Arquivo da tag: criança

Pai tortura mulher e foge com a filha em Itaguaí

Após a repercussão da matéria o pai entregou o bebê a mãe

Em 08/02/2018 às 12:15 e atualizado em 08/02/2018 às 20:11

Francisco Lima de 28 anos, sequestrou a própria filha de três meses e desapareceu. Francisco conhecido como Tiko, torturava a sua companheira Franciele Rodrigues da Silva desde o quarto mês de gestação tendo inclusive usado um alicate nesses atos. Segundo Franciele ele relatava sua vontade de matá-la, matar a sogra e a cunhada. As agressões passaram a ser diárias e em uma delas ele a agrediu dentro do carro as margens da rodovia Rio – Santos dando socos na barriga da gestante que  acabou parando no hospital. O foragido continua as ameaças a sua ex-companheira pelas redes sociais.

 

Em seu perfil no Facebook, Francisco diz ser trabalhador e debocha da foto usada como divulgação da notícia do rapto da filha. Em outras postagens ele acusa a mãe da criança de não tratar bem da filha e fala que um “motim” foi montado contra ele.

 

Justiça

A promotoria de justiça já enviou ao juizado o pedido de busca e apreensão da criança e Francisco é acusado de sequestro. Quem souber o paradeiro de Francisco pode ligar para o disque denúncia 2253-1177.

Homem devolve a criança após a grande repercussão do caso

Horas depois da divulgação da matéria, o pai devolveu a criança  por intermedio de um advogado que conduziu o bebê ao Fórum, sendo posteriormente entregue a mãe.

Matéria original da Rede Record

http://tv.r7.com/record-play/cidade-alerta/videos/homem-ataca-a-ex-mulher-e-sequestra-a-propria-filha-no-rio-de-janeiro-07022018

 

Mais um recem nascido é encontrado em lixo na cidade de Itaguaí

Desta vez o caso foi no bairro Monte Serrat

Mais um caso covarde de abandono de recém nascido em caçamba de caminhão de coleta de lixo ocorreu em Itaguaí. O bebê prematuro foi encontrado hoje terça (22), na caçamba de um caminhão de coleta na Rua São José, no bairro Monte Serrat (Reta de Santa Cruz). A polícia está investigando o caso para descobrir o paradeiro do(s) responsável(eis) por tamanha crueldade. Moradores ficaram indignados, pois a criança corria o risco de ser prensada pela caçamba do caminhão.

picsart_1479834697787

Um caso parecido ocorreu em Outubro deste ano no bairro Estrela do Céu, também em Itaguaí.

https://bocanotromboneitaguai.com/2016/10/08/recem-nascido-e-achado-em-caminhao-de-lixo-em-itaguai/

Menino é atropelado na Dutra, na Zona Norte do Rio, quando brincava de forma perigosa de pular em lago próximo à avenida

Vídeo mostra o momento do acidente

Um menino, de idade não identificada, foi atropelado na Avenida Presidente Dutra (BR-116), no bairro de Jardim América, Zona Norte do Rio, na tarde desta segunda-feira. A criança estava brincando com outras de pular em um lago, que fica na lateral da via, quando foi atingido por um carro.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, ele foi encaminhado para o Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, e está em estado grave. O motorista, que seria um militar, parou para prestar socorro.

O atropelamento foi gravado em um vídeo que está circulando nas redes sociais. A gravação mostra cerca de oito meninos correndo para o meio da pista, para dar impulso para o salto no lago. Também é possível ver o momento do acidente.

Justiça decreta prisão preventiva de casal acusado de matar criança

Casal vai ficar preso no Complexo de Gericinó, em Bangu. Madrasta e pai foram presos em flagrante

A Justiça decretou nesta quarta-feira a prisão preventiva de Felipe Ramos da Silva, de 30 anos, e Joelma Souza da Silva, de 43, pai e madrasta da menina Micaela, de 4 anos, achada morta nesta terça-feira em um apartamento em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio. O casal foi levado para o Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste, onde ficará preso.

A mãe de Micaela, Marlene de Almeida Rocha, prestou depoimento na Divisão de Homicídios (DH) na madrugada desta quarta-feira. Em depoimento, Marlene contou que a guarda de Micaela foi repassada ao pai depois que ela perdeu o emprego, quando a menina tinha 2 anos. Ela alega nunca ter notado nenhum vestígio de agressão no corpo da pequena e disse que ela costumava ir ao pediatra.

Agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DH) investigam se o pai também teria espancado Micaela ou se seria apenas cúmplice de Joelma, ao não impedir as agressões. Ambos foram presos em flagrante e vão responder por homicídio qualificado por meio cruel e por impossibilidade de defesa da vítima e fraude processual, já que adulteraram a cena do crime.

O corpo da menina foi levado para o IML nesta terça-feira e uma tia da criança foi ao local, mas não conseguiu porque a criança não tinha certidão de nascimento. Segundo uma funcionária do Instituto, a liberação só pode ser feita pela mãe da vítima, com documento de identidade. O enterro não ocorrerá nesta quarta-feira, pois o cartório fecha ao meio-dia.

O delegado André Leiras afirma que a menina apresentava marcas que pareciam de pauladas em várias partes do corpo e tinha sinais de desnutrição. “Em 14 anos de polícia, nunca vi uma cena tão horrorosa. Ao mostrar ao pai a imagem da filha morta, ele não esboçou reação. Foi conivente, mas também queremos saber se ele a espancou. Eram tantas lesões que será necessário exame complementar para definir a causa da morte”, disse o delegado.

image

Wellington Souza da Silva, de 25 anos, filho da ajudante de cozinha Joelma, também morava no local. Ele contou que as agressões contra a menina eram frequentes e que ele próprio já levou uma facada da mãe. “Moro com minha mãe há 8 meses e sempre presenciei cenas de agressões. Procurei defender a menina, mas nem sempre dava. O pai via tudo e não fazia nada. Minha mãe, aquele monstro, nunca soube criar um filho, tanto que eu morava com minha avó”, afirmou.

“É duro dizer isto, mas minha mãe é um monstro. Nem um cachorro faz isso com a cria”, desabafou o rapaz.

Em depoimento, Joelma negou o crime e disse que deu dipirona (medicamento analgésico e antipirético) a Micaela. Já Felipe acusa a companheira, e diz que já tinha presenciado agressões dela à menina pelo menos três vezes, mas não explicou porque não impediu os atos. Ele alega que chegou em casa às 23h, encontrou a menina deitada no sofá, deu um beijo nela e não notou nada anormal. Joelma tem uma passagem pela polícia por lesão corporal em 2011.

Casal quase é linchado

De acordo com a Delegacia de Homicídios da Capital, que investiga o caso, o cenário do crime foi alterado já que não havia sangue sobre o sofá onde a menina estava quando a polícia chegou ao local. Com um produto específico para encontrar vestígios de sangue (luminol), a perícia encontrou manchas na cama do quarto do casal e na pia do banheiro. Um lençol com manchas de sangue foi encontrado no lixo. A polícia acredita que a menina possa ter sido morta no quarto do casal e depois colocada sobre o sofá.
Fonte: O Dia

Vigilante suspeito de bater na filha de 3 anos é detido pela polícia

Homem de 31 anos foi localizado na cidade de Francisco Morato.

Vídeo que circulou nas redes sociais mostra agressão contra criança.

A Polícia Civil prendeu na noite desta quarta-feira (30) o vigilante de 31 anos suspeito de agredir a filha de 3 anos em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Um vídeo que circulou nas redes sociais mostrou um homem batendo na criança, chegando a usar um cinto para atingir a menina.

De acordo com a Delegacia Seccional de Franco da Rocha, o suspeito foi preso na cidade vizinha de Francisco Morato, por volta das 22h, depois que a Justiça emitiu um mandado de prisão temporária contra ele. Ele foi levado para a Delegacia de Investigações Sobre Entopercentes (Dise) de Franco da Rocha.

A mãe registrou as imagens e levou o vídeo para a polícia em 15 de dezembro. Ela disse que o pai chegou a enrolar o cinto no pescoço da criança, segundo informações de policiais. No boletim de ocorrência não consta o motivo da agressão. A mãe contou na delegacia que ele já havia agredido a menina em outras ocasiões, por isso decidiu filmar.

Veja a matéria completa em:

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/12/vigilante-que-bateu-na-filha-de-3-anos-na-grande-sp-e-detido-pela-policia.html

Família encontra criança de 1 mês que havia sido raptada em Madureira

Mãe disse que pediu para uma mulher desconhecida segurar o bebê enquanto experimentava uma roupa

O drama de uma família que sua filha raptada terminou com um final feliz na noite de terça-feira, na Zona Norte. A menina de apenas 1 mês teria sido levada por uma mulher, no momento em que a mãe, Renata Ramiro, realizava compras numa loja em Madureira, no início da tarde. Ela disse ter pedido para a suspeita segurar a criança enquanto experimentava uma roupa. Na volta, o bebê havia sumido.

“Quando eu entrei para experimentar a roupa não imaginei isso. Quando eu sai do provador e vi o que tinha acontecido, veio a minha agonia. Uma pessoa que faz isso com uma mãe não tem coração. Ela não pensou na dor que poderia trazer para a minha família”, disse a mãe, em entrevista ao Bom Dia Rio.

A criança foi localizada, por volta das 23h30, nos fundos de uma casa em Madureira, por um morador do local. Já a suspeita de ter raptado o bebê segue foragida. “Estou supercontente da minha princesa ter aparecido. Estava muito esperançosa e graças a Deus a minha filha voltou para os meus braços e agora o meu desejo foi realizado”, afirma Renata.

Soterrado, bebê de quatro meses sobrevive no Nepal

Criança ficou presa em escombros após o terremoto de 7,8 graus

 

Um recém-nascido de quatro meses foi encontrado nos escombros do terremoto de 7,8 graus na escala Richter que atingou o Nepal no último sábado (25). A criança sobreviveu por três dias sozinha e foi resgatada ontem (28). O bebê foi encontrado nos escombros de sua casa, que desabou na cidade de Bhaktapur, uma dos locais históricos próximos ao vale de Katmandu.

O recém-nascido foi enviado a um hospital com diversos ferimentos, mas está fora de perigo. Além da criança, um jovem de 27 anos, Risk Khanal, também foi resgatado depois de 82 horas soterrado em Gongabu.

 

Mais de 10 equipes de socorristas estrangeiros chegaram à Katmandu para auxiliar os militares nepaleses nas buscas por sobreviventes do terremoto. Há especialistas da Índia, Sri Lanka, China, Turquia, Holanda, Polônia, Alemanha, Israel, Malásia e Japão atuando em Katmandu. Uma equipe britânica também está em Sindhupalchok. Apesar disso, cerca de 200 pessoas protestaram hoje na capital do país contra o atraso na distribuição de itens humanitários.

Os manifestantes fecharam vias e acusaram o governo de não agir de maneira suficiente. Houve confrontos com a polícia, que prendeu alguns manifestantes. O tremor de terra, que foi o maior na região nos últimos 80 anos e chegou a ser sentido na Índia, Paquistão e Bangladesh, provocou avalanches no Monte Everest com ao menos 18 mortos. Devido a isso, pelo segundo ano consecutivo, foram canceladas as expedições para a melhor época de escaladas, de 10 a 12 de maio
De acordo com as agências que organizam as escaladas, todos os guias e alpinistas já deixaram o local. No ano passado, as expedições foram canceladas por uma avalanche que provocou a morte de 16 pessoas. As autoridades nepalesas temem que o número de mortes causadas pelo terremoto possa chegar a 10 mil. O Centro de Operações de Emergências do Nepal informou que 10,9 mil pessoas estão feridas. Outras 454 mil estão desabrigadas. Ao todo, oito milhões de pessoas foram atingidas pelo tremor de terra, de acordo com as Nações Unidas (ONU).

Sobre o terremoto 
O terremoto de magnitude 7,8 que atingiu o Nepal no sábado (25) provocou mais de quatro mil mortes e muitos danos materiais, causando também avalanches que soterraram acampamentos de alpinistas no Everest. O tremor, que teve seu epicentro a cerca de 80 quilômetros de Katmandu, ocorreu por volta do meio-dia local (03h11 de Brasília) e durou entre 30 segundos e dois minutos.

Na capital nepalesa, o terremoto derrubou edifícios, especialmente os antigos, incluindo templos e monumentos. A torre Dharahara, uma importante atração turística, se transformou em escombros. Os efeitos do tremor chegaram até as montanhas do Himalaia e também na Índia e na China, onde provocaram a queda de edifícios e a morte de dezenas de pessoas, de acordo com autoridades locais. Foram registradas diversas réplicas do terremoto, entre 4,2 e 6,7 graus.