícia sobre o caso do estupro coletivo a uma menina de 16 anos, ocorrido na zona oeste do Rio de Janeiro, não apontou indícios de violência. Segundo o noticiário, o resultado ocorreu por causa da demora da vítima em fazer o registro na polícia e o exame de corpo de delito. O laudo será divulgado na tarde desta segunda-feira pela Polícia Civil.

Desde a madrugada desta segunda-feira, a Polícia Civil realiza buscas para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão contra seis acusados de participar do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos, no Morro do Barão, na Praça Seca, zona oeste do Rio de Janeiro. A ação é coordenada pela delegada Cristiana Onorato, da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), pelo diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada, Ronaldo de Oliveira

Neste domingo, 29, houve troca de delegados que cuidavam do caso. Cristiana Onorato, da DCAV, substituiu o delegado Alessandro Thiers, titular da Delegação de Repressão aos Crimes de Informação (DRCI). Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, “a medida visa evidenciar o caráter protetivo à menor vítima na condução da investigação, bem como afastar futuros questionamentos de parcialidade no trabalho”.

A mudança atende ao pedido da advogada da vítima, Eloísa Samy Santiago, que recorreu à Justiça do Rio e ao Ministério Público, com o argumento de que a adolescente foi intimidada pelo delegado durante os depoimentos prestados na última sexta-feira, 27.

Em entrevista neste domingo ao Fantástico, da TV Globo, a adolescente declarou que está recebendo ameaças pela internet e que se sentiu desrespeitada na delegacia onde prestou dois depoimentos.

“Quando vim à delegacia, não me senti à vontade em nenhum momento. Acho que é por isso que as mulheres não fazem denúncias”, disse a adolescente. Ao explicar o que aconteceu na delegacia, a jovem afirmou: “Tentaram me incriminar, como se eu tivesse culpa por ser estuprada”.

No mesmo dia, a família decidiu dispensar a advogada Eloísa, que defendia a adolescente no caso. Ela será protegida pelo Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte, da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, em parceria com o governo federal.

O laudo da perícia sobre o caso do estupro coletivo ocorrido no Rio não apontou indícios de violência, informou o “Bom Dia Rio” nesta segunda-feira. Segundo o telejornal, isso ocorreu por causa da demora da vítima, uma jovem de 16 anos, em acionar a polícia e fazer o exame – o laudo foi feito quatro dias após o estupro. Além do corpo de delito, foi feita também uma perícia no vídeo divulgado nas redes sociais. O chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, falou sobre este último exame em entrevista ao “Fantástico”:

Não dói o útero e sim a alma’, diz menina vítima de estupro coletivo

Trinta e três homens são procurados por participação no estupro. Polícia já pediu a prisão de quatro suspeitos.

image

A adolescente de 16 anos que foi vítima de um estupro coletivo em uma comunidade da Zona Oeste do Rio voltou a fazer um desabafo nas redes sociais. Diante de tantas mensagens de apoio e solidariedade, a jovem acrescentou a mensagem: “Todas podemos um dia passa e por isso .. Não, não doi o útero e sim a alma por existirem pessoas cruéis sendo impunes !! Obrigada ao apoio”, disse a menina, que na manhã desta sexta (27) também aderiu à campanha na rede social pelo “fim da cultura do estupro”.

Na noite desta quinta (26), ela já havia feito um agradecimento na internet. “Venho comunicar que roubaram meu telefone e obrigada pelo apoio de todos. Realmente pensei que seria julgada mal”. De acordo com relatos da vítima, 33 homens armados teriam participado do crime

image

.

A polícia já pediu a prisão de quatro homens. Um deles é Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, com quem a adolescente tinha um relacionamento, Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos, Michel Brazil da Silva, de 20, e Raphael Assis Duarte Belo, de 41. Segundo a família da menina, o rapaz que a menina conheceu na escola e com o qual ela já havia tido um relacionamento, teria agido premeditadamente.

“Um deles é namorado dela, tinha sido namorado dela, que ela conheceu na escola. E isso foi uma vingança dele. Ele fez isso com ela e chamou mais 30 para fazer o mesmo. O pai dela nem aguenta falar que chora muito. Um ser humano que é capaz de fazer isso com uma menina de 16 anos só, cheia de sonho, né? E eles fazem isso. A família está assim, sem palavras”, lamentou.

A polícia pede que qualquer pessoa que tenha informações sobre um dos suspeitos de participação nesse crime entre em contato com o Dique-Denúncia através do telefone 2253-1177.

A família da adolescente disse que a família ainda se sentiu aliviada pela vida da garota ter sido poupada. “Esse agente comunitário que veio trazê-la [para casa] eu acho que ele foi uma pessoa que salvou a vida dela, porque eles iriam matá-la. Porque é isso que eles fazem, né. Não é normalmente a história que a gente conhece? Eles estupram e matam”, disse a parente da adolescente.

A polícia já identificou pelo menos quatro homens envolvidos no crime. A adolescente de 16 anos foi estuprada no sábado (21) numa comunidade da Zona Oeste. Em depoimento à polícia, ela disse que foi até a casa de um rapaz com quem se relacionava há três anos. Ela se lembra de estar a sós na casa dele e só se lembra que acordou no domingo, em uma outra casa, na mesma comunidade, com 33 homens armados com fuzis e pistolas. Ela destacou que estava dopada e nua.

A garota retornou para casa na terça-feira (24). “Ela chegou descalça, descabelada, com aspecto de que tinha se drogado muito e com uma roupa masculina toda rasgada. Provavelmente eles deixaram ela nua e ela vestiu aquilo pra vir em casa”, contou a parente. A família teria questionado a menina o que havia acontecido, mas ela não revelou nada.

n

image

Ainda na terça-feira, segundo contou a pessoa da família, menina teria voltado à comunidade para tentar reaver seu celular, que foi roubado. Um agente comunitário foi quem a acolheu, ao perceber como ela estava, e a conduziu para junto da família novamente.

A família só soube do estupro na quarta-feira (25), quando fotos e vídeos exibindo a adolescente nua, desacordada e ferida estava sendo compartilhado na internet pelos agressores, que ironizam o próprio crime.

“Eu a mãe, a gente chora quando vê o vídeo. O pai dela não aguenta falar que chora muito. Nosso sentimento é de tristeza, de indignação, estamos estarrecidos de ver até que ponto chega a maldade humana, né. A família está, assim, sem palavras, consternada”, desabafou a avó da garota. A ouvidoria do Ministério Público recebeu mais de 800 denúncias sobre esse caso.

Nesta quinta-feira (26) a adolescente foi ao médico e tomou um coquetel para evitar doenças sexualmente transmissíveis. A Secretaria Municipal de Saúde disse que ela vai ter acompanhamento psicológico.

A OAB do RJ disse, em uma nota de repúdio, que um ato repulsivo como este nos mostra que precisamos combater diariamente a cultura do machismo. A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal divulgou uma nota pedindo rapidez e rigor na identificação de todos os envolvidos.

Vídeo que expõe mulher nua após suposto estupro revolta internautas

Imagens, que circularam na web nesta quarta-feira, mostram detalhes do corpo da vítima. Polícia investiga o caso
Ig

Um vídeo chocante e que causa repulsa compartilhado por um brasileiro no Twitter, nesta quarta-feira, gerou revolta e mobilização na web. Em seu perfil, um rapaz que se identifica como Michel, morador do Rio de Janeiro, publicou uma gravação feita do corpo nu de uma mulher desacordada aparentemente após ser vítima de estupro.

O vídeo ainda mostra em detalhes os seios e o órgão sexual da garota. Achando graça da situação, ele ainda escreveu: “Amassaram a mina, intendeu ou não ou não intendeu? Kkk” (sic). Imediatamente, internautas começaram a denunciar a publicação e postar mensagens em repúdio ao usuário.  

Isso é estupro de vulnerável e sem necessidade de ser compartilhado”, “E ainda dizem que o feminismo é desnecessário. Não me calo porque amanhã ou depois pode ser eu” e “E meso que não tenha sido ele, espalhar esse tipo de material também é crime” foram alguns dos comentários.

Uma internauta ainda tenta alertar o usuário sobre o risco de sua atitude: “Apaga isso, Michel”. Mas ele responde: “Caiu na rede, pô, deixa rolar kkkk”. Mais de dez horas após a publicação do vídeo, o perfil de Michel foi suspenso, mas isso não é suficiente para formalizar uma denúncia contra o usuário.

Em nota, a Policia Civil informou que as denúncias e demais informações foram encaminhadas à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI).

Fonte: Ig

Polícia prende homem que tentou estuprar uma mulher no Jardim América em Itaguaí

Durante patrulhamento policias do 24º BPM (Queimados), foram abordados por pedestres que pediram socorro e indicaram que estava ocorrendo algo de estranho dentro de um Fiat Pálio verde na calçada próxima a rodoviária de Itaguaí.

Ao se aproximar, os policias avistaram uma senhora(vítima de tentativa de estupro e assalto) no interior de seu veículo e que após gritos de socorro o acusado (Gabriel Max Moreno Maria 19 anos e morador do conjunto João XXlll, em Santa Cruz) empreendeu fuga mas foi capturado próximo ao  local, após a vitima  fornecer as características do meliante como: alto, negro e com a camisa do Flamengo.

Gabriel foi levado para a 48ª DP em Seropédica, onde foi feito um registro de ocorrência. Em seguida ele foi autuado nos artigos 157 e 14 do Código Penal e preso.

24 bpm

5ª cia

Vtr 547494

C24/7

Guarnição: 2 sgt Murras e CB M.Bruno

Bopm:1846995

Ro:048.3082/2015

Autuação: Art 157 e 14 do C.P.

Início: 10:30h Término: 15:00h

Informações: 5ª CIA – Itaguaí 3ª CPA – 24º BPM

 

Drogas são encontradas em terreno baldio no Sase

Slide5

Os policias do 24º BPM, em patrulhamento, tiveram a atenção voltada para um terreno baldio onde foi feita busca no local e foi encontrado uma sacola contendo 193 cápsulas de pó branco; 129 trouxinhas de pó branco; 16 potes de pó branco e 7 tabletes de maconha. O caso foi enviado para a 50ª DP Itaguaí para apreensão .

Slide7

3°cpa

24°bpm

5°cia

Setor: Hotel: VTR 54-7874

3°sgt Fernandes

Cb Carneiro

RO:4998

BOPM 1636595

Cód. 00.064

Informações: 5ª CIA – Itaguaí – 3ª CPA 24º BPM Queimados.