Alunos sofrem por falta de carteiras escolares e uniformes em Itaguaí


Calor, insegurança, falta de professores e estruturas precárias fazem de 2018 um dos piores anos na vida dos estudantes municipais

Os alunos das escolas do município de Itaguaí estão vivenciando em 2018 um dos piores cenários já vistos na educação da cidade. Chega a ser quase impossível listar na íntegra todos os problemas encontrados. Em quase todas os problemas são comuns como falta de carteiras escolares, falta de uniformes, falta de mesas para professores, falta de segurança, vazamentos com infiltrações no teto de muitas, banheiros em estado precário, mato alto nas escolas entre elas nas de área rural e falta de transporte para muitos alunos, dentre esses estudantes residentes nas ilhas da Quatiquara, Martins e Ilha do Boi, que necessitam do transporte marítimo até a escola Municipal Elmo Batista Coelho na Ilha da Madeira e que não são atendidos pelo transporte desde o ano passado. Os alunos também têm ficado sem aulas, devido à carência de professores de Matemática, Português e outras matérias importantes a serem cursadas e frequentemente tem saído mais cedo ou nem tido aulas por esse motivo.

                                 Alunos fazem as pernas de mesas de apoio para escreverem

                                                  Professora usa caixotes improvisados como mesa

                                Quadro escolar solto e salas de aula sem portas. Cenário tem sido comum

                             Buraco no solo na área externa da Escola Otoni Rocha pode causar acidentes

Carteiras quebradas amontoadas em banheiros da quadra de uma das escolas mostram o cenário de abandono

       Paredes sem ventiladores. Salas de aula tem tido como este algo comum nas unidades de ensino

 

Risco de vida para alunos

As escolas rurais, entre elas Taciano Basílio e Santa Rosa, unidades que o governo queria interromper as atividades neste ano, estão rodeadas de mato alto. Na localidade da Serra do Caçador, bairro Saco da Prata onde funciona a Taciano, existem diversos animais de grande porte, entre eles cobras venenosas, que com o mato alto se aproximam cada vez mais da escola. Os estudantes e servidores são obrigados a conviver com o alto risco de serem vitimados com a picada de uma dessas peçonhentas, já que o acesso a região é dificil e o veneno de uma dessas cobras mata em poucas horas, tempo insuficiente para a busca de tratamento contra esse mal, já que Itaguaí não conta com o soro antiofídico, medicamento para tratar das picadas de cobras venenosas. Para se ter uma ideia, o tempo da escola até o Centro de Itaguaí é de uma hora e meia a duas horas, tempo que seria fatal para uma vitíma

 

Saiba mais sobre o risco de picadas de cobras venenosas e como funciona o tratamento clicando no link abaixo:

https://www.revistaplaneta.com.br/veneno-de-cobra-uma-toxina-que-pode-matar-ou-curar/

 

Falta de segurança

Como se não bastassem todos esses problemas, muitas unidades já sofreram com assaltos em 2017 e começo deste ano. Antes as escolas contavam com guardas municipais em suas dependências, já nos dias atuais eles não mais existem e bandidos tem aproveitado para invadir os locais e roubar alunos e funcionários.

Aluno especial sem atendimento nas unidades regulares

Outro problema é a falta de mediadores para os alunos com alguma deficiência, os nossos alunos especiais. Devido a carência de profissionais na rede, estes não tem atendimento de um professor que lhe conduza enquanto o outro profissional lida com toda a turma. Em salas de aula com cada vez mais alunos, um professor sozinho não consegue lidar com os alunos regulares e com os especiais, comprometendo ainda mais o já precário atendimento educacional.

Busca pelos direitos

Pais de alunos e servidores tem se mobilizado em idas constantes no Ministério Público para denunciar as mazelas da educação de Itaguaí. Diversos processos contra a atual administração estão na justiça, entre eles os de desvalorização dos profissionais que perderam entre direitos e remunerações 30% de seus ganhos em leis que ferem até a Constituição Federal, como o congelamento da revisão salarial anual dos educadores.

 

Resposta da Prefeitura

O Boca no Trombone Itaguaí entrou em contato com a Prefeitura que através da Secretaria de Educação e Cultura, esclareceu que abriu processo de licitação para adquirir novas carteiras e os uniformes para o ano letivo de 2018. No entanto, aguarda a finalização dos trâmites burocráticos. O governo ainda disse estar fazendo todos os esforços no intuito de melhor atender às necessidades das Unidades Escolares do município.

 

 

Anúncios

Uma ideia sobre “Alunos sofrem por falta de carteiras escolares e uniformes em Itaguaí

  1. Pingback: Secretaria de educação de Itaguaí entrega novas carteiras em algumas escolas | Boca no Trombone – Itaguai

Dê a sua opinião sobre a postagem aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s