Arquivo da categoria: Mangaratiba

Mangaratiba e Seropédica recebem novas ambulâncias para a saúde das cidades

Já em Itaguaí, vans e carros novos estão sem uso no pátio da secretaria de transportes

Na última quarta-feira (15/04), Mangaratiba e Seropédica passaram a contar com mais uma ambulância cada uma para atender o sistema de saúde municipal de ambas as cidades.

As prefeituras receberam as ambulâncias do Governo do Estado. A parceria visa auxiliar no transporte dos pacientes, além de ajudar em possíveis casos de Covid-19. Tal recebimento só foi possível pela iniciativa das prefeituras das cidades citadas em buscar essa parceria com o governo do Estado do Rio de Janeiro.

“Recebemos uma ambulância toda montada, novinha, que somará a frota do município e com certeza ajudará muito no combate ao Coronavírus”, frisou a secretária de Saúde do Município de Mangaratiba Sandra Castelo Branco.

Já em Itaguaí não há qualquer informação sobre o recebimento ou não de qualquer ambulância do mesmo projeto. Também não se sabe se a prefeitura de Itaguaí buscou a mesma parceria. Mesmo com uma população bem maior que Seropédica e Mangaratiba, o governo de Itaguaí não presta os devidos esclarecimentos e nem toma atitudes que de fato possam ajudar a combater a doença que na cidade só aumenta.

Denúncia mostra carros novos e sem uso no pátio da secretaria de transportes da cidade (Sectran)

Em meio a esse cenário catastrófico, a prefeitura de Itaguaí recebeu vários carros novinhos no mês passado. Porém, segundo denúncias recebidas por nosso blog, esses caros zerinho não estão sendo usados. Isso é facilmente comprovado, já que a prefeitura da cidade não divulgou nos últimos meses nenhum recebimento de nova frota.

Solicitamos informações sobre esses carros novos e parados na Sectran. Porém, mais uma vez a secretaria de comunicação / assessoria de imprensa da prefeitura de Itaguaí, não quis dar satisfações.

Prefeitura de Mangaratiba irá distribuir cestas básicas para alunos da rede municipal

Decisão da Justiça Federal vai permitir que o município utilize as verbas da merenda escolar para ajudar na alimentação dos alunos. Senado também já aprovou a prática e a cidade do Rio de Janeiro também tem feito essa distribuição

Atendendo a um pedido da Prefeitura de Mangaratiba, a Justiça Federal autorizou na última terça-feira, 31 de março, a utilização das verbas federais destinadas a merenda escolar para a compra e distribuição de cestas básicas aos alunos matriculados na rede municipal de ensino. A medida valerá enquanto as aulas estiverem suspensas em decorrência da pandemia provocada pelo novo coronavírus e é uma maneira de compensar a falta da merenda preparada nas escolas.

A decisão liminar da 32ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que tramitou em regime de urgência, permite que as verbas federais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), destinadas para a merenda escolar, sejam utilizadas na compra e entrega das cestas básicas.

A sentença determina ainda que o Governo Federal não interrompa o repasse desses recursos enquanto as aulas estiverem suspensas no município.

Agora caberá a prefeitura definir como será feita a aquisição e distribuição das cestas básicas. A Secretaria de Educação fará um levantamento de todas as famílias que serão beneficiadas. Novidades a cerca da distribuição dos mantimentos serão divulgadas nos próximos dias.

O Prefeito Alan Campos da Costa, o Alan Bombeiro, comentou a decisão judicial. “A justiça federal atendeu nosso pedido. Com isso vamos poder dar um auxílio a nossos alunos e suas famílias durante a pandemia do COVID-19. Sabemos que muitos estudantes dependem da alimentação que é servida nas escolas para completar sua nutrição diária. Não vamos deixá-los sem assistência neste momento tão difícil e enquanto as aulas estão suspensas”.

Várias cidades pelo País, também tem adotado essa forma de auxílio as famílias. Entre elas a prefeitura do Rio de Janeiro.

Senado já havia aprovado tal medida

O plenário do Senado Federal já havia aprovado na última segunda-feira (31), em sessão remota, o Projeto de Lei 786/2020, que prevê distribuição de merenda escolar às famílias dos estudantes que tiveram suspensas as aulas na rede pública devido à epidemia do novo coronavírus (covid-19).

Distribuição

De acordo com o projeto, o dinheiro do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) continuará a ser repassado pela União a estados e municípios para a compra de merenda escolar. Como as escolas públicas estão fechadas por causa da pandemia, os alimentos deverão ser distribuídos imediatamente aos pais ou aos responsáveis pelos estudantes matriculados nessas escolas.
A distribuição dos alimentos da merenda escolar poderá ser feita todas as vezes em que as aulas da rede pública forem suspensas em razão de situação de emergência ou de calamidade pública.

Segundo o Censo Escolar 2019, o Brasil possui quase 39 milhões de crianças e adolescentes matriculados na rede pública de educação básica. Na rede privada, estima-se que haja pouco mais de nove milhões de estudantes.

O senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL) foi o relator da matéria na Casa. Ele declarou que a proposição é “altamente elogiável”, na medida em que busca assegurar a alimentação de milhões de crianças e jovens que dependem da merenda escolar, durante o período de suspensão das aulas, devido a emergência ou calamidade pública.
“Notadamente neste momento, em que vivemos a crise mais grave de nossa história, em decorrência da pandemia de coronavírus, entendemos ser papel do Poder Público oferecer apoio às crianças e jovens que se encontram extremamente vulneráveis”, afirmou o relator.

Mangaratiba registra segundo caso de Coronavírus

É o segundo caso oficial registrado na cidade. 44 pessoas ainda aguardam análise laboratorial para saber se estão ou não infectados. A Secretaria de Saúde da cidade, adquiriu cerca de 5.000 exames para detectar o novo coronavírus, sendo que 3.000 já estão disponíveis nesta sexta-feira

A prefeitura Municipal de Mangaratiba, através da secretaria de saúde, informou na tarde de ontem, quinta-feira, mais um caso confirmado de Covid-19 na cidade.

Este é o segundo caso e o paciente é do sexo masculino. O homem que é um profissional da área da saúde, possivelmente foi contaminado com outra profissional que era caso suspeito na época. O mesmo ainda se encontra em quarentena. A família também estará em quarentena até se cumprir o desaparecimento dos sintomas. O caso já consta na lista oficial do Estado. O primeiro caso foi registrado no dia 27/03.

A Secretaria de Saúde também ressaltou ontem no final da tarde, que há um caso com transferência para referência de casos graves, sem que haja ainda a confirmação ou não da doença. Mesmo sem ainda o resultado, a família estará em quarentena e acompanhada pelos serviços de saúde de Mangaratiba.

De 02 de janeiro de 2020 até às 19 horas de ontem quinta-feira (2 de abril), o Município de Mangaratiba registrou 58 suspeitas clinicas de infecção pelo novo coronavírus, sendo duas confirmadas, 12 já descartadas e 44 aguardam análise laboratorial. Destes 44, 43 estão em quarentena em casa e uma pessoa permanece internada.

Esta semana a Secretaria de Saúde adquiriu cerca de 5.000 exames para detectar o novo coronavírus, sendo que 3.000 já estão disponíveis a partir desta sexta-feira, 3 de abril.

Todos os pacientes se encontram em acompanhamento pela Vigilância Epidemiológica.

A prefeitura de Mangaratiba alerta para que as pessoas fiquem atentas, em sinais de sintomas respiratórios, como de gripe (febre, coriza, tosse, espirro e outros) se considere um sintomático respiratório, então já entre em quarentena, evite contato, lave o tempo todo as mãos e use máscara.

Se tiver mais pessoas na família, a pessoa deve-se comunicar com o serviço de saúde mais próximo (ESF) ou o serviço de saúde mais próximo. Se houver mais de 3 dias com febre, que baixa com antitérmico e volta com dificuldades de respirar, procurar o serviço de saúde. Vale lembrar que, não é o resultado laboratorial que faz o diagnóstico, são os sintomas da síndrome gripal.

A Secretaria de Saúde reforça que não fará teste em pacientes que não estejam enquadradas no protocolo do Ministério da Saúde, ou seja, que não vieram de regiões consideradas endêmicas, que não apresentem sintomas característicos da contaminação pelo vírus segundo protocolo do Ministério da Saúde.

O sistema de saúde pública da cidade, ressalta que qualquer paciente que apresente sintoma do Covid-19 é orientado a permanecer em quarentena domiciliar no prazo mínimo de 14 dias até que apresente sintomas da doença. E neste período passam por monitoramento pela área epidemiológica.

Também ressaltou que os números são dinâmicos e na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, podem sofrer alterações. Um novo boletim, com dados atualizados, será divulgado hoje, dia 03/04/2020, no final do dia.

Fonte: Prefeitura Municipal de Mangaratiba

Prefeitura de Mangaratiba não pagará 13° integral a servidores em 2019

Segunda parcela apenas dia 17 de janeiro e salário de dezembro dia 03/01/2020

A prefeitura Municipal de Mangaratiba alegando crise e pouco fluxo de caixa não quitará o 13° salário de seus servidores. Nesta sexta-feira dia 20 apenas a primeira parcela será paga em 2019. O salário de dezembro apenas em 2020, no dia 03 de janeiro e dia 17 do mesmo mês a segunda parcela do 13°.

Em seu site e página no Facebook, o governo municipal responsabilizou gestões anteriores e o pouco crescimento da economia nacional como algumas das justificativas do atraso. Ocorre que nosso blog vem acompanhando todas as prefeituras da região e Mangaratiba não costumava atrasar salários, muito pelo contrário. Enquanto em Itaguaí em 2016 os salários não foram pagos no último trimestre e Angra teve dificuldades e atrasos, Mangaratiba adiantou os vencimentos. Já de 2017 pra cá Itaguaí reduziu o salário dos servidores e Mangaratiba manteve. Contudo, a cidade passou por vários prefeitos em pouco tempo por casos de corrupção.

Prefeitura de Mangaratiba cancela o “Carnamar” 2019

Os estragos causados pelas fortes chuvas ocasionou tal cancelamento

Em nota oficial a Prefeitura de Mangaratiba informou que devido às fortes chuvas, e os estragos causados por ela, o Carnamar 2019 esta cancelado. O evento marítimo seria realizado no dia 23 deste mês, como a abertura oficial do Carnaval. Devido os últimos acontecimentos não seria possível a realização do evento, já que para o Poder Executivo o momento é de reestruturação.

A decisão foi tomada em uma reunião do prefeito de Mangaratiba, Alan Costa, o Alan Bombeiro, com o secretário de Turismo, Cultura, Eventos, Esporte e Lazer, Roberto Monsores, na terça-feira (5). Segundo Alan Bombeiro, a decisão foi muito bem pensada. “As chuvas ocasionaram enchentes, deslizamentos e perdas materiais para os moradores do município. Restabelecer a cidade é a nossa prioridade no momento”, disse o prefeito.

Roberto Monsores acredita na coerência da decisão. “Estamos todos juntos trabalhando para dar condições dignas a essas pessoas que foram afetadas. Mas, os moradores podem ficar tranquilos que logo será lançado o calendário oficial de eventos da cidade, assim como o Plano de Ação e Ordenamento Turístico de Mangaratiba”.

Fonte:Prefeitura Municipal de Mangaratiba

No Rio, 33 cidades são investigadas por fraudes na merenda

Itaguaí também está na mira, sendo investigada pelo Tribunal de Contas do Estado. Mangaratiba e Seropédica estão em situação semelhante

O jornal o Dia revelou 74 investigações de irregularidades no estado. Em Japeri, prefeito preso contratou R$ 2,2 milhões sem licitação

No retorno às aulas do segundo semestre, pais e filhos têm de volta a dura realidade das escolas públicas: merenda de má qualidade ou a falta dela. Levantamento inédito realizado pelo DIA, junto ao Ministério Público, revela a existência de pelo menos 74 inquéritos abertos atualmente que investigam irregularidades no fornecimento de alimentos a crianças e jovens da rede municipal em 33 cidades do estado nos últimos sete anos.

Em paralelo ao trabalho dos promotores, o Tribunal de Contas de Estado (TCE-RJ) fez auditorias em unidades educacionais e identificou problemas com a merenda em escolas de 17 municípios só no ano passado (alguns deles também são alvos do MP). A partir deste domingo, O DIA publicará uma série de quatro reportagens sobre o tema.

Na mira das investigações, há de tudo: superfaturamento na compra de mercadorias por empresas contratadas pelas prefeituras; desvio de dinheiro repassado pelo governo federal; furto de comida por servidores; falta de infraestrutura para armazenar produtos e de transparência na prestação de contas; fiscalização deficiente; alimentos com prazo de validade vencido; e cozinhas precárias.

Sobrepreço em 30 produtos

Em Mesquita, na Baixada Fluminense, o MP instaurou inquérito com base em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), concluída no fim do ano passado. Em 537 páginas, o relatório apontou que o prefeito Jorge Miranda (PSDB) contratou, sem licitação, a Alimentação Global Service Ltda por R$ 7,5 milhões durante seis meses. No entanto, segundo a CPI, havia um acordo ainda vigente com outra empresa para prestar o mesmo serviço. Integrantes da CPI também visitaram as 40 escolas municipais e encontraram comidas de má qualidade. Ao todo, a rede possui 13.190 estudantes.

Aluna do 7º ano da Escola Municipal Doutor Deoclécio Dias Machado Filho, Maria Luíza Silva, de 12 anos, confirma. Segundo ela, o cardápio, na maioria da vezes, tem apenas ovo, macarrão com cenoura e angu com carne moída. Frutas, sucos ou salada são artigos de luxo e desapareceram da despensa.

“Almoço em casa e levo um biscoito porque a escola não oferece mais lanche”, reclama a jovem. Com salário de R$ 1.560 de atendente, a mãe da menina, Maísa Souza da Silva, de 42 anos, lamenta a situação: “A minha filha é uma excelente aluna, mas deve ficar reprovada porque está sem motivação.”

Preso na última sexta-feira por associação a traficantes, o prefeito de Japeri, Carlos Moraes (PP), fez três contratos com DN Grill Produtos Alimentícios LTDA, com sede no município, de quase R$ 8 milhões. Em um deles, de R$ 2,2 milhões, sem licitação, os auditores do TCE-RJ encontraram indícios de sobrepreço em 30 mercadorias.

A farinha de aveia foi adquirida pelo preço 186,9% maior. No biscoito de maisena, a prefeitura pagou 67,5% mais caro. No feijão carioca, o acréscimo chegou a 76,2%. O sal, por sua vez, registrou alta de 53%.

O DIA foi aos dois endereços da DN Grill disponíveis no contrato com a prefeitura de Japeri e na Receita Federal. Um dos imóveis (na Rua Ivan de Azevedo 4, em Engenheiro Pedreira) estava fechado em pleno horário comercial; no outro (na Rua Francisco Antônio Russo, lote 16, no mesmo bairro), o minimercado tinha as prateleiras vazias e não havia sido inaugurado.

Um dos sócios da DN Grill é Daniel Rodrigues das Neves. Nas eleições para prefeito, em 2016, ele e a família pediram votos para Carlos Moraes.

Endereço citado pela DN Grill em Engenheiro Pedreira, Japeri: no local, não havia comércio de alimentos funcionandoArmando Paiva

Imagem de merenda da rede municipal de Mesquita está no relatório da CPI que apontou os problemasReprodução/CPI da Merenda

Maísa Souza da Silva conta que a filha Maria Luiza, de 12 anos, tem de almoçar em casa e levar biscoito.

Abaixo os municípios que estão sendo investigados:

Fonte: O Dia

Leia mais:

Onde está o conselho de alimentação escolar (CAE) de Itaguaí?

Polícia identifica suspeito de ter cometido chacina em Mangaratiba

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que Robson Barbosa dos Reis, o Robinho, de 35 anos, é o principal suspeito pelas mortes de seis pessoas, na madrugada de terça (3), em Mangaratiba, na região metropolitana do Rio. O Portal dos Procurados do Disque Denúncia divulgou cartaz com recompensa de R$ 1 mil por informações que levem a captura de Robinho.

Na chacina, os criminosos só pouparam um bebê de sete meses. As vítimas, que seriam da mesma família e com idades variando entre 16 e 37 anos, foram assassinadas dentro de casa no bairro Parque Bela Vista. Uma adolescente de 15 anos, que não estava na casa, também escapou de ser assassinada pelo grupo. O alvo da chacina seria Bruno Souza dos Santos, de 19 anos, uma das vítimas. Os outros teriam sido mortos por “queima de arquivo”.

De acordo com a Polícia Civil, os mortos foram identificados como Bruno de Souza dos Santos, mais conhecido como Índio, de 19 anos; Michele Nunes da Silva, de 37; Rayane Nunes da Silva Garcia, de 22; Rafael da Silva da Motta, de 18; Jonathan Nunes Muniz, de 16; e Claudemir Pinto Francelino, de 33.

Crime de traficantes

Para a polícia, a hipótese mais provável é que o crime tenha sido praticado por traficantes. Segundo o delegado Rodrigo Coelho, a motivação seria o fato de Bruno estar vendendo drogas de forma independente, sem prestar contas para o chefe do tráfico local. A polícia ainda informou que a ficha criminal de Bruno tinha, entre outros crimes, indiciamento por tráfico de drogas e porte de armas.

Robinho apresenta diversos indiciamentos por tráfico de drogas e corrupção ativa. Segundo o delegado da 165ª Delegacia Policial (Mangaratiba), Anderson Ribeiro Pinto, Robinho tem um mandado de prisão pelo crime de associação para a produção e tráfico, expedido pela Vara Única da Comarca de Mangaratiba.

Quem tiver qualquer informação sobre a localização do suspeito, pode denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.

Agência Brasil

Cartão PDDE irá facilitar as verbas federais que as escolas utilizam

Todas as escolas registradas recebem verbas diretamente em suas contas, sem intermédio de qualquer secretaria de educação. Se informe e saiba como está sendo usado o dinheiro em sua escola e/ou na escola de seus filhos

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia do Ministério da Educação, estendeu o alcance do Cartão PDDE, neste semestre, para todos os estados brasileiros. Mais de 40 mil escolas de todo o Brasil já receberam a primeira parcela do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), este ano, por meio do cartão, informa o presidente do FNDE, Silvio Pinheiro.

“Além de facilitar as transações comerciais, o Cartão PDDE traz um maior controle sobre a utilização dos recursos, já que grande parte dos pagamentos é feito por meio eletrônico, com identificação de fornecedores e prestadores de serviço”, explica Pinheiro.

Numa primeira etapa, o cartão de débito do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) havia sido implementado apenas em unidades executoras próprias (UEx) de escolas públicas do Distrito Federal e Espírito Santo, em 2017. Em seguida, foi expandido para Ceará e Goiás. E agora alcança todo o território nacional.

Por meio do cartão, as UEx podem realizar pagamentos, transferências eletrônicas, emitir ordens de pagamento, fazer saques e retirar extratos nos terminais de autoatendimento do Banco do Brasil. Os recursos do programa ficam automaticamente aplicados em fundo de investimento de curto prazo, com resgate automático.

Não é permitido utilizar o cartão para efetuar compras por telefone, na internet ou no exterior. O limite para saques, transferências e ordens de pagamento é de R$ 800 por dia, R$ 2 mil por mês e R$ 8 mil por ano.

Criado em 1995, o PDDE tem a finalidade de prestar assistência financeira, em caráter suplementar, às escolas da rede pública de educação básica e às escolas privadas de educação especial mantidas por entidades sem fins lucrativos. O objetivo é promover melhorias na infraestrutura física e pedagógica das unidades de ensino e incentivar a autogestão escolar.

Os recursos são repassados diretamente para as unidades executoras próprias das escolas, como caixas escolares, associações de pais e mestres e conselhos escolares. “É a própria comunidade escolar, que conhece bem as prioridades de cada escola, que define onde serão utilizados os recursos”, lembra o presidente do FNDE.

A nova modalidade de pagamento está disponível para as entidades representativas de escolas que atualizaram seu cadastro no sistema PDDEweb e estão adimplentes com a prestação de contas. As UEx não precisam esperar receber aviso de que o cartão está disponível. O dirigente com atribuição estatutária para movimentar a conta bancária deverá se apresentar em sua agência de relacionamento para preencher a documentação necessária e registrar senha.

Somente um único dirigente da UEx poderá movimentar a conta bancária, já que a senha é individual e intransferível, segundo normas do Banco Central. O responsável pela conta bancária será o membro indicado no estatuto da UEx e informado no PDDEweb.

Se o estatuto não indicar um dirigente específico, a UEx deverá reunir sua comunidade escolar e aprovar uma mudança no estatuto. Para auxiliar as unidades executoras, o FNDE publicou, em seu portal eletrônico, sugestão de ata para alteração do estatuto.

A ata que documenta a alteração poderá ser levada diretamente à respectiva agência do Banco do Brasil, não sendo necessário registrá-la em cartório neste momento. O registro pode ser feito até seis meses depois.

Prefeituras de Mangaratiba e Seropédica adiantam pagamento de servidores

Equilíbrio nas finanças- Mesmo após uma grave crise, as prefeituras de Mangaratiba e Seropédica conseguiram equilibrar suas finanças e pagar em dia o salário dos seus servidores. Em Mangaratiba há anos que os salários dos trabalhadores é pago em dia e na maioria das vezes como agora até adiantado. Já em Seropédica após alguns problemas, a prefeitura consegue equilibrar as finanças e também é outra a pagar adiantado nesse mês de maio. Ambas pagam seus funcionários nesta quarta-feira véspera de feriado. Em virtude do feriado de Corpus Christie, as duas gestões se preocuparam em deixar seus trabalhadores com dinheiro para aproveitar os dias de folga.

O blog Boca no Trombone Itaguaí parabeniza aos gestores por se preocuparam com o seu maior patrimônio, seus servidores.

Secretaria de educação de Mangaratiba suspende atividades para próxima semana

Respeito e bom senso – A gestão se preocupou com os estudantes e servidores que correriam o risco de ficarem à pé durante locomoção até as unidades de ensino

A Secretaria Municipal de Educação de Mangaratiba, suspendeu as atividades para os dias 28,29 e 30 de maio. Em virtude da greve dos caminhoneiros,vários gêneros alimentícios já estão em falta nas unidades de ensino do município.

Preocupados com a falta de transporte oferecidos aos estudantes e aos seus servidores, o governo decidiu suspender as atividades para a próxima semana. Tendo como ponto principal o bom senso e o respeito as pessoas, essa foi a melhor solução para que não houvesse riscos a saúde e a segurança de alunos e trabalhadores.

Cabe lembrar que o município de Mangaratiba não vem sofrendo com falta de merenda escolar, até pelo contrário. Mesmo assim, o bem estar de seus servidores e alunos foi o primeiro ponto para que tais medidas fossem adotadas.

As aulas serão repostas num futuro próximo para que não haja prejuízo ao calendário escolar.