Arquivo da categoria: Polícia

Vereador troca tiros com bandidos em Itaguaí

Político não descarta tentativa de homicídio

O vereador Vinicius Alves (PRB) foi surpreendido, na noite desta segunda-feira (18), por dois elementos armados, no portão da casa de um parente, no bairro do Engenho, em Itaguaí. De acordo com o parlamentar, ele estava ao celular quando os suspeitos se aproximaram pelo meio da rua. Ao perceber que um deles sacou da arma, o vereador pegou sua pistola e trocou tiros com os homens. Ainda, segundo o Vinícius Alves, os tiros atingiram a cadeira, o portão e o muro da residência. Vinicius acredita ter atingido um dos elementos.

Após o tiroteio, os suspeitos fugiram sem levar nada. O parlamentar pediu auxilio ao vereador Gil Torres, que é ex-policial militar, que o levou em seguida à 50ª DP (Itaguaí) para fazer o boletim de ocorrência. “Mas antes fui até o hospital, pois estava muito nervoso e com ânsia de vômito”, contou.

Ao ATUAL, o vereador Vinicius Alves falou que ainda não sabe se foi uma tentativa de homicídio ou assalto. Ele relatou que antes do incidente havia uma moto suspeita parada em frente a sua a casa. “Estava sentado em frente ao portão da casa do meu tio, por volta das 21h50, olhando o celular, quando dois homens se aproximaram e um deles sacou uma arma. Já de imediato, não pensei duas vezes e saquei a minha arma e atirei contra os elementos. Corri para dentro do quintal, mas me deparei com o portão fechado aí que bateu o desespero. Mas graças a Deus, o meu tio abriu o portão e consegui me esconder nos fundos da casa até o vereador Gil torres chegar com os policiais militares. Os bandidos não esperavam a minha reação. Hoje quero agradecer por estar vivo”, disse o vereador.

Vinícius Alves disse que por volta de 1h a perícia chegou e fez todo o procedimento para dar início as investigações. O vereador contou ainda que não descarta a possibilidade de uma tentativa de homicídio. “Hoje a gente está numa guerra política no município, mas também não posso acusar ninguém. Eu não descarto nenhuma hipótese. Agora vou evitar estar exposto e tomar alguns cuidados. Não vou retroagir na minha vida particular e política. Se alguém pensa que de alguma forma eu vou voltar atrás, está enganado, vou continuar a mesma pegada. Eu prometi ao juiz, durante a minha diplomação, que faria o certo e vou continuar”, concluiu.

Fonte Jornal Atual de Itaguaí

Anúncios

Homem é preso por possível ligação com a milícia “Liga da Justiça”

Amigos afirmam que Rodrigo é inocente

A Polícia Civil com equipes da especializada da Polinter coordenadas pelo Titular da Unidade, o delegado Adriano Marcelo França, cumpriram na tarde de ontem(15/03), por volta das 16h, mandado de prisão preventiva, expedido pela VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ITAGUAÍ, pelo crime de “Organização Criminosa” com aumento de pena devido ao acusado ser concursado como servidor das forças armadas, onde fora enquadrado em artigos da Lei 12.850/2013), que aumentaram a pena de Rodrigo Maximo Batista de Oliveira.

A Lei citada o enquadra por organização criminosa e por manter conexão com outras organizações criminosas independentes (Processo 0007537-77.2017.8.19.0024) e (Processo Nº 0052595-44.2018.8.19.0000 ).

https://www.jusbrasil.com.br/topicos/204703010/processo-n-0052595-4420188190000-do-tjrj?ref=amp

O acusado foi capturado sem oferecer resistência no município de Itaguaí.

Cabe salientar que Rodrigo é acusado de pertencer a um grupo paramilitar (milícia) no bairro de Chaperó, em Itaguaí, no Condomínio Vivendas dos Girassóis, o qual tem participação com a Liga da Justiça, cujo o líder é o foragido da justiça Wellington da Silva Braga, vulgo Ecko ou Didi e no processo citado acima, encontra-se denunciado com mais 34 (trinta e quatro) pessoas.

A pena é em regime fechado de 3 (três) a 8 (oito) anos, e multa, sem prejuízo das penas correspondentes às demais infrações penais praticadas, caso Rodrigo seja condenado.

Rodrigo possui anotação por: *Extorsão* (Artigo 158 do Código Penal)
*RO:* 905-00378/2019
*INF:* 3048/2019

Fonte: Policia Civil e Informações RJ

Amigos e parentes defendem o acusado em rede social

Nas redes sociais muitos amigos e parentes se manifestaram dizendo que Rodrigo é pai de família e que não tem nenhum envolvimento com milícias. A defesa do citado está tentando provar a inocência de seu cliente.

Presos suspeitos da morte de Marielle e Anderson Gomes

O sargento da PM reformado Ronnie Lessa é apontado como o responsável por efetuar os disparos, enquanto o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz dirigia o carro usado na execução. Mas mandante ainda não foi revelado

Um PM e um ex-PM foram presos no início da manhã desta terça-feira acusados de participação nos assassinatos da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes. O sargento da PM reformado Ronnie Lessa é apontado como o responsável por efetuar os disparos que mataram a parlamentar e seu motorista, enquanto o militar da corporação expulso dirigia o Cobalt usado na perseguição e ataque à parlamentar. Segundo as investigações, ele era o motorista do Cobalt utilizado para a execução. Elcio foi policial militar,mas acabou expulso da corporação. As prisões ocorrem dois dias antes dos crimes completarem um ano.

Ronnie foi preso em casa, em um condomínio na Barra da Tijuca, onde o presidente Jair Bolsonaro morava antes de se tornar presidente e mudar para Brasília. O ex-PM Elcio Vieira de Queiroz é outro preso na operação desta terça, também em sua residência, no Engenho de Dentro, na Zona Norte. Nas redes sociais, uma foto mostra Queiroz ao lado do presidente. Bolsonaro ainda não se pronunciou sobre o caso.

A operação desta terça é realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ), e pela Polícia Civil. Para os promotores do Gaeco, a empreitada criminosa foi meticulosamente planejada durante os três meses que antecederam o atentado. Além das prisões, a operação executa 34 mandados de busca e apreensão nos endereços dos denunciados e outros locais para apreender documentos, telefones celulares, notebooks, computadores, armas, acessórios, munições e outros objetos.

Na casa de Ronnie foram feitas diversas apreensões, entre elas um carro de luxo, FX35 da Infinnity, modelo de 2011, que o valor pode chegar a R$ 200 mil. Os agentes que participam das buscas na casa do sargento reformado da PM fazem uma busca meticulosa na residência, vasculhando telhados caixa d’água e, inclusive, vão escavar o terreno em busca de provas.

Políciais cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do Sargento reformado Ronnie Lessa. Num condomínio de luxo

Após as prisões, o PM e o ex-PM foram levados para Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca. Élcio entrou pela porta lateral para evitar os jornalistas e um advogado que representa um dos presos também está na na especializada, mas não quis falar com a imprensa.

Carro da vereadora com marcas de tiro e vidros estilhaçados foi levado para a DH, após perícia inicial Maíra Coelho / Agência O Dia

Junto com os pedidos de prisão e de busca e apreensão, o Ministério Público pediu a suspensão da remuneração e do porte de arma de fogo de Lessa. Também foi requerida a indenização por danos morais aos familiares das vítimas e a fixação de pensão em favor do filho menor de Anderson até completar 24 anos de idade.

Marielle foi assassinada no dia 14 de março

A Operação Lume foi batizada em referência a uma praça no Centro do Rio, conhecida como Buraco do Lume, onde Marielle desenvolvia um projeto chamado Lume Feminista. No local, ela também costumava se reunir com outros defensores dos Direitos Humanos e integrantes do Psol. Além de significar qualquer tipo de luz ou claridade, a palavra lume compõe a expressão ‘trazer a lume’, que significa trazer ao conhecimento público, vir à luz.

“É inconteste que Marielle Francisco da Silva foi sumariamente executada em razão da atuação política na defesa das causas que defendia”, diz a denúncia acrescentando que a barbárie praticada na noite de 14 de março de 2018 foi um golpe ao Estado Democrático de Direito.

PM reformado perdeu perna em atentado a bomba.

Em outubro de 2009, Ronnie Lessa perdeu uma das pernas após uma granada explodir dentro de seu carro, em Bento Ribeiro, na Zona Norte. Ele era lotado no 9º BPM, em Rocha Miranda, e o ataque aconteceu a poucos metros do batalhão. Ele também já atuou na Delegacia Antissequestro (DAS), cedido pela PM.
O atentado contra Lessa estaria associada a uma disputa interna pela segurança do contraventor Rogério de Andrade, que também sofreu um ataque a bomba seis meses antes. Diego de Andrade, filho de Rogério, morreu no atentado contra o pai, ocorrido na Barra da Tijuca.

O autor de ambos os ataques seria o ex-sargento do Exército Volber Roberto da Silva Filho. Ele acabou morto numa ação da Polícia Civil, no ano passado, durante uma troca de tiros num motel em Jacarepaguá.

O tiroteio, segundo o relato dos informantes, teria sido forjado para encobrir o assassinato de Volber.
Em abril do ano passado, ele também foi alvo de uma tentativa de assalto, conforme divulgado na época. Ronnie estava acompanhado de um militar do Corpo de Bombeiros e reagiu a uma abordagem na Praia do Pepê, na Barra. O PM reformado acabou atingido de raspão no pescoço e o bombeiro no braço.

Sargento reformado processou sites, mas Justiça arquivou processo por não achar autor

Em 2012, Ronnie entrou na Justiça contra portais de notícias por “uso indevido de imagem e danos morais”. Na época, informações sobre sua ligação com o contraventor Rogério de Andrade vieram a tona e ganharam repercussão na mídia.
A ação cita cinco veículos de informação, entre sites e programas de TV. Entretanto, a ação judicial acabou arquivada porque o sargento reformado, maior interessado no processo, não era encontrado.
“O feito encontrava-se paralisado há dois anos. Intimado para promover andamento ao feito em 48 horas, o mesmo não foi possível, pois não consta o endereço do autor nos autos. A parte autora deveria fornecer o seu endereço, assim como mantê-lo atualizado. Assim, tornou-se inviável a intimação do autor”, diz a ação.

Assessora sobrevivente de ataque fala pela primeira vez e diz que Marielle ‘incomodava’

No último domingo, a poucos dias das execuções de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes completarem um ano, a assessora da vereadora deu uma entrevista relembrando os assassinatos. Fernanda Chaves estava no carro que foi alvejado com mais de 10 tiros no Estácio, a região central do Rio.
“Lembro que fui depor na delegacia, imediatamente após o crime, abraçada… pedi pro meu advogado sentar atrás do meu carro e fui abraçada e praticamente abaixada. Tinha a sensação de que a qualquer momento ia vir uma rajada de metralhadora pela janela. Dentro da minha casa eu não passava pela janela”, a jornalista relembrou, em entrevista concedida ao Fantástico.

Fonte O Dia

Pressão internacional e homenagens durante o Carnaval deram novamente destaque ao crime bárbaro. Fora do País, toda a imprensa achava um absurdo em quase um ano, responsáveis não estavam presos. Contudo, quem mandou matar? Gente grande e poderosa pode estar por trás do assassinato.

Mulher é esfaqueada na frente da filha de 5 anos em Angra dos Reis

Elas dormiam na mesma cama quando foram surpreendidas pelo homem. Suspeito agrediu a mulher com golpes de facão.

G1

Uma mulher foi esfaqueada pelo marido, na frente da filha de 5 anos, na quarta-feira (6), em Angra dos Reis, RJ. Segundo familiares, o crime aconteceu na casa da vítima, no Parque Mambucaba. Ela foi atingida com golpes de facão.

Ainda segundo familiares, os dois estavam juntos há seis anos. O homem, identificado como Flávio da Silva Lins, não aceitava o divórcio e já havia agredido a mulher outras vezes. Contra ele havia medida protetiva, que não foi respeitada. Ele pulou o muro da casa da vítima e a surpreendeu enquanto ela e a filha do casal dormiam na mesma cama. A sobrinha dela de 10 anos, que mora na residência, conseguiu sair e pedir socorro.

Deidiane de Paula Monteiro, de 33 anos, está internada no Hospital Geral da Japuíba. O estado de saúde dela é estável e ela não corre risco de morte.

O caso foi registrado na 166ª Delegacia de Polícia (Angra dos Reis). O homem está foragido.

Segundo o Disque Denúncia, desde o início do ano, o município recebeu sete denúncias de violência contra a mulher. Quem souber o paradeiro do suspeito pode entrar em contato através do Disque Denúncia. O número do telefone é 0300 253 1177 (custo de ligação local). A população pode denunciar também pelo aplicativo “Disque Denúncia RJ”, onde é possível enviar fotos e vídeos.

Fonte G1

Golpistas vendem panelas e são suspeitos de clonagem de cartão em Itaguaí

Várias pessoas já foram vítimas. Golpistas já agiram principalmente no bairro Ito e na Vila Margarida

Uma quadrilha está agindo em Itaguaí . Segundo várias vítimas que procuraram nosso blog, essas pessoas que são duas mulheres aparentemente do Sul pelo sotaque e ainda andam com uma criança, estão vendendo panelas pela cidade. Mas, quando as vítimas vão realizar o pagamento, é prometido pelas possíveis criminosas parcelamento em até 10 vezes no cartão. O curioso é que essas mulheres informam que o pagamento pode ser feito pelo cartão de débito ou crédito da vítima. Daí elas dizem que vão passar a primeira parcela no débito ou crédito e que as demais serão feitas em futuras prestações. É nessa hora que o golpe funciona. Quando passa o cartão da vítima na maquininha portátil, essas golpistas clonam o cartão do comprador.

Muitas pessoas já foram lesadas. Algumas delas tiveram suas contas bancárias limpas pelas golpistas. As perdas de alguns ultrapassaram dois mil reais. Os alvos principais delas são idosos.

As vítimas dessas golpistas já deram entrada na 50 DP em Itaguaí.

Assaltantes roubam carro forte e assustam motoristas em Angra dos Reis

Intenso tiroteio assustou motoristas na Rio-Santos. De acordo com a PRF, homens armados teriam assaltado um carro forte. Até o momento 12:30 a Rio Santos está fechada na região e o engarrafamento é gigantesco.

Um intenso tiroteio assustou motoristas, na manhã desta quarta-feira, na Rodovia Rio-Santos (BR-101), em Angra dos Reis, Costa Verde do estado. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), homens armados, que estariam com uniformes semelhantes ao do Batalhão de Operações Especiais (Bope), teriam assaltado um carro forte.

Os criminosos trocaram tiros com agentes da PRF e com policiais militares do 33º BPM (Angra). Veículos, que transitavam pela rodovia, retornaram na contra mão. Um carro foi incendiado na via. As equipes policiais continuam na busca aos criminosos. Até o momento, não há informações sobre feridos.

Vídeos e fotos divulgados nas redes sociais, mostram um pouco do terror que ocorreu nesta manhã.

Casas foram atingidas com os tiros

Com jornal O Dia

Ministério público ajuíza mais uma ação contra Cabral e Picciani

Na ação há pedido de indisponibilidade de bens

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Cíveis e Institucionais e do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC/MPRJ), ajuizou, na 4ª Vara de Fazenda Pública, ação civil pública (ACP), por improbidade administrativa, com pedido de decretação de indisponibilidade de bens em face de quatro acusados: o ex-governador Sérgio Cabral; o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), Jorge Picciani; seu operador José Augusto Ferreira dos Santos; e a Agrobilara Comércio e Participações Ltda. – holding de criação de gado controlado pela família Picciani.

Aponta a ACP que, no curso da Operação Cadeia Velha, a empreiteira Carioca Christiani-Nielsen Engenharia celebrou contrato de leniência com o Ministério Público Federal, no qual revelou detalhes do funcionamento do esquema de corrupção que envolveu diversas construtoras e a gestão de Sérgio Cabral. A empresa teria efetuado o pagamento de R$ 1 milhão ao ex-governador, no período de 2007 a março de 2014. Tais recursos teriam sido gerados em operações superfaturadas de compra e venda de 160 cabeças de gado, feitas pela Agrobilara Comércio e Participações Ltda.

Os pagamentos realizados ao então governador decorreram de esquemas envolvendo licitação, contratação e execução, inclusive em regime de consórcio com outras empresas, de obras custeadas com recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento: urbanização na Comunidade da Rocinha, na construção do Arco Metropolitano e da Linha 4 do Metrô – esta última, alvo da ação penal nº 050411372.2017.4.02.5101. Também foram detectadas fraudes à licitação em dois conjuntos de obras executadas pelo Governo do Estado: a do estádio do Maracanã para a Copa de 2014 e as do programa de urbanização e regularização fundiária denominada PAC-Favelas.

Na ACP, requer o MPRJ a condenação dos quatro acusados como incursos nas sanções do art. 12, inciso I, da Lei n. 8.429/92, bem como a concessão de liminar para decretar a indisponibilidade dos bens de forma individualizada, bloqueando suas contas bancárias e tornando indisponíveis seus bens móveis e imóveis, da forma assim discriminada: até o valor total de R$ 4 milhões, no caso de Sérgio Cabral, correspondente a R$ 1 milhão recebido ilicitamente, acrescido de três vezes este valor, a título de multa; e de até R$ 3 milhões de Jorge Picciani, José Augusto e Agrobilara Comércio (o equivalente a três vezes o valor recebido pelo ex-governador, também como multa).

Para informações mais detalhadas, acesse a petição inicial da ACP.