Arquivo da categoria: EDUCAÇÃO

Itaguaí vacinará educadores que atuam em escolas de anos iniciais e pré-escola

Profissionais da rede pública e privada serão vacinados na segunda e na terça da próxima semana

Itaguaí – Chegou a hora! Os profissionais de educação das escolas de anos iniciais e pré-escola serão vacinados na próxima segunda e terça, nas datas de 07 e 08 de junho respectivamente.A vacinação acontecerá, das 8h às 12h, nas unidades de saúde. Os educadores de creches já começaram a ser vacinados desde o começo desta semana.

Para os profissionais da educação, é importante levar o contracheque da instituição em qual trabalha.

Acompanhe os locais de imunização abaixo:

Alexandre Valle é o novo secretário estadual de educação do Rio de Janeiro

Castro nomeou Alexandre para a Secretaria de Estado de Educação, decisão foi publicada no Diário oficial do estado nesta quinta

Em 03 de junho de 2021 / Júlio Andrade

Rio de Janeiro – Nesta quinta-feira (03/06), foi publicada em edição extra do Diário Oficial do Estado a nomeação de Alexandre Valle para a Secretaria de Estado de Educação pelo governador Cláudio Castro. Valle assume a pasta no lugar de Comte Bittencourt, que estava responsável pelo cargo. A informação é da Rádio Tupi.

Em nota, Castro afirmou que foi difícil implementar o ensino híbrido em todo o estado por conta da pandemia, e que Alexandre Valle vai continuar com os trabalhos.
“Agradeço imensamente o trabalho do Comte à frente da educação. Foi um desafio enorme implementar o ensino híbrido em todo o estado durante a pandemia. Alexandre Valle seguirá com a missão de avançar com boas ferramentas de ensino para estudantes e professores”, disse.

Alexandre Valle foi eleito deputado federal em 2014 e atuou nas áreas de educação, cultura, esporte, transportes e direitos humanos. Entre agosto de 2019 e junho de 2020, esteve na Presidência do Instituto de Pesos de Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem-RJ).

Nomeação ocorre em meio a estratégias políticas que visam a candidatura de Castro ao governo do estado no ano que vem. Castro se filiou recentemente ao Partido Liberal (PL), do qual Alexandre Valle é o presidente municipal da sigla em Itaguaí.

Servidores de Itaguaí e outros municípios sentem no bolso reforma e atrasos em direitos

Com maior desconto em alíquota previdenciária e com os efeitos das reformas, trabalhadores vislumbram um futuro ainda pior. Em Itaguaí, o funcionalismo está com vários direitos atrasados. Apesar dos quinquênios estarem sendo pagos, cortes feitos pelo governo Charlinho e rombo na PREVIDÊNCIA dos servidores feitos em 2015, 2016 e na gestão seguinte, torna a dívida ainda maior.

Em 30 de abril de 2021 / Júlio Andrade

Itaguai – Os servidores públicos de todo país passam por um dos piores momentos na história do serviço público. Com a reforma da Previdência e consequentemente com as emendas constitucionais que foram promulgadas junto a ela, as alíquotas previdenciárias e o tempo de serviço para adquirir a aposentadoria aumentaram.

No caso da nova alíquota, o percentual passou de 11% para 14%. Todos os municípios e estados já em 2020 e outros neste ano de 2021, tiveram que repassar esse aumento previdenciário direto na remuneração dos profissionais. No Brasil a elevação do percentual vale não somente para os servidores ativos, mas também para aposentados e pensionistas que recebem proventos acima do teto do INSS que é de R$ 6.100,00.

No ano de 2020, começo da pandemia, o governo federal para repassar recursos a estados e municípios, obrigou os ente federados a se adequarem às regras para a concessão desse aporte financeiro. A ajuda viria, se em contrapartida eles não dessem qualquer reajuste aos servidores públicos pelo menos até 2022.

Como se não bastasse esses abusos contra o funcionalismo público, o governo federal tenta aprovar a Reforma Administrativa, que culminará no fim da estabilidade de milhões de servidores, baseados em critérios ainda não definidos, como se fosse um; “primeiro aprova a chicotada, para depois dizer o motivo do açoite “.

A Reforma Administrativa com isso, vai privilegiar pessoas contratadas para cargos comissionados em detrimento dos aprovados em concursos públicos. Trocando em miúdos, os governos terão total controle sobre o serviço público e consequentemente os casos de corrupção serão ainda maiores e com poucos denunciantes, já que os servidores efetivos, aqueles aprovados em concursos, são os que denunciam os casos de corrupção nas repartições públicas e por isso despertam tanto ódio de políticos e governos mal intencionados.

Se aprovada, a Reforma Administrativa ainda vai anular todas as dividas dos governos para com os servidores. Direitos e salários atrasados, serão anulados e os trabalhadores terão a vida ainda mais dificultada.

Servidores de Itaguaí, rombos na previdência e atrasos em direitos fazem salários serem menores a cada mês

Se tem um grupo de um determinado local que passa por dificuldades a anos, são os trabalhadores públicos de Itaguaí. Apesar do atual governo estar pagando os quinquênios do funcionalismo e de ter dito em reunião com o Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Itaguaí (MUSPI), que o adicional de qualificação de escolaridade voltará a ser pago no máximo em dois meses e que pretende pagar tudo que deve a categoria e por isso está sendo feito todo o estudo do impacto financeiro nas contas, além de que se faz necessário obedecer a Lei de Responsabilidade Fiscal, os servidores ainda por conta do estrago feito pelo governo do ex – prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho, que cortou todos os direitos, amargam um salário cada vez menor.

O grupo de funcionários da cidade, veem mês a mês seus ganhos serem ínfimos e somados aos impactos da Reforma da Previdência com o aumento da alíquota previdenciaria e com alguns dos direitos ainda não restituídos, além da iminente Reforma Administrativa, o que é ruim pode piorar.

Rombo na Previdência de Itaguaí atinge R$ 100 milhões

Nosso blog procurou a atual administração da cidade e constatamos que os governos de Weslei Pereira com quase R$ 50 milhões e de Charlinho com outro montante, atingiram um patamar de déficit da prefeitura com a previdência (ITAPREVI), dos servidores públicos da cidade, em quase R$ 100 milhões. Na gestão Charlinho ainda houve um parcelamento, mas que não foi cumprido. Segundo o atual governo, um novo parcelamento foi feito e eles acreditam que até o final do ano a dívida com a ITAPREVI esteja toda quitada.

O rombo foi tão grande, que só no governo de Weslei Pereira, conforme mostra os documentos abaixo, ocorreram R$ 34 milhões e em seguida mais de R$ 11 milhões, conforme prova as ações e assinaturas dos representantes do ITAPREVI da época, em decretos de mudança da estrutura organizacional e da total cumplicidade em ações que implicaram nesses rombos. Esse desfalque no dinheiro dos servidores, culminou em três meses de salários atrasados e do 13° salário em 2016, até hoje o pior momento na vida dos servidores públicos de Itaguaí.

As ações adotadas pelo governo da época e com os representantes da ITAPREVI da época que assinaram esse rombo previdenciário, ocasiona até hoje grande impacto nas contas ligadas ao funcionalismo público municipal.

Gestão da ITAPREVI 2015 / 2016

Link com as informações de 2015 / 2016:

https://transparencia.itaguai.rj.gov.br/fale-conosco/estrutura-organizacional/

Abaixo rombo de mais de R$ 34 milhões e outro de quase R$ 12 milhões em 2015 / 2016

Esses valores são referentes apenas aos valores dos cargos comissionados, sem os ganhos finais que normalmente eram maiores. Vale ressaltar que na época o salário mínimo no Brasil era em torno de R$ 800,00 reais.

Mais de R$ 34 milhões dos cofres da previdência

Em seguida quase R$ 12 milhões.

Confira o documento completo clicando no link abaixo :

https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn:aaid:scds:US:604bd54b-f9bd-42f1-ac8b-ef4d7ceead7c

Veja abaixo trechos do jornal oficial 475 com as funções de cada represante do Fundo da Itaprevi. Se atente para a página 17 em diante.

Confira na íntegra a Resolução 02 /16 em especial a página 17 e 27 do Jornal Oficial Edição 475. Clique aqui

Com tudo isso, enquanto em 2016 os servidores ficaram o mês de outubro, novembro e dezembro sem salários, além do não pagamento do 13° no mesmo ano, os responsáveis das assinaturas desses documentos estavam com salários e direitos em dia, além do alto valor ganho em suas comissões. Reparem bem nas assinaturas dos primeiros documentos acima e nos responsáveis por essas ações.

2013 / 2014

Em 2013, muitos desses estiveram na ITAPREVI, na gestão de Luciano Mota, conhecido como o prefeito da Ferrari, diante de inúmeras denúncias de corrupção das quais viraram processos criminais e que culminaram em sua cassação e inelegibilidade. Naquela época os servidores tiveram que entrar em greve em busca de direitos, pois já tinham dificuldades financeiras, menos claro, para alguns, que já compactuavam com possíveis irregularidades na DIREÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS.

Confira sobre 2013 clicando no link abaixo:

Resolução 002 / 2013 – Jornal Oficial número 317 de 2013.

https://itaguai.rj.gov.br/jornaloficial/pdfjornal/Edicao317.pdf

Ministério Público do Estado de olho

Abaixo, trecho de uma Ata do MPRJ onde se averigua informações sobre as previdências em algumas prefeituras de municípios do Estado, entre elas de Itaguaí.

Live sobre a Reforma Administrativa. Entenda pois ela vai afetar a sua vida.

Vacinação de profissionais de educação na cidade do Rio é adiantado e começa já amanhã

Podem se vacinar professores e profissionais lotados em unidades da Secretaria Municipal de Educação, Secretaria de Estado de Educação, Faetec, CAp-Uerj ou instituições federais da cidade do Rio de Janeiro.

Em 16 de abril de 2021

A Prefeitura do Rio começa neste sábado (17/04) a vacinação contra COVID-19 de profissionais da educação básica que estão atuando presencialmente nas unidades de ensino municipais, estaduais e federais da cidade. Isso será possível graças a novas remessas de imunizante que chegaram.

🗓 Serão vacinados, já neste sábado (17/4), das 8h ao meio-dia, professores e profissionais da educação com 55 anos ou mais que trabalham diretamente nas unidades de ensino.

🗓 No próximo sábado, dia 24/4, serão vacinados os profissionais com 50 anos ou mais.

👉 A vacinação ocorre em todos os postos da Prefeitura do Rio, como as Clínicas da Família.

👉 Podem se vacinar professores e profissionais lotados em unidades da Secretaria Municipal de Educação, Secretaria de Estado de Educação, Faetec, CAp-Uerj ou instituições federais da cidade do Rio de Janeiro.

👉 É preciso levar os dois últimos contracheques e documento de identificação com foto.

As aulas presenciais na cidade do Rio de Janeiro já ocorrem desde a semana passada.

“Priorizar a educação e retomar a rotina das nossas crianças o mais rápido possível é uma questão de responsabilidade”, diz o governo.

Fonte: Prefeitura do Rio de Janeiro

Calendário de vacinação unificado contemplará educadores de Itaguaí, Rio de Janeiro, Maricá e Niterói já em abril

Além dos educadores, profissionais de limpeza urbana e das forças policiais e de salvamento estão no grupo de prioridades. Perspectiva é vacinar todos os profissionais e população acima de 45 anos até o final do mês de maio.

Em 14 de abril de 2021 / JúlioAndrade

Rio de Janeiro – Em sua página no Facebook, a Prefeitura do Rio anunciou os critérios de priorização da vida e, junto às prefeituras de Niterói, Maricá e Itaguaí, unificou o calendário de vacinação contra a Covid-19 nos quatro municípios. Os grupos que começam a ser vacinados em 26/04 são os que estão sob maior risco de vida, segundo o órgão.

Após os maiores de 60 anos receberem a 1ª dose, então, a vacinação seguirá com os grupos prioritários e, dentro de cada um, será utilizado também critério de idade. A previsão é vacinar até o dia 29/05 todas as pessoas com 45 anos ou mais que se encaixam nos seguintes grupos 👇🏽

– Pessoas com comorbidades
– Pessoas com deficiência permanente

– Trabalhadores em atividade:
– da Saúde
– da Educação
– de serviços de limpeza urbana
– das forças policiais e de salvamento.

Com a unificação e pelo andamento da vacinação nos quatro municípios, já há quase que uma garantia que até julho esses profissionais estejam imunizados em sua totalidade, o que permitiria por exemplo o retorno às aulas presenciais em Itaguaí, caso até lá o sistema híbrido adotado no Rio não seja implementado também na cidade.

Live explica em detalhes sobre essa unificação e vacinação dos educadores

Municípios de São Paulo já estão vacinando educadores

No Estado de São Paulo, a vacinação contra a Covid-19 para os educadores começou na última segunda-feira. Veja alguns exemplos:

Jundiaí – São Paulo

Teve início na última segunda-feira (12), no Complexo Educacional, Cultural e Esportivo (CECE) Francisco Dal Santo (Vila Rami) em Jundiaí, São Paulo, a vacinação contra a Covid-19 dos profissionais de Educação, com idade a partir de 47 anos, que atuam presencialmente e diretamente com os alunos. A aplicação foi realizada pela Prefeitura de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS). A aplicação para esse público prossegue até quarta-feira (14), a partir de agendamentos e apresentação de documentação necessária.

Baixada Santista

Na Baixada Santista, que contempla os municípios de Santos, Itanhaém, Guarujá, Cubatão, Bertioga, Mongaguá, São Vicente e Peruíbe, além dos professores, também serão imunizados outros trabalhadores que atuam no ambiente escolar, como merendeiras, faxineiras, secretários da escola, coordenadores pedagógicos, diretores, vice-diretores e cuidadores. Todos os profissionais devem ter mais de 47 anos e estarem atuando na área. A medida que a vacinação ocorre, a faixa etária vai sendo gradativamente reduzida.

Minas Gerais

Em Minas Gerais o governador Romeu Zema do Novo, formalizou um pedido ao Ministério da Educação para que a comunidade escolar seja incluída como grupo prioritário no Plano Nacional de Imunização contra a COVID-19. O ofício foi enviado na sexta-feira (9/4).

Rio de Janeiro

Já no Estado do Rio de Janeiro, a justiça restabeleceu a prioridade para professores e policiais na vacinação. Uma liminar havia sido concedida no último dia 5 de abril e nela determinava a retirada dos professores do grupo. O pedido de retirada dos professores das prioridades foi feito numa ação movida pela Defensoria Pública e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, que pediram a adoção de critérios previstos em nota técnica do Ministério da Saúde.

Porém, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Henrique Carlos de Andrade Figueira, restabeleceu a validade do decreto estadual que incluiu professores e policiais entre os integrantes de grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19.
Segundo ele, é preciso “acatar a análise do poder executivo local, que tem legitimação concorrente para adotar planos de ação para o enfrentamento da peste.”
Para o presidente do TJ-RJ, a liminar extrapolava “o limite de atuação do Poder Judiciário ao decidir de forma unilateral com base em informações de somente uma das partes em grave ofensa ao contraditório e ampla defesa, produzindo grave lesão à saúde pública por ignorar a orientação técnica dos órgãos públicos estaduais.”
Em nota, a Defensoria Pública do Rio de Janeiro afirmou que vai recorrer da decisão do presidente do Tribunal de Justiça fluminense.

Mantida liminar que impede reabertura de escolas na capital; prefeitura do Rio entra com recurso

A ação popular foi protocolada por políticos de partidos como PT , PSOL e PCdoB. Uma das autoras da ação, a deputada estadual Renata Souza (Psol) afirmou, na ocasião, que se tratava de “uma vitória importante para evitar o alastramento do Covid-19 no pico da pandemia”. Não houve participação de nenhum sindicato na ação que impediu a reabertura

Em 06 de abril de 2021 / Matéria do jornal Extra

Rio de Janeiro – A juíza Georgia Vasconcellos da Cruz, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública, decidiu manter, nesta segunda-feira, a liminar concedida pelo plantão da Justiça do Rio, na noite de domingo, impedindo o retorno às aulas presencias nas escolas da capital do estado. Na decisão, a magistrada frisa que a Prefeitura do Rio “vem agindo de forma absolutamente consciente, responsável e atenta com o ensino escolar”, mas pondera sobre “a impossibilidade de cumprimento por muitas escolas dos rígidos e corretos protocolos de saúde exigidos”

No texto, a juíza afirma ainda que “a reabertura das escolas nesse momento é açodada e gerará frutos que a sociedade não quer colher”, enumerando em seguida problemas como a “propagação da Covid-19”, a “maior saturação do já combalido sistema de saúde” e o “reflexo direto na superlotação dos transportes públicos”. Por fim, a magistrada acrescenta que, embora “a criança não transmita o vírus da mesma maneira que o adulto, o professor ou qualquer outro profissional infectado é agente transmissor”.

A Prefeitura do Rio, porém, tenta reverter judicialmente a proibição de reabertura das escolas. Na noite desta segunda-feira, pouco depois da decisão da 2ª Vara da Fazenda Pública, a Procuradoria-Geral do Município (PGM) informou ter entrado com um recurso junto à presidência do Tribunal de Justiça. Por nota, a PGM afirmou ter usado como argumentos “o cumprimento de todos os protocolos sanitários pelas escolas municipais, bem como o aval do comitê científico para o funcionamento das escolas da cidade, sejam elas públicas ou particulares”.

A decisão que resultou na proibição ocorrida domingo à noite foi tomada após ação popular protocolada por políticos de partidos como PT, PSOL é PCdoB. Uma das autoras da ação, a deputada estadual Renata Souza (Psol) afirmou, na ocasião, que se tratava de “uma vitória importante para evitar o alastramento do Covid-19 no pico da pandemia”. Além dela, houve importante participação da deputada Enfermeira Rejane do PCdoB.

Já o secretário municipal de Educação, Renan Ferreira, criticou duramente a decisão dos parlamentares que acionaram a Justiça contra a volta às aulas presenciais. Segundo o secretário, “o que fazem os autores desse pedido é, na prática, ajudar ainda mais a empurrar nossas crianças para as ruas, para os sinais, para a criminalidade”.

A ação popular protocolada por políticos de partidos como PT e PSOL. Uma das autoras da ação, a deputada estadual Renata Souza (Psol) afirmou, na ocasião, que se tratava de “uma vitória importante para evitar o alastramento do Covid-19 no pico da pandemia”.

Link da matéria do Extra

https://www.google.com/amp/s/extra.globo.com/noticias/rio/justica-do-rio-mantem-liminar-que-impede-reabertura-de-escolas-na-capital-prefeitura-entra-com-recurso-24957038.html%3fversao=amp

Calendário único irá abranger profissionais de educação de todo estado em vacinação contra a Covid-19

Intenção é que todos os profissionais de educação e de saúde de todos os municípios do estado sejam vacinados com a primeira dose até o final de abril

30 de março de 2021 / Julio Andrade

Rio de Janeiro – O governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, anunciou, nesta terça-feira (30/03), a criação de um Calendário Único de Vacinação contra a Covid-19. O objetivo é garantir a uniformidade na imunização em todas as regiões do estado e a prioridade da população de maior risco. De acordo com o decreto publicado nesta terça-feira, profissionais da área de segurança e salvamento passam a fazer parte do grupo prioritário e serão imunizados a partir do dia 12 de abril.

Além disso, a iniciativa visa intensificar a imunização para profissionais de saúde. Os mais de 320 mil que ainda não foram vacinados receberão a primeira dose até o dia 10 de abril.

Já os profissionais de Educação também estão no grupo prioritário e devem começar a ser imunizados na segunda quinzena de abril.

– O Calendário Único de Vacinação vai dar mais tranquilidade à população. Os prefeitos perceberam uma grande migração de pessoas para municípios vizinhos em busca da vacina. Nós queremos que a vacina chegue para todas as regiões do estado. A imunização é a nossa grande esperança, e vamos continuar trabalhando para que a vacinação prossiga da melhor forma possível – destacou Cláudio Castro.

O calendário único servirá como norte para os municípios para que todos possam acompanhar as fases de imunização. As cidades que já estão adiantadas em relação à vacinação do primeiro grupo previsto no calendário único poderão dar prosseguimento aos seus calendários. Entretanto, as secretarias municipais de Saúde deverão seguir os grupos previstos na 1ª fase de imunização, conforme preconizado no Plano Nacional.

Idosos apoiam calendário único

Dona Maria Cristina Cotia anda numa ansiedade que só. Aos 69 anos, a moradora de Volta Redonda conta os dias à espera da tão sonhada vacina contra a Covid-19. A expectativa aumenta a cada calendário que é anunciado por lá e nos municípios próximos, no Sul Fluminense. Com cronogramas diferentes em cada cidade, ela fica ainda mais tensa aguardando sua vez na fila. Por isso, apoia a criação do calendário único.

– É ótimo esse calendário, com tudo unificado no estado. Até porque cada cidade está com um cronograma distinto, vacinando pessoas de idades diferentes. A gente não fica sabendo direito em que idade está e fica meio perdida. Eu vou ficando ansiosa, cada vez mais apreensiva. Espero que todo mundo se vacine muito em breve – desabafou ela.

A criação do Calendário Único de Vacinação contra a Covid-19, que vai garantir a proteção da população de maior risco, foi uma proposta do governador em exercício Cláudio Castro, com resolução elaborada pela Secretaria de Estado de Saúde.

– Esse calendário é muito importante. Não vejo a hora de chegar a minha vez. Deve ser já na outra semana. Espero que chegue logo a esperada vez de tomar a vacina e que seja para todo mundo. Precisamos ficar protegidos dessa terrível doença – disse Ariete Coutinho, de 68 anos, moradora de Niterói.

Sônia Lourenço (foto abaixo), de 64 anos, que também mora na cidade da Região Metropolitana do Rio, espera retomar as atividades em breve.

– Minha expectativa é tomar a vacina e ficar livre da Covid. Quero voltar a trabalhar e ter novamente uma vida normal – resumiu Sônia.

Com a distribuição gradativa das vacinas contra a Covid-19 pelo Ministério da Saúde, as fases da campanha seguem avançando e abrangendo outros grupos prioritários. O calendário único norteará os municípios para que todos possam acompanhar as fases de imunização.

SME diz que vacinará professores primeiro em meio à paralisação no Rio

Imunização será realizada logo após grupo dos idosos e de pessoas com comorbidades. Profissionais da Educação são contra a volta presencial às escolas antes da imunização. Sepe do Rio tem atuação determinante para que os educadores possam ser logo vacinados

Em 01 de fevereiro de 2021
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone Itaguaí

Rio – A Secretaria Municipal de Educação do Rio (SME) afirmou que os profissionais da Educação serão os primeiros a serem vacinados logo após os idosos e pessoas com comorbidades no Rio. E, mediante ao anúncio de greve dos professores, a partir desta segunda-feira, contra o retorno às salas de aula, garantiu que não há evidências científicas que justifiquem, depois de quase um ano, continuar sem aulas presenciais.

Em nota, a SME disse que, quanto maior for o tempo de afastamento de uma criança da escola, maior é o risco para o seu desenvolvimento. Disse ainda, que o Comitê Especial de Enfrentamento da Covid-19, composto por diversos especialistas em Saúde, validou tanto o protocolo sanitário que será usado nas escolas municipais do Rio quanto a data do retorno presencial, marcada para 24 de fevereiro.

“Decidimos a greve das atividades presenciais porque entendemos que não é possível este retorno até que todos os profissionais de educação estejam vacinados. Isso é para nossa proteção e dos nossos estudantes. Temos que entrar na fila de vacinação logo após os profissionais da Saúde, idosos e pessoas com comorbidades. Só assim será possível uma volta presencial, que é a forma mais democrática de conseguir construir o processo pedagógico”, afirma Maria Eduarda Quiroga Pereira, 38, professora da rede municipal e secretária de assuntos educacionais do Sepe-RJ.

Volta presencial somente após a vacina

A greve contra o retorno das atividades presenciais foi decidida no sábado (30), em um assembleia virtual. Entre as exigências feitas pelo Sindicato Estadual dos Profissionais do Rio (Sepe), está a prioridade para as equipes escolares na vacinação. Eles querem a imunização completa da classe antes da volta presencial ao trabalho.

O departamento jurídico do Sepe irá à Justiça contra a reabertura das escolas durante a pandemia da covid-19 e ajuizará todas as medidas cabíveis contra a volta presencial. A entidade afirmou que a reabertura das escolas representarão um maior risco à vida dos professores e demais servidores.

Planejamento da educação remota

Outra reinvindicação dos professores, é que a prefeitura faça um investimento para que as aulas remotas funcionem adequadamente.

“Não dá pra ser como foi em 2020. A pandemia não é mais uma surpresa para nós, é preciso alternativas. Temos propostas que apresentaremos ao governo para que esta educação remota funcione. Precisamos que os tablets, computadores, que foi prometido em campanha pelo atual prefeito, e internet cheguem para os profissionais de Educação e para os alunos”, cobrou Maria Eduarda Quiroga.

Um milhão de máscaras doadas

A empresa BYD, multinacional de energia limpa e fabricante de veículos elétricos, doou à Secretaria de Educação um milhão de máscaras descartáveis. O secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, ressaltou a importância da atitude, às vésperas da retomada das aulas.

“É um momento muito importante para a gente. Concluímos nosso plano de volta às aulas, depois de muito debate com uma equipe técnica, com especialistas, e validado com o comitê científico. O próximo passo é a implementação. Essa doação de máscaras para os profissionais de Educação significa que 53 mil profissionais na ativa terão a proteção adequada”.

Fonte: O Dia

Prefeitura esclarece sobre volta às aulas em Itaguaí

Vídeo – Modalidade online continuará sendo utilizada pelo menos até 19 de fevereiro quando se encerra o ano letivo de 2.020 na rede pública. Aulas do ano letivo de 2.021 se iniciam em 1° de março na modalidade online e/ou presencial de forma gradativa de acordo com a preferência dos responsáveis de alunos. Nas escolas particulares se iniciam dia 1° de fevereiro. Continuidade das aulas depende do avanço da vacinação contra a Covid-19

Em 29 de janeiro de 2021
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone Itaguaí

ItaguaíEm vídeo feito ontem 28 de janeiro na sede da prefeitura de Itaguaí, o prefeito Rubem Vieira do Podemos junto com a secretária de educação Nilce Ramos, esclareceram as dúvidas sobre a volta às aulas na rede municipal e particular da cidade.

O ano letivo de 2020 na rede municipal, será encerrado em 19 de fevereiro e as aulas serão de forma remota (online). Já o ano letivo de 2.021 terá início em 01 de março, com aulas presenciais de forma gradativa e online, tudo de acordo com a escolha dos responsáveis de alunos. Os pais terão a livre escolha de optarem pela aula presencial ou remota de seus filhos. Já nas escolas particulares o ano letivo 2.021 será iniciado no dia 01 de fevereiro.

Calendário Escolar

Os diretores das unidades de ensino municipal, foram instruídos sobre as ações a serem realizadas nas escolas e creches. Os profissionais de educação ainda não tem data para que sejam vacinados em Itaguaí, bem como ocorre em todo o estado. Todo o processo de retorno das aulas presenciais, bem como de trabalho dos profissionais dependerá do avanço da vacinação e do controle da Covid-19 na cidade.

Cabe lembrar que a vacinação em Itaguaí ainda está no início, e até o momento apenas servidores da saúde e idosos em estabelecimentos de longa duração estão recebendo as doses.

O blog Boca no Trombone Itaguaí, já havia enviado a prefeitura os questionamentos pertinentes ao tema na última quarta-feira (27) e ontem quinta-feira (28), secretária e prefeito fizeram a gravação do vídeo para esclarecimentos.

Em diplomação prefeito de Itaguaí agradece os votos obtidos nas eleições

Cerimônia ocorreu na sede do TRE na última semana em Itaguaí e seguiu todos os trâmites de segurança sanitária. Prefeito terá grandes desafios num governo ainda repleto de fiéis escudeiros do ex-prefeito Charlinho e sua esposa

Em 22 de dezembro de 2020
Júlio Andrade – Júlio do Boca no Trombone

Itaguaí – Na manhã da última quarta-feira (16/12), o prefeito eleito de Itaguaí, Rubem Vieira do Podemos, foi diplomado na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), localizada no shopping Pátio Mix.

Além do prefeito Rubem, também compareceram para receber seus diplomas o vice-prefeito Valtinho Almeida e os onze vereadores eleitos.

A cerimônia, que teve início às 11 horas, precisou seguir todos os protocolos de segurança de combate ao coronavirus. Os diplomaveis aguardaram do lado de fora do TRE e eram chamados um a um. Antes de adrentarem o recinto de assinatura dos diplomas, todos tiveram suas mãos higienizadas com álcool em gel.

Não houve discursos. Apenas uma foto com o documento assinado.

Vale lembrar que o prefeito Rubem Vieira ainda se recuperava da covid-19.

Em agradecimento, Rubem assumiu o compromisso com cada voto recebido.

Esta manhã foi muito especial pra mim. Hoje fui diplomado Prefeito. A cerimônia foi na sede do Tribunal Regional Eleitoral junto com o vice-prefeito Valtinho Almeida e os 11 vereadores eleitos. Por conta da pandemia não houve discursos nem festa, mas pra mim foi o suficiente. O importante agora é fazer valer a pena o voto de cada cidadão que acreditou em mim. Meu coração está alegre pela oportunidade que Deus me deu de fazer Itaguaí grande novamente! A Deus toda a honra e toda a glória! Que Deus abençoe a você, que Deus abençoe a nossa Itaguaí“, disse o prefeito.

DESAFIO – Fiéis escudeiros de Charlinho ainda atuam em pontos estratégicos

Rubem Vieira pega uma prefeitura acostumada a ter dezenas de denúncias de casos de corrupção e perseguições aos servidores públicos, em especial no governo cassado de Carlo Busatto Júnior, o Charlinho. A tarefa não será fácil para o gestor que já havia assumido o governo com o Impeachment do ex-prefeito em julho deste ano. Nos bastidores, a situação não será muito fácil, pois há ainda secretarias repletas de fiéis escudeiros dos Busattos, como a secretaria municipal de educação, tanto na sede do órgão, quanto nas direções escolares, coordenações itinerantes e dezenas de desvios de função de agentes administrativos para a função de secretário escolar.

Resta saber se a partir de 02 de janeiro, quando de fato começam os trabalhos, esse cenário será modificado pelo prefeito eleito, que corre o risco de ter informações de sua atuação nas mesas do ex-governantes diariamente como ocorreu e muito nos governos de Weslei Pereira e Luciano Mota. Quando haviam fiéis ao clã Busatto em pontos estratégicos do governo.