Servidores de escolas denunciam que estão sem alimentação em Itaguaí


Trabalhadores denunciam descaso e prometem ir ao MP. Auxílio alimentação foi cortado de servidores que atuam em escolas e creches. Prefeito alegou na época que os funcionários das unidades de ensino já tem alimentação em natura(merenda escolar). Cortes desta semana violam a própria lei que o atual gestor criou lá em 2.012. Tema será debatido em assembleia pelos servidores da educação

A prefeitura Municipal de Itaguaí mais uma vez prejudica os próprios servidores. O governo de Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (MDB), já deu provas que servidores efetivos (aprovados em concurso público), não são bem quistos por sua “trupe”. Além de ter defasado os salários do funcionalismo, enquanto nomeia cada vez mais comissionados, bem como ainda tem pendências financeiras com os trabalhadores desde que assumiu a prefeitura, agora o governo não forneceu e nem pagou os valores referentes a alimentação aos servidores que atuam em escolas e creches nessa primeira semana de trabalho da categoria.Segundo os servidores, não houve qualquer tipo de alimentação nas escolas e creches municipais. Os trabalhadores estão fazendo “vaquinhas” para não ficarem com fome. Ainda segundo os relatos eles foram avisados nos seus últimos dias de férias que não poderiam contar com alimentação fornecida pela prefeitura.

Professores estão trabalhando em horário integral sem alimentação

Apesar da redução de carga horária para não ter que pagar os valores referentes ao auxílio alimentação, os professores estão cumprindo sua carga horária normal sem direito a refeição.

Quem atua dentro do prédio da secretaria de educação, ao lado da esposa do prefeito, recebe integralmente durante todo o ano os valores do auxilio alimentação, bem como servidores de outras categorias.

Assembleia do Sepe ocorrerá na próxima quarta-feira

O sindato dos profissionais de educação de Itaguaí (Sepe), fará uma assembleia na próxima quarta-feira e o tema será um dos assuntos.

Nosso blog tentou contato com a prefeitura de Itaguaí e com o Conselho de Alimentação Escolar do Município, mas ambos não retornaram os contatos.

Prefeito sempre visou prejudicar

No final de seu mandato em 2012, o atual prefeito criou duas leis. A lei do auxílio transporte e a lei do auxílio alimentação. Ambas praticamente só entraram em vigor quando Charlinho não mais era prefeito. A intenção ao que parecia era para prejudicar a gestão seguinte. Com a criação dessas leis, todos os servidores passaram a ter esses direitos.

Leis

Lei 3.056/12 do Poder Executivo Municipal

http://cpdoc.camaraitaguai.rj.gov.br/images/leis/2012/L3056-2012.pdf

https://bocanotromboneitaguai.files.wordpress.com/2016/08/auxilio-alimentac3a7c3a3o-e-passagem.pdf

Lei 3.040/12

http://www.itaguai.rj.gov.br/downloads/estrutura-organograma/lei-3.040.pdf

Criou e cortou tal direito de centenas de servidores

Assim como fez com vários outros direitos, o atual gestor da cidade cortou o auxílio alimentação dos trabalhadores que atuam em escolas e creches. Ele fez valer que como em tais locais existe comida em natura (merenda escolar), esses servidores não faziam jus a tal direito. Contudo, sem os alunos, a prefeitura costumeiramente não permite que seja feita a merenda. Essa praxe ocorre desde que Charlinho assumiu, porém agora o número de dias que os trabalhadores estão sem a alimentação é maior que nos outros anos, já que eles retornaram no dia 03 de fevereiro e só haverá alunos amanhã dia 10.

Secretaria de Educação não se pronunciou sobre a questão dos problemas com a água da Cedae

Até o momento, a secretaria municipal de educação de Itaguaí, não se pronunciou sobre os problemas e a redução no fornecimento de água por parte da Cedae. A água está com mal cheiro além de suja. Até detergente já foi encontrado nos rios que abastecem o Estado. As aulas em Itaguaí irão começar na próxima segunda-feira e muitas escolas também são abastecidas com caminhões pipa fornecidos pela empresa. Muitas cidades já se pronunciaram sobre o problema.