Arquivo da tag: estadual

Estado abrirá mais vagas para ensino médio em período integral

Vagas serão disponibilizadas em 36 colégios; Dois em Itaguaí. Matrículas vão até o  dia 9 de janeiro

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro deu um grande passo na área de Educação. Através de parceria da Secretaria de Estado de Educação com o Ministério da Educação (MEC). A partir de 2017, 36 escolas em 26 municípios, sendo 25 delas CIEPs (Brizolões), ofertarão Ensino Médio em tempo integral, que estarão vocacionadas ao ensino do Empreendedorismo. As matrículas deverão ser feitas, entre os dias 26 de dezembro e 9 de janeiro, nas próprias escolas.

“O anúncio está sendo feito hoje à tarde pelo MEC, em Brasília, e essas escolas ofertarão ensino profissional em tempo integral. Nessas unidades que se juntam a outras unidades da rede estadual que já oferecem o ensino integral, os alunos terão carga horária adicional de disciplinas como Matemática, Português e Inglês, além de ter em sua matriz curricular disciplinas vocacionadas ao Empreendedorismo, que contribuirão, ainda, para a vida profissional dos estudantes”, disse o secretário  de Educação, Wagner Victer.

Entre as 36 unidades de ensino contempladas com o Programa, nos colégios estaduais Chico Anysio, Brigadeiro Castrioto, Chequer Jorge, Almirante Barão de Teffé, e os Cieps Professor Haroldo Teixeira Valladão e Dom Martinho Schlude, que já ofertam Ensino Médio em horário integral, as inscrições terminam no próximo dia 22, por meio do site Matrícula Fácil (www.matriculafacil.rj.gov.br). Nas 30 demais, as matrículas deverão ser feitas entre os dias 26 de dezembro e 9 de janeiro, nas próprias escolas.

Confira as novas unidades que farão parte do programa de fomento à implementação de escolas em tempo integral por região:

Baixada Fluminense

Ciep 208 – Alceu Amoroso Lima – Duque de Caxias, bairro Jardim Primavera

Ciep 031 – Lírio do Laguna – Duque de Caxias, bairro Laguna e Dourados

Ciep 356 – Augusto Ruschi – Nova Iguaçu, bairro Jardim Paraíso

Ciep 200 – Recanto dos Colibris – Nova Iguaçu, bairro Jardim Boa Esperança

Ciep 317 – Aurélio Buarque de Holanda – Nova Iguaçu, bairro Caioaba

Ciep 324 – Mahatma Gandhi – Nova Iguaçu, bairro Aliança

Ciep 383 – Máximo Gorki – Nova Iguaçu, bairro Marapicu

Colégio Estadual Armando Dias – Japeri, bairro Nova Belém

Colégio Estadual Marechal Zenóbio da Costa – Nilópolis, bairro Olinda

Colégio Estadual Joaquim Leitão – Magé, bairro Santo Aleixo

Ciep 329 – Juan Martinho Carrasco – Itaguaí, bairro Brisamar

Ciep 498 – Irmã Dulce – Itaguaí, bairro Chaperó

Ciep 500 – Antônio Botelho – Paracambi, bairro BNH

São Gonçalo

Colégio Estadual Ministro José de Moura e Silva – São Gonçalo, bairro Rocha

Ciep 240 – Professor Haroldo Teixeira Valladão – São Gonçalo, bairro Almerinda

Itaboraí

Ciep 129 – José Maria Nanci – Itaboraí, bairro Venda das Pedras

Ciep 426 – Eduardo Ribeiro de Carvalho – Itaboraí, bairro Quissamã

Ciep 424 – Pedro Amorim – Itaboraí, bairro Visconde de Itaboraí

Rio de Janeiro

Colégio Estadual Chico Anysio – Rio de Janeiro, bairro Andaraí

Niterói

Colégio Estadual Brigadeiro Castrioto – Niterói, bairro São Lourenço

Região do Médio Paraíba/Sul

Ciep 310 – Professora Alice Aiex – Barra do Piraí, bairro Parque São Joaquim

Ciep 292 – Professora Jandyra Reis de Oliveira – Barra Mansa, bairro Ano Bom

Ciep 484 – Toninho Marques – Volta Redonda, bairro Belmonte

Ciep 296 – Presidente Benes – Rio Claro, bairro Lídice

Colégio Estadual Antonina Ramos Freire – Resende, bairro Alegria

Ciep 291 – Dom Martinho Schlude – Pinheiral, Centro

Região Norte

Colégio Estadual Nelson Pereira Rebel – Campos dos Goytacazes, bairro Travessão

Ciep 47 0 – Celso Martins Cordeiro – São Francisco de Itabapoana, Centro

Ciep 271 – José Bonifácio Tassara – Conceição de Macabu, bairro Garapa

Região Noroeste

Colégio Estadual Chequer Jorge – Itaperuna, bairro Vinhosa

Colégio Estadual Almirante Barão de Teffé – Santo Antônio de Pádua, Centro

Região Serrana

Ciep 137 – Cecília Meireles – Petrópolis, bairro Correas

Ciep 281 – Gabriela Mistral – Petrópolis, bairro Posse

Região dos Lagos

Ciep 258 – Astrogildo Pereira – Saquarema, Bacaxá

Ciep 262 – Curvelina Dias Curvello – São Pedro da Aldeia, bairro Porto do Carro

Região Centro-Sul

Colégio Estadual José Fonseca – Valença, bairro Morro Grande

 

Anúncios

Rio registra 14 mortes decorrentes de H1N1

Slide5

A gripe H1N1 já matou 14 pessoas no Rio de Janeiro até o momento. A Secretaria de Estado de Saúde informou ontem (19) que 42 casos notificados foram confirmados por exames laboratoriais. De acordo com o subsecretário estadual de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe, os dados, por enquanto, descartam a possibilidade de epidemia no estado. “Parte significativa da população já está imunizada pelas campanhas anteriores, o número de casos, quando comparados com outros estados, como São Paulo, ainda é pequeno”, afirmou.

 

São Paulo registra quase 100 mortes ocasionadas pela doença. “Mas obviamente estamos reforçando o alerta por conta da proximidade com São Paulo e da aproximação do período de sazonalidade da doença, que é agora, no meio do ano”, disse o subsecretário.

 

Uma das vítimas mais recentes do H1N1, no Rio, foi Lia Márcia Lorete, 48 anos, moradora da cidade de Teresópolis, região serrana, que faleceu no último sábado (16). A jornalista Adriana Lorette Carnaval, prima de Lia, disse que a piora no quadro de saúde de Lia, dos primeiros sintomas ao óbito, durou cerca de duas semanas.

 

“Ela começou com dor de garganta, gripe. Como não tinha plano de saúde, pagou uma médica, que a orientou a se hidratar em uma Unidade de Pronto Atendimento. Chegando lá, a UPA estava lotada e ela estava tão debilitada que resolveu voltar para casa”, contou. “Isso foi no dia dez. Na segunda-feira (11) ela foi internada em um hospital particular, na UTI, pois já estava com insuficiência respiratória. Os rins entraram em colapso. Na quinta, ela teve uma complicação pulmonar e o coração começou a apresentar dificuldades. Ela veio a falecer no sábado às 5h”, informou.

 

Uma equipe da Secretaria de Saúde confirmou o diagnóstico de H1N1 na quarta-feira, e foi dado o Tamiflu, remédio antiviral, ao marido e demais pessoas que tiveram contato com Lia.

 

A data da vacinação de crianças de 6 meses a 5 anos, grávidas e pacientes renais crônicos, considerados grupo de risco, foi antecipada para 25 de abril, cinco dias antes do início oficial da campanha nacional.

 

A partir de 30 de abril, os demais grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde vão ser imunizados: idosos, outros pacientes crônicos, indígenas, mulheres com até 45 dias de pós parto e profissionais de saúde. A expectativa é vacinar cerca de 80% das 4 milhões de pessoas que fazem parte dos grupos mais vulneráveis.

fonte: JB

Professores estaduais decidem pela continuação da greve no Rio

Slide4

Em greve desde 2 de março, os professores da rede estadual do Rio de Janeiro decidiram hoje (14) pela continuação da greve, em assembleia geral, no centro da capital fluminense. Milhares de pessoas participaram da votação na sede da Escola de Samba São Clemente. Nova assembleia foi marcada nova assembleia para segunda-feira (19), às 10h, e um ato em frente à Assembleia Legislativa do Rio, às 14h.

Segundo com o coordenador do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), na capital, Armindo dos Santos, a greve ganhou mais força, ontem, depois que o governador em exercício, Francisco Dornelles, anunciou que não pagará os salário dos aposentados que recebem mais de R$ 2 mil líquidos.

O professor ressaltou que a adesão da categoria passa de 70% e que a pauta de reivindicações inclui, não apenas a questão econômica, como também a pedagógica. “São as condições de trabalho, melhores condições de estudos para os nossos alunos, eleição direta para diretor de escola”, disse, ao comemorar a participação dos alunos na greve.

Estudante de escola pública, Taiane Vinhas fez questão de prestar apoio aos professores na assembleia. “A educação está precária e se ficarmos parados não vamos avançar. A educação deve ser prioridade. Não podemos permitir que nos transformem em estudantes medíocres”, afirmou

A mobilização dos estudantes do Rio de Janeiro já completou um mês. Ao todo, 37 escolas públicas foram ocupadas até o momento por alunos como instrumento de pressão ao governo para atender as reivindicações dos professores.

De acordo com o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro, Caio Lima, os participantes do movimento de ocupação de escolas estão tirando o direito dos outros alunos de estudar e “matando o futuro” desses estudantes.

 

 

Estudantes ocupam universidades estaduais do Rio contra falta de verbas

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) decidiu, em audiência pública, que fará uma indicação de emenda à Lei Orçamentária Anual (LOA) do estado para que o orçamento das universidades públicas seja recomposto. Nos últimos dias, estudantes promoveram ocupações em pelo menos duas universidades estaduais em protesto contra  a falta de recursos.

Segundo o presidente da comissão, deputado Comte Bittencourt (PPS), diversos setores da economia sofreram cortes por causa da crise, porém os ajustes nas universidades públicas foram muito rígidos. “Vamos encaminhar pedido à Comissão de Orçamento para que o corte das universidades públicas seja no mesmo nível dos demais setores do estado. No orçamento das universidades, o corte foi 34%, enquanto em outros setores foi 16%”, declarou.

Na Universidade Estadual da Zona Oeste (Uezo), a falta de recursos fIzeram os alunos ocuparem a instituição na noite da última terça-feira. Um dos alunos acampados na universidade, Lucas Garcez, estudante do quarto período de Ciência da Computação, disse que a medida será estendida até a votação da LOA para 2016.

O movimento reivindica seis itens: reforço orçamentário, campus próprio, posse de professores concursados, pagamento de terceirizados, de bolsas de cotistas e de salários de servidores. Fundada há dez anos, a Uezo não tem campus próprio e divide o espaço universitário com os alunos de uma escola do ensino médio, o Instituto de Educação Sarah Kubitschek, no bairro de Campo Grande.

Em nota, a Uezo informou que reconhece a legitimidade do movimento de ocupação, proposto e formado por estudantes da universidade. A instituição informou ainda que as atividades acadêmicas de graduação foram suspensas a partir desta sexta (11), com previsão de retomada após o dia 21, data prevista para a votação, na Alerj, das emendas de suplementação do orçamento 2016 encaminhadas pela Uezo, recentemente, à assembleia.

Na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), em Campos dos Goytacazes, professores e alunos fecharam a entrada da universidade na quarta-feira (9) para reivindicarem o fim dos cortes orçamentários. Segundo o presidente da Associação de Docentes da Uenf, Raul Palácios, o orçamento de 2015 sofreu um corte de 30% e, para 2016, há uma estimativa de corte de 75% da verba de custeio da instituição.

“A universidade já teve vários episódios em que a luz, água e telefone foram cortados. Com mais cortes no orçamento, não vai dar para continuar e manter a universidade em funcionamento por todo o ano de 2016”, explicou Palácios.

Na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), o representante do Diretório Central de Estudantes (DCE), George Torno, disse que o ajuste é necessário, mas pediu que os cortes sejam amenizados. “O orçamento para 2016 tem de ser alterado. É inviável que a Uerj receba menos recursos ano que vem. A situação vai ficar ainda mais insustentável”, reclamou.

Para a presidente da Associação dos Docentes da Uerj, Lia Rocha, a universidade passa por uma crise de “desfinanciamento grave”, com os estudantes e professores como maiores prejudicados pelo atraso nas bolsas.

Estudante do segundo período de Relações Públicas da Uerj, o aluno cotista João Vitor Assis de Jesus tem sido afetado pelo atraso da bolsa paga pela instituição. “Na semana passada, tive de cancelar minha matrícula em um curso de inglês porque o dinheiro da bolsa de cotista era incerto. Também ajudo minha mãe com uma parte da bolsa. Esses são alguns dos problemas que o atraso da bolsa tem me causado”, contou.

Após as reivindicações pelo repasse da verba atrasada, o governo do estado anunciou a liberação de R$ 13,1 milhões para a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), segundo a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação. “Os pagamentos estão todos em dia”, informou o órgão.

Questionada sobre os problemas orçamentários das universidades estaduais do Rio, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação informou que o orçamento ainda está em discussão na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Apesar disso, o órgão informou que os recursos para o custeio mínimo de todas as instituições estão assegurados.