Arquivo da tag: Carioca

Policiais fazem busca na Serra em Itaguaí em busca de bandidos

Orientação dos policiais é para que as pessoas retornem e não subam a Serra

 

Uma operação policial na manhã desta quarta- feira 09/05, com o apoio do Exercito, está movimentando mais de dez viaturas policiais, alem de um caminhão do exercito brasileiro. A informação é que bandidos estariam tentando fugir e subindo a serra para tentarem chegar ao bairro Carioca na serra do Caçador para se esconderem. O comboio de policiais partiu dos bairros Belvedere,Itaguaí e região, na busca dos marginais. Mais informações em breve.

 

ATENÇÃO! Todo conteúdo do blog Boca no Trombone Itaguaí se o texto for copiado deve conter a autoria da matéria. Caso contrário medidas legais podem ser adotadas.

Anúncios

Botafogo é campeão Carioca 2018

Vasco é vice de novo e único time grande do Rio a não levantar taça nenhuma em 2018, sendo o grande derrotado do campeonato

 

Há coisas que só acontecem com o Botafogo. E quem disse que o clichê só vale para momentos ruins? Com pênalti não marcado, sofrimento até o último minuto e dois heróis estrangeiros, o Glorioso despachou o Vasco neste domingo, no Maracanã, e se sagrou campeão carioca em grande estilo. Joel Carli, aos 49 minutos do segundo tempo, garantiu o 1 a 0 no tempo normal e levou a decisão para os pênaltis. Aí, um roteiro que o torcedor alvinegro já se acostumou se repetiu: Gatito Fernandéz garantiu o troféu ao defender as cobranças de Werley e Henrique.

DESTAQUE

O ESPECIALISTA

Mais do que o alívio pelo gol de Carli no minuto final do tempo normal, o torcedor do Botafogo foi para a decisão por pênaltis confiante. Com Gatito Fernandez, havia quase que uma certeza de ao menos uma defesa na série contra o Vasco. E assim foi! Herói na Libertadores de 2017, o goleiro paraguaio manteve a média e defendeu as cobranças de Werley e Henrique, garantindo o troféu. Agora, são impressionantes dez defesas em 19 pênaltis com a camisa alvinegra.

A PRIMEIRA VEZ…

O título carioca foi ainda mais especial para Joel Carli. E não somente pelo gol decisivo marcado no lance final da partida. O troféu erguido no Maracanã foi o primeiro da carreira do zagueiro argentino de 31 anos. Antes de chegar ao Botafogo, ele tinha passado por Aldosivi, Deportivo Morón, Gimnasia La Plata e Quilmes, todos de seu país.

CUSTOU CARO

Com a vantagem do empate, o Vasco começou melhor a partida diante de um Botafogo ansioso, desperdiçou chance clara com Riascos, parecia ditar o ritmo, mas viu tudo mudar com a expulsão de Fabrício. Aos 36 do primeiro tempo, o lateral fez falta em Luiz Fernando e recebeu o vermelho direito, forçando sua equipe a praticamente só se defender nos 55 minutos seguintes. Zé Ricardo fechou o time, terminou o jogo com quatro zagueiros, mas foi castigado no minuto final.

PRIMEIRO TEMPO

Intensidade, expulsão e casa cheia. Vasco e Botafogo não primaram pela técnica, mas não faltaram ingredientes para valorizar o clima de final no Maracanã. Os primeiros 45 minutos foram marcados por equipes que se mandaram para o ataque como podiam. Em desvantagem, o Glorioso tentava adiantar a marcação e pressionar, oferecendo espaços para um adversário que entrou em campo com quatro laterais de ofício, abrindo o campo para explorar a velocidade dos contragolpes. Com a obrigação de fazer um gol, o Botafogo se mostrou ansioso em alguns lances, enquanto o Vasco criava as melhores oportunidades.

 

Riascos desperdiçou chance clara após vacilo de Gatito em chute de fora da área de Pikachu. Bem postado, os vascaínos conseguiam ditar o ritmo do jogo. Até que o panorama mudou com a expulsão de Fabrício. O lateral recebeu o vermelho direto após falta em Luiz Fernando, que teve que sair da partida, aos 36. Foi quando o Glorioso passou a encontrar mais espaços, principalmente pelos lados, mas faltou criatividade.

SEGUNDO TEMPO

Com um a mais, Alberto colocou o time no ataque: sacou Marcelo e apostou em Kieza. Na base do abafa, o Glorioso esboçou uma pressão, mas faltava criatividade. A solução foi apelar para o chuveirinho, mesmo diante de um adversário que terminou a partida com quatro zagueiros em campo. Quando os botafoguenses conseguiam finalizar, esbarravam em Martín Silva. O uruguaio interceptou cruzamentos e fez boas defesas em conclusões de Brenner e Kieza.

 

Em uma das bolas alçadas na área, polêmica: Galhardo puxou Carli pela camisa e o impediu de disputar a jogada. Muita reclamação dos alvinegros, mas nada marcado. Para Arnaldo Cézar Coelho, comentarista da TV Globo, pênalti claro. O Botafogo não desistia e seguia com bolas aéreas. E assim foi recompensado quando a torcida do Vasco já ameaçava gritos de campeão. Aos 49, após a expulsão de Valencia, bate-rebate na área culminou na finalização de Carli. Gol! E o título carioca foi para decisão por pênaltis.

Taças do Rio

Com o campeonato Carioca conquistado após um torneio confuso por seu regulamento, o Glorioso levantou a taça mais importante do estado. Antes, o Flamengo foi campeão da Taça Guanabara e o Fluminense campeão da Taça Rio. Restou ao Vasco ser o único time grande do Rio a terminar o Carioca de mãos vazias, sem sequer vencer um turno. Dos grandes o Vasco foi o grande perdedor este ano.

 

COMO FICA?

O Botafogo volta a ser campeão carioca depois de cinco anos e agora acumula 21 títulos da competição. Com 34, o Flamengo é o maior vencedor, seguido por Fluminense (31) e Vasco (24).

QUE VENHA O BRASILEIRÃO!

Campeão carioca, o Botafogo estreia no Campeonato Brasileiro na segunda-feira, dia 16, diante do Palmeiras, no Engenhão, às 20h (de Brasília) – antes, encara o Audax Italiano, quinta-feira, às 19h15, em Santiago, pela Copa Sul-Americana. Domingo, o Vasco recebe o Atlético-MG, às 16h, em São Januário.

Com Globoesporte.com

Portela é campeã do carnaval Carioca 33 anos depois

Em uma disputa acirradíssima com a Mocidade a escola de Madureira ganha seu vigésimo segundo título

Foi no último quesito que a escola de Madureira deu fim ao jejum de 33 anos. Desde 1984 sem vencer, a azul e branco venceu no último quesito, enredo, e passou a Mocidade em uma linda disputa.

A Portela terminou a apuração com 269,9 pontos, apenas um décimo a mais do que a escola que ficou em segundo lugar, a Mocidade Independente de Padre Miguel, com 269,8.O Salgueiro ficou em terceiro, com 269,7 pontos. A escola de Padre Miguel deu orgulho. Após anos sem estar entre as primeiras, a Mocidade era a campeã até o penúltimo quesito. Mas, a escola de Madureira levou a melhor no fim.

A Portela levou ao sambódromo um enredo que contou a relação histórica entre a humanidade e os rios, passando também por lendas e religiões.

unnamed

As escolas de samba são avaliadas em nove quesitos: alegorias e adereços, bateria, fantasia, samba-enredo, comissão de frente, evolução, harmonia, mestre-sala e porta-bandeira e enredo.

Apuração

No início da apuração, as escolas Portela e Mangueira lideravam, com a leitura de quatro dos nove quesitos. Depois, a Mocidade assumiu a ponta.

A Unidos da Tijuca e Paraíso de Tuiuti tiveram as piores notas nos quesitos alegorias e adereços, possivelmente devido aos acidentes envolvendo carros alegóricos das duas escolas. Unidos da Tijuca foi a única escola de samba do Rio punida durante a apuração. A escola perdeu um décimo por estourar o tempo do desfile.

Resultado final

1º Portela – 269, 9 pontos
2º Mocidade – 269,8 pontos
3º Salgueiro – 269,7 pontos
4º Mangueira – 269, 7 pontos
5º Grande Rio – 269, 4 pontos
6º Beija Flor – 269, 2 pontos
7º Imperatriz – 268, 5 pontos
8º União da Ilha – 267, 8 pontos
9º São Clemente – 267, 4 pontos
10º Vila Isabel – 267, 4 pontos
11º Unidos da Tijuca – 266,8 pontos
12º Tuiuti – 264,6 pontos

As seis primeiras colocadas se apresentam novamente no Desfile das Campeãs, no próximo sábado (4).

Rebaixamento

Este ano, nenhuma escola foi rebaixada para o grupo de acesso por decisão da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) motivada por acidentes que deixaram feridos durante a passagem da Paraíso do Tuiuti e da Unidos da Tijuca.

Em 2016, a grande vencedora do carnaval do Rio de Janeiro foi a Mangueira. O segundo e terceiro lugar ficaram com a Unidos da Tijuca e a Portela, respectivamente.

Uma fila gigantesca e nada de informação concreta

Redes sociais

Atualizado 15/08 às 02:05

Slide2

Muitas pessoas foram ontem sexta – feira (14) ao Sindicato dos Trabalhadores na Industria e Construção Civil (Sintracomm), ao lado da Casa & Vídeo, na rua Ismael Cavalcante.

Desde as primeiras horas da manhã, essas pessoas enfrentaram um calor intenso, na promessa que as vagas ali disponíveis eram para a empresa Carioca que atua no ramo da construção civil. Apesar de receber os currículos, o sindicato não dava maiores informações aos candidatos ali presentes, segundo relatos.

Entramos em contato com a empresa Carioca, em seu escritório em São Cristovão. Obtivemos a resposta de que a empresa não tem conhecimento de entrega de currículos no sindicato e sequer estão empregando na região de Itaguaí. A empresa ainda alegou que irá tomar as devidas providencias para apurar o caso.

O blog deixa seu espaço aberto para a empresa e o sindicato em questão para maiores esclarecimentos.

Empresa Carioca, telefone 39239850 

Tentamos contato telefônico com o sindicato, porém não obtivemos êxito até o momento.

 Sintracomm Itaguaí –  2687-6218

Foto Diana Oliveira, grupo Boca no Trombone Itaguaí no Facebook