Troca de ministro da Justiça repercute no Congresso


Delegados Federais veem com preocupação troca de ministro da Justiça

 Em meio a crise política iniciada pela delação dos donos da JBS, o presidente Michel Temer resolveu trocar o comando do Ministério da Justiça. Saiu Osmar Serraglio, deputado federal do PMDB do Paraná, e entra Torquato Jardim, advogado e professor universitário especialista em direito eleitoral.

Torquato estava no ministério da Transparência e Controladoria Geral da União, a CGU. O planalto não divulgou o motivo da troca, que repercutiu no Congresso Nacional. O senador Álvaro Dias, do PV, defendeu que a mudança visa atrapalhar a Lava Jato.

A Associação dos Delegados da Polícia Federal também se manifestou sobre a troca de comando no Ministério da Justiça. Em nota, a entidade diz que vê com preocupação a mudança por não conhecer as propostas de Torquato Jardim para a pasta.

 

Nota à imprensa

 

“A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) vem a público demonstrar preocupação com a notícia da substituição, neste domingo, dia 28, do Ministro Osmar Serraglio pelo Ministro Torquato Jardim para ocupar o cargo de ministro da Justiça.


Os Delegados de Policia Federal foram surpreendidos com a notícia da substituição, até mesmo porque desconhecem qualquer proposta de Torquato Jardim para a pasta. É natural que qualquer mudança no comando do Ministério da Justiça gere preocupação e incerteza sobre a possibilidade de interferências no trabalho realizado pela Polícia Federal.

 

Para resolver esta situação e evitar dúvidas, é fundamental que seja logo aprovada, no Congresso Nacional, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 412/2009, que garante a autonomia funcional, administrativa e orçamentária à Polícia Federal.


Além da autonomia, também é essencial que seja instituído o mandato para Diretor-geral da PF, de modo que mudanças de governo ou de governantes não reflitam em interferências políticas, cortes de recursos e de investimentos que prejudiquem as ações da Polícia Federal.”


Carlos Eduardo Sobral
Presidente da Associação Nacional dos Delegados de Policia Federal – ADPF

 

O líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer, saiu em defesa dizendo que o novo ministro tem o perfil para o cargo.

Assessores do governo chegaram a dizer que o atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio, iria para a CGU, havendo portanto uma troca entre ministros. Mas a informação ainda não foi confirmada por Serraglio e a própria assessoria do Planalto disse que espera uma resposta do deputado.

 

Se Serraglio voltar para a Câmara, o suplente dele, o atual deputado Rocha Loures, do PMDB, citado na delação do empresário da JBS, Joeslei Batista, e filmado recebendo dinheiro da JBS, perde o mandato e o foro privilegiado.

 Fonte: Agência Brasil

Anúncios

Dê a sua opinião sobre a postagem aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s