Arquivo da categoria: Vacinação

Angra dos Reis começa vacinação contra sarampo e poliomielite

Crianças entre um e cinco anos de idade formam o público-alvo. Todos devem se vacinar, mesmo aqueles que já tomaram uma ou mais doses

Teve início hoje (6) a Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo e a Poliomielite. A ação vai até o dia 31 de agosto, imunizando crianças com idade entre um e cinco anos. A Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Saúde, promove a vacinação em unidades de saúde em todos os distritos do município, inclusive na Ilha Grande, sempre de 8h30 às 16h. O Ministério da Saúde alerta sobre a importância da vacina considerando a volta do sarampo no Brasil e a ameaça de poliomielite.
Todas as crianças entre um e cinco anos de idade devem ser vacinadas, mesmo aquelas que já tenham tomado uma ou mais doses. Para crianças que já tomaram a vacina contra a poliomielite é aplicada apenas a vacina oral, a famosa “gotinha”. Os pais ou responsáveis devem ficar atentos, pois não podem se vacinar aqueles que tenham tomado alguma outra vacina nos últimos 30 dias.
– Tanto o sarampo quanto a poliomielite são doenças graves e contagiosas, que podem matar e deixar sequelas graves. A vacina, além de ser um direito das crianças e um dever dos pais, é a única maneira de combater e prevenir estas doenças – explicou o diretor de Saúde Coletiva de Angra dos Reis.

Confira abaixo a lista das unidades que realizam a vacinação:

1º Distrito:

CEM Centro;
Carioca;
Morro da Cruz;
Santo Antônio;
Balneário;
Praia do Anil;
Santa Casa;
Sapinhatuba I;
Sapinhatuba II;
Sapinhatuba III;
Perez;
Morro da Caixa D’água ( funciona dentro do Cem Centro).

2º Distrito:

CEM Japuíba;
Nova Angra I;
Areal I;
Areal II;
Belém;
Gamboa;
ESF Japuíba;
Encruzo da Enseada;
Campo Belo 1 e 3;
Banqueta;
Serra D’água;

3º Distrito:

Camorim Pequeno;
Camorim Grande I e II( compartilham a mesma sala de vacina) ;
Jacuecanga (ESF 1,2,3, e SPA);
Monsuaba;
Caputera;
Cantagalo;
Portogalo;
Petrobras.

4º Distrito:

Bracuhy;
Vila Histórica;
Boa Vista;
Hospital Praia Brava;
Frade I e II;
SPA Frade;
Frade Praias;
Frade Morro da Constância;
Frade V;
Módulo I;
Módulo II;
Módulo III;
Módulo IV;
Módulo VI;
SPA Perequê.

5º Distrito:

Abrãao;
Marítima;
Provetá;
Araçatiba;
Enseada das Estrelas.

Fonte: Prefeitura de Angra dos Reis

Anúncios

Sarampo serve de alerta sobre vacinas em adultos

Quatro imunizações são obrigatórias, entre 20 e 59 anos e estão disponíveis em todos os postos de saúde

No momento em que as secretarias de Saúde do Rio analisam mais de 15 casos suspeitos de sarampo, sendo um já confirmado em adulto, a imunização, principalmente após a maioridade, acende um alerta. Portanto, se você nem se lembra qual foi a última vez em que viu o seu Cartão de Vacinação, está na hora de procurar. Na faixa entre 20 a 59 anos, quatro vacinas são obrigatórias e estão disponíveis nos postos de saúde.

A famosa ‘antitetânica’ é uma das mais esquecidas. Essa imunização é feita a partir da infância, mas muitos não se lembram de que ela deve ser reforçada a cada dez anos. “Geralmente a pessoa só lembra quando se machuca. A mulher é lembrada pelo obstetra ao engravidar e o homem faz ao ingressar nas Forças Armadas. Mas é importante ficar atento e fazer os reforços no tempo certo”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Cristina Lemos.

Na infância, é dada a tríplice antibacteriana, que protege contra coqueluche, difteria e tétano. Na idade adulta, o reforço dado é a dupla adulto, contra difteria e tétano. Além da dose padrão a cada dez anos, existe a possibilidade de ser dado um reforço em caso de ferimentos (punções e cortes). A necessidade ou não da vacina deve ser avaliada por um médico. O tétano é uma doença infecciosa grave e pode ser fatal.

“Nós já tomamos todas as vacinas. Só estava faltando a tríplice. Agora estamos mais tranquilos e protegidos”, disse Nivia Glória, que foi ao Centro Municipal de Saúde Heitor Beltrão, na Tijuca, no fim de semana, acompanhada do marido, Diogo Santos, de 37 anos, e do filho de 1 ano. “É uma questão de consciência e cidadania. Se a gente não nos proteger, quem vai? Agora todos os cartões de vacinação da família estão em dia”, destacou Leonardo Correia, 38, ao lado da mulher e dos dois filhos de 7 e 11 anos.

Na lista de vacinas importantes, a Hepatite B também deve ser prioridade na fase adulta. “Isso porque a recomendação é que sejam dadas três doses da vacina, o que nem sempre é feito”, explicou Cristina. A doença é sexualmente transmissível. Caso o esquema de vacinação não tenha sido completado na infância, é importante colocar em dia assim que possível.

A volta do sarampo ao Brasil, que estava erradicada desde 2015, aumentou a procura por informações sobre como se prevenir. Entre os casos em análise no Rio, estão adultos, como os quatro alunos da UFRJ que ficaram doentes no mês passado. A imunização, neste caso, está a tríplice viral, que também protege contra caxumba e rubéola. Para quem nunca foi vacinado, são duas doses até 29 anos e uma dose entre 30 a 49. A vacina não é dada para adultos com mais de 49 anos por razões imunológicas. Ainda na conta de prevenção, está a febre amarela, que é distribuída em dose única.

Como o calendário de imunização é mais intenso na infância, é comum que os adultos percam seus cartões de vacinação. Nesse caso, segundo a superintendente, o primeiro passo é recuperá-lo. “É importante resgatar essas informações, tentar lembrar em qual posto de saúde foi atendido”, explicou. “Se a pessoa não tiver comprovação, deve fazer o esquema básico de vacinação todo de novo. E a vacina é um medicamento, causa reações adversas, é melhor não ficar fazendo sem necessidade”, completou.

Fonte: O Dia

Primeiro dia de vacinação contra a gripe tem boa procura em Itaguaí

Meta do município é vacinar 90% do grupo prioritário

Fotos: Rui Okada

A Secretaria de Saúde de Itaguaí iniciou nessa terça-feira (24/4) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Durante todo o dia a procura nas unidades incluídas na programação (ver abaixo) foi grande. A meta para esse ano é vacinar 90% do grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde.

“O primeiro dia sempre tem uma boa procura. Isso mostra que a população está consciente da importância da vacinação. Ano passado o município foi o primeiro do Estado a atingir a meta de imunização. A gente vem trabalhando para repetir o sucesso em 2018”, destacou a coordenadora de Imunização, Nubia Grazziela.

No posto da Vigilância em Saúde, no Centro, a vacinação aconteceu de forma tranquila. Moradora de Itaguaí, Esmeralda Sabino de Lima, 65 anos, aproveitou para se imunizar contra a gripe logo no primeiro dia.

“Sempre que tem campanha procuro me vacinar o quanto antes. É difícil eu ficar gripada, mas não podemos brincar com a saúde”, disse Esmeralda.

A campanha de vacinação contra a gripe vai até 1º de junho. No dia 12 de maio será realizado o Dia D.

Devem tomar a vacina contra a gripe

Crianças de seis meses a cinco anos; gestantes; mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias; pessoas com mais de 60 anos; profissionais da saúde; professores da rede pública e particular; população indígena; portadores de doenças crônicas, como diabetes, asmas e artrite reumatoide (com prescrição médica); Indivíduos imunossuprimidos, como pacientes com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia (com prescrição médica); e portadores de trissomias, como síndrome de Down e de Klinefeite (com prescrição médica).

A coordenadora de imunização Nubia Grazziela faz um alerta para dois grupos prioritários: crianças de seis meses a cinco anos e gestantes.

“Em relação às crianças, temos que frisar que a vacinação é realizada em duas doses, mas muitos pais ou responsáveis esquecem de retornar com o menor de idade para tomar a segunda dose. No caso das gestantes, não há necessidade de autorização médica”, explica a coordenadora.

Influenza

A influenza é uma doença respiratória infecciosa que pode causar complicações, principalmente em indivíduos que se encontram no grupo prioritário que ainda não estejam imunizados.

Relação dos postos – Programação

Clínica da Família – Quinta-feira

ESF Chaperó – Quarta e Quinta-feira

ESF Mazomba – Terça e Quinta-feira

ESF Odenit Maia – Segunda, Quarta, Quinta e Sexta-feira

ESF Coroa Grande – Segunda a Sexta

UBS Califórnia – Terça e Quarta-feira

UBS Chaperó – Terça e Quinta-feira

UBS Mangueira – Terça e Sexta-feira

UBS Monte Serrat – Quinta-feira

UBS Vista Alegre – Segunda e Quarta-feira

UBS Vila Margarida – Segunda e Quarta-feira

Vigilância em Saúde – Segunda a Sexta-feira

É importante lembrar que cada unidade de saúde possui sala de vacina funcionando em horário específico. A população deve se informar na unidade mais próxima de casa.

Fonte: Prefeitura de Itaguaí

ITAGUAÍ INICIA HOJE CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA GRIPE

A mobilização acontecerá até o dia 1º de junho em 12 unidades de saúde

 

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, causador da gripe, terá início nesta terça-feira (24/4) em Itaguaí. A Secretaria Municipal de Saúde disponibilizará 12 postos para imunização da população. A vacina disponibilizada pelo governo federal é a trivalente, que previne a contaminação pelos vírus A/H1N1, A/H3N2 e Influenza B.

Devem tomar a vacina contra a gripe: Crianças de seis meses a cinco anos; gestantes; mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias; pessoas com mais de 60 anos; profissionais da saúde; professores da rede pública e particular; população indígena; portadores de doenças crônicas, como diabetes, asmas e artrite reumatoide (com prescrição médica); Indivíduos imunossuprimidos, como pacientes com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia (com prescrição médica); e portadores de trissomias, como síndrome de Down e de Klinefeite (com prescrição médica).

 

A campanha de vacinação contra a gripe vai até o dia 1º de junho.

 

Influenza

 

A influenza é uma doença respiratória infecciosa que pode causar complicações, principalmente em indivíduos que se encontram no grupo prioritário que ainda não estejam imunizados.

 

Relação dos postos

Clínica da Família – Quinta-feira

ESF Chaperó – Quarta e Quinta-feira

ESF Mazomba – Terça e Quinta-feira

ESF Odenit Maia – Segunda, Quarta, Quinta e Sexta-feira

ESF Coroa Grande – Segunda a Sexta

UBS Califórnia – Terça e Quarta-feira

UBS Chaperó – Terça e Quinta-feira

UBS Mangueira – Terça e Sexta-feira

UBS Monte Serrat – Quinta-feira

UBS Vista Alegre – Segunda e Quarta-feira

UBS Vila Margarida – Segunda e Quarta-feira

Vigilância em Saúde – Segunda a Sexta-feira

 

É importante lembrar que cada unidade de saúde possui sala de vacina funcionando em horário específico. A população deve se informar na unidade mais próxima de casa.

Tire suas dúvidas clicando aqui

Itaguaí tem Dia D contra febre amarela neste sábado (27)

População poderá se vacinar em 12 pontos de atendimento, das 8h30 às 16h

O Dia D de vacinação contra a febre amarela acontece neste sábado (27/1), em 12 postos de Itaguaí definidos pela Secretaria de Saúde do município. A população poderá se imunizar a partir das 8h30 até às 16h. A mobilização tem como objetivo chamar a atenção dos moradores para a importância de se vacinar contra a doença.

“Todos aqueles que forem a uma unidade de saúde para serem vacinados devem levar um documento de identidade com foto, em caso de criança a certidão de nascimento”, orienta a coordenadora de vacinas, Núbia Graziella.

 

 

Contraindicações

 

A vacina da febre amarela não deve ser tomada por:

 

Pessoas com alergia a ovo

 

– Mulheres em qualquer fase de gestação

 

– Mulheres amamentando bebês com idade abaixo de 09 meses

 

– Pacientes em tratamento com radioterapia/quimioterapia

 

– Pacientes que fazem tratamento com corticóides

 

– Pacientes submetidos a tratamento com imunossupressores

 

– Pacientes portadores de doenças autoimunes

 

– Bebês com idade abaixo de 09 meses

 

– Pacientes que já tomaram a vacina anteriormente

 

– Pacientes portadores de doenças hepáticas, hematológicas, renais e neoplásicas

 

– Pacientes portadores de HIV/AIDS (apenas com avaliação médica)

 

– Idosos (apenas com avaliação médica)

 

 

 

Locais de vacinação para o Dia D

 

– Vigilância em Saúde (Rua Reverendo Otávio Luiz Vieira, 262 – Centro)

 

– Posto Centro (Rua Gilson Braga, s/nº – Centro)

 

– Clínica da Família (Rua Visconde de Mauá, s/nº – Ibirapitanga)

 

– UBS Chaperó (Estrada do Chaperó, 21 – Gleba A – Chaperó)

 

– UBS Vista Alegre (Estrada do Teixeira, s/nº – Qd: 52 Lt: 14/15)

 

– UBS Califórnia (Rua Nossa Senhora das Graças, s/nº – Qd: 120 Lt: 02/03 – Califórnia)

 

– UBS Vila Geny (Rodovia Rio Santos BR 101, s/nº – Qd: 13 Lt: 22, 23 e 24 – Nossa Senhora das Graças)

 

– UBS Monte Serrat (Rua Kaisser Abraão, s/nº – Qd: 09 – Loteamento Progresso)

 

– ESF Odenit Maia (Rua Estados Unidos, s/nº – Jardim América)

 

– ESF Santa Cândida (Rua Pajé, 01 – Santa Cândida)

 

– ESF Mazomba (Estrada de Mazomba, 700 – Mazomba)

Quais são os grupos que não devem tomar a vacina da febre amarela – e como podem se proteger

O Brasil vive o maior surto de febre amarela silvestre das últimas décadas, segundo o Ministério da Saúde. Por isso, o governo federal iniciou uma campanha emergencial de vacinação com o objetivo de imunizar cerca de 20,6 milhões de pessoas nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, novas áreas de concentração da doença, entre janeiro e março.

A preocupação decorre dos números. No primeiro semestre do ano passado, foram confirmados 777 casos em 21 Estados e no Distrito Federal. No segundo, foram 35 em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Distrito Federal – 145 ainda estão em investigação.

No entanto, diferentes grupos – como gestantes, idosos, pessoas em quimioterapia e em determinados tratamentos de saúde – não podem receber a vacina por causa dos riscos de reações graves.

 

Abuso sexual e transtorno bipolar marcaram a difícil vida de Dolores O’Riordan, vocalista do Cranberries

‘Evito as redes sociais pela mesma razão que evito as drogas’, diz o criador da realidade virtual

 

Para esses indivíduos, a orientação é evitar picadas de mosquitos por meio do uso de camisas de mangas longas e calças compridas, mosquiteiros e repelentes – grávidas e mães de recém-nascidos, contudo, devem buscar orientação sobre possíveis reações alérgicas a essas substâncias. Se possível, é recomendado ainda buscar telas antimosquitos para os cômodos da casa.

A febre amarela causa sintomas como dor de cabeça, febre baixa, fraqueza e vômitos, dores musculares e nas articulações. Em sua fase mais grave, pode causar inflamação no fígado e nos rins, sangramentos na pele e levar à morte.

Transmitida pelos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, a forma silvestre da doença é a variedade que ainda provoca surtos no Brasil. O país não registra casos de febre amarela urbana, transmitida pelo Aedes aegypti, desde 1942.

A BBC Brasil conversou com diferentes especialistas sobre quem pode e quem não deve se vacinar – e por quê. Confira.

 

Por que há contraindicação para algumas pessoas?

 

A vacina contra a febre amarela é considerada altamente segura. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), dos EUA, eventos adversos sérios, que põem em risco a vida do paciente, ocorrem em 1 a cada 250 mil pessoas vacinadas.

Mas em determinados grupos de pacientes, como aqueles que estão com o sistema imunológico debilitado ou que têm alergias a elementos do ovo, a imunização pode causar problemas graves.

Esses efeitos ocorrem porque o imunizante contra a febre amarela possui o vírus vivo atenuado, que desaparece do organismo três semanas após a vacinação, em média.

Em um paciente com um sistema imunológico sadio, a vacina irá provocar as células de defesa para que criem anticorpos contra a doença. Isso significa que esse paciente, ao ser eventualmente picado no futuro por um mosquito infectado, terá os anticorpos necessários para combater o vírus.

 

“Quando a pessoa é vacinada, o vírus inoculado passa a se multiplicar no organismo do paciente. O sistema imunológico então identifica a atividade do vírus e começa a produzir células de defesa para combatê-lo”, explica André Siqueira, pesquisador do Laboratório de Pesquisa Clínica em Doenças Febris Agudas do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), da Fiocruz.

No entanto, se o sistema imunológico do paciente estiver enfraquecido por doenças sérias, como o câncer, a vacina pode criar um quadro semelhante ao da febre amarela em si. Por isso é importante realizar uma triagem antes de tomar a vacina, para garantir que não há contraindicações.

 

Doadores de sangue

Pessoas que pretendem doar sangue devem esperar 30 dias após a vacinação para o procedimento.

O objetivo é evitar que o vírus vivo inoculado, circulante na corrente sanguínea do doador durante as três primeiras semanas após a vacinação, não acabe em um paciente que esteja com o sistema imunológico debilitado e cause reações adversas.

“É uma ação de prevenção que faz parte dos protocolos internacionais”, afirma Regiane Cardoso de Paula, diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.

Ela pede que o doadores procurem os hemocentros do município no qual residam antes do início da campanha de vacinação fracionada no Estado de São Paulo, que começará no dia 29 de janeiro.

É importante lembrar que o risco está para o paciente debilitado que receberá o sangue – e não para o doador.

“Pedimos que as pessoas doem sangue antes do Carnaval, período em que precisamos de doações. Os estoques dos hemocentros já estão baixos, porque janeiro é um período de férias em que as pessoas geralmente estão em viagem”, afirma a diretora.

 

Gestantes e mulheres que amamentam

 

Grávidas e mulheres que estejam amamentando um bebê com menos de seis meses devem buscar orientação médica antes de tomar a vacina. A cautela é para evitar a possibilidade de reações alérgicas graves.

A orientação geral é que essas mulheres só sejam imunizadas se estiverem em área de risco de transmissão da doença.

“O médico vai fazer uma conta de risco e benefício”, diz Cardoso de Paula. “Se a grávida tiver mais de três meses de gestação e estiver próxima do foco da doença, a recomendação é que tome a vacina. Se puder se deslocar para um outro local em que a doença não seja endêmica, podemos avaliar se a vacina é dispensável.”

 

Bebês com menos de 9 meses

 

O Ministério da Saúde recomenda a vacinação apenas para os bebês acima de nove meses de idade. Para aqueles em áreas de alto risco da doença, a recomendação é a partir dos seis meses.

De acordo com Expedito Luna, médico epidemiologista e professor do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo, a razão está na maior probabilidade de efeitos colaterais para crianças nessa faixa etária.

“Nesse grupo, há mais eventos adversos neurológicos e menor imunogenicidade da vacina, o que significa que ela protege menos. Você aplica em cem crianças e vai haver menos proteção e mais efeitos colaterais”, explica.

 

Idosos acima de 60 anos

 

Atualmente, a vacina está recomendada para aqueles entre nove meses e 59 anos de idade.

Idosos acima dessa faixa etária precisam passar pelo médico para avaliar o estado do sistema imunológico e se o risco de serem contaminados pela doença é alto ou não.

De acordo com Luna, desde 2000 foi identificado no Brasil e em outros lugares do mundo que uma pequena proporção daqueles que tomavam a vacina podiam desenvolver um quadro grave, semelhante ao da própria febre amarela.

“No estudo desses raros casos de eventos adversos, identificou-se que era comum entre aqueles acima de 60 anos, com doenças do timo e doenças autoimunes. Isso levou a uma restrição maior no uso da vacina nesses casos.”

 

 

Pessoas com doenças autoimunes

 

Pacientes em radioterapia, quimioterapia ou fazendo uso de corticoide, portadores de doenças autoimunes, como lúpus, doença de Addison e artrite reumatoide, são contraindicados a receber a vacina.

Como estão com o sistema imunológico suprimido pelas condições citadas acima, a vacina contra a febre amarela – assim como de outras em que há o vírus vivo atenuado, como caxumba, varicela, catapora – pode trazer efeitos colaterais graves.

“Em condições normais, o vírus inoculado da vacina não causará nenhum problema – ao contrário, ele irá estimular a criação de anticorpos contra a doença. Mas se houver problemas com a imunidade, pode ocorrer desse vírus atenuado se multiplicar e causar reações adversas”, explica Siqueira, da Fiocruz.

 

Diabéticos

 

Diabéticos com os níveis de glicemia controlados não têm contraindicação para a vacina.

No entanto, aqueles com altos níveis de açúcar no sangue precisam se consultar com um médico antes de se vacinar.

“A vacina pode afetar o sistema imunológico, debilitado pelos altos níveis de glicemia”, afirma Siqueira.

 

Quem pode tomar

 

Todas as pessoas não pertencentes aos grupos citados acima e que vivem em área de risco para a doença, conforme determinado pela Secretaria de Saúde de seu Estado, devem procurar postos de saúde para tomar a vacina.

Pessoas que viajarão para essas regiões também precisam se imunizar – nesse caso, dose deve ser aplicada no mínimo dez dias antes da chegada.

Nos postos, é necessário passar por uma triagem antes da imunização para definir se há ou não contraindicação.

Entre os dias 29 de janeiro e 9 de março, os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia irão realizar uma campanha de vacinação fracionada – o que significa que a dose de febre amarela, de 5 mg, será dividida em cinco partes para ser aplicada em mais pacientes.

De acordo com o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos/Fiocruz), a dose fracionada protege contra a doença por até oito anos. A dose integral, segundo a Organização Mundial de Saúde, vale para a vida toda.

Confira as datas de vacinação dos Estados:

– São Paulo: 29 de janeiro a 17 de fevereiro

– Rio de Janeiro: 19 de fevereiro a 9 de março

– Bahia: 19 de fevereiro a 9 de março

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira as cidades nos três estados com risco de infecção pela doença e que têm recomendação de vacina. A lista completa está no site do órgão.

Vacinação em Itaguaí

Na cidade de Itaguaí, a aplicação da vacina é voltada a todos os moradores do município aptos a receber a dose e está ocorrendo no posto Vigilância em Saúde, no Centro, de segunda a sexta-feira, a partir das 9h. São aplicadas diariamente 200 doses. Muitos moradores tem ido aos postos de saúde para tomar a vacina. A falta de uma comunicação com cartazes ou similar tem feito pessoas aguardarem desde às 04 da manhã em filas nos postos. Nestes locais apenas crianças com idade entre nove meses e menores de dois anos continuam sendo vacinadas nas unidades de saúde que possuem salas de vacinação.

Onde vacinar crianças de nove meses a dois anos

Posto Centro (às terças-feiras); Vila Margarida (às sextas-feiras); Monte Serrat (às terças-feiras); Vila Geny (às quartas-feiras, pela manhã); Vista Alegre (às quintas-feiras, pela manhã); Chaperó (quartas e quintas-feiras, pela manhã); ESF Coroa Grande (às quartas-feiras); Clínica da Família (segunda e quartas-feiras); ESF Odenit Maia (às segundas-feiras); ESF Mazomba (às quartas-feiras).

Secretaria de Saúde dá continuidade à vacinação contra a febre amarela

Crianças entre nove meses e dois anos de idade são vacinadas nas unidades de saúde. Adultos não precisam ter pressa. 200 doses são disponibilizadas por dia, mas campanha nacional à partir de 19 de fevereiro garantirá vacinas a todos

A vacinação contra o vírus da febre amarela teve continuidade nesta segunda-feira (15/01). A aplicação da vacina é voltada a todos os moradores do município aptos a receber a dose e está ocorrendo no posto Vigilância em Saúde, no Centro, de segunda a sexta-feira, a partir das 9h. São aplicadas diariamente 200 doses. Crianças com idade entre nove meses e menores de dois anos continuam sendo vacinadas nas unidades de saúde que possuem salas de vacinação.

A auxiliar administrativa Alessandra Costa Pacheco, de 30 anos, o seu filho Davi Pacheco Cordeiro, de 7, e a irmã Aline Costa Pacheco, de 36, receberam a vacina. A família mora no bairro Brisamar.

“A vacina é uma prevenção contra a doença. Essa é a primeira vez que nos vacinamos contra a febre amarela”, contou Alessandra.

Todas as pessoas que desejarem receber a vacina contra a febre amarela devem comparecer ao posto com o documento de identidade e a carteira de vacinação. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, em 2017, 14 mil pessoas foram vacinas contra a febre amarela. Este ano, o município tem a meta de fazer 100% da cobertura vacinal nas pessoas aptas a receber a dose.

Onde vacinar crianças de nove meses a dois anos

Posto Centro (às terças-feiras); Vila Margarida (às sextas-feiras); Monte Serrat (às terças-feiras); Vila Geny (às quartas-feiras, pela manhã); Vista Alegre (às quintas-feiras, pela manhã); Chaperó (quartas e quintas-feiras, pela manhã); ESF Coroa Grande (às quartas-feiras); Clínica da Família (segunda e quartas-feiras); ESF Odenit Maia (às segundas-feiras); ESF Mazomba (às quartas-feiras).

Fonte: Prefeitura de Itaguaí com edições do blog Boca no Trombone Itaguaí