Imposto de renda e gasolina podem subir para pagar a incompetência de Dilma


Absurdo. Uma vergonha. O governo da presidente Dilma, após anos de incompetência econômica, vários indícios de corrupção e punição ao povo brasileiro, que paga uma conta cada vez maior, agora o governo quer aumentar o IR e a gasolina.

O Ministro Levy disse que imposto maior ajuda no ajuste fiscal; Temer trata da alta da CIDE

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que o aumento do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) pode ser um dos caminhos para auxiliar no ajuste fiscal, confirmando a expectativa de que o governo estuda novos impostos para reduzir o déficit fiscal do orçamento da União em 2016.

Em entrevista a repórteres após reunião na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em Paris, Levy disse ser preciso encontrar formas de se viabilizar “uma ponte fiscal sustentável”.
“Pode ser um caminho (o aumento do IR). Essa é a discussão que estamos tendo agora e que acho que tem que amadurecer mais rapidamente no Congresso”, disse Levy, acrescentando que o Brasil tem menos impostos sobre a renda da pessoa física do que a maior parte dos países da OCDE.

A proposta do Orçamento de 2016 prevê um déficit primário da União de R$ 30,5 bilhões, ou 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Para equilibrar as contas, o governo pode aumentar o IR e também a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) da gasolina o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

A presidente Dilma Rousseff afirmou no último dia 4 que o governo não quer ficar com déficit orçamentário e que é possível discutir como conseguir receitas necessárias para evitá-lo, destacando que o governo discutirá a questão com o Congresso e a sociedade.

Pela manhã, o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, disse que o governo federal vai buscar alternativas para resolver o déficit orçamentário, incluindo aumento de algumas contribuições e impostos, mas que tenham impacto menor na inflação e no setor produtivo. Berzoini não deu detalhes sobre quais impostos poderão ser elevados.

O aumento de R$ 0,50 da CIDE, que passaria dos atuais R$ 0,10 para R$ 0,60 por litro de gasolina, foi tema de um jantar na noite de ontem entre o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), e governadores do PMDB.
Segundo estudo da União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica), o aumento da Contribuição pode gerar um aumento de receita para a União de R$ 15 bilhões e para os estados, um acréscimo na receita de ICMS de R$ 5 bilhões.

Governo quer que o povo continue pagando a conta

Que não temos um governo sério, isto é evidente. Os números não negam a irresponsabilidade daqueles que deveriam dirigir o país de forma equilibrada.

Apesar do governo atual ser desastroso, o problema que temos hoje, somente eles podem resolver. Pelo menos enquanto o povo assim quiser.

Mas, o que nos faz refletir, pois queremos um Brasil melhor para todos, é o porque de 39 ministérios, com centenas de funcionários comissionados e vários prédios alugados para comportar tanta gente. Tudo lógico, pago por nós brasileiros.

Para se ter uma idéia, no governo de JK, eram 15 ministérios. Ao longo dos anos o aumento foi gradativo até explodir no atual governo. Só com aluguéis de prédios anexos, nós pagamos quase R$ 10 milhões mensais. Com os ministros e os servidores são mais de R$ 08 milhões por mês. Fora os comissionados que se houvesse uma redução em 10% desse pessoal, a economia seria enorme.

O ex presidente Collor que sofreu impeachment, tinha ao todo 28 pastas, ou seja, 11 a menos que o governo Dilma.

Estudos já mostraram que essa quantidade de ministérios só traz prejuízos as contas do governo e consequentemente ao país. Porém até que ponto o governo acha que tantos ministérios é prejudicial a eles?

Além desses, existem dezenas de outras formas de se cortar gastos, sem que a população pague o preço de um país corrupto, de um governo incompetente e de uma presidente mentirosa.

Conosco quando nossas contas não fecham, nós obrigatoriamente cortamos gastos para conseguirmos honrar nossos compromissos e mantermos uma vida ao mais próximo de nossos padrões de outrora. Mas para o governo atual, o mais importante é esbanjar e pôr mais uma vez o povo para bancar a sua total falta de administração séria.

A corda mais uma vez está arrebentando do lado mais fraco, os contribuintes.

(Com Reuters)

Dê a sua opinião sobre a postagem aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s