#Boato Livro The Eyes of Darkness, de Dean Koontz, previu o coronavírus em 1981 


Boato – Obra de terror do escritor Dean Koontz, livro The Eyes of Darkness, de 1981, previu o novo coronavírus ao descrever uma arma biológica chamada Wuhan-400. Vídeos e imagens que circulam nas redes sociais e fazem menção ao livro, misturaram páginas de um outro livro e de outro autor na tentativa de passar credibilidade

Em meio ao cenário de desconfiança e certo medo, uma história sobre o novo coronavírus ganhou força na internet. De acordo com as publicações, o livro The Eyes of Darkness, do escritor Dean Koontz, publicado em 1981 teria previsto o surto pelo novo coronavírus. A história de terror falaria sobre um vírus chamado Wuhan-400, que supostamente se espalharia em 2020 e teria uma taxa de mortalidade de 100%. Confira:

Versão 1: ““Os Olhos da Escuridão”: O livro de 1981 que previu o surgimento do coronavírus em Wuhan. Obra em causa fala sobre uma arma biológica chamada “Wuhan-400”. As coincidências entre um livro lançado em 1981 e a epidemia do novo coronavírus que já matou milhares de pessoas têm deixado vários leitores e internautas intrigados. Da autoria do escritor norte-americano Dean Koontz, “The Eyes of Darkness” (“Os Olhos da Escuridão”, em português), é um romance com uma vertente de terror”.

Versão 2: “”Livro de terror escrito há 40 anos previu epidemia de coronavírus em Wuhan? No livro “The Eyes of Darkness”, lançado em 1981, o autor Dean Koontz relata como um vírus ficcional, o Wuhan-400, se propaga pelo mundo inteiro em 2020 com uma taxa de mortalidade de 100%”.

Livro The Eyes of Darkness, de Dean Koontz, previu o coronavírus em 1981?

A história surpreendeu muitos internautas e acabou viralizando nas redes sociais. Mas será que essa história de que o livro The Eyes of Darkness, em 1981, previu o surto do novo coronavírus é verdade? Não é!

Vamos aos detalhes!

Sempre que um evento assume essa dimensão, algumas pessoas tentam buscar uma “previsão”, uma mensagem programada para alertar gerações futuras sobre um possível acontecimento. E chega até ser um milagre que o novo coronavírus ainda não tenha sido relacionado à uma das famosas previsões dos Simpsons (na verdade, até criaram, mas não viralizou tanto assim).

Entretanto, diversos outros acontecimentos não tiveram a mesma sorte. A equipe do Boatos.org já desmentiu diversas histórias sobre possíveis previsões de eventos e catástrofes. Por exemplo, a história que dizia que Chico Xavier teria previsto a presidência de Bolsonaro, em uma carta psicografada em 1952. Também o caso que apontava que Os Simpsons teriam previsto o russo sinistro da Copa do Mundo de 2018 ou a história que dizia que os Simpsons também teriam previsto o Pokémon Go e, por fim, o caso que indicava que Nostradamus teria previsto a eleição de Lula e a crise política no Brasil.
Pois bem, a suposta previsão não se sustentou após uma checagem bem feita. Vale ressaltar que a história já havia se espalhado em outros idiomas antes de ser traduzida para o português. O caso, claro, acabou desmentido antes de chegar ao Brasil.

De acordo com o site chinês South Morning China Post , a única coincidência seria o nome Wuhan-400. Porém, esse não é o nome original do vírus. Na primeira versão do livro, em 1981, Dean Koontz denominou o microorganismo como Gorki-400. Foi só em 1988, após o fim da Guerra Fria e novas edições no livro, que o nome mudou.

O SMCP ainda explica que o vírus Gorki-400 foi criado, no livro, por russos com a intenção de desenvolver uma arma biológica. O vírus teria esse nome, porque teria sido criado na cidade de Gorki, na Rússia. Com o fim da Guerra Fria, o “livro foi relançado e precisaria de um novo vilão”. Com o boato que corria na época, de que a China possuía armas biológicas, a nova edição do livro mudou e, com ela, o nome do vírus e também de parte dos personagens (que passaram a ter nomes chineses).

Além disso, o Africa Check, um site de fact-checking africano, também apontou outras diferenças entre o Wuhan-400 e o novo coronavírus. Segundo o site, o Wuhan-400 contaminaria apenas humanos. Já o coronavírus contaminou animais. O Wuhan-400 também teria uma taxa de mortalidade de 100%, enquanto a do coronavírus é de cerca de 2%. O site também destacou que uma página de outro livro está sendo compartilhada como sendo de Koontz. A página pertenceria ao livro “End of Days: Predictions and Prophecies About the End of the World”, da médium Sylvia Browne.

Como se isso não bastasse, a história também foi desmentida em português. O Polígrafo, um site de fact-checking de Portugal ressaltou que a obra é apenas ficção e não tinha como objetivo prever qualquer acontecimento. Já o Fato ou Fake, aqui do Brasil, destaca que o tempo de incubação dos dois vírus é diferente. Enquanto o Wuhan-400 é de 4 horas, o novo coronavírus pode chegar a 14 dias.

Em resumo: a história que diz que o livro de Dean Koontz, The Eyes of Darkness, teria previsto o novo coronavírus, em 1981, é falsa! O livro, na verdade, apresenta muitas diferenças com o que está acontecendo atualmente. O nome do vírus, por exemplo, foi modificado na ficção após o fim da Guerra Fria. O contágio e o tempo de incubação dos dois microorganismos também são diferentes. Por fim, a página de outro livro está sendo usado como prova da história. Ou seja, tudo não passa de balela. Não compartilhe!

Dê a sua opinião sobre a postagem aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s