Arquivo da tag: crimes

Câmara aprova denúncia e investigará casos de nepotismo na prefeitura de Itaguaí

Prefeito Charlinho, vice prefeito Abelardinho e vereadores Haroldo de Jesus o Haroldinho, Reinaldo do Frigorífico e Fabinho da Prime estariam envolvidos em tal crime

O pedido de abertura de Comissão Especial Processante (CEP) para apurar casos de nepotismo no Poder Executivo foi aceito pelo plenário da Câmara Municipal de Itaguaí. A votação da aceitação da denúncia aconteceu durante a 61ª Sessão Ordinária, realizada ontem (05/12). Com seis votos favoráveis à abertura da CEP e cinco contrários, a comissão foi instaurada.

A denúncia foi feita pela servidora e moradora de Itaguaí Hellen Oliveira Senna.

Esta é a quarta Comissão Especial Processante do ano e visa apurar denúncias de casos de nepotismo no Poder Executivo. A denúncia lida continha informações detalhadas como nome dos envolvidos, relações de parentesco, nomeações, exonerações e vencimentos. Nas 213 páginas da denúncia são citados mais de 60 envolvidos com relações de parentescos, entre elas o Prefeito Carlo Busatto Júnior (MDB), o vice prefeito Abelardinho (PDT), secretários municipais e vereadores.

A denúncia aponta que os custos aos cofres públicos dos vencimentos dos familiares nomeados chegam a mais de meio milhão de reais ao mês totalizando quase 7 milhões de reais ao ano. O documento cita obras públicas paradas que poderiam ser concluídas com o montante gasto para o pagamento de vencimentos de familiares dos denunciados. Por fim a denúncia pede a cassação do mandato do prefeito, do vice prefeito e dos vereadores envolvidos, além de encaminhamento da folha de pagamento da Prefeitura Municipal de Itaguaí para perícia do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ).

Vereadores envolvidos foram impedidos de votar

Dos 17 vereadores que compõem a Casa Legislativa 16 estiveram presentes na sessão, a única ausência foi do vereador Ivan Charles (PSB). O vereador Fabinho (PV), que estava ocupando o cargo de secretário municipal de eventos, retornou à Casa para assumir a cadeira que vinha sendo ocupada por seu suplente, Júnior do Sítio (PV).

Os vereadores Haroldo Jesus (PSDB), Reinaldo do Frigorífico (PR) e Fabinho foram impedidos de votar por estarem citados no processo. O vereador Waldemar Ávila (PHS) se declarou impedido de participar da votação por ter parentesco com outro citado no processo, o vice prefeito Abelardinho, que é cunhado do edil. Durante discurso após a votação Waldemar declarou que votaria a favor da aceitabilidade da denúncia. Nas próximas votações da CEP os vereadores impedidos de votar deverão ter seus suplentes convocados.

A votação aconteceu de forma nominal a pedido do vereador Gil Torres (Podemos). Votaram à favor da aceitabilidade da denúncia os vereadores Willian Cezar (PSB), Genildo Gandra (PDT), André Amorim (PR), Noel Pedrosa (Avante), Gil Torres e Vinicius Alves (PRB).

Votaram contra o recebimento da denúncia os vereadores Carlos Kifer (PP), Robertinho (MDB), Nisan Cesar (PSD), Minoru Fukamati (PSD) e Sandro da Hermínio (Avante). O Presidente da Casa, vereador Dr. Rubem Ribeiro (Podemos), não participou da votação por se tratar de matéria de maioria simples.

Sorteio define membros da CEP

Logo após a aceitabilidade da denúncia foi realizado o sorteio dos membros que irão compor a Comissão Processante. Foram sorteados os vereadores Robertinho, Gil Torres e Willian Cezar. Em reunião a comissão decidiu que o presidente será o vereador Willian Cezar, o vereador Gil Torres será o relator e o vereador Robertinho será membro.

O vereador Gil Torres afirmou que como relator da CEP irá apurar com rigor as informações apresentadas pela denunciante.

Com: Câmara Municipal de Itaguaí

Criminalidade à solta em Itaguaí

Noite desta segunda é marcada por tentativa de assalto às Casas Bahia. Domingo uma igreja foi vítima de bandidos. Pessoas assassinadas e carbonizadas em rua próxima ao Centro e bairros mais distantes e há relatos ainda não confirmados de mais uma escola assaltada. Enquanto isso impera o silêncio do governo Itaguaiense.

Itaguaí tem sido sinônimo de insegurança e medo. Quem precisa viver ou trabalhar na cidade só tem uma certeza, corre risco de todas as formas. Após as dezenas de assaltos, execução de cooperativados em plena luz do dia e mortes sangrentas por diversos bairros, agora igrejas tem sido alvo da criminalidade.

Na noite do último domingo bandidos invadiram a igreja Assembleia de Deus em Chaperó e levaram celulares dos presentes.

Também no último final de semana um Ciep em Chaperó também teria sido vítima de meliantes. Eles entraram na escola e furtaram vários objetos.

Tentativa de assalto às Casas Bahia

Agora há noite no Centro, vagabundos tentaram assaltar a loja das Casas Bahia. A polícia foi acionada e conseguiu prender um suspeito. Com ele um carro, munição e uma arma que estava sendo usada para o crime foram apreendidos.

Mortes violentas

No último sábado e no domingo fotos foram divulgadas nas redes sociais de possíveis mortes onde os corpos foram carbonizados na estrada das Palmeiras no Centro e em outros bairros.

Operação policial

A polícia fez nesta segunda (07/05), uma operação durante todo o dia na saída da cidade com o apoio do blindado (Caveirão), e pararam alguns carros para averiguação. Tal operação visava encontrar carros roubados entre outros materiais usados por criminosos. O 24° BPM tem feito operações por toda a cidade na busca de criminosos que vem aterrorizando Itaguaí.

Prefeitura não se pronuncia sobre a onde de violência na cidade

Enquanto Itaguaí vive dias de total terror, o prefeito de Itaguaí não faz nenhum pronunciamento à população e muito menos quais medidas o governo visa tomar para tentar minimizar tamanha violência. Charlinho aliás, não tem sido visto pela cidade e há quem diga que ele de fato não se encontra nela. Tentamos contato com a prefeitura e fizemos algumas perguntas sobre qual posicionamento seria adotado pelo governo, mas não fomos respondidos.

 

ATENÇÃO! Todo conteúdo do blog Boca no Trombone Itaguaí se o texto for copiado deve conter a autoria da matéria. Caso contrário medidas legais podem ser adotadas.

Roubo a celular em Itaguaí triplicou em 2017

São pelo menos 40 roubos por dia na cidade. Quando você perder ou tiver o celular roubado sempre (sempre mesmo!) faça um BO. Além disso, bloquear o aparelho é indispensável, pois quanto mais pessoas fizerem isso, menos visados serão os telefones.

A violência já transformou a cidade em uma das mais inseguras do Rio de Janeiro. Além dos altos índices de roubo a carros, assaltos e mortes, a cidade tem se tornado a com maiores ocorrências de roubo a celular do Estado. Tem sido comum vermos dezenas de relatos de roubos a celular pela redes sociais. Os bandidos, tem agido a qualquer hora do dia e de formas diferentes. Alguns realizam os assaltos à pé, de carro, de bicicleta e até de patins. As vítimas, tem sido alvo em qualquer lugar do município. A cara de pau dos bandidos é tão grande, que eles agem contra várias pessoas em questão de minutos e próximos uma ação da outra, sem temer qualquer ação policial. A certeza da impunidade, tem sido um incentivo para os criminosos. No entanto, se todas as vítimas seguirem as dicas que vamos dar, os assaltos podem estar com os dias contados.

 

Veja dicas para proteger seus dados caso seu celular seja roubado e torná-lo inutilizável pelo bandido

Você poderá bloquear o aparelho pelo IMEI e isso fará com que os smartphones sejam inutilizados. Ainda assim, os seus dados precisam de um tratamento especial para evitar problemas. Lembre-se também de fazer um boletim de ocorrência.

 

IMEI: aprenda a bloquear o aparelho celular em caso de roubo

 

IMEI e a solução

As facilidades do GSM e o número crescente de celulares nas ruas possibilitaram o avanço do roubo seguido de venda de telefones. No entanto, ao usar um celular GSM, o dono do número pode bloqueá-lo e evitar que seja usado em operações ilícitas. Basta entrar em contato com a operadora e solicitar o bloqueio do chip.

Para inibir o roubo de celulares a ANATEL, o Ministério da Justiça e operadoras do país pretendem assinar um acordo que permite o bloqueio total do celular pelo IMEI. Para quem não sabe, IMEI quer dizer International Mobile Equipment Identity (Identificação Internacional de Equipamento Móvel) e permite que cada celular tenha um número único, como se fosse um chassi de carro ou um código de série.

 

O IMEI pode ser encontrado na caixa do aparelho, no espaço destinado à bateria ou digitando *#06#no celular. Todo celular habilitado tem seu IMEI registrado em um banco de dados chamado EIR (Registro de Identidade de Equipamentos).

Quando um IMEI é bloqueado, as funções que dependem da operadora como, ligações e conexão com a internet ficam indisponíveis. Com isso, o aparelho perde completamente a utilidade, pois quem vai querer um celular para usar apenas como agenda ou despertador?

 

Como bloquear o IMEI

Bloquear o IMEI é a única garantia que você tem de que o ladrão não vai usar seu celular e nem tirar proveito de uma coisa que é sua. Para evitar transtornos, sempre mantenha o IMEI em um lugar seguro. Se você não tem a caixa, anote o número e guarde-o em casa, dessa forma se algo acontecer você tem o que precisa para solicitar o bloqueio.

Caso você tenha sido roubado, por questões óbvias você não poderá acessar pelo celular. Entâo:

Verifique na caixa

As caixas dos celulares geralmente contam com uma etiqueta em uma das laterais. Uma etiqueta que também conta com um código de barras, vale ressaltar. Caso você ainda a guarde (prática altamente recomendável), busque pelo IMEI aí.

Android – através do Painel do Google

É possível obter o IMEI de seu dispositivo Android através da web, pelo Painel do Google. Acesse este link, antes de qualquer coisa, e faça login com a mesma conta utilizada em seu celular.

A seguir, localize o grupo de opções “Android”, onde serão listados todos os dispositivos existentes na sua conta:

iOS (iPhone) – através de sua conta Apple

Acesse este link e faça login com sua conta Apple (a mesma utilizada em seu iPhone). A seguir, vá até o grupo de opções “dispositivos”, onde serão listados seus iPhones ou iPads. Clique em “Ver detalhes” e responda às questões de segurança:

Não deixe de obter seu IMEI o quanto antes, armazenando-o em algum lugar seguro. Lembre-se: é sempre melhor prevenir do que remediar.

Lembramos que a utilização de gerenciadores de senhas é altamente recomendável, neste caso. Assim, você será capaz de armazenar não apenas o IMEI de seus celulares, mas também diversos outros tipos de informações sensíveis, com bastante segurança (e quase sempre com a possibilidade de armazenamento na nuvem).

Muitos gerenciadores de senhas contam com recursos que permitem o armazenamento de notas, anotações diversas, etc, de maneira segura (Roboform, Dashlane, LastPass, Sticky Password, 1Password, etc). Busque por tais recursos e faça uso dele, portanto, para o armazenamento do IMEI de seus celulares.

Foi roubado, como agir?

1. Faça um Boletim de Ocorrência

Se o aparelho foi furtado ou você o perdeu, a primeira coisa a fazer (sempre) é ir até uma delegacia e solicitar um Boletim de Ocorrência – em alguns casos, ele é obrigatório para o bloqueio do IMEI, que é o segundo passo. Em alguns estados é possível solicitá-lo pela internet:

  • Região Sul

Rio Grande do SulSanta Catarina e Paraná

  • Região Sudeste

Rio de JaneiroMinas GeraisSão Paulo e Espírito Santo

  • Região Centro-Oeste

GoiásDistrito FederalMato Grosso e Mato Grosso do Sul

  • Região Nordeste

BahiaParaíbaAlagoasSergipePiauíMaranhãoCearáPernambucoTocantins e Rio Grande do Norte

  • Região Norte

RondôniaAmapáParáAmazonas e Acre. Roraima não oferece o serviço.

Mesmo que a possibilidade de recuperação do aparelho seja pequena, sempre faça um BO, pois com ele em mãos é possível provar que o celular não estava com você se ele for usado em algo ilícito. Além disso, as autoridades podem saber exatamente o número de telefones roubados e tomar medidas para evitar mais furtos.

2. Converse com a operadora

Com o BO em mãos, entre em contato com sua operadora e solicite o bloqueio do IMEI e do chip. Em alguns casos, o atendente solicitará a cópia do BO por fax ou email e assim que você enviar, o bloqueio será concluído.

Fica a dica

Quando você perder ou tiver o celular roubado sempre (sempre mesmo!) faça um BO. Além disso, bloquear o aparelho é indispensável, pois quanto mais pessoas fizerem isso, menos visados serão os telefones.

Se todas as pessoas seguirem esses passos, roubar celulares perde o sentido, tendo em vista que eles não podem mais ser usados como tal. Exceto no caso de comércio ilegal de peças, um telefone que não realiza chamadas não passa de mais um gadget inútil.

 

Previna-se:

 

1. Bloqueie a tela

Quando a Apple introduziu o scanner de digitais no iPhone, os executivos da companhia imaginavam que cerca de metade das pessoas não se importava em bloquear seus celulares. Seja uma senha deslizante ou um código PIN, tenha certeza de que haja algum tipo de proteção entre alguém mal-intencionado e sua tela inicial.

Existem soluções alternativas para bloqueio de segurança da tela, mas elas acabam consumindo um pouco de tempo. Se você não quiser ter o trabalho de digitar um código a cada vez que for dar uma olhada no Instagram, tente ao menos ativar a proteção de tela quando sair de casa.

É claro que esta é uma solução que deve ser tomada antes do roubo, mas pode salvar muitas informações. Outra dica bem interessante está na ativação da autodestruição dos dados após um certo número de tentativas. Com isso, os ladrões podem até levar o aparelho, mas não terão qualquer acesso a fotos, arquivos e senhas.

2. Ative recursos remotos

Não há desculpas para não configurar recursos de localização remota e limpeza em seu aparelho, visto que as desenvolvedoras de softwares tornaram esse processo em algo simples. Os usuários de iOS, por exemplo, podem usar o Buscar Meu iPhone — disponível desde o iOS 3.0 —, e ele pode ser ativado através da página do iCloud em “Configurações”.

Você pode logar no iCloud através do seu computador e ver onde está o seu dispositivo. O modo Perdido permite com que você trave seu aparelho à distância, enquanto a opção Apagar iPhone faz exatamente o que o nome diz.

Para celulares Android, a situação é bem parecida, sendo possível localizá-los através de sua conta Google, fazendo a consulta na Web. O serviço chama-se Gerenciador de Dispositivo Android — agora também com suporte para iOS — e também oferece o bloqueio ou a destruição de dados do smartphone, assim como a localização do mesmo no mapa.

Para configurar o recurso, basta iniciar o aplicativo de Configurações do Google e acessar Gerenciador de Dispositivo Android para encontrar as opções.

Para os usuários de Windows Phone ou BlackBerry, também não há desculpas para não se proteger. Aparelhos BlackBerry usam um recurso de proteção de conteúdo, que você pode encontrar no menu de configurações do sistema. No Windows Phone, a ferramenta Localizar Meu Telefone resolve o problema. A aplicação é configurada automaticamente assim que você entra em seu aparelho utilizando uma conta Microsoft.

3. Faça backup de seus arquivos

Manter os criminosos distantes do conteúdo do seu celular com um clique em um site é ótimo, mas e quanto a todos aqueles dados que você armazenou no aparelho? O risco de perder seu smartphone ou de ser roubado deveria ser motivação o suficiente para que você garanta que todos os arquivos de seu dispositivo tenham uma cópia em algum lugar. Felizmente, isso não é difícil de conseguir em aparelhos modernos.

Para o Android, o Google vai cuidar de todos os dados dos seus aplicativos, senhas de rede WiFi e preferências do celular se você ativar o recurso na seção Backup e Restauração em Configurações (seus contatos, emails e agenda são automaticamente sincronizados com a nuvem, é claro). A Apple, por sua vez, oferece opções de backup na seção Armazenamento e Backup, nas configurações da página do iCloud.

Quanto aos conteúdos de mídia, como fotos, vídeos e música, certifique-se de que você possui o hábito de fazer cópias de segurança. Vários apps, como o iCloud, Dropbox, OneDrive e Flickr, podem ser usados para guardar seus arquivos em nuvem. Como você configura esse processo, depende de suas preferências, mas sempre vale a pena conferir se aquilo que há em seu dispositivo também já está salvo em outro lugar.

4. Configure seus aplicativos

Você provavelmente não quer ladrões deletando arquivos de seu Dropbox ou postando em seu Facebook, por isso vale estar preparado para evitar esses danos, ainda que você já tenha seguido os passos acima. É importante ligar a autenticação em duas etapas para qualquer serviço suportado: iCloud, Google, Dropbox, Facebook, Twitter, etc.

A maioria desses aplicativos e sites também trazem a opção de logout remoto para você usar em seu smartphone caso ele seja roubado. No Facebook, por exemplo, basta abrir a seção de Segurança na página de Configurações e clicar editar a opção “Onde Você está Conectado”. Se pessoas indesejadas estiverem logadas em sua conta, você pode ver aqui e então desconectá-las.

o Gmail, clique no link “Detalhes”, no canto direito inferior de sua caixa de entrada,para ver informações relacionadas a logins recentes. Mais uma vez, há a opção de cancelar remotamente qualquer atividade suspeita. Mesmo se você finalizar um login genuíno, só é preciso se conectar novamente no aparelho.

Há uma ferramenta semelhante na página principal de sua conta do Google na web que cobre atividades relacionadas a todos os serviços do Google. Outros aplicativos, como o Dropbox, possuem o mesmo tipo de função.

5. Criptografe seus dados

Criptografar seus dados adiciona um nível extra de segurança que faz com que até o mais determinado dos hackers encontre dificuldade de chegar às suas informações pessoais gravadas no aparelho. Isso acaba tornando algumas operações mais lentas em seu celular — porque todas as informações precisam ser decodificadas antes de serem acessadas —, mas é preciso considerar que talvez compense.

No iOS, esse processo é feito automaticamente assim que você configura um código para o dispositivo, logo ele já está ativado se você seguiu os passos anteriores. Já no Android, há uma opção separada que pode ser encontrada na seção “Segurança” no menu de Configurações.

Pode levar um tempo até que seu aparelho seja completamente criptografado, mas, assim que o processo inicial estiver completo, você poderá usar o celular normalmente. Será preciso escolher uma senha de no mínimo seis caracteres, que então funciona como código de tela de bloqueio. A criptografia não pode ser desfeita sem uma formatação total do sistema.

Esse é um recurso também disponível no BlackBerry (“Encriptação” na seção “Segurança”, que pode ser encontrada nas Configurações) e no Windows Phone. Porém, é importante frisar: se você realizar esse processo, tenha certeza de que sua senha pode ser facilmente lembrada e difícil de ser adivinhada — sem ela, será necessária a formatação total do dispositivo.

Por ora, é só isso. Recomendamos que você tente seguir essas dicas e aplicar em seu smartphone o mais rápido possível. Ninguém planeja perder seu celular nem ser assaltado, e justamente por isso é importante estar preparado para minimizar os dados. Esperamos que essa publicação tenha sido útil. Até a próxima.

Com TECHMUNDO e Uol
FONTE(S)

Após relatório desfavorável ao governo, Zveiter diz não temer represálias

DENÚNCIA CONTRA TEMER NÃO É INEPTA, DIZ ZVEITER

 

Vice-líder do governo, o deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) chamou o relatório do correligionário, o deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), pela admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), de “ruim”, “contraditório em si mesmo”, “fraco” e sinalizou que o relator do processo na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) na Câmara pode ter que deixar o partido.

 

“Isso é só uma demonstração de que nós devemos ter mais cuidado ao aceitarmos filiações no nosso PMDB. Nesse momento não estamos aí para relatar, estamos aí para superar esse momento. Mas pelas posições tomadas, é óbvio que algumas pessoas perdem até o ambiente de convivência dentro do nosso partido. Mas não é esse o pensamento agora”, declarou Marun, após a leitura do parecer de Zveiter.

“O deputado Zveiter não apresenta mais condições de pertencer ao partido”, declarou Marun mais tarde, em discurso na comissão.

 

Em entrevista ao deixar a reunião da CCJ, Zveiter disse não temer represálias do PMDB e disse ter atuado de acordo com sua consciência, e não a partir de inclinações partidárias. “Não temo [represálias] até por que eles não têm como fazer represália contra mim”, disse, ao ser perguntado sobre a possibilidade de retaliação pelo partido.

 

Zveitar também negou temer ser expulso do partido, ao ser perguntado sobre essa possibilidade. “Eu aprendi com minha mãe desde cedo que quem anda com Deus não tem medo de nada. Então se eles me expulsarem, vai ser problema deles e não meu”, afirmou o deputado, que disse pertencer à uma ala independente do PMDB.

 

“Minha filiação partidária claro que sempre influencia em alguns votos que eu venha a proferir aqui, mas neste caso o que prevaleceu mesmo foi minha condição de deputado federal titular, eleito livremente e portanto com a possibilidade de agir de acordo com minha consciência”, afirmou Zveiter.

 

Marun, que disse ter sido surpreendido pela posição do relator, disse ser um “um momento triste que um advogado, admitindo a inexistência de provas, assim mesmo pleiteie a punição do acusado”. “É uma peça a ser derrotada e até esquecida”, declarou.

 

“Vamos, obviamente, preparar um relatório alternativo para que, assim que derrotemos essa peça nefasta na CCJ, possamos já ter outro pronto para que imediatamente votemos e que isso possa ir rapidamente para o plenário. Nós temos os votos, por isso queremos que rapidamente essa questão se resolva”, complementou o peemedebista.

 

Leia a íntegra do relatório de Zveiter

Clique para acessar o camara-dos-deputados.pdf

 

Polícia do Rio investiga jogo em redes sociais que induz jovens ao suicídio

Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

 

A Polícia Civil do Rio está investigando um jogo de internet que pode estar levando jovens a mutilações corporais e até ao suicídio. Conhecido como Baleia Azul, o jogo é praticado em comunidades fechadas de Facebook e Whatsapp. Ele instiga os jogadores, a grande maioria adolescentes, a cumprirem 50 tarefas, sendo que a última delas é o suicídio.

 

A delegada Fernanda Fernandes, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), acredita que o jogo, já identificado em outros países e outros estados do Brasil, esteja sendo praticado no Rio. Ela já tem, pelo menos, quatro casos suspeitos, todos envolvendo adolescentes.

 

“Não parece se tratar de um boato.Temos várias comunidades que estamos rastreando sobre o jogo, algumas falando diretamente o nome Baleia Azul, outras com codinomes. O jogo existe, é real”, disse a delegada.

 

Fernanda ouviu, na tarde da última segunda-feira (17), o pai de uma estudante de 14 anos, de um colégio do interior do estado, que relatou preocupação de que a adolescente possa estar envolvida no jogo, pois ela teria riscado a baleia, com objeto cortante, no antebraço, o que é uma das fases do Baleia Azul.

 

Nesta terça-feira (18), a delegada foi, com o pai da jovem, ao seu encontro. O objetivo da investigação, segundo ela, é evitar que os jovens se suicidem, mais do que encontrar os mentores dos grupos, o que será feito no decorrer dos trabalhos.

 

“Temos esta vítima que vamos tentar ouvir. Os indícios, as fotos e postagens no Facebook, nos levam a crer que ela tem envolvimento com o jogo. Ela tem o desenho da baleia azul no antebraço, embora não tenhamos contato com ela para confirmar isso. Nós já vimos cortes no corpo dela e postagens insinuando suicídio, então a gente fica preocupada”, disse.

 

Fernanda Fernandes fez uma apelo aos familiares e amigos de possíveis vítimas para procurarem a delegacia e relatarem os fatos. “O apelo para os pais é que verifiquem qualquer mudança, alteração de comportamento dos jovens e qualquer comportamento depressivo, mais introspectivo. Se têm hábitos mais noturnos e de madrugada na internet. Os pais têm que ter controle do que os filhos estão fazendo nas redes sociais. E prestar atenção se têm indícios de lesão no corpo dos filhos. Também é preciso entrar em contato com a escola. O adolescente, quando vira vítima do jogo, muda o comportamento”, disse.

 

As denúncias podem ser feitas pelo telefone da DRCI (21) 2202-0273 ou pelo e-mail da delegacia (drci@pcivil.rj.gov.br). Os mentores dos jogos, que surgiu na Rússia, podem ser indiciados por crimes de associação criminosa, lesão corporal, ameaça e até homicídio. Segundo relatos, os mentores ameaçam as vítimas se elas deixarem o jogo.

 

Fonte: Agência Brasil

Menino hostilizado por Cabral é hoje agente penitenciário de sua ala em Bangu

Retratos de um país manchado. O mundo dá voltas…

Agência Brasil

Um vídeo que circula na internet há mais de seis anos, que teve milhares de acessos e que provocou, inclusive, ameaças de morte ao autor das imagens mostra quem era Sérgio Cabral já na época em que ele ainda governava o Estado do Rio de Janeiro.

Ao visitar um Complexo Esportivo, Cabral ouve de um adolescente de 16 anos, identificado como Sergio Sandro Sorayo Sarmento da Silva Souza Seabra, algumas reivindicações para melhorar o funcionamento do local para os moradores. O então governador, ao lado de seu vice Luiz Fernando Pezão, hoje governador do estado, hostiliza o adolescente.

Lula e Cabral foram filmados esculachando o menino. Naquela época o vídeo foi parar no Blog do jornalista Ricardo Gama. Após 800 mil pessoas assistirem, o jornalista começou a receber ameaças de morte caso o vídeo não fosse removido.

Com educação e respeito, o rapaz continua a abordagem e segue caminhando ao lado de Cabral. O menino insiste no pedido de melhorias para sua comunidade e reclama da repressão da polícia e do “caveirão” em relação aos moradores da favela. A resposta de Sérgio Cabral é a seguinte: “Deixa de ser otário, rapá! Fazendo discurso de otário”.

 

Humilhado seis anos atrás pelo governador por reivindicar melhorias sociais, o adolescente daquela época tem hoje 22 anos e se tornou agente penitenciário da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Recentemente, Sergio Sandro foi designado para trabalhar no pavilhão onde Sérgio Cabral está preso desde novembro por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha.

 

Menino na época, hoje através de concurso ele é agente penitenciário

“Foi muita coincidência”, sintetiza, agora, o menino, que no passado foi destratado por um governador de estado.

Opinião do blog: Vivemos em um país onde o justo e o certo, são penalizados antes mesmo de serem conhecidos. Enquanto outros que agem de modo escuso, são tratados como “lideres e chefes” de um sistema falido e impudico. Exemplos como esse, servem de lição para que um dia, esse país seja de fato um lugar digno e soberano para àqueles que tem a honestidade e a honra como lemas de vida…

Violência impera em Itaguaí

Estupro, assassinatos, pessoas sendo mortas incendiadas e jogadas em bueiro, a cidade está com medo

Há tempos que Itaguaí deixou de ser considerada segura. No entanto nos últimos tempos crimes brutais tem acontecido com maior frequência. Alguns deles ainda merecem maior apuração, mas como a voz do povo é a voz de Deus, vamos aos casos que assustam as famílias itaguaienses.

As mortes de Soraya Medeiros de 31 anos, violentada até a morte em Chapero por um grupo de homens e o atropelamento da travesti Bárbara em janeiro deste ano foram os primeiros de 2016 a assolar a cidade. Em abril, Marta e a filha Priscila foram encontradas mortas no bairro Brisamar, próximo a entrada da Nuclep. Já nesse mês de junho, casos como da  menina Alessandra Andrade que era moradora do bairro Leandro que foi estuprada e estrangulada no bairro Brisamar, a morte de uma mulher que foi jogada no bueiro de uma escola no bairro do Engenho e agora a morte de um homem confundido por bandidos com policial após um suposto sequestro relâmpago dele e de sua esposa que escapou com vida, só aumentam o imenso terror em Itaguaí.

Com tudo isso, vemos que nenhuma autoridade toma uma atitude firme na busca por melhorias na segurança pública. Pelo contrário, um estado falido e sem condições de atender as demandas de saúde, educação e segurança, onde apenas os jogos olímpicos importam, é o pilar da vergonha e do mau caratismo desses políticos sujos que nos governam a níveis desastrosos.

Mesmo sem o interesse e longe da construção do tão comentado batalhão para Itaguaí, a população deve gritar e “botar a cara”,mais do que nunca. O que nos causa revolta, é ver que tudo põe culpa na “crise”. No entanto vemos que a maior crise que temos é a falta de ética e respeito para toda população. A segurança é um dever das 3 esferas de poder, começando pelo municipal, passando pela estadual e chegando a federal. A vergonha na cara tem que ser nossa, da população, que não se importa com os candidatos que elegem e perpetuam a níveis gritantes mandatos de pessoas comprovadamente inescrupulosas.

Enquanto isso, a população teme e procura ficar presa dentro de casa, já que não temos nenhuma autoridade competente que deixe presos os bandidos e não nós, reféns do medo.

%d blogueiros gostam disto: