STF mantém bloqueio de bens do prefeito de Itaguaí, esposa, filha e cunhada: valores sequestrados passam de R$ 60 milhões


Por Elizeu Pires
O ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, manteve o bloqueio dos bens e contas bancárias do prefeito de Itaguaí, Carlo Busatto Junior, o Charlinho (MDB), que tem uma condenação penal de 14 anos, responde a várias ações cíveis e está sendo investigado pela Câmara de Vereadores sob a acusação de nepotismo. O bloqueio foi decidido pelo juízo da 2ª Vara Cível local, confirmado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e mantido este mês pelo STF.

O bloqueio se deu na ação civil pública 0012661412017.8.9,0024 movida pelo Ministério Público. O processo atinge ainda a primeira dama e secretária de Educação Andreia Cristina Marcello Busatto, a filha do casal Bruna Busatto Calil e Monica Elizabeth Marcello Maia, cunhada do prefeito, além das empresas Serramar Empreendimentos e Participações, CB Empreendimentos Imobiliários e Participações, CBJ Investimentos e Participações Societárias, Internáutica Call Center Serviços de Contatos Telefônicos e Ciacall Center Serviços de Contatos Telefônicos.

Depois de recorrer ao Tribunal de Justiça do Rio e não obter sucesso a defesa de Charlinho resolveu apelar ao STF, onde o pedido foi negado. “O recurso não merece acolhida”, escreveu o ministro Luis Roberto Barroso em um trecho de sua decisão.

Fonte: elizeupires.com

Matérias relacionadas:

Obstrução a CPI complica ainda mais a vida do prefeito de Itaguaí

Itaguaí tem um ‘governo de família’

Prefeito de Itaguaí é alvo de mais uma ação penal

Dois condenados a prisão assumem prefeituras na Baixada