Arquivo da categoria: Política

Operação cumpre mandados contra esquema que teria desviado R$ 4 milhões da Prefeitura de Seropédica

Entre os alvos dos 26 mandados de busca e apreensão estão o ex-prefeito Anabal Barbosa de Souza, a esposa, ex-secretária de Educação, e o filho dele, apontado pelas investigações como o cabeça do esquema.

Por Leslie Leitão e Luana Alves, Bom Dia Rio

Seropédica – A Polícia Civil realiza uma operação na manhã desta segunda-feira (3) para cumprir 26 mandados de busca e apreensão contra pessoas que estariam envolvidas em um esquema de fraudes em contratos da Prefeitura de Seropédica, na Baixada Fluminense.

Os desvios aconteceram quando a cidade estava em estado de calamidade, entre fevereiro e setembro de 2017.

Entre os alvos estão o ex-prefeito Anabal Barbosa de Souza e a esposa, que era secretária de Educação, Cultura e Esporte. A ação também acontece na casa do filho dele, Wagner Oliveira de Souza, apontado pelas investigações da Delegacia de Defraudações (DDEF) como o operador do esquema fraudulento. Na casa dele, os agentes apreenderam duas armas e uma quantidade de dinheiro que ainda não foi calculada.
Segundo as investigações, durante o período de calamidade foram firmados 14 contratos pela Prefeitura de Seropédica com altos valores e dispensa de licitação. De acordo com a polícia, as empresas apresentavam atividades incompatíveis com os serviços contratados.

O valor desviado dos cofres públicos é de cerca de R$ 4 milhões, segundo os investigadores. O desvio teria repercutido diretamente nos serviços públicos prestados pelo poder municipal, gerando falta de merenda e falta de insumos hospitalares em unidades da cidade.
Os envolvidos vão responder pelos crimes de peculato, corrupção passiva, tráfico de influência, irregularidades em dispensa de licitação e organização criminosa.

Fonte: G1

Servidores de Itaguaí e outros municípios sentem no bolso reforma e atrasos em direitos

Com maior desconto em alíquota previdenciária e com os efeitos das reformas, trabalhadores vislumbram um futuro ainda pior. Em Itaguaí, o funcionalismo está com vários direitos atrasados. Apesar dos quinquênios estarem sendo pagos, cortes feitos pelo governo Charlinho e rombo na PREVIDÊNCIA dos servidores feitos em 2015, 2016 e na gestão seguinte, torna a dívida ainda maior.

Em 30 de abril de 2021 / Júlio Andrade

Itaguai – Os servidores públicos de todo país passam por um dos piores momentos na história do serviço público. Com a reforma da Previdência e consequentemente com as emendas constitucionais que foram promulgadas junto a ela, as alíquotas previdenciárias e o tempo de serviço para adquirir a aposentadoria aumentaram.

No caso da nova alíquota, o percentual passou de 11% para 14%. Todos os municípios e estados já em 2020 e outros neste ano de 2021, tiveram que repassar esse aumento previdenciário direto na remuneração dos profissionais. No Brasil a elevação do percentual vale não somente para os servidores ativos, mas também para aposentados e pensionistas que recebem proventos acima do teto do INSS que é de R$ 6.100,00.

No ano de 2020, começo da pandemia, o governo federal para repassar recursos a estados e municípios, obrigou os ente federados a se adequarem às regras para a concessão desse aporte financeiro. A ajuda viria, se em contrapartida eles não dessem qualquer reajuste aos servidores públicos pelo menos até 2022.

Como se não bastasse esses abusos contra o funcionalismo público, o governo federal tenta aprovar a Reforma Administrativa, que culminará no fim da estabilidade de milhões de servidores, baseados em critérios ainda não definidos, como se fosse um; “primeiro aprova a chicotada, para depois dizer o motivo do açoite “.

A Reforma Administrativa com isso, vai privilegiar pessoas contratadas para cargos comissionados em detrimento dos aprovados em concursos públicos. Trocando em miúdos, os governos terão total controle sobre o serviço público e consequentemente os casos de corrupção serão ainda maiores e com poucos denunciantes, já que os servidores efetivos, aqueles aprovados em concursos, são os que denunciam os casos de corrupção nas repartições públicas e por isso despertam tanto ódio de políticos e governos mal intencionados.

Se aprovada, a Reforma Administrativa ainda vai anular todas as dividas dos governos para com os servidores. Direitos e salários atrasados, serão anulados e os trabalhadores terão a vida ainda mais dificultada.

Servidores de Itaguaí, rombos na previdência e atrasos em direitos fazem salários serem menores a cada mês

Se tem um grupo de um determinado local que passa por dificuldades a anos, são os trabalhadores públicos de Itaguaí. Apesar do atual governo estar pagando os quinquênios do funcionalismo e de ter dito em reunião com o Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Itaguaí (MUSPI), que o adicional de qualificação de escolaridade voltará a ser pago no máximo em dois meses e que pretende pagar tudo que deve a categoria e por isso está sendo feito todo o estudo do impacto financeiro nas contas, além de que se faz necessário obedecer a Lei de Responsabilidade Fiscal, os servidores ainda por conta do estrago feito pelo governo do ex – prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho, que cortou todos os direitos, amargam um salário cada vez menor.

O grupo de funcionários da cidade, veem mês a mês seus ganhos serem ínfimos e somados aos impactos da Reforma da Previdência com o aumento da alíquota previdenciaria e com alguns dos direitos ainda não restituídos, além da iminente Reforma Administrativa, o que é ruim pode piorar.

Rombo na Previdência de Itaguaí atinge R$ 100 milhões

Nosso blog procurou a atual administração da cidade e constatamos que os governos de Weslei Pereira com quase R$ 50 milhões e de Charlinho com outro montante, atingiram um patamar de déficit da prefeitura com a previdência (ITAPREVI), dos servidores públicos da cidade, em quase R$ 100 milhões. Na gestão Charlinho ainda houve um parcelamento, mas que não foi cumprido. Segundo o atual governo, um novo parcelamento foi feito e eles acreditam que até o final do ano a dívida com a ITAPREVI esteja toda quitada.

O rombo foi tão grande, que só no governo de Weslei Pereira, conforme mostra os documentos abaixo, ocorreram R$ 34 milhões e em seguida mais de R$ 11 milhões, conforme prova as ações e assinaturas dos representantes do ITAPREVI da época, em decretos de mudança da estrutura organizacional e da total cumplicidade em ações que implicaram nesses rombos. Esse desfalque no dinheiro dos servidores, culminou em três meses de salários atrasados e do 13° salário em 2016, até hoje o pior momento na vida dos servidores públicos de Itaguaí.

As ações adotadas pelo governo da época e com os representantes da ITAPREVI da época que assinaram esse rombo previdenciário, ocasiona até hoje grande impacto nas contas ligadas ao funcionalismo público municipal.

Gestão da ITAPREVI 2015 / 2016

Link com as informações de 2015 / 2016:

https://transparencia.itaguai.rj.gov.br/fale-conosco/estrutura-organizacional/

Abaixo rombo de mais de R$ 34 milhões e outro de quase R$ 12 milhões em 2015 / 2016

Esses valores são referentes apenas aos valores dos cargos comissionados, sem os ganhos finais que normalmente eram maiores. Vale ressaltar que na época o salário mínimo no Brasil era em torno de R$ 800,00 reais.

Mais de R$ 34 milhões dos cofres da previdência

Em seguida quase R$ 12 milhões.

Confira o documento completo clicando no link abaixo :

https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn:aaid:scds:US:604bd54b-f9bd-42f1-ac8b-ef4d7ceead7c

Veja abaixo trechos do jornal oficial 475 com as funções de cada represante do Fundo da Itaprevi. Se atente para a página 17 em diante.

Confira na íntegra a Resolução 02 /16 em especial a página 17 e 27 do Jornal Oficial Edição 475. Clique aqui

Com tudo isso, enquanto em 2016 os servidores ficaram o mês de outubro, novembro e dezembro sem salários, além do não pagamento do 13° no mesmo ano, os responsáveis das assinaturas desses documentos estavam com salários e direitos em dia, além do alto valor ganho em suas comissões. Reparem bem nas assinaturas dos primeiros documentos acima e nos responsáveis por essas ações.

2013 / 2014

Em 2013, muitos desses estiveram na ITAPREVI, na gestão de Luciano Mota, conhecido como o prefeito da Ferrari, diante de inúmeras denúncias de corrupção das quais viraram processos criminais e que culminaram em sua cassação e inelegibilidade. Naquela época os servidores tiveram que entrar em greve em busca de direitos, pois já tinham dificuldades financeiras, menos claro, para alguns, que já compactuavam com possíveis irregularidades na DIREÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS.

Confira sobre 2013 clicando no link abaixo:

Resolução 002 / 2013 – Jornal Oficial número 317 de 2013.

https://itaguai.rj.gov.br/jornaloficial/pdfjornal/Edicao317.pdf

Ministério Público do Estado de olho

Abaixo, trecho de uma Ata do MPRJ onde se averigua informações sobre as previdências em algumas prefeituras de municípios do Estado, entre elas de Itaguaí.

Live sobre a Reforma Administrativa. Entenda pois ela vai afetar a sua vida.

Ex-prefeito interino de Mangaratiba é preso por irregularidades no pagamento de servidores e vereadores

Vitor Tenório além de prefeito interino foi presidente da Câmara da cidade. As irregularidades causaram dano de R$ 17 milhões aos cofres públicos

Em 21 de março de 2021 / Jornal Extra

Mangaratiba – Vitor Tenório Santos, ex-presidente da Câmara de Vereadores e ex-prefeito interino de Mangaratiba, foi preso na noite deste sábado na Lagoa, na Zona Sul do Rio, por irregularidades no pagamento de diárias e pacotes de viagens de servidores e vereadores do município da Costa Verde.

De acordo com a Polícia Civill, estima-se que as irregularidades causaram dano de R$ 17 milhões aos cofres públicos. O valor foi gasto entre janeiro de 2010 e agosto de 2017.

Tenório, também conhecido como Vitinho (PDT), estava foragido da Justiça desde 2018. No mesmo ano, ele foi afastado do cargo de prefeito interino de Mangaratiba. Na noite deste sábado, ele foi preso por policiais da GIC (Grupo de Investigação) da 40ª DP (Honório Gurgel) quando chegava em seu carro no bairro nobre do Rio. O mandado de prisão preventiva de Tenório foi expedido pelo Juízo da 2º Grupo de Câmaras Criminais do Rio de Janeiro.

Após o encarramento das formalidades legais da prisão, o ex-presidente da câmara de Mangaratiba foi encaminhado para o sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Extra

Câmeras registram que Henry Borel chegou bem a condomínio no dia da morte; polícia já tem as imagens

Depoimento de mãe e padrasto, o vereador Doutor Jairinho, durou 12 horas. Garoto chegou morto ao hospital. Laudo do IML, segundo peritos ouvidos pela TV Globo, aponta que a criança ‘teve uma morte violenta’.

Em 19 de março de 2021 / G1

Rio – A 16ª DP (Barra) teve acesso às imagens de câmeras de segurança que mostram que o menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, chegou bem ao condomínio onde moram a mãe, Monique Medeiros, e o padrasto, o vereador Doutor Jairinho.

O RJ1 também apurou que a polícia está analisando imagens de câmeras de segurança de um shopping, onde o menino esteve com o pai antes de ir para a casa, além das gravações do condomínio onde a criança morava com a mãe.
As imagens mostram Henry bem, sem nenhuma lesão aparente. Tanto no Shopping, quanto na chegada no condomínio.

O menino chegou sem vida a um hospital da Zona Oeste do Rio na madrugada do dia 8, com hemorragia e edemas.
A mãe, Monique, disse, em depoimento, que encontrou o menino caído no chão do quarto, passando mal, na madrugada do último dia 8. A polícia já sabe que, dentro do apartamento, só estavam ela, o padrasto da criança e o próprio Henry.
O depoimento de Monique Medeiros e Doutor Jairinho na 16ª DP (Barra da Tijuca) durou 12 horas. Eles falaram em momentos diferentes.

O casal deixou a delegacia da barra às 2h30 desta quinta (18). Os dois não quiseram conversar com jornalistas, nem na chegada, nem na saída. O depoimento aconteceu nove dias depois da morte de henry. Eles foram ouvidos como testemunhas.

A equipe médica que atendeu a criança no hospital ainda não prestou depoimento. A polícia já sabe que lesões graves levaram à morte do menino.

A seguir, veja o que se sabe do caso.

1 – Com quem Henry estava no dia da morte?

2 – O que a mãe e o padrasto alegaram?

3 – Como Henry estava quando chegou ao hospital?

4 – Qual foi a causa da morte de Henry?

5 – Henry pode ter se machucado assim ao cair da cama?

6 – As lesões em Henry podem ter sido causadas numa tentativa de reanimá-lo?

7 – O que a polícia disse?

8 – Perguntas ainda sem resposta

1. Com quem Henry estava no dia da morte?

Depois de passar o fim de semana com o pai, o engenheiro Leniel Borel de Almeida, Henry foi deixado na casa da mãe, Monique Medeiros da Costa Almeida, na Barra da Tijuca, na noite do dia 7, um domingo.
Monique estava com o namorado, Jairo Souza Santos, o vereador do Rio Dr. Jairinho (Solidariedade).

2. O que a mãe e o padrasto alegaram?

Monique e Jairinho contaram que ouviram um barulho de madrugada e que encontraram o menino desacordado no quarto.
O pai do menino relatou que, segundo a ex-mulher, a criança estava com os olhos revirados e já com dificuldade de respirar.

O casal levou Henry para o Hospital Barra D’Or. Monique ligou para o ex-marido, avisando do incidente.

3. Como Henry estava quando chegou ao hospital?

Segundo o laudo do Instituto Médico-Legal, a que a TV Globo teve acesso, a criança já deu entrada no hospital sem vida e apresentava lesões no crânio, no estômago, no fígado e nos rins, além de várias manchas roxas.

4. Qual foi a causa da morte de Henry?

O laudo do Instituto Médico-Legal aponta “hemorragia interna e laceração hepática [danos no fígado] causada por uma ação contundente [violenta]”.

5. Henry pode ter se machucado assim ao cair da cama?

Não, segundo peritos ouvidos pela TV Globo.
“Uma queda de uma altura baixa é pouco provável que esteja na origem dessas lesões traumáticas”, afirmou perito legista Carlos Durão.
“Nós observamos esses tipos de lesões em acidentes de trânsito, com muito mais energia”, emendou Durão.

Talvane de Moraes acrescenta que há lesões em áreas diversas do corpo, “o que uma queda não proporcionaria”.
“Pode haver equimoses [manchas], mas em regiões onde o corpo colidiu com o chão. Acho difícil colidir cabeça, fígado, pulmão, rim e abdômen [de uma vez só], explicou Moraes.

6. As lesões em Henry podem ter sido causadas numa tentativa de reanimá-lo?

Não, segundo peritos. “Numa reanimação, às vezes a força aplicada pode fraturar o tórax ou a costela, dependendo da estrutura esquelética da vitima. No Henry não tem nada disso”, disse Moraes.

7. O que a polícia disse?

Até a última atualização desta reportagem, a polícia se limitou a informar que está investigando o caso.
O pai de Henry depôs no próprio dia 8.
Monique e Dr. Jairinho passaram 12 horas depondo em salas separadas na 16ª DP (Barra da Tijuca) e deixaram a delegacia às 2h30 desta quinta-feira (18) sem falar com a imprensa.

Ao jornal “Extra”, Dr. Jairinho enviou uma nota não qual disse “estar triste”, “sem chão” e “suportando a dor graças ao apoio da família e dos amigos”.
“As autoridades apuram os fatos, e vamos ajudar a entender o que aconteceu. Toda informação será relevante. Por isso, acho prudente primeiro dizer na delegacia a dinâmica dos fatos, até mesmo para não atrapalhar os trabalhos desenvolvidos”, informou o vereador na nota.

8. Perguntas sem resposta

Que “barulho” a mãe e o padrasto de Henry ouviram?

Eles tentaram reanimá-lo?

Por que o menino estava com tantas manchas roxas?

Fonte: G1

Veja as reportagens sobre o caso no RJ1 da TV Globo

Assista no Globoplay:
https://globoplay.globo.com/v/9364274

Assista no Globoplay:
https://globoplay.globo.com/v/9363716

Em derrota para Guedes, Câmara mantém promoção automática de servidor

Governo abre mão de congelamento das promoções dos servidores públicos em PEC do auxílio emergencial. Medida foi necessária para evitar que os deputados retirassem todas as contrapartidas fiscais previstas no texto e para travar destaque do PT, que derrubaria todos os gatilhos de congelamento de salários de servidores

Estadão / Em 11 de março de 2021

BRASÍLIA – O governo abriu mão de impedir promoções e progressões das carreiras do funcionalismo, como previsto na PEC do auxílio emergencial, para evitar que os deputados retirassem todas as contrapartidas fiscais do texto que autoriza uma nova rodada do benefício. Pela negociação, os servidores públicos vão continuar com o direito à progressão automática nas carreiras, com o respectivo aumento nos seus salários.

Com medo de não ter os votos para barrar um destaque do PT, que derrubaria todos os gatilhos de congelamento de salários de servidores e outras despesas do governo, o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), propôs manter a possibilidade de progressões e promoções nas carreiras, mesmo durante os estados de calamidade ou emergência fiscal (quando há elevado comprometimento das finanças). Se o texto aprovado cumprir esse acordo, em situações de crise, o governo poderá congelar os salários dos servidores, mas não poderá travar as promoções.

O acordo foi proposto com aval da equipe econômica. Com isso, o governo conseguiu manter o congelamento de salários e outras contrapartidas. Pelo acordo, a trava para promoções deve ser retirada logo após a votação do texto-base em segundo turno da PEC.

Pelos cálculos do especialista em contas públicas e diretor de estratégias públicas da MAG, Arnaldo Lima, o maior ganho potencial das medidas de ajuste da versão da PEC aprovada antes pelo Senado é justamente a trava para promoções nas carreiras, R$ 92,9 bilhões de economia num total previsto de R$ 150 bilhões em um período de dez anos, ou seja, mais de 60%.
A equipe econômica trabalha com outros números e considera o acordo a “alternativa menos pior” diante do risco de desidratação total do texto. A área econômica calcula que, na União, o impacto das progressões pode ficar entre R$ 500 milhões a R$ 2 bilhões, a depender da quantidade de servidores com progressão na carreira programada para o ano. Na média, o impacto é calculado em R$ 1,2 bilhão ao ano.

Um reajuste que reponha a inflação pode custar até dez vezes mais do que essa média: cerca de R$ 12 bilhões. Pelo acordo, será mantida a possibilidade de congelar os salários dos servidores públicos para além de 2021 em situações de crise fiscal.
Mesmo assim, o acordo representa uma derrota para o time do ministro da Economia, Paulo Guedes, e contou com a ajuda do próprio presidente Jair Bolsonaro, que patrocionou o movimento para desidratar a potência dos gatilhos com o objetivo de blindar as categorias de forças de segurança especialmente.

Pelo acordo, no segundo turno, o próprio governo vai endossar a aprovação de um destaque para retirar do texto o congelamento de progressões e promoções. Barros ainda deu como opção o próprio relator da PEC, Daniel Freitas (PSL-SC), acatar a mudança.

“O governo entende que vai abrir mão mesmo prejudicando de forma substancial a PEC. Vai permitir a todas as categorias – não apenas à segurança – as progressões e promoções”, disse Freitas.

A tentativa de acordo vem após uma intensa mobilização de policiais, categoria que forma a base de apoio a Bolsonaro, contra os gatilhos de ajuste nas despesas. Na terça-feira, 9, as categorias reclamaram que o governo trata as forças de segurança com “desprezo” e classificaram a inclusão da classe nos gatilhos como um ato de “traição”.

Após o anúncio de Barros, o líder do PSL, Major Vitor Hugo (GO), pediu que os deputados da bancada da bala, que já tinham votado a favor do destaque do PT, mudassem seu voto.

Da oposição, o deputado Afonso Florence (PT) disse que o acordo ainda não foi aceito pelos parlamentares da esquerda. Pompeo de Mattos (PDT-RS) ironizou o fato de o governo oferecer agora um acordo e disse que isso se deve ao fato de que a PEC emergencial “começa a fazer água”.

Antes do acordo, o governo já tinha sido derrotado na votação em que manteve a vinculação de repasses de cerca de R$ 65 bilhões de fundos a determinadas áreas.

Parlamentares do PDT comemoraram a manutenção dos recursos vinculados para despesas nas áreas de educação, saúde e assistência, mas a medida também beneficiou auditores fiscais, que eram contrários à desvinculação de recursos que abastecem fundos da Receita Federal usados no pagamento de bônus aos profissionais do órgão.

Câmara empossa prefeito, vice e elege nova mesa diretora

Presidente e vice-presidente da Câmara foram eleitos e prefeito anunciou os líderes de governo. Dúvidas permanecem sobre nova mesa ser situação ou oposição ao governo. Especulações falam em possível influência de ex-prefeito cassado Charlinho nas lideranças da Câmara

Em 01 de janeiro de 2021
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone Itaguaí

Itaguaí – Sem imprensa por determinação da Casa e com uma qualidade de transmissão online muito aquém do desejado, a Câmara Municipal de Itaguaí nesta sexta-feira 01/01/2021, realizou a primeira sessão solene de 2021, para posse do prefeito, vice-prefeito e vereadores eleitos nas eleições municipais de 2020.

Sem platéia por medidas de segurança por conta da pandemia de Covid-19, apenas familiares estiveram presentes. Ninguém da imprensa foi autorizado a ter acesso ao local. Algo que poucas cidades no país fizeram.

Além do prefeito Rubem Vieira do Podemos e do Vice-prefeito Valtinho Almeida, a sessão empossou os onze vereadores, elegeu a nova mesa diretora e o prefeito revelou os líder e o vice líder de governo dentro da Casa Legislativa.

Veja como ficou:

Nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Itaguaí

Presidente: Haroldo Jesus PV (Haroldinho).

Primeiro – Vice-presidente : Vinicius Alves Republicanos.

Segundo – Vice-presidente: Julinho (PSC),

Terceiro – Vice-presidente: José Domingos (PTB).

Primeiro – Secretário: Fabinho (PL).

Segundo – Secretário: Alexandro de Paula Valença – Sandro da Herminio (PP).

A nova mesa diretora, deixou algumas dúvidas no ar. Não se sabe se ela será situação ou oposição ao novo governo. Especulações e denúncia feita pelo Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Itaguaí (MUSPI), em sua página no Facebook revelaram possíveis acordos entre alguns vereadores e até com possível envolvimento do ex-prefeito cassado Carlo Busatto Júnior, o Charlinho. Curiosamente, os nomes da maioria revelados ontem, faz parte dessa nova composição.

Prefeito faz discurso e anuncia líderes do governo

Durante o discurso de agradecimento, o prefeito Rubem Vieira pregou mais unidade entre todos, para que a cidade de Itaguaí avance. Ainda em seu discurso, Rubem anunciou os vereadores Gil Torres (PSL) e Guilherme Farias (PL), como líder e vice-líder de governo dentro da Casa Legislativa respectivamente.

Além dos vereadores já citados, também tomaram posse os vereadores Alex Alves (PRTB), Jocimar do Cartório (PTC) e Fabinho Taciano (PRTB).

A sessão foi transmitida pelo blog Boca no Trombone Itaguaí em sua página no Facebook e You Tube.

https://www.facebook.com/bocanotromboneitaguai/videos/412819180161460/

Reveja:

No Facebook

No YouTube

Câmara encerra legislatura com aprovações das emendas a L.O e discursos de despedidas

Vereadores em fim de mandato fizeram discursos emocionados e todos os presentes se mostraram favoráveis ao novo governo. Tradição de acréscimo de 50% ao Poder Executivo foi mantido e Vereador Gil Torres em discurso achou viável essa manutenção e reforçou que se no governo Charlinho o trâmite foi o mesmo, apesar de ter sido um governo incompetente, o atual que tem se esforçado merece esse apoio. Sandro da Hermínio foi outro favorável e elogiou a disposição para trabalhar que o prefeito Rubem Ribeiro tem demonstrado, e encerrou dizendo que isso é um claro apoio da Casa ao novo prefeito.

Em 30 de dezembro de 2020
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone Itaguaí

Itaguaí – Na noite desta terça-feira (29/12/2020) a Câmara Municipal de Itaguaí realizou a última Sessão Plenária do ano, encerrando assim a legislatura 2017/2020. O plenário aprovou a Lei Orçamentária e as emendas de autoria dos vereadores.
Dos 17 vereadores que compõe a Câmara Municipal de Itaguaí atualmente, apenas o vereador Nisan Cesar (PTB) não estava presente. Os vereadores recém eleitos Fabinho Taciano (PRTB), Jocimar do Cartório (PTC) e Guilherme Farias (PL) foram convidados pelos vereadores a adentrarem ao plenário e participar da Sessão.

O plenário aprovou o parecer da Comissão de Finanças Controle Orçamento e Prestação de Contas (CFOCPC) que opinou favoravelmente a proposta de Lei Orçamentária de autoria do Poder Executivo. A Casa votou por unanimidade autorizando o percentual de 50% de crédito suplementar ao Chefe do Poder Executivo.
O vereador Vinicius Alves (PRB), relator do parecer da CFOCPC, lembrou que o plenário seguiu uma linha coerente com base nos anos anteriores ao liberar a mobilidade orçamentária por acreditar no trabalho, na boa intenção e na qualidade de gestão do prefeito Rubem Ribeiro (Podemos). O vereador Genildo Gandra (PL) recordou que é tradição na Casa aprovar o orçamento do primeiro ano de mandato dando os 50% de crédito suplementar para que o governo tenha condições de fazer os ajustes necessários.

André Amorim (PSC) justificou seu voto pela manutenção do percentual de remanejamento previsto no projeto do Executivo.
— Eu fui um dos responsáveis, ao meu ver, junto com quase unanimidade da Câmara, por tirar o que entendemos por ser o governo mais corrupto da história de Itaguaí nos últimos tempos. Eu preciso acreditar, embora eu e o vereador Waldemar tenhamos sido candidatos a prefeito, preciso acreditar na gestão que eu, de certa forma, ajudei a colocar lá com o meu voto de vereador — discursou André Amorim.

O vereador Valter Almeida (Podemos), eleito vice-prefeito, discursou que o resultado dessa votação reflete o mesmo espírito de crédito e esperança no governo Rubão que ele tem observado nas ruas. O vereador Haroldo Jesus (PV) também defendeu a aprovação dos 50% de crédito suplementar que consta na proposta do governo. O edil discursou que o prefeito Rubem merece o voto de confiança do plenário e que seria importante dar toda a oportunidade para que ele realize um bom governo.

O vereador Gil Torres (PSL) também se manifestou favorável a aprovação do crédito suplementar previsto no projeto do Executivo e lembrou que no primeiro mandato da atual legislatura a Câmara concedeu os 50% para o governo Charlinho.
— Em 2016 para 2017 foi dado os 50% para o ex-prefeito incompetente, Charlinho. Por quê não dar agora, para um prefeito que está mostrando ser competente, está mostrando cuidar da população, que está mostrando cuidar da cidade? Eu acho que ele merece sim esses 50%, merece a oportunidade — defendeu Gil Torres, que afirmou ainda que a prerrogativa dos vereadores de fiscalizar o trabalho do Executivo é a certeza de que a manutenção do percentual de crédito suplementar não significa “carta branca”.

O vereador Sandro da Hermínio também se manifestou favorável e comentou sobre a disposição para trabalhar que o prefeito Rubem Ribeiro tem demonstrado. Sandro definiu a manutenção do percentual como uma sinalização da Câmara para o governo de crédito na nova gestão. O vereador Carlos Kifer (PP) elogiou e parabenizou o plenário da Câmara por ter chegado a um entendimento com debate e diálogo.

O presidente Noel Pedrosa (PSL) também elogiou os colegas por terem chegado a um entendimento através do diálogo e parabenizou a decisão do plenário pela manutenção do percentual de suplementação e afirmou que as rivalidades políticas se acabaram com o resultado das eleições.
— Eu acho que o prefeito merece os 50% porque a Prefeitura ainda se encontra com muitos problemas por causa da gestão passada e precisa ser colocado tudo em ordem. Lá na frente essa Casa vai decidir se vai manter ou se vai tirar, mas neste momento o justo e o certo é dar a oportunidade de o novo prefeito trabalhar e reconstruir essa cidade — discursou o Presidente Noel Pedrosa.
Despedidas

A última Sessão Plenária da legislatura 2017/2020 foi marcada pela aprovação da Lei Orçamentária, pela aprovação das últimas matérias que ainda restavam em tramitação e pelos discursos de despedida e agradecimento realizados pelos Edis.
Os vereadores aproveitaram a oportunidade para fazer um balaço do mandato e agradecer aos colegas e servidores da Casa que colaboraram para execução dos trabalhos legislativos nesses 4 anos de mandato legislativo.

O vereador Waldemar Ávila (PDT) agradeceu a oportunidade de exercer o trabalho legislativo representando a população e contribuindo com a sua geração através da política. Waldemar pediu que Deus abençoe os colegas que se reelegeram e desejou a todos um bom mandato. O edil definiu a aprovação da Lei do Alvará por tempo indeterminado como um dos maiores legados do seu mandato.

O Presidente da Casa, vereador Noel Pedrosa, fez um discurso emocionado em que agradeceu a Deus por tê-lo ajudado ao longe desses dois mandatos. O chefe do Legislativo afirmou que fez amigos na Casa e que teve a honra e o prazer de estar ao lado de grandes vereadores, bem como de vereadores novos que desempenharam um belíssimo trabalho. Como gestor da Casa Legislativa, Noel comentou sobre a honra em ter conhecido funcionários efetivos que contribuíram muito para a gestão, bem como sua assessoria e todos os demais assessores da Casa.
Em seu balanço o Presidente lembrou que entrou para o seu primeiro mandato com 27 anos e encerra o segundo com 36 anos e orgulhoso por ter ocupado quase todos os cargos. Noel encerrou sua fala manifestando sua satisfação e sua honra por ter trabalhado e feito amigos durante o período em que esteve na Casa.

O vereador André Amorim agradeceu a cada servidor, vereador e aos seus assessores. O edil enalteceu o poder do diálogo e discursou defendendo que quem faz o poder Legislativo é a soma de cada vereador e deixou esse ensinamento para os novos vereadores eleitos.
O vereador Ivan Charles (PL) fez um discurso agradecendo aos seus eleitores, sua família e seus assessores. Em seu balanço Ivan lembrou que foram 36 de sua autoria leis aprovadas pela Casa e agradeceu aos funcionários da Casa e colegas parlamentares. Ivan encerrou desejando um bom mandato aos colegas eleitos.

O vereador Carlos Kifer discursou agradecendo a todos os funcionários e afirmou que sai da Casa com a cabeça erguida e deixa seu filho, o vereador eleito Guilherme Faria, com muito orgulho. O edil desejou que o Prefeito Rubem faça um bom trabalho e afirmou que sai com a certeza, a honra e a satisfação por ter feito amigos na Casa.

Fonte: Câmara Municipal de Itaguaí

Em diplomação prefeito de Itaguaí agradece os votos obtidos nas eleições

Cerimônia ocorreu na sede do TRE na última semana em Itaguaí e seguiu todos os trâmites de segurança sanitária. Prefeito terá grandes desafios num governo ainda repleto de fiéis escudeiros do ex-prefeito Charlinho e sua esposa

Em 22 de dezembro de 2020
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone

Itaguaí – Na manhã da última quarta-feira (16/12), o prefeito eleito de Itaguaí, Rubem Vieira do Podemos, foi diplomado na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), localizada no shopping Pátio Mix.

Além do prefeito Rubem, também compareceram para receber seus diplomas o vice-prefeito Valtinho Almeida e os onze vereadores eleitos.

A cerimônia, que teve início às 11 horas, precisou seguir todos os protocolos de segurança de combate ao coronavirus. Os diplomaveis aguardaram do lado de fora do TRE e eram chamados um a um. Antes de adrentarem o recinto de assinatura dos diplomas, todos tiveram suas mãos higienizadas com álcool em gel.

Não houve discursos. Apenas uma foto com o documento assinado.

Vale lembrar que o prefeito Rubem Vieira ainda se recuperava da covid-19.

Em agradecimento, Rubem assumiu o compromisso com cada voto recebido.

Esta manhã foi muito especial pra mim. Hoje fui diplomado Prefeito. A cerimônia foi na sede do Tribunal Regional Eleitoral junto com o vice-prefeito Valtinho Almeida e os 11 vereadores eleitos. Por conta da pandemia não houve discursos nem festa, mas pra mim foi o suficiente. O importante agora é fazer valer a pena o voto de cada cidadão que acreditou em mim. Meu coração está alegre pela oportunidade que Deus me deu de fazer Itaguaí grande novamente! A Deus toda a honra e toda a glória! Que Deus abençoe a você, que Deus abençoe a nossa Itaguaí“, disse o prefeito.

DESAFIO – Fiéis escudeiros de Charlinho ainda atuam em pontos estratégicos

Rubem Vieira pega uma prefeitura acostumada a ter dezenas de denúncias de casos de corrupção e perseguições aos servidores públicos, em especial no governo cassado de Carlo Busatto Júnior, o Charlinho. A tarefa não será fácil para o gestor que já havia assumido o governo com o Impeachment do ex-prefeito em julho deste ano. Nos bastidores, a situação não será muito fácil, pois há ainda secretarias repletas de fiéis escudeiros dos Busattos, como a secretaria municipal de educação, tanto na sede do órgão, quanto nas direções escolares, coordenações itinerantes e dezenas de desvios de função de agentes administrativos para a função de secretário escolar.

Resta saber se a partir de 02 de janeiro, quando de fato começam os trabalhos, esse cenário será modificado pelo prefeito eleito, que corre o risco de ter informações de sua atuação nas mesas do ex-governantes diariamente como ocorreu e muito nos governos de Weslei Pereira e Luciano Mota. Quando haviam fiéis ao clã Busatto em pontos estratégicos do governo.

Prefeito Marcelo Crivella é preso no Rio suspeito de corrupção

Investigação aponta existência de um ‘QG da Propina’ na gestão municipal. Afastado do mandato pela Justiça, Crivella diz que é vítima de ‘perseguição política’ e que espera ‘justiça’. Prefeito é super aliado do presidente Bolsonaro e usa o nome de Deus para mascarar possiveis envolvimentos em graves casos de corrupção. Crivella também é fiel escudeiro de Bispo Macedo da igreja Universal e durante a campanha dizia que Eduardo Paes seria preso. Contudo, quem foi para o xilindró foi ele.

Rio de Janeiro – O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), foi preso na manhã desta terça-feira (22) em uma ação conjunta entre a Polícia Civil e o Ministério Público do RJ.

A investigação aponta a existência de um “QG da Propina” na Prefeitura do Rio. No esquema, de acordo com as apurações do MP, empresários pagavam para ter acesso a contratos e para receber valores que eram devidos pela gestão municipal.

A desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita, que autorizou a prisão, afirma que Crivella comanda uma organização criminosa que atuava na prefeitura. Ela determinou o afastamento do prefeito, que encerraria o mandato daqui a 9 dias. Quem assume interinamente é o vereador Jorge Felippe (DEM), presidente da Câmara Municipal. Eduardo Paes toma posse no dia 1º de janeiro.

Além de Crivella, foram presos também:

– Rafael Alves, empresário apontado como operador do esquema;
– Fernando Moraes, delegado aposentado;
– Mauro Macedo, ex-tesoureiro da campanha de Crivella;
– Adenor Gonçalves dos Santos, empresário;
– Cristiano Stockler Campos, empresário.

O ex-senador Eduardo Lopes também é alvo da operação. Ele não foi encontrado em sua casa no Rio porque estaria em Belém. Lopes herdou mandato de Crivella no Senado e foi secretário de Pecuária, Pesca e Abastecimento do governador afastado Wilson Witzel.

Todos os alvos da operação foram denunciados pelo MP pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva.

Os presos vão passar por uma audiência de custódia às 15h, no Tribunal de Justiça, para que a legalidade do procedimento seja avaliada, conforme determinou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

O delegado aposentado Fernando Moraes está com sintomas de Covid-19 e, por isso, não foi levado para a Delegacia Fazendária como os outros presos. Ele está na Polinter, também na Cidade da Polícia.

Crivella foi preso em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, por volta das 6h. Ele foi levado diretamente para a Cidade da Polícia, na Zona Norte. Antes de entrar na Delegacia Fazendária, ele disse que foi o prefeito que mais combateu a corrupção e que espera por “justiça”.

“Lutei contra o pedágio ilegal, tirei recursos do carnaval, negociei o VLT, fui o governo que mais atuou contra a corrupção no Rio de Janeiro”, disse Crivella. Questionado sobre sua expectativa a partir de sua prisão, o prefeito se restringiu a responder: “justiça”.

Crivella teve apoio irrestrito do presidente da República Jair Bolsonaro nas eleições municipais. Ambos usam o nome de Deus para discursos e ações frente as ações de seus governos. O presidente aliás tem seu filho Flávio Bolsonaro envolvido em dezenas de casos de corrupção, entre eles de fazer a tal “rachadinha” e de enriquecimento ilícito. As ações do presidente da República através de ligações com órgãos judiciários, induzem a possíveis tentativas de blindar as investigações contra seus filhos.

Pego de pijamas

Ao chegar à Delegacia Fazendária, o advogado de defesa Alberto Sampaio disse que Crivella ficou surpreso com a prisão e foi pego ainda de pijamas em casa, já que tinha acabado de acordar. O advogado, no entanto, não quis gravar entrevista com a imprensa.

A prisão de Crivella acontece 9 dias antes de terminar o seu mandato. Como o vice-prefeito dele, Fernando McDowell, morreu em maio de 2018, quem assume a prefeitura enquanto o prefeito estiver preso é o presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felippe (DEM).

QG da Propina’

A ação é um desdobramento da Operação Hades, que foi deflagrada em março e investiga um suposto ‘QG da Propina’ na Prefeitura do Rio.

As investigações, iniciadas no ano passado, partiram da colaboração premiada do doleiro Sérgio Mizrahy. Ele foi preso na Operação Câmbio, Desligo, um desdobramento da Lava Jato no Rio.

No depoimento, Mizrahy chama um escritório da prefeitura de “QG da Propina” e diz que o operador do esquema era Rafael Alves.

Rafael não possui cargo na prefeitura, mas tornou-se um dos homens de confiança de Crivella por ajudá-lo a viabilizar a doação de recursos na campanha de 2016.

Depois da eleição, o empresário colocou o irmão Marcelo Alves na Riotur e, segundo o doleiro, montou um “QG da Propina”.

Na decisão que acarretou na prisão dos denunciados, a desembargadora diz que a troca de vantagens e o recebimento de propinas por parte dos membros do citado grupo criminoso se estendeu pelas mais variadas pastas, atingindo cifras milionárias.

Mizrahy afirma que empresas que tinham interesse em fechar contratos ou tinham dinheiro para receber do município procuravam Rafael, com quem deixavam cheques. Em troca, ele intermediaria o fechamento de contratos ou o pagamento de valores que o poder municipal devia a elas

Marcelo Alves foi exonerado da Riotur dias depois da operação, em 25 de março.

Os mandados desta terça foram cumpridos pela Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro (CIAF) da Polícia Civil e do Grupo de Atribuição Originária Criminal da Procuradoria-Geral de Justiça (Gaocrim), do MPRJ. A decisão é da desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita.

Em algumas mensagens interceptadas durante as investigações, Rafael Alves chegou a dizer que fez o irmão se tornar presidente da Riotur. Além disso, afirmou possuir a “caneta”, sugerindo dar as ordens na prefeitura do Rio, nomeando quem quisesse para cargos e escolhendo as empresas que iriam fazer contratos com o município.

Segundo os investigadores, foi a partir dessa influência que surgiu o esquema de propina e extorsão de empresários que queriam fazer contratos com a prefeitura.

As investigações apontaram que empresas que tinham interesse em fechar contratos ou tinham dinheiro para receber do município entregavam cheques a Rafael Alves. A partir da propina, o empresário facilitaria a assinatura dos contratos e o pagamento das dívidas.

O ex-delegado Fernando Moraes, também preso na operação, foi citado em trocas de mensagens entre Rafael Alves e o ex-senador Eduardo Lopes. Ele ficou famoso quando chefiou a Divisão Antissequestro do Rio. Após se aposentar, chegou a se tornar vereador na cidade. Atualmente ele faz parte do Conselho Diretor da Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp).

O empresário Adenor Gonçalves dos Santos era dono das universidades Gama Filho e Universidade e apontado pela polícia como o responsável por levar as duas instituições à falência. Ele chegou a ser investigado por suspeita de corrupção envolvendo cerca de R$ 100 milhões.

Intimidade com o prefeito

O empresário Rafael Alves esbanjava muita intimidade com o prefeito Crivella. Eles eram vistos caminhando juntos próximo ao condomínio onde mora o prefeito. Trocas de mensagens que vieram à tona quando foi deflagrada a Operação Hades mostraram que ele conversava com o prefeito a todo instante e que marcavam jantares e encontros frequentes.

Também durante a primeira fase da operação, um vídeo mostrou um delegado atendendo a uma suposta ligação do prefeito Crivella para o celular do empresário Rafael Alves. O relatório afirma que na tela do celular apareceu a identificação da pessoa que estava ligando: “Prefeito Crivella Novo 2”.

O delegado atendeu a chamada e identificou a voz do interlocutor como sendo do prefeito Marcelo Crivella, que disse: “Alô, bom dia Rafael. Está tendo uma busca e apreensão na Riotur? Você está sabendo?”.

Na operação desta terça-feira, outro mandado é cumprido contra Rafael Alves no Porto do Frade, em Angra dos Reis, no Sul Fluminense, para apreender uma lancha de 77 pés que pertence a ele.

Com G1

Após ser atendido em hospital da cidade, prefeito de Itaguaí é transferido

Gestão da saúde não dá condições para um atendimento completo no hospital da cidade. Áudio de suposto médico de uma UPA revela cenário caótico de Covid-19. Secretário de saúde é acusado de se ausentar muito de Itaguaí em plena pandemia e dá entrevista exclusiva a ex-aliado do ex -governo Charlinho

Em 06 de dezembro de 2020
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone

Itaguaí – O prefeito de Itaguaí Rubem Vieira do Podemos, que foi diagnosticado com Covid-19 na última semana, iniciou o tratamento contra a doença no Hospital Municipal São Francisco Xavier. Porém, na última sexta-feira, devido às más condições do hospital, principalmente devido a má gestão dos ex-secretários de saúde e do atual secretário Dr. Carlos Zoia, houve a necessidade de transferência para um hospital melhor equipado localizado na Barra da Tijuca. O estado de saúde do atual prefeito é estável.

O blog Boca no Trombone Itaguaí deseja melhoras o quão antes ao atual prefeito da cidade.

Precariedade do hospital São Francisco Xavier e UPA com graves problemas

A precariedade do hospital municipal, deixa claro que o local ainda não dá condições de um tratamento completo a população da cidade. E entra secretário e sai secretário de saúde, as mudanças para uma melhoria do cenário parecem não ocorrer. Não somente o hospital, mas a UPA também está com problemas para atendimentos.

Além disso, funcionários desde a época do governo Charlinho e atualmente, reclamam da falta de materiais básicos em suas atuações, como máscaras de proteção contra a Covid-19.

Segundo um áudio de um suposto médico de uma Unidade de Pronto Atendimento, os casos no estado estão aumentando muito rápido nessa segunda onde. O que acarreta num maior investimento necessário. Não somente financeiro, mas acima de tudo numa regular atuação das secretarias de saúde dos municípios de todo estado.

Ouça o áudio de um suposto médico sobre o estado da UPA em Itaguaí com casos de Covid-19. Clique aqui

Secretário de saúde é acusado de quase não estar na cidade em plena pandemia

O blog Política RJ, através de publicação no Facebook, denunciou que o atual secretário de saúde, D.r Carlos Zoia não atua em tempo integral na cidade. Segundo o blog, o secretário atua em vários locais distintos e se ausenta muito das funções de secretário da pasta. Logo, na área da saúde, a pasta mais importante diante dos números sobre a Covid-19 que voltam a aumentar em todo País.

https://www.facebook.com/752661064879852/posts/2390025797810029/

Secretário dá entrevista exclusiva a ex – aliado do ex-governo Charlinho

Como se na bastasse essa polêmica sobre não estar atuando muito na cidade, além do precário estado que se encontra a saúde em Itaguaí, o atual secretário de saúde deu uma entrevista exclusiva pelo Facebook ao blogueiro Luiz Pelegrino, que ficou conhecido por criticar a oposição da cidade à época, incluindo o atual prefeito Rubem Vieira.

O blogueiro se notabilizou por defender de todas as formas nas redes sociais o governo do prefeito cassado Carlo Busatto Júnior, o Charlinho, independente do cenário vivenciado. Tendo inclusive chamado de golpe a cassação pela Câmara Municipal do ex-prefeito, o que permitiu a mudança de gestor na cidade.

Isso mostra que pode haver um governo com pensamentos distintos em Itaguaí, onde o atual secretário de saúde vai por um caminho independente do prefeito.

O blog Boca no Trombone Itaguaí tentou contato com o atual secretário de saúde, para falar sobre esses assuntos, mas não obteve retorno até o momento.

Link da entrevista abaixo:

https://m.facebook.com/groups/228813624181936/permalink/1232248683838420/

https://m.facebook.com/groups/228813624181936/permalink/1232248683838420/

Vídeo completo da entrevista

Em vídeo blogueiro chama de golpe e injustiça afastamento do ex-prefeito Charlinho

https://m.facebook.com/groups/228813624181936/permalink/1118151338581489/

Link original abaixo:

https://www.facebook.com/groups/228813624181936/permalink/1118151338581489/