Arquivo da categoria: Vida

Continuam as buscas por desaparecida após tragédia em Mangaratiba

Família busca apoio e autoridades seguem a procura da moça

O corpo de bombeiros e a defesa civil de Mangaratiba continuam as buscas para tentar encontrar Flávia Lima de 27 anos, que desapareceu após a tragédia ocorrida na última sexta-feira (6), com o desabamento do trecho da Estrada São João Marcos (RJ- 149) na Serra do Piloto.

Segundo o relato do namorado, eles haviam sido tragados pela cratera na hora do desabamento e que somente ele havia conseguido sair. As buscas estão sendo realizadas desde então na cachoeira dos escravos, que encontra-se com alto volume de água – devido as chuvas, dificultando o trabalho dos agentes. Também foram realizadas buscas na mata e no mar, na saída da boca da barra. A procura tem sido feita com a ajuda de cães e drones. O Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros da Barra também está colaborando. 

Nas redes sociais, a comoção e o apoio aos familiares é imensa na luta para encontrar Flávia.

Com site da prefeitura de Mangaratiba

Leia mais:

Fortes chuvas causam deslizamento de terra e interdição de estrada que dá acesso a Serra do Piloto em Mangaratiba

Após chuva estrada cede 10 metros em Mangaratiba

 

 

Anúncios

Guardas municipais socorrem menor no Parque Municipal

Em patrulhamento no parque municipal no Centro de Itaguaí na tarde de ontem (08/02), os guardas da ordem pública socorreram uma menor que parecia ter consumido drogas. Após aguardar por muito tempo a equipe de bombeiros e a Samu, os guardas decidiram levar a vitima para o hospital São Francisco Xavier na viatura. A família foi comunicada, mas ainda não sabemos o estado da adolescente.

 

Secretaria de Saúde dá continuidade à vacinação contra a febre amarela

Crianças entre nove meses e dois anos de idade são vacinadas nas unidades de saúde. Adultos não precisam ter pressa. 200 doses são disponibilizadas por dia, mas campanha nacional à partir de 19 de fevereiro garantirá vacinas a todos

A vacinação contra o vírus da febre amarela teve continuidade nesta segunda-feira (15/01). A aplicação da vacina é voltada a todos os moradores do município aptos a receber a dose e está ocorrendo no posto Vigilância em Saúde, no Centro, de segunda a sexta-feira, a partir das 9h. São aplicadas diariamente 200 doses. Crianças com idade entre nove meses e menores de dois anos continuam sendo vacinadas nas unidades de saúde que possuem salas de vacinação.

A auxiliar administrativa Alessandra Costa Pacheco, de 30 anos, o seu filho Davi Pacheco Cordeiro, de 7, e a irmã Aline Costa Pacheco, de 36, receberam a vacina. A família mora no bairro Brisamar.

“A vacina é uma prevenção contra a doença. Essa é a primeira vez que nos vacinamos contra a febre amarela”, contou Alessandra.

Todas as pessoas que desejarem receber a vacina contra a febre amarela devem comparecer ao posto com o documento de identidade e a carteira de vacinação. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, em 2017, 14 mil pessoas foram vacinas contra a febre amarela. Este ano, o município tem a meta de fazer 100% da cobertura vacinal nas pessoas aptas a receber a dose.

Onde vacinar crianças de nove meses a dois anos

Posto Centro (às terças-feiras); Vila Margarida (às sextas-feiras); Monte Serrat (às terças-feiras); Vila Geny (às quartas-feiras, pela manhã); Vista Alegre (às quintas-feiras, pela manhã); Chaperó (quartas e quintas-feiras, pela manhã); ESF Coroa Grande (às quartas-feiras); Clínica da Família (segunda e quartas-feiras); ESF Odenit Maia (às segundas-feiras); ESF Mazomba (às quartas-feiras).

Fonte: Prefeitura de Itaguaí com edições do blog Boca no Trombone Itaguaí

Hospital São Francisco Xavier é fechado é só atende riscos de vida

Em 19/12/2017 às 20:00 e atualizado em 20/12/2017 às 21:00

Caos total. O Hospital Municipal São Francisco Xavier, único em Itaguaí fechou as portas no começo da noite de hoje (19/12). Médicos sem materiais básicos para atender os pacientes e com salários atrasados foram obrigados a paralisarem os atendimentos. Eles foram a delegacia abrir registro sobre a precariedade do serviço, falta de condições de trabalho, falta de insumos básicos e afins. Os clínicos gerais de plantão hoje,  não foram trabalhar devido à falta de pagamento. Apenas casos graves com risco de vida estão sendo atendidos num hospital que não conta também com nenhum tipo de segurança, já que a prefeitura demitiu os guardas municipais por ordem judicial após irregularidades nas contratações.

Itaguaí que já não conta desde 2016 com a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), agora não tem mais nenhum local para atendimentos de emergência. Verbas para a saúde e algumas específicas para reabir a UPA foram destinadas de Brasíla, mas ainda não se sabe como e se essa verba foi usada na saúde da cidade. O hospital enfrente graves problemas desde 2014 e entra governo e sai governo deixando os problemas cada vez maiores.

A cidade de Itaguaí vive a sua maior crise na história. A prefeitura gasta com pagamento de altos salários de secretários e subsecretários municipais, prefeito, vereadores, comissionados além de altos adicionais de mérito, enquanto deixa servidores efetivos entre eles médicos com salários atrasados e um hospital sem qualquer recurso para atender os pacientes. O Ministério Público e a justiça estão de olho em Itaguaí e providências sérias devem ser tomadas, entre elas a cassação do atual prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (PMDB) por improbidade administrativa.

Entramos os em contato com a prefeitura e através de email  a secretaria de Saúde de Itaguaí esclareceu que o Hospital Municipal São Francisco Xavier (HMSFX), está funcionando normalmente.

Leia mais:

Prefeitura de Itaguaí gasta quase 90% de seu orçamento com pessoal

Em 57 municípios do Rio, prefeituras gastaram mais de 48% do orçamento com pessoal

Em Itaguaí, esse índice é de 86%; limite é de 54%

Servidores comissionados em Itaguaí dobra em relação a janeiro neste final de ano

Secretaria de Saúde leva programa de vacinação para alunos de escola particular em Itaguaí

Iniciativa teve como objetivo atualizar a caderneta do adolescente

 

Fotos: Rui Okada

 

A Secretaria de Saúde de Itaguaí está colocando em prática um programa de atualização da caderneta do adolescente, destinado aos alunos das escolas particulares da cidade. O objetivo é imunizar os estudantes que muitas vezes não procuraram os postos de vacinação para receber  dose das vacinas  contra o HPV, meningite C, febre amarela, hepatite B, triviral entre outras.

A ação é pioneira no município e outras escolas estão sendo contatadas para receberem a equipe de vacinação da secretaria. Segundo a coordenadora de Imunização de Itaguaí, Núbia Grazziela, a falta de atualização da caderneta dos alunos de escolas particulares é muito grande.  “A maioria dos alunos das unidades de ensino público tem a caderneta em dia, são poucos aqueles que não foram imunizados. No entanto, a realidade é diferente do estudante das escolas particulares, onde muitos deixam de ser vacinados”, explica.

A primeira escola que participou do projeto foi a União Educacional Sul Fluminense (UESF), no Centro, na última quinta-feira (10/8). Durante todo o dia estudantes, funcionários e até os pais aproveitaram a oportunidade para serem vacinados. “Encontramos vários alunos que não estavam com a vacinação em dia. A receptividade foi muito boa e a procura grande. Acredito que o atraso na caderneta do adolescente ocorra até pela falta de tempo dos responsáveis em procurar uma unidade de saúde de Itaguaí”, revela a coordenadora de imunização.

Pais e escola aprovam o programa

A proposta de levar à escola o programa de vacinação recebeu a aprovação não só dos pais dos alunos da UESF, como da própria direção. Para a coordenadora Pedagógica, Solimar Oliveira, o programa deve atender toda rede privada de educação. “Achei ótima a ideia trazer para a nossa escola a vacinação. Muitas vezes os pais não tem tempo para irem a um posto de saúde vacinar os filhos. Com este programa, fica mais fácil. Espero que as outras escolas adotem o mesmo procedimento, porque é muito importante”, afirma.

Para a dona de casa Janaína Prata, a iniciativa da Secretaria de Saúde foi positiva. “Achei ótimo trazer para a escola a vacinação. Minha filha de 13 anos colocou em dia a caderneta do adolescente, já que faltavam algumas vacinas. Ela, como os outros estudantes, podem ficar tranquilos porque estão vacinados. Conversei com vários pais que apoiaram o projeto da Secretaria de Saúde. Foi bom também porque até os pais puderam se vacinar. Espero que este tipo de ação seja constante e atenda todas as escolas da cidade”, finaliza.

Fonte: Prefeitura de Itaguaí

Ministério da Saúde incentiva empresas a ampliar a licença-paternidade para 20 dias

Campanha de amamentação deste ano visa sensibilizar sobre o papel do pai na garantia do aleitamento do bebê. Foi lançado documento que orienta empresas a concederem o benefício

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, lançou nesta última sexta-feira (4), em Curitiba (PR), documento para orientar pais e empresas sobre o benefício da licença-paternidade estendida. Pelo novo Marco Legal da Primeira Infância (Lei nº 13.257/2016), os pais podem prorrogar de 5 para mais 15 dias o período desde comprovado o seu envolvimento com o desenvolvimento do bebê. A campanha nacional de amamentação deste ano sensibiliza para o maior envolvimento do homem nesta etapa de cuidado com o filho, bem como maior proximidade com a mãe.

Confira aqui a apresentação divulgada no lançamento da Semana Nacional de Amamentação

Assista também o vídeo da Campanha Nacional de Amamentação

A partir do documento elaborado pelo Ministério da Saúde, para que as empresas dentro do Programa Empresa Cidadã concedam o benefício, os pais podem entregar os seguintes comprovantes:

Declaração do profissional de saúde informando a participação do pai no pré-natal, em atividades educativas durante a gestação, ou visita à maternidade. Também poderá ser entregue comprovante do curso online Pai presente: cuidado e compromisso promovido pela pasta.

“Quanto mais tempo as crianças são amamentadas, mais elas adquirem resistência às doenças e intensificam sua relação afetiva com a mãe. Este ano, estamos envolvendo também os pais nesta fase. Por isso, estamos apoiando a ampliação da licença-paternidade daqueles pais que são envolvidos com os cuidados das crianças, para que possam cada vez mais auxiliar as mães, criando um ambiente de conforto e condições adequadas para esta prática tão importante, que é a amamentação”, ressaltou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Durante o evento, foi apresentada a Campanha Nacional de Aleitamento Materno de 2017 em alusão a semana mundial de amamentação comemorada de 1º a 7 de agosto em mais de 170 países. Com o slogan “Amamentar: ninguém pode fazer por você. Todos podem fazer junto com você”, a campanha tem como objetivo fortalecer a participação e o cuidado de pais, familiares, empresas, educadores e toda a sociedade no processo de aleitamento, garantindo a alimentação exclusiva com leite materno até os seis meses de vida. Esta orientação é preconizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Participaram do lançamento mães e pais, além de representantes da Sociedade Brasileira de Pediatria, Organização Mundial da Saúde, e outras autoridades. Neste ano, o padrinho da Campanha é o ator Marcio Garcia, pai de quatro filhos. A amamentação é  capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas preveníveis em crianças menores de 5 anos.

HOSPITAL AMIGO DA CRIANÇA – Na ocasião, o ministro da Saúde, Ricardo Barros também assinou a habilitação de 28 instituições na Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), em todo o país, duas delas do Paraná. A medida tem como objetivo diminuir a mortalidade infantil por meio do estímulo à prática da amamentação, além de mobilizar e capacitar profissionais de saúde na atenção ao aleitamento materno, buscando evitar o desmame precoce. A iniciativa terá  impacto financeiro de R$ 4 milhões em 2017.

SALAS DE APOIO À AMAMENTAÇÃO – Ainda na solenidade, o ministro entrega 10 placas de certificação às empresas, privadas e públicas, que implantaram Salas de Apoio à Amamentação no estado do Paraná. Atualmente, o país possui 200 salas certificadas pelo Ministério da Saúde em todo o país, com capacidade de beneficiar até 140 mil mulheres. Em 2014 eram 16 salas de apoio à amamentação.

A ação surgiu em 2010, com o objetivo de apoiar a mulher que retorna da licença-maternidade e deseja continuar amamentando o filho. As Salas de Apoio à Amamentação são locais simples e de baixo custo para as empresas, onde a mulher pode retirar o leite durante a jornada de trabalho e armazená-lo corretamente para que ao final do expediente possa levá-lo para casa e oferece-lo ao bebê.

Para receber a certificação do Ministério da Saúde, os locais precisam estar dentro dos parâmetros definidos pela pasta. O ambiente passa por uma vistoria técnica para garantir que a infraestrutura seja adequada antes de conceder o certificado.

O leite materno tem tudo o que o bebê precisa até os 6 meses, inclusive água. O alimento também é capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de 5 anos, além de proteger a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Outro benefício é reduzir o risco de desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade na vida adulta.

No Brasil, 67,3% das crianças mamam na primeira hora de vida e a duração média
do aleitamento exclusivo é de 54 dias, e 41% das crianças menores de seis meses tiveram alimentação exclusivamente por leito materno.

BANCOS DE LEITE HUMANO – Os bancos de leite humano (BLH) são umas das principais iniciativas do Ministério da Saúde para a redução da mortalidade infantil. Atualmente, o Brasil conta com 221 Bancos de Leite e 188 Postos de Coleta, além da coleta domiciliar. Todos os estados brasileiros possui, pelo menos, um BLH. Desde 2011, mais de 8 milhões de mulheres receberam algum tipo de assistência dentro da rede de bancos de leite humano.

O Brasil possui a maior e mais complexa rede de banco de leite do mundo. O modelo brasileiro de bancos de leite humano é focado na promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno, exclusivo, até os seis meses e continuidade da amamentação por dois anos ou mais. Além de coletar e distribuir leite humano de qualidade a bebês prematuros e de baixo peso, contribuindo para a diminuição da mortalidade infantil.

Fonte:  Ministério da Saúde

Moradores fazem protesto contra possíveis mudanças em posto 24 horas em Chaperó

 

Moradores de Chaperó realizaram na última quarta – feira (02), um manifesto em frente à Unidade Básica de Saúde do bairro, UBS Chaperó. Segundo eles, chegaram informações de que haveriam alterações no funcionamento da unidade de saúde, entre estas o fim do atendimento 24h.

A localidade distante do Centro, depende do posto, já que todo o transporte de um paciente custaria tempo e dependendo da gravidade contribuir muito com um óbito até.

Segundo a equipe do jornal ATUAL, durante a manifestação, foram constatados três fatos relacionados ao atendimento na UBS Chaperó:

– O médico saiu por volta das 16h, porém o horário informado de atendimento do clínico geral seria até às 17h; um homem que chegou às pressas na unidade de saúde, em busca do primeiro atendimento para um corte na mão, teve inicialmente o atendimento recusado, porém observando a presença da equipe do ATUAL no local, chamaram o senhor de volta e o levaram para o interior da unidade. Ele estaria sendo atendido por um médico ginecologista segundo moradores; e, por fim, observamos uma mãe que chegou com o filho a procura de um pediatra, mas não conseguiu o atendimento.

Uma das pessoas que se manifestaram, na tarde de ontem, era a cozinheira Quele Pasquale Dias, mãe de uma criança portadora de deficiência. “Minha filha é deficiente visual, ela tem convulsões frequentes. Já teve casos de ela ter convulsão à noite e ser atendida aqui. Com essas alterações na UBS, a gente corre o risco de ela passar mal e não dar tempo de chegar lá no centro com ela. Sem contar que de dia eles só atendem quem está com horário marcado”, destacou a manifestante.

Segundo os moradores, as alterações começaram a ser aplicadas na unidade de saúde a partir do dia 20 de julho. “Eles tiraram o atendimento 24h e agora só fica aí uma ambulância, que não é UTI móvel, e uma enfermeira à noite. Não tem condição! Se a gente passar mal e o trem estiver passando, o que vamos fazer?”, questionou a cozinheira Quele Pasquale.

Um dos moradores de Chaperó e líder comunitário, Wagner Franklin, afirmou que já havia protocolado vários ofícios na prefeitura sobre a UBS, mas não adiantou. “Nós temos passado por grandes problemas nesse posto. Já aconteceram casos de faltar médico aqui e eu ir à secretaria de saúde. Oito meses atrás morreu o Bruno Oliveira, eu ajudei a trazer ele aqui. Ele teve um problema cardíaco, não tinha desfibrilador, a ambulância não tinha UTI móvel, era uma ambulância comum e ele não resistiu”, relembrou o líder comunitário.

 

Resposta da prefeitura

O blog Boca no Trombone Itaguaí entrou em contato através de email com a prefeitura. A assessoria de imprensa relatou que a Secretaria de Saúde de Itaguaí esclarece que a Unidade Básica de Saúde (UBS) Chaperó funciona 24 horas. O modelo adotado para o posto daquela localidade foi definido por uma equipe técnica que levou em conta as necessidades da população da região. Vale ressaltar que a UBS Chaperó conta ambulância, informou a nota.

Fonte: Jornal Atual com edições de matéria pelo blog Boca no Trombone Itaguaí