Naufrágio de dois barcos deixa mortos na Ilha da Madeira em Itaguaí


Segundo a Marinha e o Corpo de Bombeiros, cinco pessoas morreram. Quatro delas já foram identificadas

Duas embarcações com pelo menos 21 pescadores a bordo naufragaram na Baía de Sepetiba, altura de Itaguaí, na madrugada desta sexta-feira. Cinco pessoas foram resgatadas já sem vida e uma sexta morreu após o socorro, segundo informações da 50ª DP (Itaguaí). Outras três foram resgatadas com vida e encaminhadas inicialmente para o Hospital Municipal São Francisco Xavier, também em Itaguaí.

Um dos sobreviventes, Fabrício Rena, um dos primeiros a ser resgatados, está no local para reconhecer o quinto corpo encontrado, no início da tarde desta sexta-feira.

As informações do Corpo de Bombeiros, da Marinha e da Polícia Civil divergem. Para os Bombeiros, há seis pessoas ainda desaparecidas. Enquanto bombeiros e policiais dizem que havia 21 pessoas a bordo dos barcos pesqueiros Lucas Mar e Guto I, a Marinha fala em 22 pessoas nas embarcações.

Sobre o resgate, também ainda não há informações precisas. O Corpo de Bombeiros diz que 10 pessoas foram resgatadas com vida, à deriva na Baía de Sepetiba. Três foram encaminhadas para o hospital São Francisco Xavier. Outros foram encaminhados ao Hospital Municipal Pedro II e à UPA de Santa Cruz.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros, coronel Glauco Lorite, disse em entrevista no local que provavelmente faltou colete aos pescadores. A corporação trabalha com seis desaparecidos.

Maria Bethânia Freitas Gomes é mulher de um dos desaparecidos, o pescador João Gomes da Silva, de 50 anos. Ela conta que o marido saiu para pescaria como sempre fez, mas quando ela levantou esta manhã estranhou que ele ainda não havia chegado. “Comecei a ficar preocupada, até que me avisaram em casa sobre o que tinha acontecido”. “Ele amava pescar”, lembrou, emocionada.

“Nunca pensei que passaria por isso na minha vida”, disse Maria Bethânia. Ela diz que o coração aperta a cada vez que o helicóptero dos Bombeiros aterrissa no Porto de Itaguaí. “Eu fico na expectativa, eu sei que ele ainda vai chegar aqui com vida. Não perdi a esperança”, desabafa.

A Marinha e os Bombeiros do Quartel de Sepetiba atuam desde 0h20, quando foram acionados, na Baía de Sepetiba no trabalho de procura e resgate. Apoiam os trabalhos o Quartel de Angra dos Reis e o Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) da Barra da Tijuca. O naufrágio aconteceu na região da Laminha.

Os sobreviventes estão sendo levados para o Hospital Municipal Pedro II e para a UPA, unidades localizadas em Santa Cruz, na Zona Oeste.

Quatro embarcações da Delegacia da Capitania dos Portos em Itacuruçá (DelItacuruçá) e duas dos bombeiros atuam na região, assim como dois helicópteros — Marinha e Bombeiros — auxiliam nas buscas. No porto, muitas pessoas estão em busca de notícias, são amigos, parentes, pais e filhos dos desaparecidos.

Um amigo de Lucas, desaparecido e dono de uma das embarcações, acredita que o mau tempo provocou o naufrágio. “O mar, como dizem, ontem estava um tapete, paradinho. Mas do nada veio esse vento forte e afundou os barcos em 15 ou 20 segundos”, disse o guarda municipal Edson Alves, de 48 anos.

O pai de Lucas, Aldo Barbosa, disse que está desde às 19h30 desta quinta-feira no local. “Minha esposa mandou mensagem pra ele e o Lucas não respondeu, eu vim pra cá e estou aqui desde então.”

Ele diz que trabalhava como pescador há 40 anos e que Lucas o acompanhava desde pequeno. Aldo conta que estimulava o filho único a estudar, dizendo que a pesca não dava futuro. “O mar é assim, muda rápido. Minha esposa está debilitada, eu estou aqui sem dormir, em busca de alguma notícia”, desabafa. Lucas tem uma filha de seis meses.

Outra amiga de Lucas, Vanise Valéria espera angustiada no porto por novas informações. “Estamos aqui aflitos, a gente não sabe quem está dentro da ambulância, quem está no hospital. A gente espera encontrar os demais com vida” , diz emocionada.

As causas do naufrágio ainda são desconhecidas. Um inquérito instaurado pela Marinha do Brasil vai investigar o caso. Entretanto, pescadores que sobreviveram falam que ventou muito e isso provocou o afundamento das embarcações.

*Lista de vítimas do naufrágio em Itaguaí, RJ*

O que se sabe até agora

  • Eram 21 tripulantes
  • 5 morreram
  • 7 estão desaparecidos
  • 10 foram socorridos
  • Sobrevivente contou que tempestade fez embarcação naufragar
  • Duas embarcações afundaram: Lucas Mar e Milemar

Mortes confirmadas:

  • Eliezer de Lima Barreto
  • Nilson Moura
  • Wanderley Batista dos Santos
  • Júlio César Braz de Mesquita
  • Um quinto corpo retirado da água às 13h45 e ainda não tem identificação.

Segundo a Polícia Civil, cinco pessoas morreram, e sete estão desaparecidas.

*Desaparecidos identificados, segundo familiares:*

Pablo Lessa Santos
Neilton de Souza
Lucas Barbosa
João Gomes da Silva

Anúncios

2 ideias sobre “Naufrágio de dois barcos deixa mortos na Ilha da Madeira em Itaguaí

Dê a sua opinião sobre a postagem aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s