Arquivo da categoria: Política

Quatro ex vereadores de Itaguaí tem prisão preventiva decretada

Dr Marquinho, Marcio Pinto, Vicente Rocha e Silas Cabral são acusados pelo MP de desviarem recursos da Prefeitura na contratação de funcionários fantasmas na época do Luciano Mota, prefeito cassado e foragido da Justiça responde pelo mesmo crime

Jornal Atual de Itaguaí

O juiz Edison Ponte Burlamaqui, da Vara Criminal de Itaguaí, ordenou, nesta terça-feira (16) a prisão preventiva dos ex-vereadores de Itaguaí Marco Aurélio de Souza Barreto, o dr Marquinho, Marcio Alfredo de Souza Pinto, Vicente Cicarino Rocha, o Vicentinho, e Silas Cabral. Eles são acusados pelo Ministério Público (MP) de apropriação e desvio de rendas públicas no valor R$ 1.206.918,32, juntamente com outros 117 réus, além de inserção de dados falsos no sistema da folha de pagamento de funcionários da Prefeitura de Itaguaí, ao incluírem 112 pessoas sem nenhum vínculo formal ou legal com o município à época em que Luciano Mota era prefeito.

O MP pediu a prisão preventiva “para assegurar a confiança dos envolvidos a deporem com isenção de ânimo e, para, no mínimo, anular o poder de intimidação, coerção e manipulação que os quatro réus, como vereadores que foram e políticos ainda influentes, têm sobre as testemunhas que irão depor e mesmo sobre os corréus de menor hierarquia no esquema”, conforme afirmou o juiz Bularmaqui em sua decisão que aponta, ainda, que o MP constatou que as testemunhas, na sua maioria também réus neste processo, mentiram em seus depoimentos tentando proteger os políticos envolvidos por temerem qualquer represaria. O MP também citou na denúncia os fatos históricos de violência política da cidade, como o caso do assassinato do prefeito Abeilard Goulart de Souza e do interventor do Hospital São Francisco Xavier, Severino Salustiano de Farias, ambos na década de 1990. E na tentativa de homicídio em 2006 contra o ex-vereador Eliazer Lage Bento – que foi afastado pela Câmara de Vereadores do cargo recentemente após ser condenado pela Justiça por falsa participação em congresso. Zezé também é um dos denunciados nesse esquema.

Além dos que tiveram a prisão preventiva decretada e as 112 pessoas descritas como funcionários “fantasmas”, são denunciadas também a ex-vereadora Mirian Pacheco e o ex-vereador Zezé, o vereador Roberto Lúcio Espolador Guimarães, o Robertinho, o vice-prefeito Abeilard Goulart de Souza Filho, o Abelardinho, o ex-diretor de Informática David Brites de Macedo e o ex-prefeito Luciano Carvalho Mota. Estes dois últimos também tiveram suas prisões preventivas decretadas pela Justiça pelo mesmo crime e estão foragidos desde julho deste ano. Os demais nomes aqui descritos estão sendo acusados em outros processos, como é o caso do Abelardinho que está correndo em segredo de Justiça.

Consta dos autos evidências de que os acusados têm interferido na normalidade da instrução buscando manipular fontes de prova. As principais testemunhas de acusação, cujos depoimentos podem corroborar as provas documentos apresentadas, em diversos momentos se mostraram coagidas, pressionadas e até ameaçados pelos envolvidos. Importante destacar que muitas delas foram ouvidas, sobre os mesmos fatos, na carta de ordem de nº 0011021-03.2017.8.19.0024 e, logicamente sem adentrar no mérito de seus depoimentos, demonstraram-se extremamente pressionadas e amedrontadas. Ressalta-se que, conforme consta dos depoimentos anexos aos autos, após o início das investigações, os acusados atuaram de forma a alterar documentos e situações fáticas existentes com a finalidade de dificultar a apuração dos fatos, tendo ocorrido a exonerações em massa dos supostos ´funcionários fantasmas´. Importante destacar que as testemunhas de acusação são pessoas humildes, facilmente influenciáveis, inclusive, algumas delas, ainda exercendo funções na Prefeitura de Itaguaí, sendo necessária a prisão dos acusados para garantir a imparcialidade de seus depoimentos.

Com jornal Atual de Itaguaí

Anúncios

O que Bolsonaro já disse de fato sobre mulheres, negros e gays

Registros de declarações públicas mostram o que candidato passou a negar na reta final da campanha

Jornal EL PAÍS

Não faltam na trajetória política do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, declarações machistas, racistas e de ódio a minorias que, nas palavras do deputado, devem “se curvar às maiorias” ou serão “esmagadas”. O militar reformado já afirmou na tribuna da Câmara, microfone aberto, que não estupraria a colega Maria do Rosário (PT-RS) porque ela “não merece” e declarou, em entrevista à revista Playboy, que seria incapaz de amar um filho homossexual: “Prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí”, completou. Na reta final de sua campanha, no entanto, o candidato passou a negar qualquer declaração com esse teor. Em entrevista à TV Record, concedida na última quinta-feira, 4, enquanto seus adversários participavam do último debate antes das eleições, Bolsonaro rebateu as críticas recebidas pelas declarações e desafiou: “Onde tem um vídeo onde eu ataco negros? Onde tem um áudio meu atacando mulheres?”.

Neste vídeo, o EL PAÍS reúne algumas dessas declarações e pontua onde e quando elas foram feitas.

Assista:

Confira os eleitos a Deputado Estadual no Rio

Assim como para deputado federal, para estadual nenhum candidato por Itaguaí foi eleito. Entre eles o ex deputado Aramis Britto e o ex prefeito da cidade Weslei Pereira

Veja os eleitos:

Veja os eleitos a Deputado Federal pelo Estado do Rio de Janeiro

Freixo, Wyllys e Maia estão entre eleitos no RJ. Helio Fernando Barbosa Lopes, afilhado de Bolsonaro, foi campeão de votos no estado; confira os novos deputados federais

Eleitos a Deputado Federal pelo Rio de Janeiro

Helio Fernando Barbosa Lopes (PSL)

Marcelo Freixo (PSOL)

Alessandro Molon (PSB)

Carlos Jordy (PSL)

Flordelis (PSD)

Daniela do Waguinho (MDB)

Otoni de Paula (PSC)

Luiz Lima (PSL)

Talíria Petrone (PSOL)

Delegado Antônio Furtado (PSL)

Dr. Luizinho (PP)

Sóstenes (DEM)

Rodrigo Maia (DEM)

Jandira Feghali (PCdoB)

Aureo (SD)

Wagner Montes (PRB)

Rosangela Gomes (PRB)

Hugo Leal (PSD)

Sargento Gurgel (PSL)

Vinicius Farah (MDB)

Major Fabiana (PSL)

Pedro paulo (DEM)

Altineu Cortes (PR)

Gutemberg Reis (MDB)

Paulo Ganime (NOVO)

Marcelo Calero (PPS)

Luiz Antônio (DC)

Soraya Santos (PR)

Felício Laterça (PSL)

Márcio Labre (PSL)

Christino Aureo (PP)

Juninho do Pneu (DEM)

Benedita da Silva (PT)

Lourival Gomes (PSL)

Glauber Braga (PSOL)

Wladimir Garotinho (PRP)

Chris Tonietto (PSL)

Alexandre Serfiotis (PSD)

Clarissa Garotinho (PROS)

Professor Joziel (PSL)

Daniel Silveira (PSL)

Gelzon Azevedo (PHS)

Chico D’Angelo (PDT)

Chiquinho Brazão (AVA)

Paulo Ramos (PDT)

Jean Wyllys (PSOL)

Nenhum candidato por Itaguaí conseguiu ser eleito.

Com quase 100% das urnas apuradas haverá segundo turno para Presidente

Jair Bolsonaro do PSL e Fernando Haddad do PT concorrerão à cadeira presidencial

Com o resultado das apurações até o momento 20:55, se define o cenário de segundo turno para a presidência da República. Agora, as alianças serão determinantes para a escolha do novo presidente do Brasil. Jair Bolsonaro do PSL e Fernando Haddad do PT, irão travar uma disputa que promete.

Votação no exterior é encerrada em 18 países

Resultado somente será divulgado após às 17 horas do horário de Brasília.

Os 500 mil eleitores que estão aptos a votar fora do país em 99 nações votaram somente para o cargo de presidente da República.
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou há pouco que a votação para eleitores que estão no exterior foi encerrada em 18 países. De acordo com o TSE, o balanço se refere aos locais de votação, em geral as próprias embaixadas do Brasil, nos quais o pleito foi fechado às 10h, horário de Brasília, e que estão cerca de dez horas à frente no fuso horário.

De acordo com o boletim, a votação já terminou na Nova Zelândia, Austrália, Japão, Coreia do Sul, China, Taiwan, Cingapura, Filipinas, Malásia, Hong Kong, Timor Leste, Indonésia, Vietnã, Tailândia, Índia, Nepal, Omã e Emirados Árabes.
Os 500 mil eleitores que estão aptos a votar fora do país em 99 nações votaram somente para o cargo de presidente da República. O resultado da votação no exterior será divulgado somente após o término da votação no Brasil.

O que diz a lei

A resolução 23.399, do TSE, diz que a “a votação no exterior obedecerá aos procedimentos previstos para aquela que se realiza no território nacional, independentemente da utilização do voto eletrônico”.

Segundo o regulamento, a apuração dos votos nas seções eleitorais instaladas no exterior tem início após o encerramento da votação, “observados os procedimentos para aquela que se realizará no território nacional”.

Passeata contra Jair Bolsonaro mobilizou centenas de pessoas em Itaguaí

Mais de 200 pessoas se manifestaram contra os posicionamentos do candidato do PSL

Na tarde de ontem sábado, centenas de pessoas se mobilizaram, e em passeata pelo Centro de Itaguaí, manifestaram seu repúdio aos atos e falas do candidato à presidência da República pelo PSL Jair Bolsonaro.

Eles caminharam por ruas do Centro e com cartazes e em coro gritaram o #elenão #elenunca. Slogan propagado por todo o País contra a forma preconceituosa e truculenta do candidato.

Manifesto ressalta luta contra retrocesso e autoritarismo

Entre as principais razões, está o fato de Bolsonaro ter apoiado a reforma trabalhista, defender um modelo de segurança falido que causa o extermínio das juventudes negras, o preconceito contra LGBTs, suas declarações misóginas e o temor com a volta da ditadura militar.

Confira a razão das mulheres realizarem esse manifesto e gritarem juntas: #EleNão! #EleNunca!

“Manifesto das Mulheres Unidas contra Bolsonaro

Por igualdade, liberdade, direito e uma vida sem violência!

Quem somos?

Somos mulheres, milhões e diversas. Somos brasileiras e imigrantes. Jovens e de cabelos brancos. Negras, brancas, indígenas. Trans e travestis. Somos LGBTs, amamos homens, mulheres ou ambos. Casadas e solteiras. Mães, filhas, avós. Somos trabalhadoras, donas de casa, estudantes, artistas, funcionárias públicas, pequenas empresárias, camelôs, sem teto, sem terra. Empregadas e desempregadas. Mulheres de diferentes religiões e sem religião.

Estamos, hoje, juntas e de cabeça erguida nas ruas de todo o Brasil porque um candidato à presidência do país, com um discurso fundado no ódio, na intolerância, no autoritarismo e no atraso, ameaça nossas conquistas e nossa já difícil existência. Estamos na rua porque seu programa político econômico é um retrocesso, uma reprodução piorada das políticas terríveis do Temer.

Quem é Jair Bolsonaro?

Jair Bolsonaro, atualmente do PSL, Deputado Federal há 27 anos, já foi filiado a 9 partidos e teve apenas dois Projetos de Lei aprovados em toda sua vida política. Ele se apresenta como algo “novo” mas, é, na verdade, mais um “político de carreira” que trabalhou para eleger seus filhos e usufrui de privilégios, como o imoral auxílio moradia, enquanto milhares de famílias estão sem teto e lutam por um lugar digno para morar.

Porque somos contra Bolsonaro?

1. Jair Bolsonaro despreza negros, indígenas, homossexuais e todas as que lutam em defesa dos direitos das mulheres. Considera quilombolas “vagabundos”. Faz apologia à cultura do estupro. Diz que o nascimento de sua única filha mulher foi uma “fraquejada”. Insiste que não há nada a fazer quanto à diferença salarial entre homens e mulheres. Para ele, dar “porrada” em meninos impede que eles “se tornem” gays. Seu vice na chapa, o General Mourão, declarou que famílias criadas por mães e avós são fábricas de desajustados;

2. Votou a favor do congelamento dos gastos com saúde, educação e assistência social por 20 anos. Promete aumentar impostos sobre os pobres e reduzi-los para os ricos. Já anunciou uma onda de privatizações, vendendo as estatais e todo patrimônio do povo brasileiro. É um dos autores do Projeto de Lei que defende que o SUS não é obrigado a atender mulheres vítimas de abuso sexual. É apoiador do projeto “Escola sem Partido”, que acaba com a liberdade pedagógica e com o desenvolvimento do pensamento crítico em relação à sociedade caótica que vivemos.

3. Votou a favor da Reforma Trabalhista e da Lei das Terceirizações, responsável por permitir que grávidas realizem trabalhos insalubres, pelo aumento do desemprego e do trabalho informal, em especial entre as mulheres negras. Já disse que “os trabalhadores devem escolher entre ter direitos e ter empregos”. Foi o único deputado a votar contra a PEC das domésticas, que garantiu às empregadas direitos trabalhistas básicos como o pagamento de hora extra e o recolhimento de FGTS. Já se comprometeu a aprovar a Reforma da Previdência, que aumenta a idade para se aposentar e iguala a idade entre mulheres e homens;

4. Defende o aprofundamento de um projeto de segurança pública falido, que trata violência com mais violência e militarização. Projeto que é implementado há muitos anos no Brasil, em especial no Rio de Janeiro, cidade onde mais morre civis e policiais em confrontos e onde Marielle Franco e Anderson foram executados há mais de 6 meses, crime ainda sem respostas. Defende a liberação do porte de armas, seguindo o modelo dos EUA, país que tem os maiores índices de homicídio e suicídio, em especial entre jovens;

5. Tem como candidato à Vice, um General que defende a tomada do poder pelas Forças Armadas e a elaboração de uma nova Constituição sem participação popular. É uma chapa que coloca, declaradamente, a democracia em risco!

Jair Bolsonaro é defensor da Ditadura Militar, afirmou que o erro dos militares foi torturar em vez de matar e não esconde sua admiração ao mais notório torturador do regime militar de 1964, o General Ustra.

Não queremos ditadura ou fascismo nem a ampliação da matança policial-militar nas ruas responsável pelo genocídio da juventude negra. Queremos liberdade, igualdade, justiça social e direitos! Bolsonaro é tudo que o Brasil não precisa para superar a crise e avançar.

Nós, mulheres diversas e unidas, defendemos o oposto do que ele prega: defendemos o respeito às diferenças; o direito das mulheres de viverem seguras e decidirem sobre o seu próprio corpo; defendemos salários iguais entre homens e mulheres, entre negros e brancos; defendemos cotas para os que foram historicamente injustiçados e prejudicados; defendemos serviços públicos com qualidade para as mulheres pobres e seus filhos.

Defendemos a mais ampla liberdade de ensinar e de aprender, sem lei de mordaça, seja na escola, ou na Universidade.

Defendemos que as pessoas sejam livres para amar e sejam respeitadas por isso. Defendemos o debate de ideias e a democracia.

Ele prega o ódio, nós pregamos o respeito. Ele defende a morte e a tortura, nós defendemos a vida.

Por isso dizemos: Ele Não! Nem os filhos! Bolsonaro Nunca! Fascismo não!”

Com Brasil de fato.