Arquivo da categoria: doença

UPA é reinaugurada mas licitação para compra de móveis para a unidade é só na sexta-feira

Prefeito e vice-prefeito não aparecem mais uma vez. Unidade continuava a receber repasses federais mesmo sem funcionar. Ministério da Saúde solicitou a devolução dos R$ 5 milhões repassados mesmo com a UPA fechada. Justiça está investigando o caso

A Prefeitura Municipal de Itaguaí finalmente reinaugurou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA Itaguaí). Marcada para a manhã desta segunda-feira, a reinauguração aconteceu, mas o prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (MDB) e o vice-prefeito Abeilardinho Goulart sem partido, mais uma vez não deram às caras. Ambos não são encontrados pela Câmara Municipal e pela imprensa a pelo menos 6 semanas.

A unidade já poderia estar funcionando antes da pandemia. Em entrevista de 2018, o prefeito Carlos Busatto Junior disse que o governo federal repassava verbas para manter a unidade.
Por conta disso, o Ministério Público Federal (MPF) moveu uma ação contra a Prefeitura. O Ministério da Saúde pediu a devolução de R$ 5 milhões.
Agora, uma Organização Social assumiu a administração da unidade e vai receber mais de R$ 17 milhões por ano. O contrato entrou em vigor no dia 30 de abril, mas a UPA só foi inaugurada quase um mês depois.

A reinauguração da UPA seria após tantos exemplos de descaso um leve consolo na saúde do município. Mas até nisso o atual governo é no mínimo incoerente. A licitação para compra de remédios e móveis só ocorrerá na próxima sexta-feira 29 de maio, quatro dias após a reinauguração.

Veja a matéria completa do RJ1 no link abaixo:

Assista no Globoplay:
https://globoplay.globo.com/v/8577842

A Prefeitura informou que os móveis que vão ser comprados são armários para armezanar remédios, entre outros itens. E afirmou também que o Governo Federal segue depositando numa conta poupança.
O MPF e a Defensoria disseram que a investigação estão com o Ministério Público do Rio.

À procura do prefeito

A Câmara de Vereadores de Itaguaí, publicou na página da Casa na internet um edital de notificação de um novo processo de impeachment contra o prefeito, Carlo Busatto Junior (MDB), o Charlinho, e o vice, Abeilard Goulart (sem partido), o Abeilardinho.
A postagem, no dia 13, foi a saída encontrada pelos vereadores porque, após 35 dias, servidores não conseguiram entregar-lhes o aviso em mãos.

O RJ1 também tentou, em vão, localizar Charlinho e Abeilardinho — e em diferentes endereços

Com RJ 1 e G1

Funcionária de Itaguaí denuncia perseguição após fazer denúncias de descaso no hospital da cidade

Após ir na polícia duas vezes , uma delas devido a falta de materiais de Equipamento de Proteção Individual (EPI) para ser usado durante a entubação de pacientes com a Covid-19 por funcionários e outra por falta de respiradores equipamento primordial para atender pacientes em estado grave de Covid-19, Danielle sofreu retaliações e foi transferida. Perseguida por um governo onde prefeito e vice-prefeito sequer aparecem na prefeitura para dar expediente

A técnica de enfermagem Danielle Eloy com quase 10 de anos de atuação em Itaguaí, foi transferida do hospital Municipal São Francisco Xavier, após ir à polícia denunciar graves irregularidades cometidas dentro do hospital. Danielle fez denúncia na Polícia Civil por duas vezes.

Uma delas devido ao não fornecimento de capa impermeável, material obrigatório a ser usado por profissionais durante a entubação de pacientes com a Covid-19 em estado grave. Danielle alega que até procurou pela cidade para poder comprar tal material com recursos próprios, mas não encontrou. Ao fim o hospital ofereceu uma capa de tecido que continha furos para que fosse usada, o que viola todas as determinações do ministério da saúde.

Após a primeira denúncia ela começou a sofrer perseguições. Mesmo assim e no total direito e no louvável respeito a seus colegas e aos pacientes, Danielle foi novamente a polícia fazer outra denúncia. Agora sobre a falta de respiradores no hospital, equipamento vital para pacientes com Covid-19 em estado grave.

E aí ao invés da direção do hospital, da secretaria de saúde e da prefeitura de Itaguaí fornecerem tais equipamentos e um atendimento digno e seguro para profissionais e pacientes, além de valorizar pessoas que demonstram querer o melhor para a saúde do município, eles claramente preferiram transferir a técnica para um posto de saúde no bairro Saco da Prata. Local este que não se chega de transporte público e que somente uma van da prefeitura realiza o trajeto de mais de uma hora em estrada de chão e que atende no máximo 150 pessoas, pois é o número de habitantes no local.

Aliás o posto localizado no Saco da Prata, tem carência até de Dipirona e está prestes a desabar, pois rachaduras enormes, incluindo uma de fora a fora ameaça desabar na cabeça dos profissionais que lá atuam. Isso eu Júlio Andrade do blog Boca no Trombone Itaguaí, vi com meus próprios olhos.

Enquanto a Técnica em Enfermagem é perseguida por denunciar a precariedade do atendimento público na saúde de Itaguaí, prefeito e vice-prefeito sequer aparecem na prefeitura para dar expediente. Deve ser por isso que eles não aparecem, pois se nela estiverem podem precisar de atendimento de emergência no único hospital público da cidade e constatarem o perigo que tem sido a administração de ambos.

ASSISTA A MATÉRIA NO RJ1

Assista no Globoplay:
https://globoplay.globo.com/v/8572623

Enem é adiado por 30 ou 60 dias

O MEC (Ministério da Educação) e o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) anunciaram hoje que o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano será adiado por 30 a 60 dias.
A prova, que estava prevista inicialmente para novembro, deve acontecer agora em dezembro ou janeiro de 2021. Em média, 5 milhões de candidatos participam do Enem. Até o momento, segundo o MEC, mais de 4 milhões fizeram a inscrição para o exame deste ano.

Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais”, diz um comunicado oficial. A nota diz ainda que o período de inscrições para o exame segue inalterado. O prazo para cadastro termina às 23h59 desta sexta-feira (22).

O texto também informa que o Inep realizará uma consulta aos inscritos no exame, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. Segundo o MEC, a consulta será feita para que os participantes possam opinar sobre as datas de realização do Enem. Ao UOL, o ministério informou que ainda não definiu quais opções de data serão apresentadas aos candidatos.
Ontem, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que seria feito uma consulta para o aluno responder se a prova seria mantida, adiada por 30 dias ou suspensa até o fim da pandemia.
A decisão anunciada hoje de realizar as provas do Enem em uma nova data acontece em meio à pressão da sociedade civil e do Congresso pelo adiamento do exame.

Também ontem, um projeto de lei que prevê o adiamento do Enem e de outros vestibulares devido à pandemia do novo coronavírus foi aprovado pelo Senado, seguindo para votação no plenário da Câmara dos Deputados.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), exigiu hoje uma garantia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o adiamento do Enem para que a Casa não vote ainda nesta quarta um projeto nesse sentido.
“Desculpa, não posso acreditar nesse ministro”, declarou ao ser avisado sobre o anúncio do MEC poucos minutos antes de abrir a sessão do plenário.

Entidades estudantis, secretários de educação e reitores de instituições de ensino defendem o adiamento do exame sob a justificativa de que nem todos os estudantes têm condições sociais e financeiras de manter os estudos durante a pandemia ou nem sequer têm acesso às ferramentas necessárias para o ensino a distância, como celular e computador com acesso à internet.

Mudança de discurso

Apesar da crise sanitária e do fechamento das escolas há cerca de dois meses, o governo do presidente Jair Bolsonaro vinha defendendo a manutenção do Enem em novembro. Weintraub chegou a acusar “a esquerda” de agir para que o exame não acontecesse. Em mais de uma reunião com parlamentares, o ministro também declarou que o Enem não foi feito para resolver o problema da desigualdade no país e reafirmou que manteria o exame em novembro.

Hoje mais cedo, no entanto, o ministro recuou. Em uma rede social, o ministro sugeriu que o Enem fosse adiado por um período “de 30 a 60 dias”. A sugestão, segundo ele, é fruto dos “recentes acontecimentos no Congresso” e de conversas com “líderes do centro”.

Fonte: Uol

Método online de ensino em Itaguaí gera discussões

Resolução publicada pela Secretaria Municipal de Educação não vislumbra atendimentos para alunos especiais e precariedade de materiais pode afetar a distribuição de apostilas impressas para a alunos que não tem acesso à internet. Pelo menos duas escolas teriam convocados profissionais para atuarem nas escolas uma vez por semana para distribuições semanais de apostilas impressas que se não forem devidamente higienizadas podem espalhar o vírus da Covid-19 para alunos e funcionários. As direções das escolas Elmira Figueira e Teotônio Vilella teriam convocados tais servidores sendo que não há transporte público intermunicipal disponível para que eles possam chegar à cidade, bem como atividades laborais em escolas não são serviços essenciais e medida desrespeita decretos federais, estaduais e até municipais. Pais de alunos também nos procuraram para denunciar o não uso de livros escolares o que minimizaria a necessidade de apostilas de programa online que será adotada para quem não tem acesso a internet e de gastos extras com programa online. Estelionatários estariam cobrando por impressões das apostilas que devem ser entregues pelas escolas de forma gratuita. Leia a matéria completa.

A Secretaria Municipal de Itaguaí publicou no Jornal Oficial 817 de 13 de maio de 2020, a Resolução número 06/2020 instituindo o regime especial para desenvolvimento das atividades escolares na Rede Municipal de Ensino. A medida que tem validade enquanto perdurar a situação de emergência causada pelo novo Coronavírus, bem mal começou e já geram polêmicas.

Segundo essa resolução da Secretaria Municipal de Educação, as atividades escolares não presenciais serão desenvolvidas da seguinte forma: por meio da plataforma digital “Itaguaí – Minha Escola” para os alunos que possuem acesso à rede de internet ou atividades impressas pelas unidades escolares, entregues aos pais, responsáveis ou alunos maiores para aqueles que não possuem acesso à internet.

O acesso à plataforma digital será disponibilizado pela equipe pedagógica da unidade escolar em que o aluno estiver matriculado. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação de Itaguaí, as atividades não presenciais com o tempo destinado a cada uma, serão postadas na plataforma pelo respectivo professor de cada turma ou disciplina. Já o conteúdo impresso a ser entregue aos pais, responsáveis ou alunos maiores deverão corresponder às atividades postadas na plataforma.

A resolução, contudo, orienta que o tempo de atividade escolar não presencial do ensino fundamental será computado para fins de integralização da carga horária e da quantidade de dias letivos fixada em conformidade com a Medida Provisória n° 934 de abril de 2020, desde que a unidade escolar, juntamente com os professores, mantenham o acompanhamento das atividades e comprove a participação dos alunos.

Os alunos de ensino fundamental deverão realizar as atividades não presenciais no caderno e registrar a data de sua realização, tendo em vista que, num possível retorno às aulas presenciais, deverão apresentar as atividades ao professor da respectiva disciplina.

Falta de materiais, equipamentos de impressão suficientes e demanda de funcionários para entrega de apostilas

Com o regime adotado pela prefeitura de Itaguaí, muitos problemas parecem não ter sido pensados pela equipe pedagógica da secretaria de educação. Para os estudantes que não tem acesso a internet é ainda pior. A grande maioria das unidades de ensino tem problemas com falta de papéis para impressão, falta de impressoras que possam atender a demanda na rotina das aulas tradicionais e problemas de conexão básica com a internet, imagine como seria nesse método a ser adotado?

Se problemas de falta de materiais básicos, como papel ofício já era escasso nas aulas presenciais, quando o uso desses equipamentos e materiais são menores, que dirá quando essa forma online for adotada na integralidade para impressão dos alunos que não tem internet em casa? Uma realidade de pelo menos metade dos alunos em Itaguaí.

Outro ponto importante é quem irá entregar essas apostilas aos estudantes e/ou responsáveis de alunos sem acesso a computador e logo sem acesso à internet?

Na resolução que foi aprovada pelo combalido Conselho Municipal de Educação de Itaguaí e divulgada pelo governo, essa atribuição é do direror escolar e de sua equipe pedagógica de cada unidade.

Porém essa responsabilidade foi transferida em pelo menos duas escolas para os funcionários de apoio. Duas possíveis Comunicações Internas(C.I,s) das escolas municipais Elmira Figueira e Teotônio Vilella, que estão circulando nas redes sociais, tem em suas redações que os diretores escolares convocaram agentes administrativos, inspetores escolares, auxiliares de serviços escolares, auxiliares de serviços gerais e cozinheiras para estarem à disposição das respectivas escolas todas às quartas-feiras. Tais convocações seriam para que os servidores pudessem ajudar na distribuição das apostilas do programa online, nas escolas para os responsáveis e alunos maiores de 18 anos que não tem acesso à internet.

Acontece que o Decreto Estadual 47.068/20 de 11 de maio de 2.020, interrompeu a circulação de ônibus intermunicipais entre a cidade do Rio de Janeiro e as demais cidades da Região Metropolitana do Rio, entre elas Itaguaí. Ou seja, isso impede que os servidores que em sua grande maioria, quase 90%, não residem em Itaguaí de chegar as escolas.

Para piorar, o próprio governo municipal cortou o auxílio transporte dos funcionários, verba que justamente ajudava no transporte de casa até o trabalho dos servidores, porcausa do isolamento social e da não ida ao trabalho em plena pandemia de Covid-19 na cidade e que atinge todo País.

Além disso, o decreto estadual 47.068 do governo do Estado, o Decreto Federal 10.282 de 20 de março de 2.020, o Decreto Federal 10.329 de 28 de abril de 2.020, o Decreto Federal 10.344 de 11 de maio de 2.020 e os Decretos do próprio município de Itaguaí de número 4.434 de 13 de março de 2.020, de número 4.435 de 24 de março de 2.020 e de número 4. 441 de 06 de abril de 2020 disponível no Jornal Oficial 809, não classificam como essenciais as atividades escolares. Com isso, se o servidores de apoio conseguirem sair de casa, qualquer fiscalização poderia impedí-los de entrar na cidade e mesmo se conseguissem chegar aos locais de trabalho não há garantias de retorno.

Alunos especiais, onde se enquadram nesse método?

A Exclusão dos alunos especiais na Resolução é outro ponto não abordado. A Educação Inclusiva e a Educação Especial? Quem fará a mediação pedagógica entre esse estudante e a tela do computador ou apostila? Tudo isso também ficou de fora dessa atitude da secretaria de educação.

A idéia de dar atividades aos alunos da rede é algo positivo, se para isso problemas maiores e má formulação na questão estrutural não fosse gerada. A atual gestão da cidade de Itaguaí costuma não ouvir sindicatos, profissionais e pais de alunos na busca comum de apoio. E isso nesses quase 4 anos de mandato geraram mais problemas que soluções e parece que eles não aprenderam.

Pais de alunos questionam o não uso dos livros escolares disponíveis

Alguns pais de alunos nos enviaram questionamentos sobre o não uso dos livros didáticos já disponíveis na rede. Ao invés de novo uso de verba pública na contratação de uma empresa que oferece essa plataforma online e da necessidade extra de todo aparato na entrega de apostilas para quem não tem internet. Outros nos relataram que há livros em muitas escolas, mas que não foram entregues. Esses livros ajudariam e muito segundo eles, nesse momento e manteria uma forma já conhecida. Enviamos a secretaria de comunicação esses relatos, mas não obtivemos respostas.

Estelionatários estariam cobrando por impressões das apostilas que devem ser entregues pelas escolas de forma gratuita

Aproveitando o momento, estelionatários estariam cobrando por impressões das apostilas que devem ser entregues pelas escolas de forma gratuita. Nosso blog recebeu e conferiu várias postagens em grupos na rede social Facebook e no aplicativo Whatsapp, pessoas oferecendo o serviço de impressão aos pais de alunos que não tem internet em casa. Eles cobram valores por folha impressa de algo que a prefeitura de Itaguaí dará de forma gratuita. Isso se enquadra perfeitamente no crime de estelionato por parte dessas pessoas.

Sindicato dos profissionais de educação em Itaguaí é contra forma online adotada

O sindicato dos Servidores Públicos do município de Itaguaí, se mostrou contrário a forma adotada pela secretaria de educação do município.

Leia a nota na íntegra

Diante da implementação das atividades online por nossa rede municipal, o Sepe Itaguaí não pode deixar de expressar seu repúdio a mais essa tentativa maquiadora e nada eficaz de fingir promover a educação de qualidade para os cidadãos itaguaienses. Trata-se, na verdade, de uma estratégia planejada para transferir aos pais as responsabilidades formativas da escola, imputar ao professor a função de youtuber e iludir as famílias fazendo-as acreditar na aprendizagem eficiente quando, na verdade, nenhum professor recebeu formação para ministrar aulas através da internet.

A oferta de aulas pela Internet transfere aos professores e às famílias (aos que possuem recursos) a obrigação de arcar com os custos da educação, há muito tempo abandonada pela prefeitura. Isto porque o governo municipal nao garantiu nem aos professores e nem às famílias dos estudantes, o computador e a Internet, ficando essa infraestrutura como um custo extra aos bolsos tanto dos professores quanto das famílias. Quantos alunos ficarão de fora? Quantos poderão pagar pela Internet banda larga? Quais e quantos têm computador e acesso à Internet com qualidade para estudarem?

A adoção de “apostilas” aos que nao têm computador com acesso à Internet, diferente do que parece, aprofunda e afunila ainda mais o abismo da desigualdade social: de um lado, o grupo de alunos que possuem computador com acesso à Internet e receberão aulas com recursos de som, cor, imagem e vídeo; do outro, aqueles estudantes que nao possuem recursos e terão de contar com a estratégia rasa de “apostilas” estáticas, sem cor, som ou movimento. Será a mesma educação?

Onde ficará o equilíbrio e a inclusão?
Por falar em inclusão, onde estão contempladas na Resolução, a Educação Inclusiva e a Educação Especial? Quem fará a mediação pedagógica entre esse estudante e a tela do computador ou apostila? O estudante de escola rural, mesmo que tivesse o computador, com que serviço de internet poderá contar na zona rural? A Internet não chega aos bairros distantes de Itaguaí, sequer há cobertura de celular em algumas regiões!

Para o Sepe Itaguaí, a educação de verdade é feita com a interação entre professores e estudantes, na escola, com prática pedagógica efetiva e presencial. É verdade que enfrentamos no momento uma pandemia e que a continuidade das aulas presenciais não é possível agora. Porém, quando a normalidade da vida cotidiana puder retornar, as horas de aula online farão falta na experiência prática presencial de nossas crianças e, seguramente, terão contribuído para elevação da desigualdade em nosso sistema de ensino.

Por isso, o que o Sepe Itaguaí defende é a modificação no Calendário Escolar, com desvinculação do Calendário Civil, para que no fim da Pandemia da Covid-19 o ano letivo de 2020 possa acontecer, de maneira, prática, eficiente e sem enganação.”

Sepe Itaguaí

Contato do Blog com a Prefeitura Municipal de Itaguaí e com a Secretaria Municipal de Educação

Nosso blog como sempre, quis ouvir a prefeitura de Itaguaí e a Secretaria Municipal de Educação. Enviamos via aplicativo Whatsapp para a Secretária Municipal de Educação, os questionamentos pertinentes ao novo método adotado. Contudo, a gestora da pasta e mulher do prefeito, Andréia Cristina Marcello Busatto, solicitou que mandássemos tais questionamentos a Secretaria Municipal de Comunicação, do Secretário e professor da rede municipal de ensino Fabiano Bastos. Assim, como sempre, o fizemos. Porém, como tem sido de costume do atual Secretário desde que assumiu, ele ignorou e não retornou. Nosso contato com a secretária e o e-mail para secretaria de comunicação foram enviados no dia 15 último.

Email enviado para a secretaria de comunicação / assessoria de imprensa da prefeitura Municipal de Itaguaí

Nosso blog também tentou contato com os dirigentes das escolas citadas na matérias, mas não conseguimos retorno. O Blog Boca no Trombone Itaguaí deixa claro que o espaço está disponível à todos, e depende dos interessados dar satisfações de atitudes públicas aos moradores e trabalhadores do município.

Barreira Sanitária na entrada de Itaguaí irá entre outras aferir temperatura das pessoas

Não há proibição de entrada na cidade para quem não é morador e saída para quem reside sem a devida comprovação. Medidas de combate ao Covid-19 na cidade terá um controle mais intenso ao comércio, as praias, píeres e cachoeiras da cidade. Em uma semana números de mortes da doença quase dobraram e de casos aumentaram 85%. Prefeitura prorrogou até 31 de maio estado de emergência na cidade

A Prefeitura de Itaguaí começa hoje 18 de maio, a adotar novas medidas no combate ao Covid-19, o novo Coronavírus na cidade.

Uma dessas medidas é uma Barreira Sanitária de conscientização na entrada de Itaguaí no bairro Santana (próximo ao Ciep 300). Em tal barreira profissionais estarão conscientizando as pessoas sobre a Cobid-19 e aferindo a temperatura dos motoristas e pessoas em geral. Aos que apresentarem sintomas, a equipe conduzirá até o Centro de Triagem localizado no Centro da cidade. Mas o curioso é que Itaguaí tem pelo menos mais três entradas, em Santa Cândida, na Zona Industrial conhecida como Reta de Santa Cruz e na Rio Santos para quem vem da direção de Mangaratiba, Angra e Paraty por exemplo. O que remete a um controle não tão controlado assim. Não há proibição de entrada da cidade pelo bairro Santana para quem não é morador de Itaguaí e de saída para quem reside e não comprove a real necessidade de fazê-lo como já ocorre desde o início da pandemia nos municípios vizinhos de Mangaratiba e Angra dos Reis.

Outra medida divulgada pela prefeitura é uma maior fiscalização do comércio no Centro de Itaguaí. Há denúncias do não respeito ao uso de máscaras e de que ainda há pessoas tendo livre acesso aos comércios locais sem o instrumento de proteção, desrespeitando assim os decretos municipais de combate ao Covid-19. Cabe lembrar que somente os serviços essenciais tem autorização de funcionamento conforme Decretos Municipais.

Também haverá um controle mais rígido e orientação nas cachoeiras, praias e píeres da cidade.

A prefeitura de Itaguaí prorrogou o estado de emergência devido ao Covid-19 até 31 de maio. Podendo ainda ser prorrogado.

Em uma semana números de mortes da doença quase dobraram e de casos aumentou 85% em média

Se comparado ao dia 10 de maio, o Boletim divulgado pela Prefeitura de Itaguaí na data de ontem, o mais recente, aponta para dados gravíssimos. De 63 casos confirmados dia 10 subiram para 116 em uma semana. Já em números de mortos pulou em mesmo prazo de 14 para 24. Além disso pessoas com sintomas de síndrome gripal disparou, de 1.243 para 1.811 em sete dias.

#FicaEmCasaItaguaí #UseMáscaraItaguaí

Fonte: Prefeitura de Itaguaí e foto de capa divulgada nas redes sociais

Vacina contra Coronavírus pode ser acessível em breve

Enquanto há esperanças na possível vacina, Brasil bate mais recordes em número de doentes e já o quarto com mais doentes no Mundo. Só hoje números indicam quase 15 mil novos infectados

Boas imunizações contra a dengue e contra o vírus causador da Aids desafiam cientistas há décadas

Se olharmos de relance, eles não são tão diferentes assim. O Sars-CoV-2, o novo coronavírus, o HIV e o vírus da dengue se constituem de material genético (RNA) coberto por um envelope de lipídios e proteínas.
A grande esperança da comunidade científica e da população para lidar com essas doenças são vacinas com grande poder de proteção. Se esse poder for grande o suficiente, no caso de uma vacina contra novo coronavírus, quem sabe as medidas de distanciamento social possam se tornar coisa do passado?

Vacina ‘não será cara’, diz professor de Oxford que pesquisa covid-19

A vacina para o novo coronavírus, se bem-sucedida, poderá ser produzida em larga escala e a um preço considerado acessível, diz Adrian Hill, diretor do Jenner Institute, da Universidade de Oxford (Reino Unido), que se associou à farmacêutica AstraZeneca (AZN.L) para desenvolvê-la.
O professor Hill, que faz parte da equipe que estuda o desenvolvimento da vacina, afirmou à agência Reuters que garantir uma ampla distribuição e o baixo custo têm sido objetivos centrais do projeto desde o seu início.

“Não será uma vacina cara”, disse Hill. “Será uma vacina de dose única. Será fabricada para suprimento global e em muitos locais diferentes. Esse sempre foi o nosso plano.”

A vacina experimental, conhecida como ChAdOx1 nCoV-19, é uma das primeiras na corrida global para fornecer proteção contra o coronavírus que causa a pandemia de covid-19.

Dados preliminares de um pequeno estudo da vacina experimental em seis macacos indicam que alguns dos animais que receberam uma única injeção desenvolveram anticorpos contra o vírus em 14 dias, e todos desenvolveram anticorpos protetores em 28 dias.
Quando os macacos foram expostos ao novo coronavírus, a vacina pareceu impedir danos aos pulmões e impediu que o vírus se duplicasse nessa região do corpo, embora ainda estivesse se replicando ativamente no nariz.

Hill disse que os dados dos testes com animais são “encorajadores, é claro” e reforçou o alto grau de confiança de sua equipe de que os testes em andamento em humanos também mostrarão resultados positivos. Os primeiros sinais sobre se e quão bem a vacina funciona em humanos podem aparecer já em julho ou agosto.
A equipe de Hill começou os estágios iniciais de testes em humanos em abril, tornando-se um dos poucos times de cientistas a alcançar esse marco.

Brasil hoje 16 de maio se tornou o quarto em número de infectados no mundo

Covid-19: Brasil passa Itália e Espanha em casos e supera 15 mil mortes

Com 233.142 casos, o Brasil ultrapassou a Itália e a Espanha em número de confirmações da covid-19. Nas últimas 24 horas, houve 14.919 novos registros, de acordo com o Ministério da Saúde. O país agora é o quarto em casos segundo ranking da Universidade Johns Hopkins. A Itália, que até então era o quinto país com mais casos da doença causada pelo novo coronavírus, tem 224.760 confirmados; a Espanha tem 230.698.

O Brasil também passou a marca de 15 mil mortes, com 15.633 no total. Foram 816 novos óbitos registrados em 24 horas. Desses, 404 ocorreram nos últimos três dias — os outros são de datas anteriores e apenas agora tiveram a covid-19 como causa confirmada.

Vale doa kits de testes rápidos e novos itens de proteção para hospitais de Itaguaí e Mangaratiba

A doação da Vale reforça o apoio aos hospitais que atendem pelo SUS nas regiões onde a empresa atua

Os hospitais municipais Victor De Souza Breves, em Mangaratiba, e São Francisco Xavier, em Itaguaí, receberam kits de testes rápidos e uma nova remessa de equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde, nesta sexta-feira (15/05). A doação é voltada para instituições que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em municípios onde a Vale atua.

Entre os itens entregues pela mineradora nesta sexta-feira, estão 12 mil testes rápidos e 117,8 mil itens entre máscaras N95, aventais e luvas.

Em abril, esses hospitais receberam outros 257,3 mil itens, incluindo máscaras cirúrgicas, luvas e óculos de proteção, totalizando mais de 387 mil equipamentos de proteção e testes rápidos. Os materiais se somam à doação feita ao Governo Federal.

“A contribuição da Vale a hospitais da Costa Verde, onde mantém operações, visa apoiar o trabalho dos profissionais da rede pública local. Também reforça o compromisso da empresa com as comunidades onde a atua”, diz Walter Pinheiro, gerente-executivo de operações do Terminal da Ilha Guaíba (TIG) e da Companhia Portuária Baía de Sepetiba (CPBS).

Tal ação se soma à doação anunciada e concluída pela Vale de kits de testes e EPIs ao Governo Federal. Em pouco mais de 40 dias, foram entregues ao Ministério da Saúde 5 milhões de kits de teste rápido para detecção do vírus e 15,8 milhões de equipamentos de proteção individual (EPIs).

Outras ações na região

A Vale doou 300 litros de álcool em gel e quatro tendas de 3×3 para a Prefeitura de Mangaratiba, para atendimentos na área da saúde. A empresa ainda doou 50 litros de álcool em gel e 150 kits de EPIs, com luvas de látex e máscaras 3M, para a Polícia Militar e a mesma quantidade para Polícia Civil, em Mangaratiba.
Também foram doados kits de limpeza para mais 500 famílias de diversos bairros no município. Entre os beneficiados estão quilombolas e pescadores artesanais, comunidades tradicionais da Baía de Sepetiba. As doações têm como objetivo estimular essas famílias, que se encontram em situação de vulnerabilidade, a não deixarem suas comunidades e se manterem em condições mínimas de higiene e segurança, seguindo as orientações do Ministério da Saúde.

Prevenção e saúde dos empregados

A Vale vem tomando todas as medidas necessárias à prevenção ao Covid-19 nas localidades onde está presente e em seus locais de trabalho. Tem ainda atuado para reduzir a presença do efetivo administrativo e operacional nas suas unidades, de forma a manter apenas os serviços essenciais.

Além do trabalho remoto adotado desde 16/3 para empregados cujas funções são elegíveis a home office e para empregados dos grupos de risco, conforme orientação do Ministério da Saúde, a empresa colocou em prática uma série de ações preventivas para evitar aglomerações, como redução da quantidade de pessoas nas portarias, nos ônibus e nos restaurantes. Também foram implantadas medidas para aumentar o distanciamento social e reforçados os protocolos de limpeza e desinfecção nas instalações da empresa, de acordo com recomendações técnicas.

A empresa reforça que está em conformidade com os protocolos de saúde e segurança estabelecidos pelas autoridades e agências de cada um dos países onde opera e está monitorando o desenvolvimento da situação.