Itaguaí entra em risco alto de contaminação de Covid-19


Município passou para bandeira vermelha e todos os leitos destinados a pacientes com Covid-19 no hospital São Francisco Xavier estão ocupados. Barreiras Sanitárias nas entradas da cidade controlam o acesso

Em 25 de março de 2021 às 14:30 e atualizado às 22:00 / Julio Andrade

Itaguaí – O gráfico que apura o número de novos infectados e de novos óbitos no município de Itaguaí, aponta que a cidade está em bandeira vermelha (risco alto) de contaminação por Covid-19. Na última semana foram registados 29 novos casos e 4 novos óbitos. Ao todo, a cidade já tem registrados 4.176 casos e 212 mortes desde o começo da pandemia.

Leitos no hospital da cidade para tratamento intensivo da Covid-19 estão com 100% da capacidade preenchidos

O que reflete muito essa piora no quadro da cidade, é que todos os leitos do Hospital Municipal São Francisco Xavier, destinados aos pacientes com a Covid-19 e com necessidade de tratamento intensivo estão lotados. A cidade na primeira onda da doença, utilizava também o hospital de campanha, algo que deixou de ser usado quando o número de casos foi reduzido. Contudo, parece ser inevitável essa utilização neste momento. A prefeitura ainda não se pronunciou sobre a reabertura do Hospital de Campanha na cidade.

Itagauí Painel Covid-19. Clique aqui

Barreiras Sanitárias nas entradas da cidade e novo decreto tentam diminuir o número de casos

A Prefeitura de Itaguaí estabeleceu através do Decreto de nº 4.566/2021, a instalação de barreiras sanitárias nos bairros de Coroa Grande, Ilha da Madeira e Mazomba, para permitir o acesso apenas à pessoas que comprovem residência, trabalho ou hospedagem em hotéis, pousadas e congêneres. A medida é válida de 23 de março a 6 de abril.

Imagem de arquivo

O decreto, entre outros, fecha as escolas de todas as atividades de 26 de março a 04 de abril, e até o dia 06 de abril todas as medidas constantes no decreto devem vigorar.

Decreto De 23 de março de 2021

Itaguaí adota o feriadão estadual do Rio de Janeiro

Decreto 4.569 de 25 de março de 2021

Região Metropolitana do Rio em bandeira roxa

O cálculo feito pelo governo do estado, aponta que a região Metropolitana do Rio de Janeiro, do qual Itaguaí faz parte, está em bandeira roxa (risco muito alto).

Ontem, o Ministério Público do Estado e o Ministério Público Federal, recomendaram que 11 municípios, entre eles Itaguaí, promovam a suspensão total das atividades sociais ou econômicas classificadas como não essenciais e restrinjam, com fundamento em critérios técnico-epidemiológicos determinados pelo comitê científico estadual, as atividades essenciais, levando em consideração as peculiaridades locais. As medidas recomendadas são preconizadas pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde, e adotadas pela Secretaria de Estado de Saúde RJ como necessárias em todos os locais onde é constatado o elevado risco provocado pela epidemia de Covid-19.

A recomendação também propõe a promoção de campanhas públicas sobre as medidas adotadas, ampliando a conscientização da população sobre a necessidade do distanciamento social e do uso de máscara e de higiene como meio de contenção do contágio da Covid-19.

Também recomenda a adoção de medidas de Assistência Social a grupos economicamente vulneráveis, tais como políticas de transferência de renda e distribuição de cestas básicas, e de medidas de apoio a trabalhadores e empresas de setores mais vulneráveis da economia, como benefícios fiscais, parcelamentos de dívidas e planos de apoio a trabalhadores informais e formais.

Além disso, sugere que as prefeituras avaliem a necessidade de pactuação e elaboração de um Plano de Contingência Regional dos municípios da Baixada Fluminense para o enfrentamento da pandemia, de modo a ampliar o número de leitos de enfermaria e UTI disponibilizados à população e para que sejam adotadas as medidas necessárias para aquisição de oxigênio, insumos e medicamentos necessários ao atendimento da demanda crescente na rede pública de saúde, determinada pelo aumento do número e pelo prolongamento do tempo das internações pela doença.

O documento, assinado pela 1ª e 2ª Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Região Metropolitana I, 1ª e 3ª Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Nova Iguaçu, Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Itaguaí, 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Duque de Caxias, Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Belford Roxo, 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Nova Iguaçu e pelo MPF, estabelece um prazo de cinco dias para que as administrações municipais prestem informações sobre as providências adotadas.

Dê a sua opinião sobre a postagem aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s